Lista | Missão: Impossível – Os Filmes Ranqueados

Missão: Impossível é uma franquia cinematográfica de ação aclamada. Enquanto o gênero é responsável por trazer algumas das obras mais genéricas para o cinema, a saga, por sua vez, conseguiu brindar o mundo com filmes cheios de personalidade, a começar pelo primeiro, dirigido pelo grande Brian De Palma. Com o objetivo de ranquear todos os seis longas-metragens já lançados sob esse selo, todos estrelados por Tom Cruise, a referida missão foi realizada pelos seguintes agentes secretos: Gabriel “Hunt”, Ritter “Stickel”, “Benji” Honorato, Bruno “Brandt” e Fernando “Hunley”.

  • Cada agente ranqueou da primeira à sexta colocação os seis filmes.
  • Em cada lista, o primeiro colocado ganhou 6 pontos e o último ganhou apenas 1.

6. Missão: Impossível 3
(J. J. Abrams, 2006)

Com a contagem de 10 pontos, o último colocado da nossa lista, surpreendentemente, é Missão: Impossível 3. O filme dirigido por J. J. Abrams, porém, está longe de ser o mais “desgostado” pelas pessoas, com essa honraria sendo dada ao nosso próximo listado. Mas por que Missão: Impossível 3 está em último lugar? Enquanto o segundo filme da franquia, ao menos, tem alguns admiradores (como eu mesmo), Missão: Impossível 3 vem correndo atrás em desgosto – embora, aqui, já soe mais como um gosto menor. Contudo, fora os admiradores pontuais que existem, a incursão cinematográfica soa, para muitos, um pouco esquecível, apesar de ter, assim como diferentes filmes da franquia, uma proposta mais específica: humanizar Ethan e todo o seu universo. Apesar de não ser um longa-metragem ruim, possuindo pontos positivos como a presença de Phillip Seymour Hoffman, no final das contas, o resultado não é melhor flor que se cheire, arrematando duas últimas colocações, duas penúltimas colocações e uma posição mais avantajada que me pegou de surpresa.

5. Missão: Impossível 2
(John Woo, 2000)

Com a contagem de 12 pontos, Missão: Impossível 2 conseguiu não ficar em último lugar por ter um seleto grupo de fãs. Como eu falei na minha crítica, John Woo transformou Missão: Impossível, mas não destoou da essência existente. A essência mudou, a trilha sonora mudou, mais vibrante, assim como o próprio objetivo: criar danças sobre pancadaria, poesia sobre ação e explosões em câmera lenta sobre um passeio de carro.” Apesar disso, todos os votantes, com exceção de dois, o escolheu como o pior da franquia. Não é o filme mais fácil de gostar, talvez esteja um pouco “datado” para alguns, definição que nem mesmo passou pela minha cabeça quando o revi, mas é extremamente complicado caracterizá-lo como genérico e esquecível.

4. Missão: Impossível – Nação Secreta
(Christopher McQuarrie, 2015)

Com a contagem de 13 pontos, Nação Secreta foi a estreia bem sucedida de Christopher McQuarrie na direção da franquia, um resultado que o manteria para a sequência, o recente Efeito Fallout. Nação Secreta é um filme com pouquíssima rejeição, comparando com as entradas mais bem sucedidas. Após o fraco Jack Reacher, também estrelado por Cruise, Christopher McQuarrie finalmente mostrou ao que veio, conduzindo uma narrativa que trouxe vários elementos passados de volta. Como disse Bruno Pires em seu texto sobre o filme, “a marcante cena da ópera é de fato o ponto alto da espetacularização coreográfica que o filme traz, um misto da bravura de Tom Cruise com um olhar refinado de McQuarrie à respeito da ação.”

3. Missão: Impossível – Protocolo Fantasma
(Brad Bird, 2011)

Com a contagem de 18 pontos, Protocolo Fantasma é um filme diferente. Em primeiro momento, o longa-metragem é dirigido por Brad Bird, conhecido por ter tido a mão em animações aclamadas, como O Gigante de Ferro e Os Incríveis. A primeira incursão do cineasta no cinema em live-action exemplifica o enorme controle que ele tem na composição visual das cenas, o que transformou Protocolo Fantasma em um dos filmes mais impressionantes e bonitos da franquia de ação, como, por exemplo a grandiosa tempestade de areia. A história também traz a introdução de William Brandt, interpretado por Jeremy Renner, uma das mais interessantes adições ao elenco de Missão: Impossível, trazendo uma carga dramática muito bem resolvida e mais densa que a de episódios anteriores. Em muitos aspectos, embora Bird não tenha a intenção de humanizar Hunt da mesma maneira que Abrams queria, vejo Protocolo Fantasma como o Missão: Impossível 3 que deu certo. E muito.

2. Missão: Impossível – Efeito Fallout
(Christopher McQuarrie, 2018)

Com a contagem de 24 pontos, o mais novo lançamento da franquia arrematou o segundo lugar. Tem um diálogo que exemplifica muito bem a história de Efeito Fallout. Em determinado momento na trama, Ethan Hunt avisa que está sendo perseguido. “CIA ou Apóstolos”, pergunta o seu contato. A resposta do personagem é chamativa: “Isso importa?” A verdade é que não importa mesmo e o longa-metragem tem auto-consciência disso. Christopher McQuarrie não precisar ter uma história maravilhosa para criar uma narrativa maravilhosa, com fôlego para se sustentar por duas horas e meia. As reviravoltas empolgam, as situações de risco empolgam, as missões empolgam. A costura funciona, enquanto a obra tem espaço de sobra para explorar o gênero de ação em sua excelência. Quando Tom Cruise está correndo, McQuarrie faz uma espécie de ode a ele e o seu significado como astro de ação. No final das contas, Efeito Fallout é mesmo um ode ao gênero e um ode ao papel de seu protagonista, um herói contemporâneo.

1. Missão: Impossível
(Brian De Palma, 1996)

Com a contagem de 28 pontos, o primeiro colocado de nossa lista também é o primeiro longa-metragem da franquia, dirigido pela mesma pessoa responsável por clássicos como Scarface, Os Intocáveis e Carrie, a Estranha. Missão: Impossível é uma obra muito mais de espionagem que os demais episódios da franquia, tenham isso anotado. E que obra de espionagem, caros leitores! Se falha em algum momento é na boa sequência final, que, por outro lado, trai o estilo empregado durante o restante da obra. Pegando emprestado um pouco do texto do Ritter Fan, “Missão: Impossível foi produzido no crepúsculo de uma era em que filmes de ação, para serem considerados como tal, não precisavam induzir o espectador em vertigem ou ataques epilépticos com montagens velozes e furiosas, pirotecnias desmedidas e absurdas e efeitos em computação gráfica feitos a toque de caixa e usados só porque eles estão disponíveis.”

###

Agora é com vocês! Quais são os seus filmes favoritos da franquia Missão: Impossível? Gostam do trabalho atual de Christopher McQuarrie a frente da saga? Será que ele retornará para completar uma trilogia própria ou voltaremos ao modelo original de produção, com um novo diretor assumindo as pontas? Caso isso aconteça, quem vocês gostariam de ver dando seus pitacos sobre um dosmelhores representantes do gênero de ação? Tantas perguntas que eu acho que a lista se auto-destruirá em cinco segundos.

GABRIEL CARVALHO . . . Sem saber se essa é a vida real ou é uma fantasia, desafiei as leis da gravidade, movido por uma pequena loucura chamada amor. Os anos de carinho e lealdade nada foram além de fingimento. Já paguei as minhas contas e entre guerras de mundos e invasões de Marte, decidi que quero tudo. Agora está um lindo dia e eu tive um sonho. Um sonho de uma doce ilusão. Nunca soube o que era bom ou o que era ruim, mas eu conhecia a vida já antes de sair da enfermaria. É estranho, mas é verdade. Eu me libertei das mentiras e tenho de aproveitar qualquer coisa que esse mundo possa me dar. Apesar de ter estado sobre pressão em momentos de grande desgraça, o resto da minha vida tem sido um show. E o show deve continuar.