Lista | Jonathan Demme – 10 Filmes Que Você Não Pode Perder

jonathan_demme_lista_plano_critico

Jonathan Demme faleceu aos 73 anos em razão de complicações coronárias e também por câncer no esôfago. Mas ele deixou uma invejável filmografia de cinco décadas, desde que debutou na direção com Celas em Chamas, para a produtora de Roger Corman, em 1974.

Em homenagem ao cineasta, separamos 10 filmes de sua carreira que todo cinéfilo deve ver. Mas, claro, listas são pessoais. Portanto, se deixamos algum favorito de fora, é só nos mandar lá nos comentários!

10. Nas Ondas do Rádio
(Handle with Care/Citizens Band, 1977)

demme-lista-1

Desconhecido, do começo de sua carreira, mas ainda completamente atual, com uma história de traços cômicos sobre uma rede interconectada de inusitados rádio-amadores. Por incrível que pareça, troquem o “antiquado” meio de comunicação usado no filme pela internet e voilà, temos algo perfeitamente aplicável aos dias de hoje.

9. Pelos Meus Direitos
(Fighting Mad, 1976)

demme-lista-2

Uma aventura com Peter Fonda lidando com a boa e velha briga entre as corporações e os donos de terra. Já viram Fonda empunhando um arco? Então não percam esse filme!

8. Melvin e Howard
(Melvin and Howard, 1980)

demme-lista-3

Esse é o filme que abriu as portas de Hollywood para Demme e conta a história de Melvin, que diz ser herdeiro de ninguém menos do que Howard Hughes. Também com leves tons de comédia, a narrativa consegue emocionar e Paul Le Mat como Melvin está absolutamente cativante.

7. Sob o Domínio do Mal
(The Manchurian Candidate, 2004)

demme-lista-5

Refilmagem do clássico de 1962, com Denzel Washington no papel principal, Demme consegue atualizar o visual, mantendo o tom de mistério e a trama de toques surreais que a obra exige. Não é tão bom quanto o original, mas é uma baita refilmagem.

6. A Master Builder
(2013)

demme-lista-6

Esse é um de seus filmes mais desconhecidos, nem tendo título em português. Mas pensem aqui comigo: é baseado em peça de Henrik Ibsen, com roteiro e protagonismo de Wallace Shawn. E sobre envelhecimento e bullying ainda por cima. Peguem para ver,  pois não se arrependerão.

5. De Caso com a Máfia
(Married to the Mob, 1988)

demme-lista-7

A estonteante Michelle Pfeiffer contracenando com o hilário Alec Baldwin já é razão suficiente para se assistir essa comédia romântica sobre a viúva de um mafioso sendo investigada pelo FBI. Diversão leve e altamente recomendada.

4. Totalmente Selvagem
(Something Wild, 1986)

demme-lista-9

Mais uma comédia e também dos anos 80. Mas Jeff Daniels e Melanie Griffith estão muito bem como um improvável casal que acaba tendo que lidar com o marido (e ex-presidiário) dela. O diferencial aqui é a pegada “doidinha” do roteiro, que ganha as telas com cores vibrantes e atuações exageradas, mas críveis mesmo quando a história descamba para algo mais sombrio.

3. Stop Making Sense
(1984)

demme-lista-4

Acho que os três primeiros lugares de qualquer lista de melhores filmes de Jonathan Demme sempre serão tomados pela mesma trinca. O que pode mudar é ordem. Assim, em 3º lugar, temos Stop Making Sense, seu documentário musical quase experimental, mas muito inovador, sobre o Talking Heads. É, em princípio, um show filmado, mas com uma visão de bastidores cativante e com a pegada toda especial de Demme.

2. Filadélfia
(Philadelphia, 1993)

filadelfia-filme-1993-plano-critico

Um soco no estômago. Atuações impressionantes de Denzel Washington e Tom Hanks. Assuntos importantíssimos – HIV e homossexualidade – tratados como drama de tribunal.

1. O Silêncio dos Inocentes
(The Silence of the Lambs, 1991)

silenciopcdestacada

Que dúvida, não é mesmo? Impossível não colocar a obra máxima de Jonathan Demme no topo de nossa lista. Afinal, não é todo filme que lida com essa elegância com canibalismo, serial killers, uma agente novata do FBI novata sendo tragada para um jogo psicológico de um mestre manipulador e, claro, Jodie Foster e Anthony Hopkins encabeçando o elenco. Vai um cérebro com uma garrafa de chianti aí?

RITTER FAN. . . . Aprendi a fazer cara feia com Marion Cobretti, a dar cano nas pessoas com John Matrix e me apaixonei por Stephanie Zinone, ainda que Emmeline Lestrange e Lisa tenham sido fortes concorrentes. Comecei a lutar inspirado em Daniel-San e a pilotar aviões de cabeça para baixo com Maverick. Vim pelado do futuro para matar Sarah Connor, alimento Gizmo religiosamente antes da meia-noite e volta e meia tenho que ir ao Bairro Proibido para livrá-lo de demônios. Sou ex-tira, ex-blade-runner, ex-assassino, mas, às vezes, volto às minhas antigas atividades, mando um "yippe ki-yay m@th&rf%ck&r" e pego a Ferrari do pai do Cameron ou o V8 Interceptor do louco do Max para dar uma volta por Ridgemont High com Jessica Rabbit.