Home TVEpisódio Crítica | Agents of S.H.I.E.L.D. – 4X05: Lockup

Crítica | Agents of S.H.I.E.L.D. – 4X05: Lockup

por Ritter Fan
89 views (a partir de agosto de 2020)

estrelas 4

Aviso: Há SPOILERS do episódio e da série. Leia as críticas dos outros episódios aqui e de todo o Universo Cinematográfico Marvel aqui.

Por alguns momentos, no início de Lockup, tive a impressão que teríamos o primeiro episódio fraco da temporada. A promessa da volta à prisão onde Eli Morrow estava (pela terceira vez!) e principalmente o debate televisivo entre o Diretor Jeffrey Mace e a Senadora anti-inumanos Ellen Nadeer me deram aquela predisposição de bocejar, sabem? Do tipo: ai, lá vem enrolação…

Mas é que talvez por um momento meu cérebro tenha se esquecido que estava assistindo Agents of S.H.I.E.L.D., uma série cujos showrunners já mais do que provaram estar acima de trivialidades que são a perdição de muitas séries por aí. Afinal, quando a ação realmente engrena no episódio, ela surpreende e prende a atenção talvez até mais do que quando a presença do Motorista Fantasma era uma novidade.

Dividindo as linhas narrativas entre uma versão (bem)encurtada de Prison Break e um debate intensamente revelador, somente para fazer tudo convergir ao final, o roteiro de Nora e Lilla Zuckerman (novatas na série) é dinâmico, redondo, compassado e com peças que perfeitamente se encaixam e avançam a história em todos os pontos. Afinal – e começo pelo final – apesar de termos a história de Lucy e seus fantasmas atrás do Darkhold e de uma senadora amarga e preconceituosa que parece estar recebendo ordens superiores, não conhecemos ainda a grande ameaça da temporada. Não existe ainda uma Hydra ou um Colméia para que apontemos o dedo e digamos que é o final boss a ser eventualmente derrotado. Tudo ainda encontra-se enevoado e incerto e Lockup, ao fazer Mace revelar-se ao mundo como Inumano somente para Simmons mostrar a ele que sabe que isso não é verdade (novidade para nós) em uma precisa leitura de rosto e personalidade que ela já mostrou ser capaz quando a identidade robótica de Aida foi descoberta por ela em alguns segundos no episódio anterior, deixa ás escâncaras que há “algo de podre no Reino da Dinamarca”.

Quem realmente é Mace? E será que ele tem sua própria agenda atrás do sorriso e rosto fotogênicos? Se ele não é Inumano, mas demonstrou superforça, será que ele poderia ser o que ele é nos quadrinhos, uma versão (a terceira) do Capitão América em talvez uma experiência para se recriar o soro do supersoldado? Ou é algo mais sinistro? As perguntas ficam no ar em uma reviravolta interessante que, juntamente com esse jogo duplo – ou não – com a Senadora Nadeer, pode tornar-se o grande mistério da temporada.

E vejam como o roteiro é preciso ao coordenar as duas histórias paralelas. A ação na prisão, que deveria ser simples, acaba ficando extremamente perigosa com os fantasmas também atrás de Morrow de forma que Lucy possa ler o Darkhold (aliás, que design horroroso da capa do livro, não?) que agora tem em mãos. Com isso, Robbie Reyes auxilia o grupo e, em outro interessante momento do episódio, que mostra que ele não tem total controle sobre a entidade que o possui, mata o último membro da gangue aparentemente responsável por seu irmão estar em uma cadeira de rodas e provavelmente por ele se transformar no que se transformou. Essa morte, que vem com o brinde da revelação de que o ataque da gangue foi uma encomenda, o que abre outra linha narrativa, serve de impulso para a chantagem de Nadeer em cima de Mace, fechando o círculo da história perfeitamente.

Mas, mais do que isso, a sequência na prisão contém talvez a melhor coreografia de luta de toda a série até agora. E isso é dizer muito, pois uma das mais impressionantes características de Agents of S.H.I.E.L.D. é o esmero em suas pancadarias, com movimentos que invejariam muito filme de grande orçamento por aí. Claro que o momento em questão é o “sacrifício” de Daisy por Coulson e May no refeitório da prisão contra dezenas de detentos que permitem uma variedade inédita de golpes e um grau de violência maior, sem perdoar a personagem autodestrutiva e sem que ela use seu poder uma vez sequer. E a direção de Kate Woods (que já havia mostrado a que veio no sensacional Closure, da temporada anterior) chega ao ápice aqui, com um trabalho que começa com uma direção de atores (ou, no caso, atriz) muito preciso, fazendo com que Chloe Bennett realmente pareça investida emocionalmente naquela entrega completa à morte para salvar seus compatriotas Inumanos. Mas Woods vai além e entrega tomadas que combinam planos gerais com americanos e até close-ups sem em nenhum momento confundir o espectador e, mais do que isso, funcionando bem para “narrar” a progressão do combate de maneira crível e, diria, humana.

No entanto, o episódio não é sem problemas. Ainda não consegui aceitar completamente o investimento de tempo na pegada depressiva de Daisy. Ainda que tenha sido isso que explique perfeitamente a pancadaria que abordei acima, creio que o roteiro poderia ter sido econômico nas sequências em que a mostram de cabeça baixa, com cara de triste, resmungando pelos cantos. Notem que entendo perfeitamente o porquê de ela estar assim. O que ela passou na mão de Ward/Colméia foi uma experiência absolutamente traumática e destruidora, algo que dificilmente alguém se recuperaria completamente. Sua vontade de acima de tudo salvar Inumanos como ela é uma consequência crível justamente pelo conjunto da obra, mas, em termos narrativos, Daisy parece deslocada e perdida na história. Alguns dirão que a luta que tanto aplaudi seria a prova de que ela funciona ainda e, mesmo que isso seja verdade, o ponto nevrálgico é que sua auto-imolação está repetitiva, cansativa mesmo. Toda a evolução que a personagem teve desde que era apenas uma hacker – ou melhor, a forma encontrada pela produção de nos fazer identificar com aquele mundo estranho – parece ter parado e ela, aos poucos, vem se perdendo e, no processo, tendo sua relevância reduzida no contexto geral. Espero fortemente que os showrunners deem um jeito nisso e a integre novamente à série, o que não necessariamente significa integrá-la completamente à equipe.

Em cinco episódios que não deixaram a peteca cair por um segundo sequer, Agents of S.H.I.E.L.D. adiciona duas novas camadas narrativas (a identidade/agenda de Mace e o passado de Robbie) e, de quebra, ainda nos presenteia com uma sequência de ação de tirar o fôlego e que definitivamente me fez engolir o bocejo imaginário que estava preparado a fazer. Nada mal para uma série que é vista por muitos como o patinho feio das séries de super-heróis, não é mesmo?

Obs: O escudo de energia de Coulson voltou! Uhuuuuuul!!! Agora o que eu quero é ver o Capitão América usando um em Vingadores 3, já que ele aposentou o de vibranium…

Obs 2: Bacanas os easter-eggs de Johnny Blaze, o Motoqueiro Fantasma mais famoso, não? Não pegaram? Então vamos lá. Lembram-se da sequência inicial em flashback? Na parede atrás de Lucy, vemos um pôster do Quentin Carnival, a feira onde o Blaze dos quadrinhos trabalhava como acrobata de moto antes de se tornar o Motoqueiro Fantasma. Blaze, em sua moto, está no pôster também. E, logo abaixo, tem um pedaço de sua moto e seu casaco de couro. Sim, estão lá. Voltem para ver!

Obs 3: Excelente maneira de inserir retroativamente Jeffrey Mace no Universo Cinematográfico Marvel, não? No debate de que ele participa, é revelado que ele foi um herói durante o ataque à ONU por Zemo em Viena em Capitão América: Guerra Civil.

Agents of S.H.I.E.L.D. – 4X05: Lockup (EUA, 25 de outubro de 2016)
Showrunner: Jed Whedon, Maurissa Tancharoen, Jeffrey Bell
Direção: Kate Woods
Roteiro: Nora Zuckerman, Lilla Zuckerman
Elenco: Clark Gregg, Chloe Bennet, Ming-Na Wein, Iain De Caestecker, Elizabeth Henstridge, Henry Simmons, John Hannah, Gabriel Luna, Lorenzo James Henrie, Mallory Jansen, Lilli Birdsell, Briana Venskus, Maximilian Osinski, Ricardo Walker, Wilson Ramirez, Jen Sung, Jason O’Mara, Parminder Nagra, Lorenzo James Henrie
Duração: 44 min.

Você Também pode curtir

101 comentários

Bruno 31 de outubro de 2016 - 22:20

Concordo com tudo, Ritter!
E não tinha pensado em tantas possibilidades assim pro Mace, de repente ele não deve ser tão heróico assim mesmo…

Responder
planocritico 31 de outubro de 2016 - 23:23

Vamos ver o que o futuro reserva ao Mace!

– Ritter.

Responder
planocritico 31 de outubro de 2016 - 23:23

Vamos ver o que o futuro reserva ao Mace!

– Ritter.

Responder
Bruno 31 de outubro de 2016 - 22:20

Concordo com tudo, Ritter!
E não tinha pensado em tantas possibilidades assim pro Mace, de repente ele não deve ser tão heróico assim mesmo…

Responder
Tom 31 de outubro de 2016 - 20:18

Ótima crítica, MAos está de parabéns… aquela cena de corredor do Motorista fantasma foi supimpa! Demorei bastante pra assistir Maos por conta de tempo e principalmente por comentários negativos de outros, mas quando anunciaram o Ghost rider na 4ª temporada resolvi de vez assistir a essa série e me arrependi por não ter vido antes. Que venha próximo ep com a origem do Ghost rider!!!

Responder
planocritico 1 de novembro de 2016 - 14:16

Bela cena a do corredor mesmo! Lembrou a do Justiceiro na 2ª temporada de Demolidor.

O bom é que você embarcou em AoS, mesmo tardiamente! Afinal, antes tarde do que nunca. Espero vê-lo por aqui mais vezes!

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 1 de novembro de 2016 - 14:16

Bela cena a do corredor mesmo! Lembrou a do Justiceiro na 2ª temporada de Demolidor.

O bom é que você embarcou em AoS, mesmo tardiamente! Afinal, antes tarde do que nunca. Espero vê-lo por aqui mais vezes!

Abs,
Ritter.

Responder
Tom 31 de outubro de 2016 - 20:18

Ótima crítica, MAos está de parabéns… aquela cena de corredor do Motorista fantasma foi supimpa! Demorei bastante pra assistir Maos por conta de tempo e principalmente por comentários negativos de outros, mas quando anunciaram o Ghost rider na 4ª temporada resolvi de vez assistir a essa série e me arrependi por não ter vido antes. Que venha próximo ep com a origem do Ghost rider!!!

Responder
Alain Oliveira 29 de outubro de 2016 - 17:19

Quem é Jeffrey Mace? Tan dan dan dannnn.
Se ele não é Inumano e tem super força, minha aposta é que ele é um dos Soldados Invernais mencionados em CA:GC.

Responder
Alain Oliveira 29 de outubro de 2016 - 17:19

Quem é Jeffrey Mace? Tan dan dan dannnn.
Se ele não é Inumano e tem super força, minha aposta é que ele é um dos Soldados Invernais mencionados em CA:GC.

Responder
planocritico 29 de outubro de 2016 - 17:33

Opa! Gostei da aposta, hein? Seria muito bacana e 100% ligado com os filmes, sem realmente precisar haver um crossover físico entre eles!

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 29 de outubro de 2016 - 17:33

Opa! Gostei da aposta, hein? Seria muito bacana e 100% ligado com os filmes, sem realmente precisar haver um crossover físico entre eles!

Abs,
Ritter.

Responder
Stella 29 de outubro de 2016 - 02:25

Crítica maravilhosa! Ritter amigo , eu adorei a referencia neste episodio do Johnny Blaze. Isso significa que Johnny ainda pode aparecer em AOS , possivelmente como mentor do Robbie , sendo ele bem mais velho. Agora sobre a Daisy nunca pensei que fosse achar ela chata, mas os roteiristas estão fazendo isto com a personagem. Espero que eles encerrem este arco dela depre/quake , não aguento mais . Eu pensei que ela fosse ser um vigilante fodona , e não foi o que aconteceu. A cenas de luta dela foi ok apenas para mim, as da terceira e segunda temporada foram superiores. O episodio como um todo foi excelente sem duvida. O próximo episodio promete, finalmente irá revelar o pacto do Robbie .

Abraços,
Stella

Responder
planocritico 29 de outubro de 2016 - 11:38

Obrigado, @disqus_9KZLz8G0wg:disqus !

Se Blaze vai aparecer eu não sei. Seria muito bacana, mas desconfio que a ABC esteja querendo fazer uma série spin-off de Ghost Riders… Só meu chute. Mas se ele aparecer em AoS não reclamarei!

E Daisy já deu o que tinha que dar. Ou param com essa abordagem deprê dela ou encontram um caminho para a sujeita. Do jeito que está, está começando a atrapalhar a série…

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 29 de outubro de 2016 - 11:38

Obrigado, @disqus_9KZLz8G0wg:disqus !

Se Blaze vai aparecer eu não sei. Seria muito bacana, mas desconfio que a ABC esteja querendo fazer uma série spin-off de Ghost Riders… Só meu chute. Mas se ele aparecer em AoS não reclamarei!

E Daisy já deu o que tinha que dar. Ou param com essa abordagem deprê dela ou encontram um caminho para a sujeita. Do jeito que está, está começando a atrapalhar a série…

Abs,
Ritter.

Responder
Stella 29 de outubro de 2016 - 16:55

Pois é Ritter, muito triste esta abordagem que estão fazendo com a personagem. O ultimo episodio e o primeiro desta temporada , mostraram como se Daisy fosse ser inspirada um pouco na Tremor do universo Ultimate Marvel, mas ”selvagem” e tal. Acabou que a personagem está atrapalhando realmente.

Eu também to chutando que a ABC fará uma série spin-off sobre os Ghost Riders. Tendo a presença do Danny , Johnny , e do Robbie como protagonista principal.
https://uploads.disquscdn.com/images/e873ae17a57c60968bf48dd73d8a31f2384bb8cb092e35202d5fe30911be7a8e.jpg

Responder
planocritico 29 de outubro de 2016 - 17:37

Que imagem épica essa, hein? Seria uma série com grande potencial, realmente. E uma grande aposta da ABC, especialmente se ela largasse o formato de 23 episódios e partisse para algo mais denso e violento com 13 episódios bem escritos.

Será sonhar demais?

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 29 de outubro de 2016 - 17:37

Que imagem épica essa, hein? Seria uma série com grande potencial, realmente. E uma grande aposta da ABC, especialmente se ela largasse o formato de 23 episódios e partisse para algo mais denso e violento com 13 episódios bem escritos.

Será sonhar demais?

Abs,
Ritter.

Responder
Stella 29 de outubro de 2016 - 20:36

Ritter esta imagem fodastica é do arco” A guerra dos espíritos da vingança.” Eu acredito pelo fato dos efeitos especiais serem caros para o personagem, pode ser que eles façam uma temporada de 16 episódios, 13 acredito que não. A ABC deve estar preparando esta surpresa , deve ser algo inspirado neste arco talvez , é um chute. Não é sonhar demais kkkk eu torço para que a série aconteça, este episodio já está pavimentando o caminho.

Stella 29 de outubro de 2016 - 20:36

Ritter esta imagem fodastica é do arco” A guerra dos espíritos da vingança.” Eu acredito pelo fato dos efeitos especiais serem caros para o personagem, pode ser que eles façam uma temporada de 16 episódios, 13 acredito que não. A ABC deve estar preparando esta surpresa , deve ser algo inspirado neste arco talvez , é um chute. Não é sonhar demais kkkk eu torço para que a série aconteça, este episodio já está pavimentando o caminho.

planocritico 30 de outubro de 2016 - 19:55

Seria lindo!

– Ritter.

planocritico 30 de outubro de 2016 - 19:55

Seria lindo!

– Ritter.

Stella 29 de outubro de 2016 - 16:55

Pois é Ritter, muito triste esta abordagem que estão fazendo com a personagem. O ultimo episodio e o primeiro desta temporada , mostraram como se Daisy fosse ser inspirada um pouco na Tremor do universo Ultimate Marvel, mas ”selvagem” e tal. Acabou que a personagem está atrapalhando realmente.

Eu também to chutando que a ABC fará uma série spin-off sobre os Ghost Riders. Tendo a presença do Danny , Johnny , e do Robbie como protagonista principal.
https://uploads.disquscdn.com/images/e873ae17a57c60968bf48dd73d8a31f2384bb8cb092e35202d5fe30911be7a8e.jpg

Responder
Stella 29 de outubro de 2016 - 02:25

Crítica maravilhosa! Ritter amigo , eu adorei a referencia neste episodio do Johnny Blaze. Isso significa que Johnny ainda pode aparecer em AOS , possivelmente como mentor do Robbie , sendo ele bem mais velho. Agora sobre a Daisy nunca pensei que fosse achar ela chata, mas os roteiristas estão fazendo isto com a personagem. Espero que eles encerrem este arco dela depre/quake , não aguento mais . Eu pensei que ela fosse ser um vigilante fodona , e não foi o que aconteceu. A cenas de luta dela foi ok apenas para mim, as da terceira e segunda temporada foram superiores. O episodio como um todo foi excelente sem duvida. O próximo episodio promete, finalmente irá revelar o pacto do Robbie .

Abraços,
Stella

Responder
Batman 28 de outubro de 2016 - 18:48

Excelente episódio.

Aquelas lutas na prisão foram muito boas. Fiquei com medo do que ia acontecer com a Simmons e ela conseguiu se livrar por enquanto, e ainda descobriu que o diretor está escondendo algo.

Responder
Batman 28 de outubro de 2016 - 18:48

Excelente episódio.

Aquelas lutas na prisão foram muito boas. Fiquei com medo do que ia acontecer com a Simmons e ela conseguiu se livrar por enquanto, e ainda descobriu que o diretor está escondendo algo.

Responder
planocritico 28 de outubro de 2016 - 20:26

@transante:disqus , Jemma tá batendo um bolão em termos de personalidade assertiva!

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 28 de outubro de 2016 - 20:26

@transante:disqus , Jemma tá batendo um bolão em termos de personalidade assertiva!

Abs,
Ritter.

Responder
Mojo 28 de outubro de 2016 - 15:50

Acredito que o orçamento de AoS não deve ser maior do que as séries da CW, me causa estranheza o quanto AoS é melhor em roteiro, coreografias e efeitos. O roteiro eu concluí que é porque a CW direciona suas séries pro público adolescente e os considera limitados intelectualmente. Já coreografias e efeitos acho que é incompetência mesmo pq já vi lutas e explosões melhores nos Power Rangers do que algumas em Arrow, Flash, Supergirl. Enfim, Agents of Shield é a prova de que não precisa de orçamento milionário pra fazer uma séria baseada em quadrinhos decente.
No mais, a série tá com uma pegada ótima e a cena do Motorista no corredor foi épica. Abçs.

Responder
planocritico 28 de outubro de 2016 - 20:30

Tem toda razão, @Mojopgr1980:disqus . É bem por aí: o pessoal da CW acha que jovem é tapado e não pode ver coisas mais complexas do que o bê-a-bá do roteiro senão se afastam… Uma pena que eles subestimem tanto o público assim e o engraçado é quem iZombie, também de quadrinhos e também da CW, a coisa não seja assim, com uma pegada bem mais inteligente.

Mas em termos de efeitos, não tem desculpa nenhuma. É incompetência mesmo ou eles simplesmente não ligam, porque sabem que todo mundo assistirá de toda forma…

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 28 de outubro de 2016 - 20:30

Tem toda razão, @Mojopgr1980:disqus . É bem por aí: o pessoal da CW acha que jovem é tapado e não pode ver coisas mais complexas do que o bê-a-bá do roteiro senão se afastam… Uma pena que eles subestimem tanto o público assim e o engraçado é quem iZombie, também de quadrinhos e também da CW, a coisa não seja assim, com uma pegada bem mais inteligente.

Mas em termos de efeitos, não tem desculpa nenhuma. É incompetência mesmo ou eles simplesmente não ligam, porque sabem que todo mundo assistirá de toda forma…

Abs,
Ritter.

Responder
Mojo 28 de outubro de 2016 - 15:50

Acredito que o orçamento de AoS não deve ser maior do que as séries da CW, me causa estranheza o quanto AoS é melhor em roteiro, coreografias e efeitos. O roteiro eu concluí que é porque a CW direciona suas séries pro público adolescente e os considera limitados intelectualmente. Já coreografias e efeitos acho que é incompetência mesmo pq já vi lutas e explosões melhores nos Power Rangers do que algumas em Arrow, Flash, Supergirl. Enfim, Agents of Shield é a prova de que não precisa de orçamento milionário pra fazer uma séria baseada em quadrinhos decente.
No mais, a série tá com uma pegada ótima e a cena do Motorista no corredor foi épica. Abçs.

Responder
Clayton Lucena 28 de outubro de 2016 - 10:40

Ótima crítica RItter!
Episódio muito bom e a temporada esta em uma evolução muito boa! As cenas de luta foram demais, a parte que a Daisy pega o acento e bate na perna do detento foi muito foda!
Agents of Shield e Gotham são a melhores séries, todos sabemos quem são os patinhos feios de verdade!
Mano na hora que o escudo de energia apareceu eu imaginei, o Ritter foi a loucura! pq eu vibrei!!!rsrsrsrsrsr.
Peguei esse easter-egg do Johnny Blaze! Foda!
Pronto agora o diretor não precisa aparecer nos filmes, já sabemos que ele estava em Guerra Civil!

Abraços.

Responder
planocritico 28 de outubro de 2016 - 14:46

Obrigado, @claytonlucena:disqus !

Não vejo Gotham, mas parece mesmo que ela e AoS são as duas séries de super-herói fora da Netflix que redimem as séries do gênero! Que bom que pelo menos há duas assim!

O escudo de energia deveria ser mais usado. E estou falando sério. Ele não só é realmente bacana, como faz todo sentido dentro da pancadaria da série.

Abs,
Ritter.

Responder
Clayton Lucena 28 de outubro de 2016 - 16:57

Vc precisa ver Gotham urgente!!! Ela começou relativamente igual AoS primeira temporada lenta e com vilão semanal, crescendo nos últimos episódio e uma segunda temporada muito melhor que a primeira (abandonando o vilão semanal) e agora a terceira já esta um nível acima da segunda.
Sim esse escudo tem que virar principal nessa mão do Coulson, ainda mais nessa temporada ele voltando a ser um agente de campo! Quero ver ele batendo em alguem com o escudo e não somente se defender!!!

Agora vc imagina Vingadores 3 o Cap. chegando com esse escudo que loco iria ficar!!!!! Vc iria a loucura no cinema com uma cena dessa!

Abraços.

Responder
planocritico 28 de outubro de 2016 - 20:28

Eu sei que preciso ver Gotham. O grande problema é que, como dividimos as séries aqui no site para podermos cobrir mais “território”, ver algo que está fora da lista “para criticar” é difícil pacas. O dia ainda só tem 24 horas, infelizmente!

Se o escudo de energia aparecer em Vingadores 3 na mão do Capitão América eu farei que nem aqueles fanboys malucos no cinema e soltarei um berro de felicidade!

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 28 de outubro de 2016 - 20:28

Eu sei que preciso ver Gotham. O grande problema é que, como dividimos as séries aqui no site para podermos cobrir mais “território”, ver algo que está fora da lista “para criticar” é difícil pacas. O dia ainda só tem 24 horas, infelizmente!

Se o escudo de energia aparecer em Vingadores 3 na mão do Capitão América eu farei que nem aqueles fanboys malucos no cinema e soltarei um berro de felicidade!

Abs,
Ritter.

Responder
Clayton Lucena 31 de outubro de 2016 - 10:05

Te entendo perfeitamente, a um tempo atrás estava comentando sobre a falta de tempo com o Luiz Santiago falando para ele ver Banshee!!!! Um dia nossa vida será igual a do itau!!! 30 Horas!!! HAHAHAHAHAH

Queria ver essa sua reação!!!!

Abraços.

Clayton Lucena 31 de outubro de 2016 - 10:05

Te entendo perfeitamente, a um tempo atrás estava comentando sobre a falta de tempo com o Luiz Santiago falando para ele ver Banshee!!!! Um dia nossa vida será igual a do itau!!! 30 Horas!!! HAHAHAHAHAH

Queria ver essa sua reação!!!!

Abraços.

planocritico 31 de outubro de 2016 - 12:02

30 horas é pouco! Começa a ficar bom com 36!

Abs,
Ritter.

planocritico 31 de outubro de 2016 - 12:02

30 horas é pouco! Começa a ficar bom com 36!

Abs,
Ritter.

Clayton Lucena 28 de outubro de 2016 - 16:57

Vc precisa ver Gotham urgente!!! Ela começou relativamente igual AoS primeira temporada lenta e com vilão semanal, crescendo nos últimos episódio e uma segunda temporada muito melhor que a primeira (abandonando o vilão semanal) e agora a terceira já esta um nível acima da segunda.
Sim esse escudo tem que virar principal nessa mão do Coulson, ainda mais nessa temporada ele voltando a ser um agente de campo! Quero ver ele batendo em alguem com o escudo e não somente se defender!!!

Agora vc imagina Vingadores 3 o Cap. chegando com esse escudo que loco iria ficar!!!!! Vc iria a loucura no cinema com uma cena dessa!

Abraços.

Responder
planocritico 28 de outubro de 2016 - 14:46

Obrigado, @claytonlucena:disqus !

Não vejo Gotham, mas parece mesmo que ela e AoS são as duas séries de super-herói fora da Netflix que redimem as séries do gênero! Que bom que pelo menos há duas assim!

O escudo de energia deveria ser mais usado. E estou falando sério. Ele não só é realmente bacana, como faz todo sentido dentro da pancadaria da série.

Abs,
Ritter.

Responder
Clayton Lucena 28 de outubro de 2016 - 10:40

Ótima crítica RItter!
Episódio muito bom e a temporada esta em uma evolução muito boa! As cenas de luta foram demais, a parte que a Daisy pega o acento e bate na perna do detento foi muito foda!
Agents of Shield e Gotham são a melhores séries, todos sabemos quem são os patinhos feios de verdade!
Mano na hora que o escudo de energia apareceu eu imaginei, o Ritter foi a loucura! pq eu vibrei!!!rsrsrsrsrsr.
Peguei esse easter-egg do Johnny Blaze! Foda!
Pronto agora o diretor não precisa aparecer nos filmes, já sabemos que ele estava em Guerra Civil!

Abraços.

Responder
Ricardo 28 de outubro de 2016 - 09:12

Não sei se entendi errado, mas na cena onde a Simmons dá uma encurralada em Mace ela diz que sabe que ele não foi um herói em Viena, como ele havia pronunciado, e não que ele não era inumano! Não foi isso, ou estou errado?

Responder
planocritico 28 de outubro de 2016 - 14:47

Olha, @disqus_IBfasWjXlg:disqus , agora que você falou, fiquei na dúvida. Pode ser sim tanto a questão da inumanidade quanto a da ação dele em Viena. Só acho estranho ser o de Viena, pois já era fato amplamente conhecido por todos aparentemente (não por nós, claro). Mas vamos ver como a coisa evolui!

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 28 de outubro de 2016 - 14:47

Olha, @disqus_IBfasWjXlg:disqus , agora que você falou, fiquei na dúvida. Pode ser sim tanto a questão da inumanidade quanto a da ação dele em Viena. Só acho estranho ser o de Viena, pois já era fato amplamente conhecido por todos aparentemente (não por nós, claro). Mas vamos ver como a coisa evolui!

Abs,
Ritter.

Responder
Alcides Faria Costa 28 de outubro de 2016 - 19:19

Acho que ela só percebeu que ele mentiu através dos sinais que ele deu. No episódio anterior e nesse ela disse ao Fitz esses sinais por causa do detector de mentira que ela ia ser submetida. Mas acho que ela não saiba especificamente qual mentira

Responder
Alcides Faria Costa 28 de outubro de 2016 - 19:19

Acho que ela só percebeu que ele mentiu através dos sinais que ele deu. No episódio anterior e nesse ela disse ao Fitz esses sinais por causa do detector de mentira que ela ia ser submetida. Mas acho que ela não saiba especificamente qual mentira

Responder
planocritico 28 de outubro de 2016 - 20:26

Outra forma interessante de olhar a coisa, @alcides_faria_costa:disqus ! Pode ser mesmo que ela só saiba que ele mentiu, mas não exatamente sobre o que…

Mistérios…

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 28 de outubro de 2016 - 20:26

Outra forma interessante de olhar a coisa, @alcides_faria_costa:disqus ! Pode ser mesmo que ela só saiba que ele mentiu, mas não exatamente sobre o que…

Mistérios…

Abs,
Ritter.

Responder
Flavio Batista 1 de novembro de 2016 - 10:21

Eu acho q ela blefou mesmo. so sabia q ele tinha mentido mas nao sabia sobre o q…

planocritico 1 de novembro de 2016 - 11:58

Cara, já estou ficando confuso com tantas hipóteses, he, he, he.

Mas veremos em breve!

Abs,
Ritter.

planocritico 1 de novembro de 2016 - 11:58

Cara, já estou ficando confuso com tantas hipóteses, he, he, he.

Mas veremos em breve!

Abs,
Ritter.

Flavio Batista 1 de novembro de 2016 - 10:21

Eu acho q ela blefou mesmo. so sabia q ele tinha mentido mas nao sabia sobre o q…

Alain Oliveira 29 de outubro de 2016 - 17:26

Eu fui rever e se você notar ele não diz que foi um herói, é o próprio interlocutor que fala. Tudo o que ele fala é por orientação de Jemma até o momento que ele revela ser Inumano.

Responder
planocritico 29 de outubro de 2016 - 17:34

Valeu, @alainoliveira:disqus ! Isso reforça a tese que a mentira está na inumanidade do sujeito. Hmmmm… Farejo problemas sérios para nossos heróis!

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 29 de outubro de 2016 - 17:34

Valeu, @alainoliveira:disqus ! Isso reforça a tese que a mentira está na inumanidade do sujeito. Hmmmm… Farejo problemas sérios para nossos heróis!

Abs,
Ritter.

Responder
Alain Oliveira 30 de outubro de 2016 - 11:41

Eu revi uma terceira vez e tenho que concordar com o Ricardo. Ele realmente fala que foi um herói em Viena e no exato momento ela olha com uma cara de: “como assim cara”. E quando ela coloca ele contra a parede o diálogo é um tanto contundente em relação ao fato dele ter se tornado herói:

– Ele poderia me perguntar o que acho do que disse na TV.
– Aquela história sobre ter se tornado herói em Viena?
– Caso perguntassem eu contaria a verdade.
– E nós sabemos que não contou.
https://uploads.disquscdn.com/images/2f0ab545e971dcab4e0ed912248476e2e93b43803a06e2ef8fd790fde185d687.gif

Infelizmente acho que ele realmente não é um dos Soldados Invernais.

Responder
planocritico 30 de outubro de 2016 - 14:19

É, então é isso mesmo. O mistério é em cima do resgate lá em Viena. Tomara que seja algo realmente interessante, já que ele ser o tal herói é de conhecimento comum na série e não sei como ele não ser um herói ou ser algo mais sinistro mudaria os contornos da série…

Bem, com certeza não demoraremos para descobrir!

Abs,
Ritter.

planocritico 30 de outubro de 2016 - 14:19

É, então é isso mesmo. O mistério é em cima do resgate lá em Viena. Tomara que seja algo realmente interessante, já que ele ser o tal herói é de conhecimento comum na série e não sei como ele não ser um herói ou ser algo mais sinistro mudaria os contornos da série…

Bem, com certeza não demoraremos para descobrir!

Abs,
Ritter.

Alain Oliveira 30 de outubro de 2016 - 11:41

Eu revi uma terceira vez e tenho que concordar com o Ricardo. Ele realmente fala que foi um herói em Viena e no exato momento ela olha com uma cara de: “como assim cara”. E quando ela coloca ele contra a parede o diálogo é um tanto contundente em relação ao fato dele ter se tornado herói:

– Ele poderia me perguntar o que acho do que disse na TV.
– Aquela história sobre ter se tornado herói em Viena?
– Caso perguntassem eu contaria a verdade.
– E nós sabemos que não contou.
https://uploads.disquscdn.com/images/2f0ab545e971dcab4e0ed912248476e2e93b43803a06e2ef8fd790fde185d687.gif

Infelizmente acho que ele realmente não é um dos Soldados Invernais.

Responder
Ricardo 31 de outubro de 2016 - 12:56

Então ele não é inumano de verdade, mesmo… O que é melhor! Expande mais a variedade de super humanos na série!

Responder
Ricardo 31 de outubro de 2016 - 12:56

Então ele não é inumano de verdade, mesmo… O que é melhor! Expande mais a variedade de super humanos na série!

Responder
Alain Oliveira 29 de outubro de 2016 - 17:26

Eu fui rever e se você notar ele não diz que foi um herói, é o próprio interlocutor que fala. Tudo o que ele fala é por orientação de Jemma até o momento que ele revela ser Inumano.

Responder
Ricardo 28 de outubro de 2016 - 09:12

Não sei se entendi errado, mas na cena onde a Simmons dá uma encurralada em Mace ela diz que sabe que ele não foi um herói em Viena, como ele havia pronunciado, e não que ele não era inumano! Não foi isso, ou estou errado?

Responder
Matheus Brito 28 de outubro de 2016 - 01:52

Elogiar MAoS é chover no molhado, né Ritter? Hahaha

Taí uma série que nunca me decepciona. Agents consegue entregar semana após semana uma trama coesa, coerente e que progride, flui. Não dá pra entender a audiência americana, que retribui ótimos episódios com péssimos números e que podem levar essa maravilha a um cancelamento injusto.

Mas, falando apenas do episódio, concordo que a cena de luta aqui foi uma das melhores da série. Consigo colocá-la na mesma lista das inesquecíveis “May x May” e o plano sequência com Daisy ainda na 2ª temporada. Outras podem ser citadas, mas é tanta luta boa que dá nem pra enumerar… haha

Tô curtindo MUITO também o aproveitamento do Motorista. 4º episódio dentre 5 em que a faceta demoníaca é mostrada, e com ótimos efeitos especiais, vale frisar. Costumo assistir aos episódios no notebook, mas ontem decidi colocar na TV, e caramba! Os efeitos na tela grande se destacam ainda mais, o que apenas me fez mais feliz. Toda a cena envolvendo o personagem, culminando na “saída triunfal” com todos os presos se escondendo em suas celas foi espetacular!

E, adorei ver a Jemma safa. Quem diria que aquela cientista ingênua da 1ª temporada se transformaria nessa “chantagista”? Esses pequenos detalhes só demonstram o quanto a série progrediu de lá pra cá. Ver ela falando daquela forma com Mace me deu uma sensação tão boa haha

Enfim, passamos da metade da 1ª parte, em 5 episódios temos o hiatus. O desenvolvimento da série até aqui me agradou bastante, e tenho plena convicção que os showrunners não farão feio no que vem pela frente. Aguardemos!

Abraços, Ritter, e ótima review, como sempre 😀

Responder
planocritico 28 de outubro de 2016 - 14:50

@Brito_Matheus:disqus , apesar de os showrunners terem basicamente recomeçado a série, estão fazendo um trabalho realmente muito consistente e acima da média. Se a série for cancelada por falta de público, ficará provado que o que a galera quer é porcaria com herói uniformizado a cada episódio…

O Motorista está bem aproveitado mesmo e Jemma vem surpreendendo a cada episódio. Ela mudou demais até desde a última temporada, mas estou gostando do que estou vendo.

O próximo episódio promete!

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 28 de outubro de 2016 - 14:50

@Brito_Matheus:disqus , apesar de os showrunners terem basicamente recomeçado a série, estão fazendo um trabalho realmente muito consistente e acima da média. Se a série for cancelada por falta de público, ficará provado que o que a galera quer é porcaria com herói uniformizado a cada episódio…

O Motorista está bem aproveitado mesmo e Jemma vem surpreendendo a cada episódio. Ela mudou demais até desde a última temporada, mas estou gostando do que estou vendo.

O próximo episódio promete!

Abs,
Ritter.

Responder
Matheus Brito 28 de outubro de 2016 - 01:52

Elogiar MAoS é chover no molhado, né Ritter? Hahaha

Taí uma série que nunca me decepciona. Agents consegue entregar semana após semana uma trama coesa, coerente e que progride, flui. Não dá pra entender a audiência americana, que retribui ótimos episódios com péssimos números e que podem levar essa maravilha a um cancelamento injusto.

Mas, falando apenas do episódio, concordo que a cena de luta aqui foi uma das melhores da série. Consigo colocá-la na mesma lista das inesquecíveis “May x May” e o plano sequência com Daisy ainda na 2ª temporada. Outras podem ser citadas, mas é tanta luta boa que dá nem pra enumerar… haha

Tô curtindo MUITO também o aproveitamento do Motorista. 4º episódio dentre 5 em que a faceta demoníaca é mostrada, e com ótimos efeitos especiais, vale frisar. Costumo assistir aos episódios no notebook, mas ontem decidi colocar na TV, e caramba! Os efeitos na tela grande se destacam ainda mais, o que apenas me fez mais feliz. Toda a cena envolvendo o personagem, culminando na “saída triunfal” com todos os presos se escondendo em suas celas foi espetacular!

E, adorei ver a Jemma safa. Quem diria que aquela cientista ingênua da 1ª temporada se transformaria nessa “chantagista”? Esses pequenos detalhes só demonstram o quanto a série progrediu de lá pra cá. Ver ela falando daquela forma com Mace me deu uma sensação tão boa haha

Enfim, passamos da metade da 1ª parte, em 5 episódios temos o hiatus. O desenvolvimento da série até aqui me agradou bastante, e tenho plena convicção que os showrunners não farão feio no que vem pela frente. Aguardemos!

Abraços, Ritter, e ótima review, como sempre 😀

Responder
Claudio Caldas 28 de outubro de 2016 - 01:45

Essa implicância com agents como o patinho feio das séries de heróis devia cair essa temporada…pq ela tá bem melhor do q algumas séries de heróis…até mesmo da rival DC…por exemplo…agents está mil vezes melhor do q Arrow e super girl q vem me dando sono…acho q não só a mim …mas tb a muitos outros apreciadores de sérias de heróis.

Responder
planocritico 28 de outubro de 2016 - 14:51

@claudiocaldas:disqus , a implicância com AoS já deveria ter sumido na segunda temporada. Não consigo mais entendê-la e cada vez que vejo comentários falando mal da série basicamente na mesma frase que elogia séries da CW, tenho vontade de chorar…

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 28 de outubro de 2016 - 14:51

@claudiocaldas:disqus , a implicância com AoS já deveria ter sumido na segunda temporada. Não consigo mais entendê-la e cada vez que vejo comentários falando mal da série basicamente na mesma frase que elogia séries da CW, tenho vontade de chorar…

Abs,
Ritter.

Responder
Claudio Caldas 28 de outubro de 2016 - 01:45

Essa implicância com agents como o patinho feio das séries de heróis devia cair essa temporada…pq ela tá bem melhor do q algumas séries de heróis…até mesmo da rival DC…por exemplo…agents está mil vezes melhor do q Arrow e super girl q vem me dando sono…acho q não só a mim …mas tb a muitos outros apreciadores de sérias de heróis.

Responder
Red Ranger 27 de outubro de 2016 - 22:46

Esse episódio foi ótimo, muito bom. No começo achei que esse diretor ia ferrar muito com a Shield, mas até agora estou gostando dele (Tirando aquele final com a Senadora que achei suspeito).
Eu estou gostando bastante dessa trama sobrenatural do começo de temporada, e ainda me pergunto se ainda irão usar o Robbie após a Mid-Season – que provavelmente encerrará esse arco dos fantasmas.

Responder
Red Ranger 27 de outubro de 2016 - 22:46

Esse episódio foi ótimo, muito bom. No começo achei que esse diretor ia ferrar muito com a Shield, mas até agora estou gostando dele (Tirando aquele final com a Senadora que achei suspeito).
Eu estou gostando bastante dessa trama sobrenatural do começo de temporada, e ainda me pergunto se ainda irão usar o Robbie após a Mid-Season – que provavelmente encerrará esse arco dos fantasmas.

Responder
planocritico 28 de outubro de 2016 - 14:52

@chekov_pavel:disqus , ainda acho que esse diretor tem alguma coisa estranha no passado dele e aquela conversa com a Senadora foi bem estranha…

Sinto que o arco do Robbie será restrito a essa primeira metade da temporada. Não duvidaria que a ABC tentasse fazer uma série spin-off só dele.

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 28 de outubro de 2016 - 14:52

@chekov_pavel:disqus , ainda acho que esse diretor tem alguma coisa estranha no passado dele e aquela conversa com a Senadora foi bem estranha…

Sinto que o arco do Robbie será restrito a essa primeira metade da temporada. Não duvidaria que a ABC tentasse fazer uma série spin-off só dele.

Abs,
Ritter.

Responder
Red Ranger 28 de outubro de 2016 - 15:04

Eu gostei bastante do discurso que ele deu na televisão sobre ele ser inumano, me surpreendi com a atitude dele. Essa senadora eu não sei muito o que esperar ainda, mas já quero que faleça kkkk.

Também penso nisso, acho bem legal o modo que Agents of Shield dividi as tramas (Uma até a mid-Season, e outra que levará até a Season Finale). No episódio passado eu fiquei bem curioso sobre o passado do Robbie e daquela gangue.

Responder
planocritico 28 de outubro de 2016 - 20:38

Toda a sequência do debate na televisão foi muito bem estruturada e a revelação para o mundo foi também interessante. Quero ver as consequências disso, agora que a senadora tem como chantagear a Shield!

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 28 de outubro de 2016 - 20:38

Toda a sequência do debate na televisão foi muito bem estruturada e a revelação para o mundo foi também interessante. Quero ver as consequências disso, agora que a senadora tem como chantagear a Shield!

Abs,
Ritter.

Responder
Red Ranger 28 de outubro de 2016 - 15:04

Eu gostei bastante do discurso que ele deu na televisão sobre ele ser inumano, me surpreendi com a atitude dele. Essa senadora eu não sei muito o que esperar ainda, mas já quero que faleça kkkk.

Também penso nisso, acho bem legal o modo que Agents of Shield dividi as tramas (Uma até a mid-Season, e outra que levará até a Season Finale). No episódio passado eu fiquei bem curioso sobre o passado do Robbie e daquela gangue.

Responder
Ricardo Heydersoon 27 de outubro de 2016 - 22:45

Escudo de energia do Coulson, Interação Robbie-Mack, Debate do Jeffrey (me surpreendi com esse plot), Jemma badass, Luta da Daisy (esqueci de algo?)… Acho que esse episódio foi muito bom, me prendeu do início ao fim. Próxima semana é a origem do Ghost Rider, ansiedade a mil!

Responder
planocritico 28 de outubro de 2016 - 14:53

Não esqueceu nada! A série está realmente bem bacana e esse foi o melhor episódio da temporada até agora para mim.

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 28 de outubro de 2016 - 14:53

Não esqueceu nada! A série está realmente bem bacana e esse foi o melhor episódio da temporada até agora para mim.

Abs,
Ritter.

Responder
Ricardo Heydersoon 27 de outubro de 2016 - 22:45

Escudo de energia do Coulson, Interação Robbie-Mack, Debate do Jeffrey (me surpreendi com esse plot), Jemma badass, Luta da Daisy (esqueci de algo?)… Acho que esse episódio foi muito bom, me prendeu do início ao fim. Próxima semana é a origem do Ghost Rider, ansiedade a mil!

Responder
jcesarfe 27 de outubro de 2016 - 19:59

Parece que estão se encaixando as peças sem detonar o cabeça de fogo, esta cada vez mais interessante ver como todos esses elementos vão se conectar.

Responder
jcesarfe 27 de outubro de 2016 - 19:59

Parece que estão se encaixando as peças sem detonar o cabeça de fogo, esta cada vez mais interessante ver como todos esses elementos vão se conectar.

Responder
planocritico 28 de outubro de 2016 - 14:11

Com certeza. Está tudo indo bem direitinho…

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 28 de outubro de 2016 - 14:11

Com certeza. Está tudo indo bem direitinho…

Abs,
Ritter.

Responder
Rafa Silveira 27 de outubro de 2016 - 19:33

AoS continua consistente. Tô curtindo esse início de temporada mais do que curti o início da temporada passada (que foi muito bom tbm, mas demorou um pouco pra unir as tramas)
Eu só me incomodo com alguns detalhes, tipo a cena da May e Coulson no escritório do diretor da prisão. O cara sai atirando com uma escopeta, fica uns 20s nessa cena, pra só depois de nocautear o cara, a guarda que estava do lado de fora da sala sacar as armas pra atirar e o Coulson usar o escudo.
É besteira? É, mas todo o resto dos episódios é tão bom, que essas pequenas falhas me saltam aos olhos

Responder
planocritico 28 de outubro de 2016 - 14:54

@rafasilveira:disqus , essa temporada tem mais novidades que a passada, mas ainda estou preferindo a anterior, ainda que essa tenha potencial de ser melhor.

Sobre os detalhes que você apontou, confesso que eles também me chamaram a atenção. Não precisavam fazer assim. Parece até desleixo…

Abs,
Ritter.

Responder
Rafa Silveira 27 de outubro de 2016 - 19:33

AoS continua consistente. Tô curtindo esse início de temporada mais do que curti o início da temporada passada (que foi muito bom tbm, mas demorou um pouco pra unir as tramas)
Eu só me incomodo com alguns detalhes, tipo a cena da May e Coulson no escritório do diretor da prisão. O cara sai atirando com uma escopeta, fica uns 20s nessa cena, pra só depois de nocautear o cara, a guarda que estava do lado de fora da sala sacar as armas pra atirar e o Coulson usar o escudo.
É besteira? É, mas todo o resto dos episódios é tão bom, que essas pequenas falhas me saltam aos olhos

Responder
Leonardo Sette Pinheiro 27 de outubro de 2016 - 17:47

A temporada segue a lição a ser aprendida pela concorrência (oi DC/Warner), continuidade e sensação de estarem contando uma historia única… e não vilãoneco/crise/romance da semana…

Vou falar que, em termos de continuidade, AoS é a série do seu segmento que mais se aproxima das séries da Netflix.

E bora pro próximo episódio que deve mencionar algo do Dr. Strange. uhull

Responder
planocritico 27 de outubro de 2016 - 18:38

Aquela minha impressão ruim do tipo “precisava de uma quarta temporada” já se dissipou até, pois realmente eles estão conseguindo amarrar tudo em uma história muito interessante.

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 27 de outubro de 2016 - 18:38

Aquela minha impressão ruim do tipo “precisava de uma quarta temporada” já se dissipou até, pois realmente eles estão conseguindo amarrar tudo em uma história muito interessante.

Abs,
Ritter.

Responder
Leonardo Sette Pinheiro 27 de outubro de 2016 - 17:47

A temporada segue a lição a ser aprendida pela concorrência (oi DC/Warner), continuidade e sensação de estarem contando uma historia única… e não vilãoneco/crise/romance da semana…

Vou falar que, em termos de continuidade, AoS é a série do seu segmento que mais se aproxima das séries da Netflix.

E bora pro próximo episódio que deve mencionar algo do Dr. Strange. uhull

Responder
Junito Hartley 27 de outubro de 2016 - 17:14

Episodio fodao, a melhor cena foi a da Dayse lutando contra os presos, lembrou viuva negra, luta muito vem coreografada. E o Diretor ein, sein ao mais ele nao me pareceu de confiança nesse episodio ou talvez o roteito esteja nos enganando.

Responder
planocritico 27 de outubro de 2016 - 18:38

Aquela luta foi realmente fantástica, @Junito_Silva:disqus ! E esse diretor está bem estranho mesmo, mas não faço ideia o que pode ser…

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 27 de outubro de 2016 - 18:38

Aquela luta foi realmente fantástica, @Junito_Silva:disqus ! E esse diretor está bem estranho mesmo, mas não faço ideia o que pode ser…

Abs,
Ritter.

Responder
Junito Hartley 27 de outubro de 2016 - 17:14

Episodio fodao, a melhor cena foi a da Dayse lutando contra os presos, lembrou viuva negra, luta muito vem coreografada. E o Diretor ein, sein ao mais ele nao me pareceu de confiança nesse episodio ou talvez o roteito esteja nos enganando.

Responder

Escreva um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais