Lista | Continuações Melhores que o Original

Ao longo da história do Cinema um estranho fenômeno foi aparecendo: a maldição das continuações. Não me refiro ao fato de que Hollywood automaticamente sente a necessidade de criar uma sequência após o sucesso do original (ainda que isso tenha relação com a maldição em si) e sim o fato do “filme 2” ser uma verdadeira tragédia, não capturando nem um pouco da essência do primeiro. Dito isso, vez ou outra, aparecem raros exemplares de quando a sequência supera o original e, aqui, nessa lista, escolhemos as que melhor representam esse raro acontecimento.

Ao lerem a lista abaixo, vocês irão notar a ausência de algumas icônicas continuações, como O Exterminador do Futuro 2Aliens: O Resgate – essas foram deixadas de fora porque eu e Ritter Fanque participou da confecção dessa polêmica lista, não chegamos a uma conclusão (ele prefere o primeiro Exterminador, já eu prefiro o segundo e, quanto a Alien, depende do dia). Dito isso, como qualquer outra lista, ela é de caráter pessoal, portanto se não concordam, façam a própria lista de vocês nos comentários abaixo.

Enfim, leiam o que temos a dizer e descubram, no fim, se achamos Blade Runner 2049 melhor que o original!

***

9. Capitão América 2: O Soldado Invernal
(Captain America: The Winter Soldier, 2014)

O primeiro Capitão América tem a sua função narrativa definida pelo seu subtítulo: O Primeiro Vingador – e ele é só isso mesmo, um filme feito para introduzir o bandeiroso no Universo Cinematográfico Marvel. Trata-se de um filme de ritmo arrastado, fragmentado e quase que completamente esquecível (eu mesmo só lembro do Elrond pintado de vermelho). Já O Soldado Invernal, esse sim fez jus ao herói da editora, nos apresentando um dos poucos vilões decentes da Marvel, somado a um ótimo trabalho de direção dos irmãos Russo (que garantiu a eles a cadeira em Guerra Civil Guerra Infinita), além de um belo arco dramático para Rogers.

8. Homem-Aranha 2
(Spider-Man 2, 2004)

Convenhamos, quando o vilão do primeiro filme parece ter sido tirado de um episódio de Power Rangers, realmente ele já sai em desvantagem, então vem Sam Raimi na sua continuação e introduz ninguém menos que o Doutor Octopus! Alguém aqui já conseguiu esquecer a icônica batalha em cima do trem? Ou Raindrops Keep Fallin’ On my HeadHomem-Aranha 2 permanece até hoje como um dos melhores exemplares desse subgênero!

7. X-Men 2
(X2, 2003)

Aqui outro exemplo de como uma continuação pode superar o original de todas as maneiras possíveis. Enquanto X-Men: O Filme trazia alguns momentos de verdadeira vergonha alheia – vide o senador derretendo ou todas as aparições do Dentes-de-Sabre – sua sequência melhorou toda a fórmula, aprofundando-se na história de Wolverine, nos proporcionando com algumas das sequências mais icônicas da franquia (Magneto fugindo da prisão, por exemplo), além de introduzir inúmeros novos mutantes, em uma trama mais criativa e ousada.

6. Uma Noite Alucinante 2
(Evil Dead II, 1987)

Em Uma Noite Alucinante: A Morte do Demônio (tradução mais que tresloucada de Evil Dead), Sam Raimi já nos mostrou um pouco do que entregaria em sua extremamente diversificada filmografia, mas vou em sua continuação que ele realmente colocou sua marca. Misturando terror e comédia, Uma Noite Alucinante 2 transformou, de fato, Ash em lenda, com Bruce Campbell sendo eternizado em seu papel mais louco até agora.

5. Planeta dos Macacos: O Confronto
(Dawn of the Planet of the Apes, 2014)

Se Planeta dos Macacos: A Origem revitalizou a franquia de ficção científica, então O Confronto apenas melhorou a fórmula, trazendo capturas de movimento inacreditáveis. Aqui vemos César se destacar ainda mais, já como grande líder dos símios. Temos aqui uma prova de como uma continuação pode se sustentar por conta própria, saindo da sombra do original, funcionando efetivamente como uma bem-vinda expansão das ideias apresentadas no primeiro filme.

4. Mad Max 2: A Caçada Continua
(The Road Warrior, 1981)

Mad Max 2: A Caçada Continua somente pode ser enxergada como continuação por dois pontos: primeiro, temos o mesmo protagonista, segundo pelo título brasileiro. Fora isso, George Miller nos apresenta a um universo totalmente diferente, tomado pelo deserto e loucura, com carros sucateados turbinados e personagens uns mais loucos que os outros. Essa, sem dúvidas, é a versão sem freios do primeiro filme!

3. Jornada nas Estrelas II – A Ira de Khan
(Star Trek: The Wrath of Khan)

Apesar de não ser o melhor filme de Jornada nas EstrelasA Ira de Khan certamente está no top 5 e, para falar a verdade, nem precisaria estar para superar Jornada nas Estrelas: O Filme, que, na realidade, era para ser o piloto de uma nova série, mas acabou sendo (indevidamente) alongado a fim de se tornar um longa-metragem. Claro que o fato dessa continuação ter um dos gritos mais icônicos do cinema já ajuda, afinal, ninguém poderia se esquecer de: KHAAAAAAAAAAAAAN! Isso sem falar que, qualquer filme com Ricardo Montalbán já sai na vantagem.

2. Batman: O Cavaleiro das Trevas
(The Dark Knight, 2008)

Batman Begins é, sem dúvidas, um dos melhores filmes de origem de super-herói, mas isso não faz dele um longa-metragem indispensável em qualquer coleção de cinéfilo. Foi em O Cavaleiro das Trevas, também conhecido como Coringa e o Batman, que Christopher Nolan nos entregou uma obra digna de reconhecimento, não como filme de herói, mas como um belo exemplar da sétima arte, que transcende o fato dela ser baseada em quadrinhos. Trata-se de um filme autoral, o que todos os longas de super-herói deveriam ser – ao invés disso, ganhamos universos compartilhados e mais universos compartilhados, sejam eles coloridos ou monocromáticos.

1. O Poderoso Chefão II
(The Godfather: Part II, 1974)

Tivemos um empate na primeira posição! O Poderoso Chefão nos mostrou a ascensão de seu protagonista (sim, Michael É o protagonista dos três filmes), já sua continuação nos mostra a sua queda – não como gangster, mas como ser humano. Esse é o ápice de sua transformação em monstro, uma figura fria e calculista, antítese do que ele próprio era no primeiro longa. O que Francis Ford Coppola fez aqui foi uma das metamorfoses mais trágicas de qualquer filme, superando sua obra-prima até então e nos entregando uma obra, que consegue superar o original, por mais incrível que isso possa parecer.

1. O Império Contra-Ataca
(The Empire Strikes Back, 1980)

Diz muito sobre George Lucas o fato do melhor filme de Star Wars não ter sido dirigido por ele. O Império Contra-Ataca é melhor que Uma Nova Esperança em todos os sentidos possíveis – roteiro, direção, direção de arte, efeitos e até mesmo atuações – o que mostra que Lucas funciona melhor quando não toma as rédeas desse universo, ainda que ele seja o seu criador. Com o maior vilão e plot-twist da história do cinema, essa é uma sequência memorável, que, muitas vezes, parece ter sido feita muitos anos após seu antecessor.

***

Aguardando o teste Voight-Kampff

Blade Runner 2049
(idem, 2017)

Chegamos à pergunta que todos tem feito ultimamente: Blade Runner 2049 é melhor que Blade Runner, o Caçador de AndroidesInfelizmente, só o tempo dirá, mas, se perguntarem minha opinião pessoal hoje, eu diria que sim, mas, de repente, amanhã eu direi o contrário. Daqui a dez anos nos falamos de novo e terei a resposta conclusiva… talvez.

GUILHERME CORAL. . . .Refugiado de uma galáxia muito muito distante, caí neste planeta do setor 2814 por engano. Fui levado, graças à paixão por filmes ao ramo do Cinema e Audiovisual, onde atualmente me aventuro. Mas minha louca obsessão pelo entretenimento desta Terra não se limita à tela grande - literatura, séries, games são todos partes imprescindíveis do itinerário dessa longa viagem.