Crítica | American Horror Story: Coven – 3X05: Burn, Witch, Burn!

estrelas 3Mesmo para um seriado como American Horror Story – e mais ainda, mesmo para uma temporada tão impecável quanto Coven – decepções acabam sendo inevitáveis. Cada uma das temporadas passadas tiveram seus pontos de frustração, e no caso desta temporada, tais frustrações começam a ser vistas neste episódio. Após o eletrizante episódio de halloween, Burn, Witch, Burn! acaba sendo apenas um episódio de complemento, com algumas boas brechas que, infelizmente, acabam sendo mal aproveitadas pelo roteiro.

E é, no mínimo, estranho que o episódio tenha sido tão broxante quando boa parte de seus 40 minutos é gasto com os zumbis soltos por Laveau. De fato, nota-se a redundância logo de início quando, em mais um flashback do passado de Madame LaLaurie, vemos que a magnata não era apenas cruel com seus criados, mas também com suas filhas, que sofriam as torturas da mãe de igual para igual com os escravos. E isto apenas para descobrirmos, no presente, que as três filhas de LaLaurie estão entre os zumbis. Um detalhe que pouco acrescenta, mas que ao menos serve para exibir o talento de Kathy Bates, tão perfeitamente adequada ao papel que seria capaz de deixar sua Annie Wilkes no chinelo.

O próprio ataque dos zumbis, infelizmente, acaba sendo pouco explorado pelos roteiristas. O cenário da mansão seria bastante propício para a construção de momentos repletos de tensão, mas isto acaba não acontecendo. O que temos é um desenrolar bastante clichê e previsível da coisa, que termina com Zoe exterminando os zumbis com uma serra elétrica ao pior estilo Leatherface. Fica a impressão de que o ataque dos zumbis divertiu mais aos produtores do que os espectadores.

Assim sendo, Fiona mais uma vez rouba a cena com seus plots insanos e inesperados, e tudo fica ainda mais delicioso com a presença de uma atriz do porte de Jessica Lange. Ainda não sei o que foi aquela cena do bebê morto no hospital (há momentos em que American Horror Story consegue se superar), mas Fiona incriminando Myrtle foi uma sequência bem interessante, tanto pelas reviravoltas quanto pelas consequências da incriminação, que terminam com Myrtle sendo queimada viva na frente do clã de bruxas, um momento clássico que não poderia faltar nesta temporada.

Interessante também foi a descoberta do novo poder de Cordelia, que após perder tragicamente a visão, descobre possuir o dom da clarividência, o que certamente renderá desdobramentos curiosos lá na frente. Mas no geral, Burn, Witch, Burn! acabou ficando aquém do que poderia ter sido, e a inserção dos mortos-vivos, antes tão animadora, acabou se mostrando desnecessária e mal aproveitada. Mas obviamente, este único episódio negativo não foi suficiente para extinguir as expectativas sobre esta temporada que, até seu final, promete se firmar como a melhor de todas.

American Horror Story: Coven – 3X05: Burn, Witch, Burn!
Showrunner: Ryan Murphy e Brad Falchuk
Roteiro: Jessica Sharzer
Direção: Jeremy Podeswa
Elenco: Jessica Lange, Kathy Bates, Angela Basset, Sarah Paulson, Evan Peters, Lily Rabe, Taissa Farmiga, Emma Roberts, Chiaki Kuriyama, Denis O’Hare, Frances Conroy, Alexandra Breckenridge, Jamie Brewer, Patti Lupone, Gabourey Sidibe
Duração: 43 min.

RAFAEL OLIVEIRA. . . .Cinéfilo ainda em construção, mas que já enxerga na Sétima Arte algo além de apenas imagens e som. Amante de Kubrick e Hitchcock e viciado em música indie, cético e teimoso, mas sempre aberto para novas experiências e estranhas amizades.