Lista | Ranking dos Filmes Baseados em Brinquedos

O lançamento do quinto filme da franquia Transformers atiçou o nosso lado masoquista e, inspirado nessa maravilha da Sétima Arte, resolvemos listar em ordem do “mais pior” ao “menos pior”, todos os filmes baseados em brinquedos e jogos em geral (e sim, nós assistimos todos eles!). Mas estabelecemos regras para tornar a listagem mais razoável e homogênea. Afinal, incluir algo como Uma Aventura Lego nesse meio seria um desrespeito com o filme baseado nos blocos de montar dinamarqueses e, também, uma injustiça tremenda com todos os demais.

Portanto, vamos às regras:

(1) Só longas live-action (portanto, nada de animações);

(2) Só longas lançados originalmente nos cinemas (portanto, nada de telefilmes ou filmes lançados direto em vídeo);

(3) Só longas baseados em brinquedos ou jogos que tenham sido originalmente brinquedos ou jogos e não convertidos em brinquedos ou jogos depois de animações ou filmes;

(4) Nada de filmes baseados em videogames. Isso fica para uma lista própria.

Entendido? Então vamos lá para a lista!

17. Dungeons & Dragons – A Aventura Começa Agora
(Dungeons & Dragons, 2000)
Baseado em: Dungeons & Dragons (RPG)
Fabricante original: TSR, Inc.

dungeons-and-dragons-lista-plano-critico

Essa porcaria ganhou a última colocação não por ser verdadeiramente o pior filme de todos aqui, mas sim por ter sido proporcionalmente um dos mais caros (45 milhões de dólares não é um trocado) e por contar com Jeremy Irons – um grande ator – como vilão principal. Ou seja, é como se a New Line Cinema tivesse pego chumaços de notas de 100 dólares e queimado em um ritual macabro em meio a um acampamento de fugitivos esfomeados de um genocídio em algum país africano.

16. Os Gênios do Lixo
(The Garbage Pail Kids Movie, 1987)
Baseado em: Garbage Pail Kids (cartas colecionáveis)
Fabricante original: Topps

garbage-pail-kids-movie-lista-plano-critico

Esse sim seria o pior filme se desconsiderássemos o orçamento. Como o título não esconde, esse filme é um lixo tenebroso que só dá para ser visto em doses homeopáticas de 10 minutos a cada 15 dias.

15. Bratz: O Filme
(Bratz, 2007)
Baseado em: Bratz (bonecas)
Fabricante original: MGA Entertainment

bratz-filme-lista-plano-critico

Esse é o primeiro filme de nossa lista baseado em “bonecos”. No caso, bonecas. As famosas Bratz, que incrivelmente ganharam um longa live-action antes da Barbie! Mas eu divago. As quatro atrizes que vivem as aborrescentes principais desse acinte não têm, juntas, a profundidade dramática de Megan Fox. É como assistir As Patricinhas de Beverly Hills só que repetidas vezes durante 15 dias, ajoelhado no milho e em uma sala cor de rosa choque cheia de crianças pequenas berrando…

14. Max Steel
(idem, 2016)

Baseado em: Max Steel (bonecos)
Fabricante original: Mattel

max_steel_2016_plano_critico

E aqui vai o parceirão de Bratz: O Filme. O brinquedo Max Steel, que é a involução do saudoso Falcon, ganhou um filme absolutamente patético que só fica à frente de Bratz, pois tem efeitos em computação gráfica bastante razoáveis. Nada, porém, que o tire de milímetros acima da categoria “4ª Temporada de Arrow” em termos de qualidade audiovisual.

13. Transformers: A Vingança dos Derrotados
(Transformers: Revenge of the Fallen, 2009)

Baseado em: Transformers (robôs que se transformam)
Fabricante original: Hasbro/ Takara Tomy

transformers2

Que a franquia Transformers é ruim, todo mundo sabe (sim, mesmo você aí que a adora, sabe que ela é uma porcaria, mas não quer dar o braço a torcer!), mas o que ninguém sabia é que Michael Bay conseguiria chegar ao ápice do lixo robótico tão rapidamente. Mesmo os amantes da franquia não conseguem defender esse filme e isso, sem dúvida, quer dizer alguma coisa…

12. Ouija – O Jogo dos Espíritos
(Ouija, 2014)

Baseado em: Ouija (jogo de tabuleiro)
Fabricante original: Vários, mas “Ouija” é marca registrada da Hasbro

capaouija

Terrorzinho mequetrefe baseado no tabuleiro do século XIX que inicialmente foi mesmo apenas um jogo, mas que, depois foi absorvido como algo “sério” por gente não muito séria, mas que acha que é séria, Ouija – O Jogo dos Espíritos consegue ser um amontoado bobalhão de clichês adolescentes que não vale o celuloide em que foi gravado (ok, não foi em celuloide, mas vocês entenderam…).

11. Transformers: A Era da Extinção
(Transformers: Age of Extinction, 2014)

Baseado em: Transformers (robôs que se transformam)
Fabricante original: Hasbro/ Takara Tomy

transformers4extinction-pc

O mais fácil talvez fosse aglutinar todos os filmes dessa franquia e colocá-los em uma posição só, mas nós somos perfeccionistas e gostamos de ir no detalhe. A Era da Extinção, quarto filme da série de Michael Bay, fica aqui por não apresentar nada de novo e por nos obrigar a ficar sentados por nada menos do que 165 minutos, tempo esse que seria mais bem gasto vendo tinta secar ou grama crescer.

10. Battleship: A Batalha dos Mares
(Battleship, 2012)
Baseado em: Batalha Naval (jogo de tabuleiro)
Fabricante original: vários (mas como tabuleiro pela Milton Bradley)

Battleship_lista-plano-critico

Esse filme consegue quase chegar na categoria do “tão ruim que é bom”. Não só por ser baseado no clássico Batalha Naval, mas por inventar um ataque alienígena tão surreal que consegue até ser divertido e ainda colocar a Rihanna no meio da pancadaria. Mas é completamente inaceitável gastar 209 milhões de dólares nisso…

9. Mestres do Universo
(Masters of the Universe, 1987)
Baseado em: He-Man and the Masters of the Universe (bonecos)
Fabricante original: Mattel

mestres-do-universo-plano-critico

Esse sim entra na categoria do “tão ruim que é bom”. Nada como ver Dolph Lundgren exercitar seus dotes dramáticos como um guerreiro semi-nu que luta contra Frank Langella usando uma surpreendentemente boa maquiagem de Esqueleto. Esse filme é um daqueles que nos faz querer ver algo melhor baseado nos mesmo brinquedos, não?

8. G.I. Joe: A Origem de Cobra
(G.I. Joe: The Rise of Cobra, 2009)
Baseado em: G.I. Joe (bonecos)
Fabricante original: Hasbro

g-i-joe-plano-critico

Esse filme só não fica mais abaixo nessa lista, pois tem Snake Eyes (Ray Park!) e Storm Shadow (Byung-hun Lee). Sério. Aqueles dois ninjas são fantásticos, mesmo que tudo em volta seja quase imprestável por completo, menos as sempre bacanas presenças de Christopher Eccleston, Dennis Quaid e Jonathan Pryce.

7. Robosapien – O Meu Melhor Amigo
(Robosapien: Rebooted, 2013)
Baseado em: RoboSapien (robô de controle remoto)
Fabricante original: WowWee Toys

robosapien-plano-critico

Provavelmente ninguém nunca viu esse filme, mas ele está aqui não só por ser baseado em um robô de controle remoto que, até onde nos consta, nunca foi vendido por aqui, mas também por ser bem simpatiquinho, daquele jeito bem “família” de ser. Uma aventurinha bobinha, mas cheia de coração.

6. G.I. Joe: Retaliação
(G.I. Joe: Retaliation, 2013)
Baseado em: G.I. Joe (bonecos)
Fabricante original: Hasbro

g-i-joe-retaliacao-plano-critico

Além de novamente ter os dois ninjas mais queridos da brinquedolândia, o segundo filme baseado em G.I. Joe conta com Dwayne “The Rock” Johnson e Ray Stevenson no elenco! Ruim, mas bom!

5. Transformers: O Lado Oculto da Lua
(Transformers: Dark of the Moon, 2011)

Baseado em: Transformers (robôs que se transformam)
Fabricante original: Hasbro/ Takara Tomy

transformers 3

Agora a coisa ficou mais séria, pois chegamos aos cinco primeiros colocados! Sabemos que esse filme está talvez em uma colocação alta demais. Mas parem um pouco e vejam seus concorrentes. Não é lá nenhum mérito o terceiro filme da franquia Transformers estar aqui, não é mesmo? E a razão por ele estar em quinto lugar é seu começo – seus 20 e poucos minutos iniciais – que promete algo que nunca cumpre, mas que é bacana de toda forma. Mas sim, o filme continua sendo bem ruim.

4. Os 7 Suspeitos
(Clue, 1985)
Baseado em: Detetive/Cluedo/Clue (jogo de tabuleiro)
Fabricante original: Waddingtons

os-sete-suspeitos-plano-critico

Um clássico da Sessão da Tarde, o filme baseado no jogo de tabuleiro Detetive conta com um elenco maravilhoso (Tim Curry, Christopher Lloyd, Michael McKean, dentre outros) e um roteiro completamente amalucado. Diversão garantida, com um design de produção acima da média e que deixa um sentimento nostálgico para quem gostava de descobrir se o assassino foi o Coronel Mostarda, com a faca, na sala de estar.

3. Ouija – Origem do Mal
(Ouija: Origin of Evil, 2016)
Baseado em: tabuleiro Ouija (jogo de tabuleiro)
Fabricante original: Vários, mas “Ouija” é marca registrada da Hasbro

ouija-origem-do-mal-plano-critico

Por incrível que pareça, a continuação – na verdade, prelúdio – de Ouija – O Jogo dos Espíritos é infinitamente superior ao primeiro. É como água e vinho. Mas um vinho mais vagabundo, tipo Cantina São Roque ou algo vendido em caixas longa vida. Que ninguém ache que estamos falando de um Château Petrus!

2. Transformers
(idem, 2007)

Baseado em: Transformers (robôs que se transformam)
Fabricante original: Hasbro/ Takara Tomy

transformers-megan-fox-plano-critico

Essa é a única lista possível em que Transformers, o primeiro filme live-action baseado nos robots in disguise da Hasbro, poderia ficar entre os três primeiros colocados. O filme tem seus bons momentos – e não falamos apenas da abertura do capô do carro por Megan Fox… – e quase eficientemente traz à vida os adorados brinquedos oitentistas. Pena que Bay tenha perdido completamente a mão depois do sucesso impressionante que este filme fez e que, até hoje, não tenha largado o osso…

1. Marte Ataca!
(Mars Attacks!, 1996)
Baseado em: Mars Attacks! (cartas colecionáveis)
Fabricante original: Topps

marte-ataca-plano-critico

E o primeiro colocado é um filme que pouca gente sabe que foi baseado em um brinquedo (mais especificamente em cartas de colecionador que eram trocadas pelas crianças como um álbum de figurinhas sem o álbum). Marte Ataca! é mais um daqueles filmes mega-estilosos de Tim Burton, que acerta muita coisa, mas também erra um bocado, mas que, pelo menos, tem Jack Nicholson como ninguém menos do que o presidente americano, além de Glenn Close, Annette Bening, Pierce Brosnan, Danny DeVito, Martin Short, Sarah Jessica Parker, Natalie Portman e Michael J. Fox, dentre outros, transformando a obra em uma divertida brincadeira de “ache o ator famoso” por toda sua duração.

XXXXXXXXXX

Bem, galera, é isso aí! Concordam? Discordam? Têm sua própria lista? Soem as trombetas aí nos comentários!

RITTER FAN & GUILHERME CORAL . . . Primeiro híbrido-crítico do Plano Crítico, Ri&Gui é a junção de duas mentes insanas, perturbadas e ousadas prontas para dominar o mundo. Surgidas diretamente das séries da CW, essas mentes pretendem espalhar, além da dominação, o amor e o nonsense pela Galáxia. Contemplem, ó, mortais, uma nova categoria de crítico!