Lista | Os Filmes (originais) de 2017 que Ansiosamente Aguardamos

dunkirk

Está chegando o final de ano e é hora de olharmos para o quem vem por aí. Confabulamos muito e montamos uma lista dos 25 filmes originais que mais aguardamos em 2017.

As regras são simples: (1) tem que ser filmes ainda não lançados no circuito comercial de cinema no Brasil mesmo que já tenham sido lançados fora daqui e (2) todos devem ser originais, ou seja, não podem ser continuações, prelúdios, spin-offs e reboots de outros filmes (conforme nossa interpretação, claro) e nem mesmo versões em live-action de filmes animados (leia-se A Bela e a Fera) ou “primeiros filmes” que porém façam parte de um universo compartilhado (como os da Marvel e da DC, caso de Mulher-Maravilha) foram considerados originais para fins desta lista. Queríamos realmente nos ater a filmes originais. No entanto, novas adaptações de obras não audiovisuais anteriores (como literárias) ou mesmo novas adaptações de obras que já foram adaptadas para o audiovisual, desde que a proposta seja voltar ao texto original e não “adaptar a adaptação” entraram em nosso conceito de original e estão nesta lista.

Além disso, tendo em vista as fontes escassas sobre filmes não americanos estreando em 2017 com bom grau de certeza, a lista infelizmente focou em produções americanas, com poucas exceções.

Mas podem deixar que faremos uma segunda lista, muito em breve, somente dedicada às continuações e afins.

Participaram da elaboração da lista Ritter Fan, Luiz Santiago, Guilherme CoralHanderson Ornelas, Anthonio Jorge, Fernando Campos, Lucas Nascimento, Rafael Novelo e Pedro Cunha.

Fiquem com a lista e, como sempre, queremos saber o que vocês acharam. Deixamos algo de fora? Incluímos algum que não concordam? As datas de lançamento no Brasil são apenas previsões e poderão mudar.

Dunquerque
(Dunkirk, dir: Christopher Nolan)

dunkirk_poster

Fernando Campos: Seja hater ou fã, os filmes de Christopher Nolan atraem a atenção de qualquer um que goste de cinema. Após Interestelar ter divido opiniões, Nolan tentará em Dunkirk, seu primeiro trabalho sobre a Segunda Guerra Mundial, conquistar mais uma vez de forma unânime o público.

Guilherme Coral: No momento que escrevo este parágrafo, acabei de sair de uma sessão de cinema na qual foi exibida um trecho de Dunkirk. Apesar de descontextualizada, a sequência já conseguiu atrair minha atenção (algo que a obra já tinha, naturalmente). De viagens no espaço, Christopher Nolan nos leva para a Segunda Guerra, cenário ainda inexplorado pelo diretor. Definitivamente a expectativa é grande! Pena que só veremos o filme em julho, haja ansiedade!

Anthonio Jorge: Confesso que nem o trailer eu vi. Por mais que a obsessão explicativa canse, qualquer ideia que saia da mente dos Nolan me deixará intrigado o suficiente para ir ao cinema algumas vezes.

Lucas Nascimento: Christopher Nolan está de volta. Next.

Rafael Novelo: O diretor já se aventurou pelos mais variados temas que o cinema é capaz de proporcionar, especialmente os metafísicos. A Segunda Guerra não foi um deles (nunca imaginei Nolan dirigindo um projeto desses) e é por isso que as expectativas do público e crítica ao redor dessa produção são altas. Se em Interstellar, Nolan explorou o passado, em seu novo filme ele pretende revisitar o passado.

Handerson Ornelas: É Chris Nolan, e por mais que seus últimos dois trabalhos tenham me decepcionado, é difícil não criar boas expectativas para seus longas.

Luiz Santiago: Nolan voltando com tudo em um drama de guerra. A única questão é: que bruxaria fizeram para Nolan aceitar Harry Styles no elenco???

Previsão de lançamento no Brasil: 20 de julho

La La Land: Cantando Estações
(La La Land, dir: Damien Chazelle)

la_la_land

Ritter Fan: Damien Chazelle dirigiu Whiplash, um dos cinco melhores filmes de 2015. Não preciso de mais razões para justificar minha escolha. Mas o pior é que tenho: (1) é um musical; (2) sobre Hollywood; (3) com Ryan Gosling e (4) Emma Stone.

Lucas Nascimento: Grande favorito ao Oscar 2017, o novo filme de Damien Chazelle promete um musical à moda antiga e uma experiência contagiante. Muito raro eu querer ver um musical, hein…

Handerson Ornelas: Depois de Damien Chazelle me deixar de queixo caído com seu Whiplash – filme que já é um dos meus preferidos dessa década – o hype para La La Land é enorme. E a julgar pelas premiações e indicações que vem recebendo, ele cumpre com suas expectativas.

Previsão de lançamento no Brasil: 19 de janeiro

Valerian e a Cidade dos Mil Planetas
(Valerian and the City of a Thousand Planets, dir: Luc Besson)

valerian

Guilherme Coral: Luc Besson abraçou a ficção científica novamente com Lucy, que, apesar de ter dividido a opinião de todos que assistiram, certamente me atingiu de forma positiva. Como grande apreciador das obras do diretor, como Nikita, O Profissional (um dos meus filmes preferidos) e O Quinto Elemento, não tenho como não me pegar na expectativa para Valerian! Será que veremos algo próximo ao filme que nos introduziu Leeloo? Assim espero! Que Besson recupere sua glória de outrora!

Ritter Fan: Luc Besson voltando para a ficção científica fantástica na linha de O Quinto Elemento já é algo digno de nota. E adaptando Valérian et Laureline então, nem se fala!

Handerson Ornelas: Eu nem sou muito fã dos filmes de Besson, mas esse aqui tem cara de ser uma space opera e tanto, no mínimo. Assista o trailer e controle suas expectativas.

Previsão de lançamento no Brasil: 20 de julho

Baby Driver
(dir: Edgar Wright)

baby_driver

Lucas Nascimento: Já faz muito tempo desde que Edgar Wright não nos presenteia com um novo filme, e isso simplesmente não está certo. Com um elenco formidável e uma trama que promete um heist movie, acho que estaremos em ótimas mãos.

Handerson Ornelas: Pouco se sabe sobre a nova obra do fantástico (lê-se melhor diretor de comédia da atualidade) Edgar Wright. A única coisa que tenho bastante certeza é: in Wright we trust.

Previsão de lançamento no Brasil: 17 de março

A Torre Negra
(The Dark Tower, Dir: Nikolaj Arcel)

a_torre_negra

Fernando Campos: A obra de Stephen King já rendeu diversos grandes filmes para o cinema. Dessa vez, veremos uma de suas obras mais complexas sendo adaptadas e com Idris Elba e Matthew McConaughey como protagonistas. Será no mínimo interessante assistir.

Rafael Novelo: Gosto bastante do Arcel como roteirista e os poucos trabalhos que realizou como diretor. Apesar da saga que Stephen King ser bastante extensa, parece que o argumento geral da saga estará aqui. Estou curioso para ver como aconteceu o processo de adaptação.

Previsão de lançamento no Brasil: 27 de julho

Assassinato no Expresso do Oriente
(Murder on the Orient Express, dir: Kenneth Branagh)

kenneth_branagh

Anthonio Jorge: Por ser o primeiro livro que li de Christie, a curiosidade em vê-lo e rememorá-lo em tela, com um elenco que dispensa comentários, me causa uma leve ansiedade.

Luiz Santiago: Professor Gilderoy Lockhart, ou melhor, Kenneth Branagh, um ótimo ator e bom diretor, adaptando o que talvez seja o livro mais teatral de Agatha Christie. Chega logo, 2017!

Previsão de lançamento no Brasil: 22 de novembro de 2017

The Circle
(dir: James Ponsoldt)

the_circle

Fernando Campos: Aproveitando a onda Black Mirror, The Circle provavelmente trará uma forte crítica às redes sociais, com nomes como Emma Watson, Tom Hanks e John Boyega no elenco. Potencial para um grande filme.

Anthonio Jorge: Não conheço o trabalho do diretor e nem sequer ouvi falar do livro que serviu de base ao filme, aparentemente um bestseller. Mas qualquer distopia que se proponha a reinventar os problemas da eugenia – de forma decente – é capaz de causar uma euforia.

Previsão de lançamento no Brasil: ainda sem previsão

Coco
(dir: Lee Unkrich, Adrian Molina)

coco_pixar

Pedro Cunha: A Disney/Pixar sabe criar filmes originais, um dos seus últimos acertos foi o belíssimo Divertidamente. Aqui, os criadores de Monstros S.A., Procurando Nemo e muitos outros sucessos da empresa atacam novamente.

Handerson Ornelas: Esqueça Carros 3. Por mais que eu acredite profundamente que há chances da Pixar fazer todo mundo morder a língua com a terceira parte de sua franquia de automóveis falantes, minha verdadeira expectativa está depositada em Coco, que até o momento pouco se sabe além de que se trata de uma história original e vai envolver o dia dos mortos como tema.

Previsão de lançamento no Brasil: 23 de novembro

Darkest Hour
(dir: Joe Wright)

darkest_hour

Pedro Cunha: Com o roteiro de Anthony McCarten (A teoria de tudo), o filme britânico que narra momentos difícil vividos por Winston Churchill durante a segunda guerra. Winston era uma pessoa cheia de camadas, e essa personalidade lhe rendeu muitas boas histórias.

Anthonio Jorge: Gary Oldman. Churchill. Gary Oldman de Churchill. Eu compro.

Previsão de lançamento no Brasil: ainda sem previsão

Vida
(Life, dir: Daniel Espinosa)

jake_gyllenhaal

Anthonio Jorge: O trailer mais parece uma cópia descarada do Alien original – algo que até vejo com bons olhos. Se capricharem no tom e tiverem um pingo de originalidade, com esse bom elenco é possível realizar uma ficção científica memorável.

Luiz Santiago: Essa mistura de Gravidade, Alien e 50% dos sci-fi sobre vida fora da Terra só me chamou a atenção por motivos de Jake Gyllenhaal…

Previsão de lançamento no Brasil: 11 de maio

The Book of Henry
(dir: Colin Trevorrow)

the-book-of-henry-poster

Pedro Cunha: Filme dirigido por Colin Trevorrow, responsável por Jurassic world e o futuro Star Wars Ep. IX. O filme conta a história de uma mãe que tenta criar um filme gênio, uma premissa simples, mas muito interessante.

Rafael Novelo: Apesar de ter detestado Jurassic World, eu acredito no talento de Trevorrow. Aqui a proposta do diretor é totalmente outra: atrair as pessoas ao cinema com um enredo simples, mas extremamente convidativo. Não se trata de uma super-produção, mas sim uma obra minimalista e até subjetiva (li algumas entrevistas que o diretor concedeu). Ainda temos o plus do Jacob Tremblay, que promete uma performance à altura de O Quarto de Jack.

Previsão de lançamento no Brasil: ainda sem previsão

Silêncio
(Silence, dir: Martin Scorsese)

silence

Guilherme Coral: Martin Scorsese, precisa de mais motivo? Mesmo se eu não soubesse absolutamente nada sobre o filme ele já estaria em minha lista, visto que o diretor está no meu top 5. O trailer, contudo, conseguiu colocar o hype lá em cima, nessa obra que, mais uma vez, demonstra o lado religioso desse mestre do cinema. Com um elenco de destaque, formado por Adam Driver, Andrew Garfield e Liam Neeson, e uma sinopse envolvente, Silence parece que vai abrir 2017 com um estrondo.

Luiz Santiago: Um dos diretores mainstream mais exigentes de Hollywood adaptando um romance japonês sobre jesuítas e a pregação do cristianismo no Japão! Tem muito drama, valor histórico e violência esperando por nós nessa promessa do tiozão Scorsese.

Previsão de lançamento no Brasil: 06 de janeiro

Fome de Poder
(The Founder, dir: John Lee Hancock)

the_founder

Pedro Cunha: Apesar do nome traduzido ser clichê, sendo que o o original é The Founder, o filme tem um diretor que fez filmes muito emocionantes nos últimos anos, sendo eles Um sonho Possível e Walt nos Bastidores de Mary Poppins.

Ritter Fan: Há potencial nesse filme. A história de Ray Kroc tem proporções míticas no mundo dos negócios e será interessante ver Michael Keaton encarnar o criador do McDonald’s como o conhecemos hoje.

Previsão de lançamento no Brasil: 02 de fevereiro

The Snowman
(dir: Tomas Alfredson)

snowman

Fernando Campos: Tomas Alfredson dessa vez troca a trama de espionagem, como em seu ótimo O Espião Que Sabia Demais, e aposta no suspense policial em The Snowman, que terá Michael Fassbender como protagonista. Se a obra for do mesmo nível do trabalho antecessor do diretor, podemos esperar um dos grandes filmes do ano.

Previsão de lançamento no Brasil: ainda sem previsão

The Lost City of Z
(dir: James Gray)

the-lost-city-of-z

Fernando Campos Junior: Mesmo sem tanta fama como outros profissionais, James Gray pode ser considerado um dos diretores americanos de sua geração. Em 2017, ele trará The Lost City of Z, obra que já foi aclamada no Festival de Nova York, ou seja, certeza de um ótimo filme a caminho.

Previsão de lançamento no Brasil: ainda sem previsão

Loving Vincent
(dirs: Dorota Kobiela, Hugh Welchman)

loving_vincent

Pedro Cunha: Será o primeiro filme da história feito com pintura a óleo. Ele irá contar a vida de um dos pintores mais famosos de toda a nossa história.
Previsão de lançamento no Brasil: ainda sem previsão

Weightless
(dir: Terrence Malick)

weightless

Luiz Santiago: Só estou esperando com muita curiosidade para ver se comprovarei algo sobre o Sr. Malick, o homem do mesmo filme, depois de Além da Linha Vermelha. Falo mesmo.
Previsão de lançamento no Brasil: ainda sem previsão

Projeto sem título de Darren Aronofsky
(dir: Darren Aronofsky)

darren

Luiz Santiago:  É o tipo de filme que você vê o nome do diretor, pensa: “DORRRRRGAS” e já reserva o dinheiro pro cinema.
Previsão de lançamento no Brasil: ainda sem previsão

Projeto Detroit sem título
(dir: Kathryn Bigelow)

kathryn-bigelow

Luiz Santiago: Kathryn Bigelow vai mais uma vez colocar o dedo na ferida dos EUA, e novamente com roteiro de Mark Boal. Sim, eu quero muito ver isso.
Previsão de lançamento no Brasil: ainda sem previsão

A Lei da Noite
(Live by Night, dir: Ben Affleck)

live-by-night-poster

Luiz Santiago: Benzinho voltando à direção e aos roteiros, dirigindo um filme sobre o crime organizado? Uh, claro que isso ia entrar para a minha lista!
Previsão de lançamento no Brasil: 12 de janeiro

Anon
(dir: Andrew Niccol)

anon

Rafael Novelo: Como um fã de O Show de Truman e Gattaca, é óbvio que estou ansioso para ver o que Niccol está preparando para o público. Se suas mais recentes obras não chegam aos pés da qualidade dessas duas excelentes películas, estou apostando as minhas fichas que o diretor/roteirista vai nos surpreender com esse novo projeto, que pouco se sabe sobre, mas que pela sinopse disponível no IMDb parece ser instigante.
Previsão de lançamento no Brasil: ainda sem previsão

Submergence
(dir: Wim Wenders)

submergence

Rafael Novelo: Tenho gostado bastante de todos os filmes que trazem a atiz Alicia Vikander. Me interessei bastante pelo enredo e por ver Wenders como diretor. Parece que esse filme tem uma vibe de O Paciente Inglês e sinto falta de ver romances como estes no cinema.
Previsão de lançamento no Brasil: ainda sem previsão

Bright
(dir: David Ayer)

bright

Lucas Nascimento: Depois do fiasco de Esquadrão Suicida, eu não estaria empolgado para um novo trabalho de David Ayer… Mas quando o cara dirige um roteiro do maluco Max Landis sobre um mundo moderno que mistura mitologia e um policial vivido por Will Smith que tem um orc como parceiro… Tem minha atenção.
Previsão de lançamento no Brasil: ainda sem previsão

Fragmentado
(Split, dir: M. Night Shyamalan)

split

Lucas Nascimento: Muitos falam que essa é a tão esperada volta à forma de M. Night Shyamalan. E confesso que a ideia de ver James McAvoy interpretando um personagem com 23 personalidades é muito interessante.
Previsão de lançamento no Brasil: 23 de março

Grave
(dir: Julia Ducournau)

raw

Guilherme Coral: Confesso que já assisti Grave no Festival do Rio de 2016, mas a estreia de fato será em 2017 e não vejo a hora de poder rever essa maravilha. O filme chocou as audiências pela forma visceral como lida com o canibalismo, é um filme verdadeiramente hipnotizante que nos deixa atônitos após o término da sessão! Recomendo que corram quando ele chegar ao circuito brasileiro (que será bastante limitado, claro) – eu certamente farei isso. Leiam a crítica aqui.
Previsão de lançamento no Brasil: ainda sem previsão

#########

E nós queremos saber que filmes originais vocês mais aguardam em 2017. Participem!

RITTER FAN. . . . Aprendi a fazer cara feia com Marion Cobretti, a dar cano nas pessoas com John Matrix e me apaixonei por Stephanie Zinone, ainda que Emmeline Lestrange e Lisa tenham sido fortes concorrentes. Comecei a lutar inspirado em Daniel-San e a pilotar aviões de cabeça para baixo com Maverick. Vim pelado do futuro para matar Sarah Connor, alimento Gizmo religiosamente antes da meia-noite e volta e meia tenho que ir ao Bairro Proibido para livrá-lo de demônios. Sou ex-tira, ex-blade-runner, ex-assassino, mas, às vezes, volto às minhas antigas atividades, mando um "yippe ki-yay m@th&rf%ck&r" e pego a Ferrari do pai do Cameron ou o V8 Interceptor do louco do Max para dar uma volta por Ridgemont High com Jessica Rabbit.