Primeiro Plano | O Vingador do Futuro (2012)

O Plano Crítico teve a oportunidade de assistir ao remake de O Vingador do Futuro (Total Recall), que será lançado, no Brasil, dia 17 de agosto. Enquanto a crítica completa não vem, leiam nossas primeiras impressões sobre o filme dirigido por Len Wiseman, estrelando Colin Farrell, Kate Beckinsale, Jessica Biel, Bryan Cranston e Bill Nighy.

O filme, que é ao mesmo tempo uma nova adaptação do conto de  de Philip K. Dick, We Can Remember It For You Wholesale, e um remake do filme de 1990, de Paul Verhoeven, com Arnold Schwarzenegger no papel principal, parte exatamente da mesma premissa de antes: um implante de memória destrava um suposto disfarce de um suposto espião (o uso de “suposto” duas vezes, agora três, é proposital pois o filme tem reviravoltas e não queremos estragar nada para nossos leitores) e a pancadaria começa. A pacata vida que o personagem de Farrell (Doug Quaid) vivia é completamente virada de cabeça para baixo.

Mas, enquanto o primeiro filme tinha em Marte um elemento importante da trama, a nova versão se passa toda em uma Terra do futuro, devastada por guerra química, em que só duas regiões habitáveis existem: a Europa, comandada pela Inglaterra e a Austrália, que volta a ser uma colônia quase escrava. O visual do filme, que lembra bastante Blade Runner, é muito bonito e bem feito, com efeitos especiais de primeira. Fica evidente que Farrell e Beckinsale, assim como Biel, estão se divertindo em seus respectivos papéis.

No entanto, a pergunta que vocês devem estar fazendo é: o filme é tão bom – ou melhor – que a primeira versão? Bom, como isso aqui é, apenas, nossa primeira impressão sobre a película, não nos cabe ser categóricos. O que podemos dizer é que o filme tem ação frenética sem parar, mais do que no primeiro e ótimas jogadas visuais. A sátira embutida na obra de Verhoeven, porém, desaparece aqui.

Se é melhor ou não que o primeiro filme, vocês saberão muito em breve, na quinta-feira que vem. Voltem ao Plano Crítico cedinho nesse dia para descobrirem (mas tudo sem spoilers, claro).

ATUALIZAÇÃO: Confira aqui a crítica de O Vingador do Futuro.

RITTER FAN. . . . Aprendi a fazer cara feia com Marion Cobretti, a dar cano nas pessoas com John Matrix e me apaixonei por Stephanie Zinone, ainda que Emmeline Lestrange e Lisa tenham sido fortes concorrentes. Comecei a lutar inspirado em Daniel-San e a pilotar aviões de cabeça para baixo com Maverick. Vim pelado do futuro para matar Sarah Connor, alimento Gizmo religiosamente antes da meia-noite e volta e meia tenho que ir ao Bairro Proibido para livrá-lo de demônios. Sou ex-tira, ex-blade-runner, ex-assassino, mas, às vezes, volto às minhas antigas atividades, mando um "yippe ki-yay m@th&rf%ck&r" e pego a Ferrari do pai do Cameron ou o V8 Interceptor do louco do Max para dar uma volta por Ridgemont High com Jessica Rabbit.