Home TVEpisódio Crítica | Agents of S.H.I.E.L.D. – 4X07: Deals with Our Devils

Crítica | Agents of S.H.I.E.L.D. – 4X07: Deals with Our Devils

por Ritter Fan
86 views (a partir de agosto de 2020)

estrelas 4

Aviso: Há SPOILERS do episódio e da série. Leia as críticas dos outros episódios aqui e de todo o Universo Cinematográfico Marvel aqui.

Depois de uma convergência astral que forçou um inesperado hiato de três semanas, Agents of S.H.I.E.L.D. volta com um dos mais complexos episódios da temporada, quiçá o melhor até agora. É com capítulos convergentes e bem estruturados como Deals with Our Devils que a série costuma diferenciar-se de verdade da Concorrência (que é Distinta…).

Pela primeira vez nesse reboot light da série, as diversas linhas narrativas se encontram, sem que o roteiro, escrito por DJ Doyle (já veterano na série), esquive-se de introduzir novos e interessantíssimos elementos como a possessão de Mack pelo Espírito da Vingança de Robbie e as sensacionais sequências em que Aida manipula magia (porque sim, aquilo é magia “disfarçada” de ciência, retirada do Darkhold) de forma muito semelhante ao que Stephen Strange faz em Doutor Estranho. Com isso, ainda que o hiato tenha frustrado qualquer chance de conexão direta com o filme, há, no mínimo, um bem construído paralelismo que, ao final do episódio, abre uma nova linha narrativa quando vemos a androide criar um cérebro para ela.

Mas adiantei demais os comentários. Deixe-me rebobiná-los…

Quando The Good Samaritan acabou, Coulson, Fitz e Robbie tinham desaparecido depois da explosão que dá poderes, humm… “estranhos” a Eli. Além disso, aprendemos como Robbie ganhou seus poderes que ou foram transferidos ou duplicados por ninguém menos do que Johnny Blaze (ou, pelo menos, eu quero muito que seja ele, já que não houve confirmação na série ainda). Essas duas informações são importantes para o desenrolar do episódio e Doyle sabe disso, manipulando o roteiro de forma a nos mostrar os mesmos eventos sob dois ângulos distintos a cada vez.

Ninguém imaginou que os três morreriam e era um tanto quanto óbvio que algo “fantasmagórico” teria acontecido com eles, o que se mostra verdadeiro logo nos primeiros minutos de projeção quando a investigação por May e Mack no complexo abandonado nada revela sobre os desaparecidos. Mas Eli está lá e com seu novo e mortal poder à disposição, para azar de agentes “bucha de canhão” que são prontamente empalados no melhor estilo Vlad Tepes.

Nesse momento, Doyle muda o ângulo e nos reapresenta a mesma sequência novamente, só que sob o ponto de vista dos desaparecidos, que estão em uma espécie de limbo interdimensional (novamente uma piscadela indireta a Doutor Estranho e seu multiverso). A fotografia dessas sequências muda, tornando-se sépia e com tons gradativamente mais sombrios – claustrofóbicos, diria – que representam exatamente o que está acontecendo com eles: estão sendo tragados para uma dimensão negra (seria a mesma de Dormammu?) e não há nada que eles possam fazer a não ser tentar influenciar o mundo dos vivos de alguma forma.

Simultaneamente, a narrativa joga bem com essa situação e faz com que o Espírito da Vingança – que pela primeira vez vemos em forma incorpórea – abandone Robbie e encontre abrigo em Mack, que prontamente segue com sua espingarda-machado e sua moto para caçar a gangue de Eli com Daisy atrás com o Hell Charger de Robbie, enquanto Radcliffe e Aida tentam entender o que aconteceu com os desparecidos, sendo ajudados por May e o Darkhold. Novamente, a perspectiva muda e revivemos as sequências sob a perspectiva dos fantasmas e aprendemos que eles, aparentemente, conseguem influenciar nossa dimensão. Fitz parece levar Aida a concluir que ela deve ler o Darkhold já que Radcliffe se recusa diante de tamanho poder em potencial e Robbie se comunica com Mack, entabulando outro pacto com o Espírito.

Jesse Bochco, que dirige seus sexto episódio da série, mas primeiro desta temporada, tem excelente controle de câmera, garantindo as transições de forma muito eficiente e fluida entre as dimensões, ajudado por uma fotografia precisa (ainda que um tanto clichê) e uma montagem exata e cadenciada que mantém o espectador no suspense, mas sem jamais criar confusão, algo que seria até compreensível considerando-se a estrutura de narrativas paralelas na história, mas sucessivas para nós. Além disso, ele consegue arrancar uma boa performance de Iain De Caestecker que passa muito claramente a exasperação de Fitz com toda a situação que não pode controlar, não pode manipular. Sua impotência chega a ser palpável.

E, no meio disso tudo, ainda há tempo para vermos Simmons em sua missão secreta. Finalmente descobrimos que, como parte do acordo entre Mace e a Senadora Ellen Nadeer, a bióloga precisa “curar” o inumano – irmão da senadora – que está há sete meses no casulo de terrigênese. Outro mistério é estabelecido, pois não vemos no que ele se transforma e é particularmente interessante notar que o aspecto inumano da série não foi esquecido, apesar do anúncio de uma série de TV sobre eles já para o ano que vem e que, aparentemente, não terá ligação direta com Agents of S.H.I.E.L.D.

Com Deals with Our Devils, os showrunners provam que realmente têm um caminho traçado para o futuro. Um caminho cada vez mais complexo, com certeza, mas cujas linhas narrativas têm conseguido evoluir de forma harmônica e firmemente amarrada ao plano macro do Universo Cinematográfico Marvel.

Agents of S.H.I.E.L.D. – 4X07: Deals with Our Devils (EUA, 29 de novembro de 2016)
Showrunner: Jed Whedon, Maurissa Tancharoen, Jeffrey Bell
Direção: Jesse Bochco
Roteiro: DJ Doyle
Elenco: Clark Gregg, Chloe Bennet, Ming-Na Wein, Iain De Caestecker, Elizabeth Henstridge, Henry Simmons, John Hannah, Gabriel Luna, Lorenzo James Henrie, Mallory Jansen, Lilli Birdsell, Briana Venskus, Maximilian Osinski, Ricardo Walker, Wilson Ramirez, Jen Sung, Jason O’Mara, Parminder Nagra, Lorenzo James Henrie
Duração: 44 min.

Você Também pode curtir

74 comentários

Willian Alves de Almeida 5 de dezembro de 2016 - 13:33

Que episódio senhoras e senhores!

Senhor Mackenzie de Ghost Rider, Aida, a versão mais linda e charmosa da Jocasta ou da Alkema se preferirem, agora com um cérebro com certeza maligno, já que foi criado a partir do Darkhold, Jonathan de a Múmia (desculpem, não desvinculo atores de personagens clássicos de minha inância/adolescência ) tocando violão, e citando meu sobrenome, Almeida, na letra de sua autoria, Dimensão Negra de Dormammu, enfim, tá muito boa.

Tô temeroso com o Inumano, embora ele pareça ser boa pessoa, já que a Jemma conversando com ele, ele conseguiu finalizar a terreginêse.

PS: Se Ultron com a voz do James Spader ficou fantástico, imagem se o Ultron fosse com a atriz da Aida? <3 Já que ele tem uma versão feminina nas HQs, com a aparência da Janet Van Dyne.

Responder
planocritico 5 de dezembro de 2016 - 14:49

Muito bacana o episódio. Vamos ver o que acontece com Aida. Também aposto que ela vai para o lado maligno e será a grande vilã da temporada.

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 5 de dezembro de 2016 - 14:49

Muito bacana o episódio. Vamos ver o que acontece com Aida. Também aposto que ela vai para o lado maligno e será a grande vilã da temporada.

Abs,
Ritter.

Responder
Willian Alves de Almeida 5 de dezembro de 2016 - 13:33

Que episódio senhoras e senhores!

Senhor Mackenzie de Ghost Rider, Aida, a versão mais linda e charmosa da Jocasta ou da Alkema se preferirem, agora com um cérebro com certeza maligno, já que foi criado a partir do Darkhold, Jonathan de a Múmia (desculpem, não desvinculo atores de personagens clássicos de minha inância/adolescência ) tocando violão, e citando meu sobrenome, Almeida, na letra de sua autoria, Dimensão Negra de Dormammu, enfim, tá muito boa.

Tô temeroso com o Inumano, embora ele pareça ser boa pessoa, já que a Jemma conversando com ele, ele conseguiu finalizar a terreginêse.

PS: Se Ultron com a voz do James Spader ficou fantástico, imagem se o Ultron fosse com a atriz da Aida? <3 Já que ele tem uma versão feminina nas HQs, com a aparência da Janet Van Dyne.

Responder
Alain Oliveira 3 de dezembro de 2016 - 15:49

Poderiam fazer um especial só dos chiliques do Fitz. É impressão minha ou ele é um ator que se sobressai aos demais?

Responder
Alain Oliveira 3 de dezembro de 2016 - 15:49

Poderiam fazer um especial só dos chiliques do Fitz. É impressão minha ou ele é um ator que se sobressai aos demais?

Responder
planocritico 3 de dezembro de 2016 - 22:01

Ele é muito bom. Acho que junto com a Henstridge, são os dois que mais têm ganhado espaço para sair de sua zona de conforto e brilhar.

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 3 de dezembro de 2016 - 22:01

Ele é muito bom. Acho que junto com a Henstridge, são os dois que mais têm ganhado espaço para sair de sua zona de conforto e brilhar.

Abs,
Ritter.

Responder
Leonardo Bicigo 2 de dezembro de 2016 - 22:34

Que episódio meus amigos, é por coisas assim que eu assisto essa série!! E que critica , é claro!! É SENSACIONAL, não tenho outra maneira de descrever tudo isso, o motoqueiro está sendo muito bem representado e tudo está sendo dinâmico e progredindo de forma prazerosa, com coisas aparecendo e se resolvendo sem rodeios!! Quem precisa da DC??
P.S: como assim ninguem deu nem sequer um abraço na Aida??

Responder
planocritico 2 de dezembro de 2016 - 23:11

@leonardobicigo:disqus , impressionante como AoS evoluiu. Eu achando que eles ia colocar os pés pelas mãos nessa temporada e nada. Sólida pacas e com linhas narrativas de se tirar o chapéu.

E sobre a Aida, tadinha… Mas com aquele cérebro mágico que ela está criando, ela vai botar todo mundo para correr!

Abs,
Ritter.

Responder
Willian Alves de Almeida 5 de dezembro de 2016 - 13:26

Eu abraçaria a Aida sem pensar duas vezes,! @Leona@leonardobicigo:disqus e @planocritico:disqus , que atriz linda, hehehe.

Responder
Willian Alves de Almeida 5 de dezembro de 2016 - 13:26

Eu abraçaria a Aida sem pensar duas vezes,! @Leona@leonardobicigo:disqus e @planocritico:disqus , que atriz linda, hehehe.

Responder
planocritico 2 de dezembro de 2016 - 23:11

@leonardobicigo:disqus , impressionante como AoS evoluiu. Eu achando que eles ia colocar os pés pelas mãos nessa temporada e nada. Sólida pacas e com linhas narrativas de se tirar o chapéu.

E sobre a Aida, tadinha… Mas com aquele cérebro mágico que ela está criando, ela vai botar todo mundo para correr!

Abs,
Ritter.

Responder
Leonardo Bicigo 2 de dezembro de 2016 - 22:34

Que episódio meus amigos, é por coisas assim que eu assisto essa série!! E que critica , é claro!! É SENSACIONAL, não tenho outra maneira de descrever tudo isso, o motoqueiro está sendo muito bem representado e tudo está sendo dinâmico e progredindo de forma prazerosa, com coisas aparecendo e se resolvendo sem rodeios!! Quem precisa da DC??
P.S: como assim ninguem deu nem sequer um abraço na Aida??

Responder
Tom 2 de dezembro de 2016 - 21:49

Que episódio foi esse?! Nem tinha me tocado que a Aida estava manipulando magia como em Doutor Estranho abrindo aquele portal. Mack dando uma de motoqueiro fantasma …Fitz, Coulson e o Robbie em um mundo invertido, só faltava aparecer o Demogorgon kkk. Emfim ótima crítica e essa cutucada da concorrência hein?! kk
Ps: O Ultron iria xonar pela Aida.

Responder
Tom 2 de dezembro de 2016 - 21:49

Que episódio foi esse?! Nem tinha me tocado que a Aida estava manipulando magia como em Doutor Estranho abrindo aquele portal. Mack dando uma de motoqueiro fantasma …Fitz, Coulson e o Robbie em um mundo invertido, só faltava aparecer o Demogorgon kkk. Emfim ótima crítica e essa cutucada da concorrência hein?! kk
Ps: O Ultron iria xonar pela Aida.

Responder
planocritico 2 de dezembro de 2016 - 23:10

Não foi bacana? Manipulação de magia por intermédio de máquinas. Combina PERFEITAMENTE com a explicação sobre a linguagem da magia ser como a linguagem de computador que ela dá a Strange no filme!

Eu “xonei” pela Aida. O Ultron então, ia ter um ataque de curto-circuito…

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 2 de dezembro de 2016 - 23:10

Não foi bacana? Manipulação de magia por intermédio de máquinas. Combina PERFEITAMENTE com a explicação sobre a linguagem da magia ser como a linguagem de computador que ela dá a Strange no filme!

Eu “xonei” pela Aida. O Ultron então, ia ter um ataque de curto-circuito…

Abs,
Ritter.

Responder
jcesarfe 2 de dezembro de 2016 - 17:35

Nem vale a pena comparar as séries Marvel com aquelas coisas que a Warner DC insiste em dizer que são séries de TV.

Responder
jcesarfe 2 de dezembro de 2016 - 17:35

Nem vale a pena comparar as séries Marvel com aquelas coisas que a Warner DC insiste em dizer que são séries de TV.

Responder
planocritico 2 de dezembro de 2016 - 17:41

Infelizmente, a mais pura verdade…

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 2 de dezembro de 2016 - 17:41

Infelizmente, a mais pura verdade…

Abs,
Ritter.

Responder
Nicolas Dias 1 de dezembro de 2016 - 20:32

Desde o início era bem claro que de alguma forma, os cientistas usavam tecnologia para manipular magia, e a Aida seguiu nesse caminho, e achei um vacilo ninguém ter pensado em limpar a memória dela a respeito do que ela viu no livro, mas ok, é um “vacilo” que abre boas possibilidades para o futuro. Eu prefiro ver as séries que gosto sendo encerradas, do que sendo prolongadas demais e declinando. Mas espero que MAoS tenha pelo menos 5 temporadas. Ou a ABC demonstrasse mais interesse na série, ela já tem vínculos com a Netflix, poderia liberar SHIELD para streaming uma semana depois da exibição na tv, provavelmente compensaria a audiência.

Responder
Nicolas Dias 1 de dezembro de 2016 - 20:32

Desde o início era bem claro que de alguma forma, os cientistas usavam tecnologia para manipular magia, e a Aida seguiu nesse caminho, e achei um vacilo ninguém ter pensado em limpar a memória dela a respeito do que ela viu no livro, mas ok, é um “vacilo” que abre boas possibilidades para o futuro. Eu prefiro ver as séries que gosto sendo encerradas, do que sendo prolongadas demais e declinando. Mas espero que MAoS tenha pelo menos 5 temporadas. Ou a ABC demonstrasse mais interesse na série, ela já tem vínculos com a Netflix, poderia liberar SHIELD para streaming uma semana depois da exibição na tv, provavelmente compensaria a audiência.

Responder
planocritico 1 de dezembro de 2016 - 22:15

@ni_forlan:disqus , também prefiro ver as séries sendo encerradas no ponto em que precisam ser encerradas. Eu abordei isso em detalhes na crítica do episódio de abertura dessa temporada. O fato é que AoS poderia ter acabado ao final da 3ª temporada. Mas também devo dar o braço a torcer que a 4ª temporada está bem amarradinha e interessante.

O descaso da ABC com esse hiato patético é que me preocupa agora. Espero que, no mínimo, os arcos narrativos desta temporada sejam encerrados a contento!

Abs,
Ritter.

Responder
Nicolas Dias 1 de dezembro de 2016 - 23:49

Eu li aquela review, e concordo. A season 3 amarrou todas as pontas das 3 temporadas e poderia ter sido encerrada ali, mas já que continuaram, que levem até a season 5, tendo um final bem planejado.

Responder
planocritico 2 de dezembro de 2016 - 01:45

Também torço para que a série chegue na 5ª temporada. Dará tempo para tudo ser encerrado com calma e, de quebra, ela ainda chega no 100º episódio, marca sempre importante para séries de TV desse tamanho.

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 2 de dezembro de 2016 - 01:45

Também torço para que a série chegue na 5ª temporada. Dará tempo para tudo ser encerrado com calma e, de quebra, ela ainda chega no 100º episódio, marca sempre importante para séries de TV desse tamanho.

Abs,
Ritter.

Responder
Nicolas Dias 1 de dezembro de 2016 - 23:49

Eu li aquela review, e concordo. A season 3 amarrou todas as pontas das 3 temporadas e poderia ter sido encerrada ali, mas já que continuaram, que levem até a season 5, tendo um final bem planejado.

Responder
planocritico 1 de dezembro de 2016 - 22:15

@ni_forlan:disqus , também prefiro ver as séries sendo encerradas no ponto em que precisam ser encerradas. Eu abordei isso em detalhes na crítica do episódio de abertura dessa temporada. O fato é que AoS poderia ter acabado ao final da 3ª temporada. Mas também devo dar o braço a torcer que a 4ª temporada está bem amarradinha e interessante.

O descaso da ABC com esse hiato patético é que me preocupa agora. Espero que, no mínimo, os arcos narrativos desta temporada sejam encerrados a contento!

Abs,
Ritter.

Responder
Júnior Souza 1 de dezembro de 2016 - 19:02

Já fiz o download do epis. e, como de costume, venho ler a crítica antes.
Aí depois de ver, eu volto e leio de novo mas agora, já com a experiência de ter visto.
É um exercício bem interessante.

Responder
Júnior Souza 1 de dezembro de 2016 - 19:02

Já fiz o download do epis. e, como de costume, venho ler a crítica antes.
Aí depois de ver, eu volto e leio de novo mas agora, já com a experiência de ter visto.
É um exercício bem interessante.

Responder
planocritico 1 de dezembro de 2016 - 22:16

Que prestígio, @disqus_QJ7q0YNN0V:disqus ! Quando assistir, por favor volte aqui para dizer se concorda ou concorda com a crítica!

Abs,
Ritter.

Responder
Júnior Souza 2 de dezembro de 2016 - 16:07

Geralmente é assim Ritter.
Eu concordo ou concordo com as críticas aqui no site.
Excelente episódio..
Gostei demais. Acho muito bom quando se tem um epis. sem muita ação mas muito importante pra série. Quando é bem feito é assim.

Responder
planocritico 2 de dezembro de 2016 - 17:31

Valeu! O episódio foi muito bacana mesmo. Agora é torcer para que o próximo encerre bem essa “primeira metade” de temporada!

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 2 de dezembro de 2016 - 17:31

Valeu! O episódio foi muito bacana mesmo. Agora é torcer para que o próximo encerre bem essa “primeira metade” de temporada!

Abs,
Ritter.

Responder
Júnior Souza 2 de dezembro de 2016 - 16:07

Geralmente é assim Ritter.
Eu concordo ou concordo com as críticas aqui no site.
Excelente episódio..
Gostei demais. Acho muito bom quando se tem um epis. sem muita ação mas muito importante pra série. Quando é bem feito é assim.

Responder
planocritico 1 de dezembro de 2016 - 22:16

Que prestígio, @disqus_QJ7q0YNN0V:disqus ! Quando assistir, por favor volte aqui para dizer se concorda ou concorda com a crítica!

Abs,
Ritter.

Responder
Lilah 1 de dezembro de 2016 - 18:03

Ótimo episódio! Mas esse Doutor criou uma forma de vida melhor que o Ultron? Achei meio demais isso…rsrs

Responder
Lilah 1 de dezembro de 2016 - 18:03

Ótimo episódio! Mas esse Doutor criou uma forma de vida melhor que o Ultron? Achei meio demais isso…rsrs

Responder
planocritico 1 de dezembro de 2016 - 18:51

Melhor eu não sei, mas com certeza bem mais bonita e charmosa! He, he, he…

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 1 de dezembro de 2016 - 18:51

Melhor eu não sei, mas com certeza bem mais bonita e charmosa! He, he, he…

Abs,
Ritter.

Responder
Junito Hartley 1 de dezembro de 2016 - 13:16

Parabens pela critica, cara da um orgulho da poxa ver o que essa serie virou, puta episodio bom!!! Eu assisto Agents com um prazer, melhor episodio dessa temporada.

Responder
Junito Hartley 1 de dezembro de 2016 - 13:16

Parabens pela critica, cara da um orgulho da poxa ver o que essa serie virou, puta episodio bom!!! Eu assisto Agents com um prazer, melhor episodio dessa temporada.

Responder
planocritico 1 de dezembro de 2016 - 13:59

Obrigado, @Junito_Silva:disqus ! E é verdade. AoS dá prazer em ver!

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 1 de dezembro de 2016 - 13:59

Obrigado, @Junito_Silva:disqus ! E é verdade. AoS dá prazer em ver!

Abs,
Ritter.

Responder
Junito Hartley 1 de dezembro de 2016 - 14:36

Velho sera que a Aida vai ficar do mal, aquele final me veio westword na cabeça heuaheuha

Responder
planocritico 1 de dezembro de 2016 - 14:44

Meu chute é que sim, ela, pelo menos por um tempo, será do mal e vai dar muita dor de cabeça para o grupo. Aí terão que chamar o Anthony Hopkins… 🙂

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 1 de dezembro de 2016 - 14:44

Meu chute é que sim, ela, pelo menos por um tempo, será do mal e vai dar muita dor de cabeça para o grupo. Aí terão que chamar o Anthony Hopkins… 🙂

Abs,
Ritter.

Responder
Junito Hartley 1 de dezembro de 2016 - 14:36

Velho sera que a Aida vai ficar do mal, aquele final me veio westword na cabeça heuaheuha

Responder
NOT jason todd 1 de dezembro de 2016 - 12:28

A Aida fazendo aqueles movimentos me lembrou magia mesmo, ainda mais depois que doutor estranho determinou que magia nesse universo marvel é como hackear a realidade para manipula-la(o que eu acho bem mais crivel, embora ainda impossivel). Só um adendo, aperentemente o clark gregg confirmou via twitter que o motoqueiro era realmente o johnny blaze e eu acho que ele só compartilhou o espirito da vingança com o robbie, acredito que ele ainda seja o motoqueiro fantasma. Assim espero.

Responder
NOT jason todd 1 de dezembro de 2016 - 12:28

A Aida fazendo aqueles movimentos me lembrou magia mesmo, ainda mais depois que doutor estranho determinou que magia nesse universo marvel é como hackear a realidade para manipula-la(o que eu acho bem mais crivel, embora ainda impossivel). Só um adendo, aperentemente o clark gregg confirmou via twitter que o motoqueiro era realmente o johnny blaze e eu acho que ele só compartilhou o espirito da vingança com o robbie, acredito que ele ainda seja o motoqueiro fantasma. Assim espero.

Responder
planocritico 1 de dezembro de 2016 - 14:00

@disqus_oVP31CVmL5:disqus , exatamente. O que Aida montou com as instruções do Darkhold nada mais é do que um aparelho que a permite fazer mágica com ajuda, adiantando anos de treinamento.

Eu também espero que o Espírito continue com Blaze!

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 1 de dezembro de 2016 - 14:00

@disqus_oVP31CVmL5:disqus , exatamente. O que Aida montou com as instruções do Darkhold nada mais é do que um aparelho que a permite fazer mágica com ajuda, adiantando anos de treinamento.

Eu também espero que o Espírito continue com Blaze!

Abs,
Ritter.

Responder
Matheus Brito 1 de dezembro de 2016 - 01:54

Primeiro de tudo, quero mandar um sonoro FODA-SE (perdoe-me pelo xingamento) para a ABC. A audiência da série já não anda bem, a emissora me coloca um hiato TOTALMENTE DESNECESSÁRIO de quase 1 mês e, após essa espera e um episódio, o próximo já será a mid-finale. Pra quê isso?? É pra enterrar a série de vez e poder cancelar sem dó? Nem os 10 episódios costumeiros terão. Será que a temporada vai ter apenas 16 episódios, ou vai ser uma bagunça de 8 e depois 14 pra fechar? o.O

Agora que desabafei, e falando da série em si… gostei demais desse episódio! Não sei nem eleger o melhor momento: transições entre os dois mundos, Iain em mais um show de atuação, o Espírito de Vingança sendo mostrado E transferido pro corpo de Mack, as sutis, mas presentes referências a Doutor Estranho ou tudo envolvendo Aida. Sério, que maravilha!

Com o anúncio da série dos Inumanos, os rumores de que a série pode ser cancelada ainda nessa temporada se fortaleceram. Mas espero que isso não seja verdade. Com a vindoura série, a ABC tem a chance de fazer os crossovers que tanto fazem sucesso na CW (podem até ser ruins, mas geram buzz), entre Agents e os Inumanos, ainda mais pela atual temática parecida. Os filmes deram certo, as séries Marvel/Netflix também, por que ela não entra nesse jogo de universo compartilhado também?

Responder
Matheus Brito 1 de dezembro de 2016 - 01:54

Primeiro de tudo, quero mandar um sonoro FODA-SE (perdoe-me pelo xingamento) para a ABC. A audiência da série já não anda bem, a emissora me coloca um hiato TOTALMENTE DESNECESSÁRIO de quase 1 mês e, após essa espera e um episódio, o próximo já será a mid-finale. Pra quê isso?? É pra enterrar a série de vez e poder cancelar sem dó? Nem os 10 episódios costumeiros terão. Será que a temporada vai ter apenas 16 episódios, ou vai ser uma bagunça de 8 e depois 14 pra fechar? o.O

Agora que desabafei, e falando da série em si… gostei demais desse episódio! Não sei nem eleger o melhor momento: transições entre os dois mundos, Iain em mais um show de atuação, o Espírito de Vingança sendo mostrado E transferido pro corpo de Mack, as sutis, mas presentes referências a Doutor Estranho ou tudo envolvendo Aida. Sério, que maravilha!

Com o anúncio da série dos Inumanos, os rumores de que a série pode ser cancelada ainda nessa temporada se fortaleceram. Mas espero que isso não seja verdade. Com a vindoura série, a ABC tem a chance de fazer os crossovers que tanto fazem sucesso na CW (podem até ser ruins, mas geram buzz), entre Agents e os Inumanos, ainda mais pela atual temática parecida. Os filmes deram certo, as séries Marvel/Netflix também, por que ela não entra nesse jogo de universo compartilhado também?

Responder
planocritico 1 de dezembro de 2016 - 14:02

@Brito_Matheus:disqus , cara, faço minhas as suas palavras do primeiro parágrafo em relação ao ridículo hiato que a ABC fez. Tudo bem que na primeira semana era eleição americana e aí não tinha jeito, mas adiar AoS nas duas semanas seguintes em razão de episódios especiais de reality shows é MUITA sacanagem e parece mesmo que eles querem é ferrar com a série para justificar seu cancelamento. Patético!

Tomara que AoS fique no ar ano que vem (ela chegaria ao 100º na 5ª temporada!) e que Inumanos faça sucesso para que tenhamos um crossover mesmo! É cruzar os dedos!

Abs,
Ritter.

Responder
Willian Alves de Almeida 5 de dezembro de 2016 - 13:39

@planocritico, como anda a audência de Conviction, você sabe?

Sei que por motivos óbvios, Emily Kinney não volta para TWD, mas ela poderia ser incorporada em MAoS, ou num possível retorno de Agent Carter, dependendo de como a série estiver. E a musa britânica, Hayley Atwell,que saudades dela, já que não assisto essa série…

Responder
planocritico 5 de dezembro de 2016 - 14:45

@willianalvesdealmeida:disqus , a ABC cancelou o pedido de mais 13 episódios para completar a temporada. Só 9 irão ao ar. Isso significa, na prática, que a série foi cancelada…

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 5 de dezembro de 2016 - 14:45

@willianalvesdealmeida:disqus , a ABC cancelou o pedido de mais 13 episódios para completar a temporada. Só 9 irão ao ar. Isso significa, na prática, que a série foi cancelada…

Abs,
Ritter.

Responder
Willian Alves de Almeida 5 de dezembro de 2016 - 13:39

@planocritico, como anda a audência de Conviction, você sabe?

Sei que por motivos óbvios, Emily Kinney não volta para TWD, mas ela poderia ser incorporada em MAoS, ou num possível retorno de Agent Carter, dependendo de como a série estiver. E a musa britânica, Hayley Atwell,que saudades dela, já que não assisto essa série…

Responder
planocritico 1 de dezembro de 2016 - 14:02

@Brito_Matheus:disqus , cara, faço minhas as suas palavras do primeiro parágrafo em relação ao ridículo hiato que a ABC fez. Tudo bem que na primeira semana era eleição americana e aí não tinha jeito, mas adiar AoS nas duas semanas seguintes em razão de episódios especiais de reality shows é MUITA sacanagem e parece mesmo que eles querem é ferrar com a série para justificar seu cancelamento. Patético!

Tomara que AoS fique no ar ano que vem (ela chegaria ao 100º na 5ª temporada!) e que Inumanos faça sucesso para que tenhamos um crossover mesmo! É cruzar os dedos!

Abs,
Ritter.

Responder
lmd 1 de dezembro de 2016 - 20:21

Por causa do cancelamento de Agent Carter, a série voltou com o calendário tenebroso da primeira temporada, amore. Esse movimento de deixar a série 3 semanas sem episódio foi até melhor do que exibir um no dia 15 e outro no dia 29. E, por incrível que pareça, a audiência se manteve estável mesmo depois dessas 3 semanas.

Responder
planocritico 1 de dezembro de 2016 - 22:15

Tomara que isso se mantenha!

– Ritter.

Responder
planocritico 1 de dezembro de 2016 - 22:15

Tomara que isso se mantenha!

– Ritter.

Responder
Matheus Brito 2 de dezembro de 2016 - 13:22

Uma boa notícia, ao menos! Gostaria muito que a temporada apresentasse crescimento, assim os executivos poderiam dar uma nova chance pra série… vamos esperar!

Responder
planocritico 2 de dezembro de 2016 - 14:12

Muito sinceramente, duvido que cresça. Mas se chegar até a 5ª temporada, já ficarei feliz.

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 2 de dezembro de 2016 - 14:12

Muito sinceramente, duvido que cresça. Mas se chegar até a 5ª temporada, já ficarei feliz.

Abs,
Ritter.

Responder
Matheus Brito 2 de dezembro de 2016 - 13:22

Uma boa notícia, ao menos! Gostaria muito que a temporada apresentasse crescimento, assim os executivos poderiam dar uma nova chance pra série… vamos esperar!

Responder
Willian Alves de Almeida 5 de dezembro de 2016 - 13:36

Sério? Tá se mantendo na casa de um milhão? Que bom, isso dá uma sobrevida para a quinta temporada…

TWD um episódio com audiência baixa tem dez milhões, mas considerando o nicho, horário e aumento de violência em MAoS,acho que dá pra manter no ar.

Responder
Willian Alves de Almeida 5 de dezembro de 2016 - 13:36

Sério? Tá se mantendo na casa de um milhão? Que bom, isso dá uma sobrevida para a quinta temporada…

TWD um episódio com audiência baixa tem dez milhões, mas considerando o nicho, horário e aumento de violência em MAoS,acho que dá pra manter no ar.

Responder
planocritico 5 de dezembro de 2016 - 14:47

@willianalvesdealmeida:disqus , está acima do milhão. O último episódio teve 2.4 milhões ao vivo e 4.57 de “ao vivo +3”. No entanto, ela vem caindo. A temporada começou com 3.44 ao vivo e 6.24 “ao vivo +3”. Ou seja, ainda há perigo…

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 5 de dezembro de 2016 - 14:47

@willianalvesdealmeida:disqus , está acima do milhão. O último episódio teve 2.4 milhões ao vivo e 4.57 de “ao vivo +3”. No entanto, ela vem caindo. A temporada começou com 3.44 ao vivo e 6.24 “ao vivo +3”. Ou seja, ainda há perigo…

Abs,
Ritter.

Responder
lmd 1 de dezembro de 2016 - 20:21

Por causa do cancelamento de Agent Carter, a série voltou com o calendário tenebroso da primeira temporada, amore. Esse movimento de deixar a série 3 semanas sem episódio foi até melhor do que exibir um no dia 15 e outro no dia 29. E, por incrível que pareça, a audiência se manteve estável mesmo depois dessas 3 semanas.

Responder

Escreva um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais