Home TVEpisódio Crítica | Agents of S.H.I.E.L.D. – 4X22: World’s End

Crítica | Agents of S.H.I.E.L.D. – 4X22: World’s End

por Ritter Fan
170 views (a partir de agosto de 2020)

Episódio e temporada:

estrelas 4

Aviso: Há spoilers do episódio e da série. Leia as críticas dos outros episódios aqui e de todo o Universo Cinematográfico Marvel aqui.

O final da excelente quarta temporada de Agents of S.H.I.E.L.D. vem precedido da alvissareira notícia de que a série teve sua renovação oficializada pela ABC para mais uma temporada de 22 episódios. Ao mesmo tempo, porém, vieram as informações de que a série mudaria para sexta-feira nos EUA, que não é um dia bom para séries em geral e que a nova temporada começaria mais tarde, depois que a primeira temporada de Inumanos, com oito episódios, acabasse. Isso pode até significar que só teremos AoS novamente no começo de 2018.

Mas estou me adiantando. World’s End é o ansiosamente aguardado episódio que faz uma dobradinha como aquele que encerra o arco Agents of Hydra, a melhor história da série até agora, e também toda a temporada, usando, para fins de rima narrativa e de circularidade dos três arcos como um todo, a volta de Robbie Reyes (Gabriel Luna), o Ghost Rider, mais uma vez reunindo magia com tecnologia. Quem acompanhou minhas críticas sabe que eu via com ceticismo a volta do anti-herói, pois havia o sério risco de ele ser usado como a solução deus ex machina para a super-poderosa Aida humana com DNA inumano, resultado de suas maquinações por toda a temporada.

E, apesar de ele realmente ter sido usado da forma esperada – como um instrumento de extermínio de uma bela ex-androide – tenho que reconhecer que o roteiro do showrunner Jeffrey Bell teve desenvoltura o suficiente para não tornar o grande conflito fácil demais, simplista demais. Para começar, houve um claro cuidado para justificar a volta do Ghost Rider neste momento específico, atraído pelo Darkhold e pela formação dessa entidade híbrida que Aida se tornou. Além disso, Bell criou oportunidades críveis para protrair o conflito o máximo possível ao longo do episódio, sem se apressar e sem resolver tudo em cinco segundos com uma chicotada de corrente flamejante.

No processo, ele ainda foi capaz de escrever boas cenas de ação, em particular a que – muito brevemente, infelizmente! – Ghost Rider luta em dupla com Tremor, com uma bela fotografia em câmera lenta e ótimo uso dos esparsos, mas ótimos, efeitos em computação gráfica. A troca de hospedeiro do Espírito da Vingança também acrescentou uma nova camada, com Coulson fazendo um pacto que desconhecemos e que certamente reverberá em futuro próximo, além de toda a tensão na sequência envolvendo Fitz, Simmons e uma Aida completamente vilanesca e enlouquecida por vingança.

Do lado melancólico e provocador de lágrimas, o episódio conseguiu ser ainda melhor, usando bem o parco tempo para abordar, com tranquilidade, o dilema de Mack e Yo-Yo no Framework. Lá, ela é ajudada por Radcliffe e faz de tudo para trazer Mack ao mundo real, mas ele está decidido a ficar com sua filha Hope, apesar do mundo ao seu redor estar sendo completamente apagado. A força das atuações de Henry Simmons e Natalia Cordova-Buckley, além da pequena e simpaticíssima Jordan Rivera torna as sequências lancinantes, com Mack e Yo-Yo prontos a se sacrificarem por amor. Alguns podem até achar esse “chororô” brega e desnecessário, mas a construção, se perdoamos a introdução do conceito de uma filha para Mack do nada na temporada, foi muito bem trabalhada, encontrando ressonância na própria personalidade do agente grandalhão de bom coração e também na da durona inumana apaixonada.

Se repararmos, notaremos que há quatro quase-mortes de heróis neste curto episódio: Mack, Yo-Yo, Jemma e Talbot. Sempre fui defensor de que séries (e quadrinhos também) levassem a sério suas mortes e não tivessem medo em fazê-las acontecer na medida do necessário. Aqui, porém, no caso de Jemma, a primeira a “morrer”, é perfeitamente possível concluir que ela não levaria a lugar nenhum e que simplesmente  não cabia a eliminação da personagem neste ponto. Mack e Yo-Yo funcionam da mesma forma. Existe um potencial não-realizado na relação amorosa dos dois, além de suas respectivas contribuições à equipe, que suas mortes seriam gigantescas perdas para a série, especialmente depois da eliminação de Bobbi e Hunter.

No entanto, no caso de Talbot, ainda que a figura de alguém acima da S.H.I.EL.D., mas com relação afetiva com a entidade e com Coulson tenha seu uso, sua morte poderia ter sim acontecido. Não que ela fosse necessária para a narrativa, pois o efeito de um tiro na cabeça é o mesmo para colocar o mundo contra os inumanos. No entanto, também fico feliz que ele não tenha falecido, ainda que tenha ficado extremamente incomodado com sua sobrevivência a uma bala na cabeça. Teria sido muito mais razoável, para fins da suspensão da descrença, que ele tivesse sido baleado no torso, mesmo que diversas vezes. Mas esse é um detalhe.

O que não é um detalhe é a subutilização ridícula de Anton Ivanov, o “Superior”. De um personagem absolutamente inútil, vimos um lampejo de redenção em The Return, com sua discreta conversão em M.O.D.O.K., clássico – e improvável – personagem vilanesco dos quadrinhos. Mas tudo não passou de enganação, fan service mesmo, pois ele continuou completamente inútil e ainda aparece acompanhado de outro russo aleatório robótico (R.A.R.?) cuja presença era 100% desnecessária. Realmente, a solução alcançada aqui para o personagem foi patética, daquelas de dar vergonha alheia. Se M.O.D.O.K. voltar, espero que seja completamente repaginado.

Além disso, há que se mencionar o sumiço de Ward e Trip. Ambos foram eliminados da temporada sem cerimônia. Uma hora eles estavam lá, na outra hora eles sumiram em um passe de mágica. Sem despedidas, sem nenhuma tentativa de encaixá-los em alguma situação que lhes desse um fechamento qualquer que seja. Vejo isso como uma das consequências causadas pela demora na confirmação da renovação da série, com a produção tendo que correr no episódio anterior – que, reitero, deveria ter sido dividido em dois – para poder fechar completamente o arco aqui, em World’s End.

Mas outros dois momentos quase me fazem esquecer dos problemas detectados. O primeiro deles é a reunião da equipe no restaurante em uma sequência mundana, em que, por alguns minutos, eles podem ser simplesmente “normais”. O segundo é, talvez, a mais bela tomada em toda a série até agora: a despedida de Radcliffe. Na praia do Framework, bebendo uísque e filosofando, ele simplesmente… desaparece. Um final poético, adulto e extremamente bem pensado para um personagem complexo e vivido com gosto pelo veterano John Hannah.

Não poderia encerrar a presente crítica, porém, sem abordar o cliffhanger que mostra Coulson acordando e olhando pela janela, somente para descobrirmos que ele está no espaço. A primeira impressão que dá é que ele está em uma cela de uma prisão espacial, depois que aqueles misteriosos soldados capturam sua equipe no restaurante. No entanto, ele não está preso e demonstra tranquilidade, com mais um dia de trabalho começando.

A se confirmar que ele está mesmo no espaço – e seria ridículo se não estivesse -, a primeira conclusão a que podemos chegar é que haverá um salto temporal entre esta temporada e a próxima, como houve em relação à terceira. Isso ajudaria a explicar a tranquilidade de Coulson ao acordar. Mas será que toda a equipe está lá também? Se estiver, será que isso faz parte de um plano maior dentro do Universo Cinematográfico Marvel para expandir Agents of S.H.I.E.L.D. para algo como Agents of S.W.O.R.D. (nos quadrinhos, S.W.O.R.D. é uma entidade que protege a Terra de alienígenas)? Isso combinaria perfeitamente bem com o lado mais cósmico para onde toda o universo compartilhado está caminhando e ajudaria a série a encaixar-se com mega-filmes como Vingadores 3 e 4.

Há pelo menos uma outra possibilidade: que o que tenhamos visto seja apenas Coulson em uma base espacial, sem sua equipe. Seria ele o equivalente, no UCM, ao The Man on the Wall, cargo assumido por décadas por Nick Fury (o original) que nada mais é do que alguém que faz o que tem que ser feito para manter a Terra protegida? Se for esse o caso – que eu sinceramente duvido – o Coulson que vimos ao longo das temporadas seria um Coulson com uma riquíssima e complicada vida dupla. Mas chega de especular, senão a cabeça pifa. No entanto, fiquem à vontade para mandar suas teorias nos comentários!

Agents of S.H.I.E.L.D. pode ter começado sua quarta temporada de forma errática, ainda que nunca ruim. Mas, com o tempo e diante da brilhante decisão em se dividir a temporada em três arcos, a série alcançou o que parece ser o seu ápice. A ABC pode não estar confiante em sua série ao demorar para renová-la e alterá-la para as sextas lá fora, mas uma coisa é para lá de certa: o trabalho de Jed Whedon, Maurissa Tancharoen e Jeffrey Bell com AoS não tem paralelo em séries desse subgênero na estrutura de mais de 20 episódios.

Agents of S.H.I.E.L.D. – 4X22: World’s End (EUA, 16 de maio de 2017)
Showrunner: Jed Whedon, Maurissa Tancharoen, Jeffrey Bell
Direção: Billy Gierhart
Roteiro: Jeffrey Bell
Elenco: Clark Gregg, Chloe Bennet, Ming-Na Wein, Iain De Caestecker, Elizabeth Henstridge, Henry Simmons, Mallory Jansen, Natalia Cordova-Buckley, Jason O’Mara, Parminder Nagra, Patton Oswalt, Artemis Pebdani, John Pyper-Ferguson, Zach McGowan, Gabriel Luna, John Hannah
Duração: 44 min.

Você Também pode curtir

157 comentários

planocritico 3 de julho de 2018 - 15:13

Espero vê-lo por aqui com constância, @RobsonDiasCruz:disqus ! A comunidade de leitores de AoS aqui do site é absolutamente incrível!

Sobre a questão do canal, existe uma chance de AoS migrar para o futuro canal de streaming da Disney e aí a coisa pode melhorar bastante. Mas também acho que, se a Marvel fizer o marketing corretamente, a participação de Coulson em Capitã Marvel pode ajudar na audiência da série.

Abs,
Ritter.

Responder
Robson Dias Cruz 3 de julho de 2018 - 22:23

Assim esperamos!, quero AoS com o reconhecimento que merece!
Obrigado, Ritter!
Abraços 💛

Responder
planocritico 3 de julho de 2018 - 11:48

@RobsonDiasCruz:disqus , não sei se você tem TV a cabo, mas acho que a Sony vai começar a passar a 5ª temporada esse mês ainda. Dá uma pesquisada aí!

Abs,
Ritter.

Responder
Robson Dias Cruz 3 de julho de 2018 - 12:53

Tenho sim! Irei verificar. Obrigado, Ritter! 😊

Responder
planocritico 30 de junho de 2018 - 10:53

@RobsonDiasCruz:disqus , o final não foi realmente tão maravilhoso, mas gostei muito mesmo assim! Ficarei esperando seus comentários sobre a quinta temporada!

Abs,
Ritter.

Responder
Robson Dias Cruz 2 de julho de 2018 - 19:25

Obrigado, Ritter! Eu ainda estou pensando se irei ver no final do ano quando chegar à Netflix ou se vejo logo pela net mesmo.
Estou muito ansioso aaaaahhh

Responder
planocritico 30 de junho de 2018 - 10:52

Obrigado, @RobsonDiasCruz:disqus ! Realmente, fui ver agora no spam e seu primeiro comentário foi para lá. Estranho. Mas obrigado por mandar de novo.

E, mais ainda, obrigado pelos elogios e pelo prestígio!

E, realmente, a série tem sido muito bem planejada. Um verdadeiro primor considerando sua estrutura “perigosa” de 22 episódios por temporada.

Olha, AoS nunca teve uma grande audiência e, como é série de TV aberta nos EUA (ABC), ela precisa de um número expressivo para se justificar. O mesmo vale para Agent Carter. Não é o caso de Legion e de Fugitivos, a primeira de TV fechada e a segunda de serviço de streaming. Só The Gifted é TV aberta, mas os número da primeira temporada foram bons. Mas vale ver Legion. É muito melhor do que todas as outras de super-heróis, inclusive AoS.

Abs,
Ritter.

Responder
Robson Dias Cruz 2 de julho de 2018 - 19:27

Por nada! Eu e os outros leitores que agradecemos! ^^ Amadureci muito minha visão crítica lendo suas resenhas, e espero melhorar mais ainda pois tenho um longo caminho para chegar no nível dos seus leitores mais assíduos.
Que tenso isso, por quê será que a Marvel/Disney não transferem AoS para o canal fechado? Já que a Disney não quer perder a série…
Espero que o filme da Capitã Marvel dê um up na série, sendo que Coulson irá aparecer e se ele estiver também presente depois dos anos 90, após os eventos de Infinity War, é uma boa deixa para eles introduzirem a nova Shield e os inumanos (já que os krees devem aparecer em Capitã Marvel).

Responder
Robson Dias Cruz 22 de junho de 2018 - 22:28

ÓTIMA CRÍTICA 👏👏👏
[Obs: tive que comentar de novo pois, curiosamente, o comentário foi deletado como spam. Só um aviso para o Disqus. Kkkkk]
Sempre acompanhei as suas críticas de AoS, desde a segunda temporada, e não me lembro de alguma vez você ter errado na construção delas (à exceção de umas raríssimas notas em que eu não concordo. Acontece, a vida tem dessas).
MAS, CARA, que espetáculo!!! AoS sempre surpreende. Fiquei mais de um ano sem assistir e voltei agora pensando que iria ficar perdido; Mas tudo é tão bem construído e conectado que é impossível não se sentir familiarizado. Jed Whedon e Maurissa Tancharoen sabem criar mais do que ninguém essas oportunidades de nos conectarmos com quase todo esse Universo Marvel e sentirmos ele sempre presente, desde suas origens.
Atualizando um pouco no tempo, estou muito triste que AoS está pelo fio da navalha de acabar. Não estou preparado para isso. Por quê será que poucos valorizam séries de TV (desse gênero) realmente boas, hein? Agent Carter e AoS são, sem dúvida (ainda não vi Legion, Runaways ou The Gifted, então releve essas nessa opinião), as melhores do gênero na TV. #triste
Mas, enfim, parabéns pelo seu trabalho e pelo do Plano Crítico em geral. Vocês constroem críticas e resenhas inteligentes e são super conectados com os leitores, merecendo serem muito valorizados. Um dos poucos sites que eu nunca dispenso uma leitura de algo que li/assisti.

Responder
Robson Dias Cruz 22 de junho de 2018 - 21:31

Sinceramente, eu achei o final mais fraco de toda a série, embora esta tenha sido a temporada mais forte. Não sei o que especular, mas que a quinta temporada (que já terminou, afinal) vai ser outro nível… disso eu tenho certeza.
Ah! Não acho que o Superior se foi totalmente não, acredito que os andróides ainda estão por aí.
Que venha a próxima e MAIS.

Responder
Leandro Araújo da Silva 20 de março de 2018 - 11:52

O modo que o Ghost Rider abre portais é igualzinho ao do Dr. Estranho… há alguma ligação entre eles?

Responder
planocritico 20 de março de 2018 - 15:32

Não diretamente, mas são dois personagens do lado místico da Marvel, então acho que fizeram de propósito.

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 20 de março de 2018 - 15:32

Não diretamente, mas são dois personagens do lado místico da Marvel, então acho que fizeram de propósito.

Abs,
Ritter.

Responder
Cleber Rosa 29 de setembro de 2017 - 10:22

Terminei de assistir a quarta temporada ontem…e só digo uma coisa!!!

QUE SERIE FODASTICA!!!!!

Obrigado @ste@disqus_9KZLz8G0wg:disqus !!!!

Responder
Luan S. 26 de setembro de 2017 - 03:31

ALÔ, RITTER, VOLTEI! Estava ali comentando sobre AoS e deu saudade daqui! Não vejo a hora da quinta temporada. Espero que seja adiantada mesmo para esquecerem Inumanos kkkk Flw

Responder
planocritico 26 de setembro de 2017 - 15:17

Olá, @Luanzinhi:disqus ! Cara, Inumanos nem começou ainda, he, he, he… Mas serão só oito episódios. Passa rapidinho.

Abs,
Ritter.

Responder
Bruno Godoy 9 de setembro de 2017 - 19:19

Não queria que o Phil virasse um Homem da Muralha ou estar comandando a SWORD, bom, poderia ter a SWORD na proxima temporada, mas queria a equipe na SHIELD em terra firme.

Responder
planocritico 9 de setembro de 2017 - 20:12

Também gostaria muito se a SWORD aparecesse… Vamos ver!

Abs,
Ritter.

Responder
Luana Brandão 20 de agosto de 2017 - 00:21

Melhor temporada
– na minha humilde opinião 😉

Responder
planocritico 20 de agosto de 2017 - 14:52

Eu acho que acabou sendo a melhor mesmo até agora!

Abs,
Ritter.

Responder
Afonso Ribeiro 26 de julho de 2017 - 21:07

Mas que rai de fim foi este hoje LOL
Dia:27/07/2017

Responder
planocritico 27 de julho de 2017 - 10:59

Não gostou?

– Ritter.

Responder
Jose Aquiles 11 de junho de 2017 - 13:03

Ola ritter. Eu sou um dos poucos que persistiu e assistiu na época a primeira temporada de maos, enquanto quase todo mundo desistiu nos primeiros 10 episodios e rotulou a série como “chata e arrastada”. A série melhorou muito, cada temporada é melhor que a outra e esta quarta foi espetacular, apesar de meu luto pela saída de Bobby Morse (Adriane pallicky forever😚😚😚). Parabéns por sua crítica, que tal investir em podcast? Não encontro nenhum falando de agentes da shield, que injustiça! Sugestão de logo, “ritter cast, um podcast acima da média “( rsssssss….)

Responder
planocritico 11 de junho de 2017 - 14:55

He, he, obrigado pelo prestígio, @joseaquiles:disqus ! Podcast é um negócio complicado. Tem muitos por aí (não necessariamente sobre AoS) e vários de muito baixa qualidade. Se fizermos um, tem que haver garantia de periodicidade e uma boa qualidade e isso não podemos garantir ainda. Mas podcasts e videocasts sempre ficam lá em nossos planos!

Abs,
Ritter.

Responder
JC 1 de junho de 2017 - 09:30

De longe a temporada que mais gostei! Mas de longe mesmo!
Gostei de praticamente tudo.
Tomara que não cancelem.

Responder
planocritico 1 de junho de 2017 - 13:53

Ela já foi renovada para a 5ª temporada! Pelo menos mais uma teremos!

Abs,
Ritter.

Responder
Jesse Geller 27 de maio de 2017 - 02:00

Quero te agradecer muito, Ritter. Eu comecei a assistir AoS lá na sua estreia em 2013, mas depois de uns 5 episódios eu desisti, pois, apesar de ter achado ela até legal, não tenho paciência para séries do tipo “caso da semana”. Porém, após ler as sua criticas do 4 x 15 e de alguns episódios anteriores, decidi maratonar a série para poder confiar com meus próprios olhos se ela era tudo isso mesmo que você e as pessoas nos comentários estavam dizendo. E não me arrependi, desde que ela deixou de lado o formato procedural, ainda lá no final da 1 temporada, AoS só vem crescendo. A 2° temporada é ótima (aquele finale dela é um dos “filmes” mais legais do MCU kkkkk), a 3° é fantástica e essa 4° foi uma das melhores coisas que eu já vi ser produzida no MCU. O abismo que existe entre as 3 ultimas temporadas e a 1° é tão grande que eu custo a acreditar que foram produzidas pelas mesmas mesmas pessoas. O que mais gostei em AoS foi a forma como os personagens cresceram tanto ao decorrer da temporada (quem diria que Fitz e Simmons, aqueles nerd’s irritantes da 1° temporada, hoje seriam meus personagens prediletos) e isso se deu de forma tão legal que, mesmo assistindo tudo em seguida, eu nem estranhei a mudança deles, me soou muito natural. Atuações é um caso a parte, né? O Iain e a Elizabeth (Sim, já me tornei fã desses dois) são simplesmente fantásticos, os dois conseguem se sair tão bem desde cenas românticas até cenas de puro terror (tal como aquele esfaqueamento no 4 x 15). Enfim, acho que já me estendi demais, né? Mais outra vez: obrigado por me resgatar para AoS e me dar uma 2° chance para acompanhar essa excelente série.

Responder
planocritico 27 de maio de 2017 - 10:07

Puxa, que legal, @jessegeller:disqus ! Saber que eu o ajudei a voltar para AoS com minhas críticas é muito prazeroso e agradeço imensamente o depoimento.

É bem isso que você disse: se formos julgar a série por sua primeira temporada, estaremos sendo muito injustos, pois o crescimento a partir do finalzinho dela até hoje em dia chega a ser inacreditável. Realmente parecem duas séries diferentes, com showrunners diferentes.

AoS focou em seus personagens e aprofundou o relacionamento deles, deixando o lado padrão super-heroístico para um segundo plano, mas que também foi bem desenvolvido, com a transformação de Skye, a hacker em Daisy, a inumana. Vamos ver que surpresas nos aguardam na 5ª temporada!

Abs,
Ritter.

Responder
Luan S. 26 de setembro de 2017 - 03:36

QUE COISA BELISSIMA DE SE LER!

Responder
Raoni De Lucia 25 de maio de 2017 - 15:26

No geral foi uma temporada excelente mesmo, esses dois episódios finais foram bons demais, agora é torcer pelos inumanos e que a próxima temporada consiga manter o pique dessa, parabéns pela ótima crítica dos episódios finais Ritter!

Responder
planocritico 27 de maio de 2017 - 09:58

Obrigado, @raonidelucia:disqus ! Só nos resta torcer mesmo, pois a ABC mudou AoS para as sextas, que é notoriamente o pior dia lá nos EUA e anda dizendo que reduzirá o orçamento da 5ª temporada. Ó vida…

Abs,
Ritter.

Responder
Batman 22 de maio de 2017 - 02:15

Que temporada!
Que série!

Responder
planocritico 22 de maio de 2017 - 15:27

Sim!

– Ritter.

Responder
Júnior Souza 21 de maio de 2017 - 12:31

Ritter, acabei de ler no Omelete que muito provavelmente a 5a temp. só vai começar em janeiro e os 22 epis. serão exibidos de uma vez só. Sem hiatos.
Abraços

Responder
planocritico 22 de maio de 2017 - 15:29

Eu li isso também de outras fontes e começar em janeiro é mesmo o mais provável. Agora passar 22 episódios sem hiato seria um milagre… Eu acho bem difícil, mas…

Abs,
Ritter.

Responder
Bruno 20 de maio de 2017 - 19:29

Comecemos a nos despedir dessa série porque foi mandada pra sexta-feira pra morrer…
Acho que o finalzinho tem ligação com série dos Inumanos…

Responder
planocritico 20 de maio de 2017 - 19:42

Exato… Sexta-feira da morte…

Abs,
Ritter.

Responder
lmd 20 de maio de 2017 - 11:38

Não acho o Superior tão inútil assim, pois acabou que no final o plano dele deu certo e eu acho que essa vai ser a ligação com Inumanos, o ódio restaurado.
E não diria que Ward e Trip foram eliminados sem cerimônia, cada um teve seu momento nos últimos episódios que apareceram. Trazer esses personagens para os episódios finais só seria um gasto de tempo que eles nem tinham, então grata que não fizeram.
De resto concordo com tudo, principalmente em relação ao Talbot. Não tem nada de irreal uma pessoa ficar em coma depois de tomar um tiro na cabeça, mas a “quase-morte” dele me gerou um certo incômodo.
Eles arrasaram nesse final de temporada juntando tudo o que foi trabalhado e fechando com chave de ouro. LMD sendo um recurso, Aida morrendo, FrameWork destruído, Ghost/Livro voltando p/ sua dimensão e de quebra ainda teve aquele discurso da Daisy em relação a tudo o que ela passou no começo.
E que venha a próxima temporada de Agents Of Shield: A Series of Unfortunate Events, prontíssima p/ sofrer mais por essa família.
https://68.media.tumblr.com/f8fad6368bdf7c620bcbc973656581f6/tumblr_oq3qasG5Ma1tb1s1bo8_250.gif

Responder
planocritico 21 de maio de 2017 - 08:59

O problema do Superior é ele não ter tido utilidade alguma além dessa limitada aí que você descreveu e não oferecer nenhum tipo de ameaça, apesar de todo o mistério que primeiro fizeram sobre a identidade dele e, depois que virou robô e prometeu ser mais do que é, nada aconteceu…

Abs,
Ritter.

Responder
Mulan moon 20 de maio de 2017 - 01:34

Essa temporada foi mais do que especial, cheia de emoções, surpresas, reviravoltas. Nossa tanta coisa que eu poderia listar. E as cenas épicas, CGI muito acima da média, deixando outras séries no chinelo. Toda a equipe brilhou, e AIDA é a melhor vilã do MCU até agora, os melhores vilões do universo cinematográfico marvel, estão na TV sem duvida. Killgrave, Rei do Crime e agora ela que gostei ainda mais como Madame Hydra.
Ótima crítica, senhor Ritter.

Responder
planocritico 20 de maio de 2017 - 10:29

Obrigado, @mulanmoon:disqus !

Foi uma ótima temporada mesmo. A divisão em três arcos ajudou bastante e o terceiro, então, foi espetacular. E, de fato, Aida é uma das melhores vilãs do UCM, sem dúvida.

Abs,
Ritter.

Responder
Flavio Augusto 19 de maio de 2017 - 23:31

Excelente temporada, com um competente e divertido encerramento.
Não dava pra ser diferente, a AIDA ficou muito poderosa e, se quisesse (pois como é clássico vilão falar pra caramba e agir menos), poderia ter teleportado um por um dos agentes e soltado eles na atmosfera, para que morressem em queda livre. É claro que aí não teria graça nenhuma.

Agora, especulando:
– Inumanos deve ser uma série de apresentação dos personagens e de como funciona essa sociedade organizada. Nós conhecemos alguns Inumanos “normais” e o conceito da terragenesis, agora será mostrado a origem e a complexidade desse povo e de seus líderes.
– Como a morada dos Inumanos fica na Lua e o Coulson apareceu no espaço, acho que os 8 episódios de “Inumanos” terá uma trama que culminará levando a SHIELD para o espaço, e a próxima temporada dos agentes será uma união das duas séries, por isso precisa vir logo depois na programação.
(Imagina o Coulson como o embaixador da Terra em Attilan.)

Esperança:
– Gostaria que o personagem Radclife não tivesse sido apagado do Framework, mas que o Fitz o tivesse transferido para um sistema virtual, seguindo a mesma ideia do antigo vilão Mecanus das histórias do Capitão América. Quem sabe na próxima…

Decepção:
– Como teria sido mágico se na cena final mostrasse o Coulson visitando o Dr. Estranho e o entregando o Darkhold, seria uma surpresa pra deixar os fãs doidos… mas pelo menos brincaram com o efeito de portal místico parecido com o do Mago Supremo.

Responder
planocritico 20 de maio de 2017 - 10:35

Vamos lá:

– Inumanos – Sim, a série será sobre os Inumanos da realeza, que vivem no lado escuro da lua e que vêm para a Terra depois de um golpe de estado. Será bem diferente dos inumanos que conhecemos em AoS.

– Pode ser que haja uma ligação forte com a série, mas eu apostaria que não terá. Acho que Coulson no espaço é uma preparação mais para Guerra Infinita.

– Seria lindo se Radcliffe ressurgisse um dia, mas acho difícil…

– Sobre Coulson encontrando com o Dr. Estranho, mas não tinha perigo disso acontecer… 🙁

Abs,
Ritter.

Responder
Flavio Augusto 20 de maio de 2017 - 11:19

Não tenho esperança que vão abordar Guerra Infinita. Depois da briga entre as divisões TV e Cinema, ficou claro que na TV só teremos meras citações sobre o que acontece no cinema, e sem vice-versa.
Acho que ficará tudo em casa e o ponto de partida para Agents será os Inumanos da Lua mesmo.

Responder
planocritico 20 de maio de 2017 - 12:54

Eu penso de outra maneira. Apesar de ser excelente, AoS não é uma série bem-quista lá na ABC. Terá o orçamento reduzido e foi transferida para sexta-feira, que é o dia maldito de séries por lá.

Tenho minhas sérias dúvidas se a emissora vai querer amarrar o que ela considera como “caveira de burro” com uma série zero quilômetro. Diria que em uma eventual segunda temporada de Inumanos, ok. Mas agora, especialmente considerando que serão só 8 episódios, acho bem difícil de passar de leves menções aqui ali (se é que haverá alguma).

No caso de Guerra Infinita, o que eu quis dizer é justamente o tipo de amarração light com os filmes que já vimos acontecer em AoS várias vezes. Não mais do que isso.

Abs,
Ritter.

Responder
Stella 20 de maio de 2017 - 17:09

Como assim o orçamento vai ser reduzido Ritter? mds é serio mesmo, onde viu isto? Eles querem foder a série mesmo, caramba

planocritico 20 de maio de 2017 - 19:36

@disqus_9KZLz8G0wg:disqus , aqui no The Hollywood Reporter: http://www.hollywoodreporter.com/live-feed/abc-renews-agents-shield-1002925

Uma tristeza…

Abs,
Ritter.

Stella 21 de maio de 2017 - 01:51

Um absurdo isso, a ABC quer realmente vai acabar cancelando na quinta temporada deste jeito. Pelo menos era melhor reduzir os episódios.Veremos pouquíssimo do Robbie então, ele deve aparecer menos do que apareceu na quarta temporada. Poucas cenas de poderes da Daisy. A unica coisa que teremos certeza, é que teremos roteiros muito bem trabalhados.

Algo que não quero que aconteça, é que se a série acabar. Daisy e Coulson não podem ser esquecidos, os dois tem ganhado cada vez mais importância nos quadrinhos atuais da Marvel. Daisy ganhou tanta importância com a Familia Real Inumana, que ela vai liderar uma equipe somente de Inumanos, uma nova versão dos Guerreiros Secretos. Ela ainda poderia ser aproveitada na série Inumanos.
https://uploads.disquscdn.com/images/25f0ec963873930b6cad8f2425e0fdcbf674b2174a42771e92aff0b0a7e00546.jpg

planocritico 21 de maio de 2017 - 08:55

A ABC está forçando a barra mesmo… Minha impressão é que AoS só continuou em razão de pressão interna da Marvel…

Abs,
Ritter.

Stella 21 de maio de 2017 - 16:12

Bem provável, pois a Marvel considera Agents of Shield uma série ”propaganda” do Universo cinematográfico Marvel. E inclusive para não cancelarem, pelo que li no artigo Clark Gregg aceitou até redução do salario, impressionante. A sexta não está sendo considerada mais um dia morto, inclusive Inumanos irá passar sexta feira. Eu andei pesquisando mais, e li que a Marvel arca com partes do custo também da produção da série.

planocritico 22 de maio de 2017 - 15:28

Nessas bases, aí fica mais fácil para a ABC ir renovando… Sobre sexta-feira, o problema é que é um dia historicamente complicado lá nos EUA. Acho difícil conseguir mudar comportamentos…

Abs,
Ritter.

Willian Alves de Almeida 22 de maio de 2017 - 06:39

Que arte maravilhosa! É a Hope a menina da Lua,né?

planocritico 22 de maio de 2017 - 15:27

Poderia ser, não é?

Abs,
Ritter.

Stella 22 de maio de 2017 - 22:50

Acredito que Hope foi uma referencia a Moon Girl da HQ, pois além da aparência ,até o lance dela ser bastante inteligente e criar coisas ficou semelhante. Pode ser que tragam a atriz na proxima temporada de volta, dando desculpa que ela foi baseada na Moon Girl rsrs

planocritico 24 de maio de 2017 - 19:46

Também acho que foi uma piscadela para a Moon Girl.

Abs,
Ritter.

Luan S. 19 de maio de 2017 - 21:23

VEM AGENTS OF SWORD!!! (confiante rs)

De cara vou logo dizendo que nunca concordei tanto com você, Ritter, sobre o que poderia ter sido um episódio duplo. Assim como o anterior, pareceu um pouco corrido e, se ambos tivessem se complementado em um único episódio, talvez funcionaria melhor mesmo.

Voltando ao ‘World’s End’, foi um bom episódio e encerramento para a temporada. Como sempre, deixa aquela pergunta de meses. Eu só quero que seja a SWORD sim.

Sobre outro personagem que aparentemente foi esquecido, quero lembrar do Vijay: QUE FIM TERÁ ELE? Li em algum lugar que a série dos Inumanos introduzirá Inumanos já transformado na terra, se for o caso, que seja o Vijay! (confiante de novo? Rs)

E o Radcliffe não poderia ter tido um final melhor. Foi um final digno, poético e que de fato deixa claro a redenção final do personagem.

Blá blá blá a parte, nos vemos na season 5!
Valeu, Ritter!!!

Responder
planocritico 20 de maio de 2017 - 10:37

@Luanzinhi:disqus , acho que o problema dos episódios finais foi na incerteza sobre renovação. A ABC demorou demais para confirmar e aí tiveram que fazer algo híbrido..

Acho que Vijay aparecerá na próxima temporada. Foi a única ponta REALMENTE solta da história toda…

Nos vemos em Inumanos, não?

Abs,
Ritter.

Responder
Leonardo Boff 19 de maio de 2017 - 15:38

Esse episódio tem muita cara de problema de produção. Por causa da audiência e a demora pra renovação, quase certeza que optaram por um season finale de 45 minutos. Tanto que ao meu ver, o roteiro desse episódio é uma estrutura pra dois episódios. Eu até achei um final satisfatório, mas ele é muito corrido, e as vezes me da a impressão que ta mais preocupado em fechar os arcos da temporada caso exista algum imprevisto, uma vibe meio série pra ser cancelada. Apesar dos pesarem ele concluiu bem essa magnífica temporada, embora os episódios anterioriores estivessem encaminhado pra algo mais explosivo na falta de uma palavra melhor.

Responder
planocritico 20 de maio de 2017 - 10:38

@leonardoboff:disqus , sim, foi isso mesmo. Foi corrido, pois eles precisavam fechar tudo, caso fosse a última temporada. Muito ruim esse negócio de renovar só nos 47 do segundo tempo…

Mas foi um ótimo final, mesmo assim!

Abs,
Ritter.

Responder
Willian Alves de Almeida 19 de maio de 2017 - 08:55

Final de temporada maravilhoso de uma série maravilhosa!

Tenho a dizer que não foi o que esperava,mas de fato a demora na renovação prejudicou no sentido de ser uma Season Finale 5 estrelas, mas fiquei satisfeito.

Claro que queria ver o Triskelion do Framework caindo, ou a Aida sendo morta pelo Olhar da Penitência, ou que Ward Bonzinho, Tripp ou mesmo Fitz Mengele viessem para realidade normal,mas isso pode acontecer na próxima temporada (embora ache totalmente improvável).

Como demorei pra ver o episódio, comentei outras coisas em outros comentários. Eu só queria destacar duas coisas:

1) Esse episódio, o 4×22 teve dois roteiros, e a versão dele se a série fosse cancelada chegou a ser filmada, acredito que a cena da lanchonete seria aonde seria o adeus definitivo, com a referência ao primeiro filme dos Vingadores,felizmente isso não aconteceu.

2) Li que os direitos da SWORD estariam com a Fox… Mas a Fox tem restrições no direto da TV,então é bem provável que seja a Base dela espacial aonde o Coulson está.

E como nessa cena pós crédito teve um salto temporal,eu gostaria que isso existisse na vida real, pois esperar até ano que vem vai ser complicado, mas é melhor do que ficar órfão da minha série predileta!

Responder
planocritico 20 de maio de 2017 - 10:40

Sobre seus destaques:

1. Pode ser sim. O final da lanchonete deve ter sido filmado para ser o final geral e aí fizeram aquele pedaço final para deixar um cliffhanger em caso de renovação.

2. Sim, em tese estão com a Fox. Mas eu não acho mesmo que mudarão o nome da agência. Vai ficar muito confuso para o público mais leigo.

E calma que setembro já tem Inumanos!

Abs,
Ritter.

Responder
Stella 20 de maio de 2017 - 17:11

2) A Marvel tem os direitos para produção da séries do Universo X-Men, mas ao mesmo tempo não podem fazer, eles deram apenas a permissão para a FOX, em troca de algo que não sabemos ainda. Provavelmente devem ser Galactus e o Surfista. Então não acredito que tenham pego emprestado a SWORD, será uma SHIELD espacial, ou outro nome original para a agencia.

Responder
planocritico 20 de maio de 2017 - 19:37

Muita dor de cabeça esse negócio dos direitos… Ai, ai…

Abs,
Ritter.

Responder
Stella 27 de maio de 2017 - 15:28

Ah Ritter andei pensando e teorizando. Se não me engano a Marvel pode utilizar a Prisão42 desde que alterem para não ser na zona negativa, logo a prisão 42 seria no espaço. E também existe a possibilidade de ser a H.A.M.M.E.R , já que ela a Marvel tem direitos sobre ela. Poderiam também alterar sobre isso colocando ela no espaço.

Responder
planocritico 27 de maio de 2017 - 20:58

Pode ser, @disqus_9KZLz8G0wg:disqus ! Há muitas alternativas na mesa. Espero que AoS continue nos surpreendendo e que Inumanos seja muito boa (confesso que estou com os dois pés atrás…).

Abs,
Ritter.

Stella 27 de maio de 2017 - 21:01

Nossa tu virou Curupira kkkkkkkkkkkkkkk Mas te entendo amigo, eu to assim também. Tem vazados umas imagens do trailer, que a série parece mais amadora que Agents of shield. Eu não sou fã dos Inumanos, mas se a série for ruim os fãs vão ficar irados com a Marvel.

planocritico 28 de maio de 2017 - 12:42

Eu não vi as imagens vazadas, mas estou com medo e olha que a produção tem a responsabilidade de funcionar bem em IMAX, que é um sistema de projeção particularmente inclemente com defeitos, tamanha é sua claridade e resolução.

Tomara que não pisem na bola!

Abs,
Ritter.

NOT jason todd 19 de maio de 2017 - 01:41

Esse texto também está gigante então desculpas adiantadas.

Esse final foi fantástico, a morte do Radcliffe deu um aperto no coração, ele era um personagem fascinante e muito bem construído. Já estou com saudade da Ophelia, por que depois de se tornar a melhor vilã do MCU ela ganhou o direito de ser chamada pelo nome humano, a Mallory foi a dona da temporada e pra mim só foi igualada pelo Ian e o John Hanna. O Robbie é o motoqueiro que a gente merece, Gabriel Luna caiu como uma luva no papel, embora precisamos do Blaze numa série, de preferência ambos juntos, e acho que a essa altura do campeonato e tendo mostrado que ele funciona até em PG-13 seria tolice não apostar no potencial do personagem, o Coulson no momento fanboy sobre a Skye, sempre preferi esse nome, e o Robbie lutando juntos e ele perdendo foi demais. Acho que a decepção com o Superior foi devido ao fato de acharmos que ele seria grande coisa, já que não tinha nenhuma revelação interessante sobre ele como personagem, nenhum plot twist, poderiam telo apresentado no primeiro episódio e assim fazer sua ameaça crescer e não fazer um mistério. O Mack foi muito bom no pouco tempo que teve de cena, e a YoYo é sempre uma ótima personagem. Eu gostei da forma como mataram a Ophelia, e não sei por que mas acho que naquele momento em que ela está morrendo e olha pro Fitz ela finalmente entendeu o peso das decisões que tomou, pra mim naquela cena ela finalmente cresceu, pena que foi tarde. Sobre o final, fui seco esperando que o Hunter e a Bobbi fossem estar na mesa comendo também, quando o Coulson disse que era legal ter todo mundo junto. E ora finalizar, acho que aquele final liga com os Inumanos, que mesmo estando na terra tem a base no espaço, e eles tem a Daisy que é a cara dos Inumanos na terra, faz mais sentido, a Sword também é uma boa ideia, embora acho que se for isso eles vão começar a organização agora, seria estranho se ela já existisse considerando o número de casos de aliens na terra, ou finalmente liguem com Guerra Infinita, o que seria fantástico pra unir as duas Marvels, da TV e filmes,e seria bem melhor ele ser aquele que avisará sobre o Thanos do que colocar outro personagem pra fazer, o Coulson juntou os vingadores uma vez na morte e agora é aquele que vai uni-los de novo em vida, além de que imagina que foda se a última jóia do infinito aparece na série e não num filme, seria a ligação perfeita, além de um belo Nerdgasm. E já ia esquecendo, excelente crítica.

Responder
planocritico 20 de maio de 2017 - 10:46

Obrigado! E excelente comentário!

Acho que o final vai encaixar com Guerra Infinita, mas pode ser com Inumanos também.

Abs,
Ritter.

Responder
Chaves Confuso: Ano 2 18 de maio de 2017 - 22:19

Aida foi o que o Ultron deveria ter sido!

Responder
planocritico 18 de maio de 2017 - 23:25

Imagina ela e o Ultron como vilões em um filme dos Vingadores?

Não vai sobrar nada…

Abs,
Ritter.

Responder
Willian Alves de Almeida 19 de maio de 2017 - 08:11

Ultron vai voltar,disso eu tenho certeza. E espero que ele traga a AIDA!

Responder
planocritico 20 de maio de 2017 - 10:42

Ultron, Aida e Arnim Zola. A trinca robótica!

E não se esqueça do Caveira Vermelha como chefe dos três aí!

Abs,
Ritter.

Responder
Chaves Confuso: Ano 2 19 de maio de 2017 - 10:33

Seria uma Jocasta perfeita, deixaria o Ultron até mais interessante!

Responder
NOT jason todd 19 de maio de 2017 - 01:46

Acho que o Ultron teve uma ótima participação considerando o tempo que tiveram pra desenvolve-lo, encheram aquele filme com informações demais, e o personagem é muito complexo pra ser apresentado, combatido e derrotado tudo no mesmo filme. Mas no geral achei ele muito bom, embora a Ophelia seja superior, provavelmente pelo tempo de tela. Eu li em algum lugar uma ótima análise da personagem Ultron que me fez vê-lo com outros olhos, mas infelizmente não consigo achar. O Ultron seria o vilão ideal pra uma fase 4 já que não teremos Doutor Destino tão cedo.

Responder
planocritico 20 de maio de 2017 - 10:40

@disqus_oVP31CVmL5:disqus , também não desgostei de Ultron não. O filme não foi lá essas coisas, mas o vilão eu gostei!

Abs,
Ritter.

Responder
Willian Alves de Almeida 20 de maio de 2017 - 14:54

Ultron foi um vilão excelente, não podemos esquecer que cortaram 50min de filme.

Responder
planocritico 21 de maio de 2017 - 08:57

Não foi nem o que cortaram, foi o que deixaram lá…

Abs,
Ritter.

Responder
Viviane Valverde 18 de maio de 2017 - 21:19

Ritter excelentes colocações, estou me tornando sua fã. Quanto ao episódio esperava um pouquinho mais, mas houve essa situação toda da renovação, sendo assim dentro desse contexto a season finale não saiu do que havia sido proposto para a temporada.

Eu quase tive um piripaque com a cena da Aida/Madame Hydra/Ophelia matando a Jemma e segundo depois respirei aliviada.

As atuações como sempre fantásticas, eu estou com dúvidas acerca do fim da Aida super inumana, o corpo foi destruído mais será que não tem alguma cabecinha por aí rsrs.

Acredito que ainda veremos muitos desdobramentos do Framework.

Responder
planocritico 18 de maio de 2017 - 23:28

Obrigado, @vivianevalverde:disqus !

Também esperava mais do episódio, mas, assim como você, entendi porque foi foi feito assim. Não tinha jeito, infelizmente…

E tomara que a história do Framework continua de alguma forma!

Abs,
Ritter.

Responder
Júnior Souza 19 de maio de 2017 - 16:42

E se o Fitz reconstrói o Frameworks pra se punir em um mundo alternativo ou ele vai pra essa outra realidade pra continuar a ser um FitzHitler (tipo depois que experimentou o poder ele ficou meio viciado e deseja continuar sendo um vilão).
Ou então eles tendo que voltar praquele mundo pq o Trip sabe de alguma coisa do passado que pode ajudá-los a vencer um inimigo.

Responder
planocritico 20 de maio de 2017 - 10:42

Vai sonhando, he, he, he…

Abs,
Ritter.

Responder
Jose Aquiles 11 de junho de 2017 - 15:11

No meu framework particular Bobby Morse nunca sairia da série, os primeiros episódios da 1 temporada não seriam procedurais o que evitaria o desgaste que a série sofreu, eu deixaria uma cena em vingadores era de ultron explicando que stark copiou seus padrões mentais em ultron mas que este foi corrompido pela jóia da mente daí o ultron ser uma versão dark de stark; e claro, em meu framework perfeito o filme da viúva negra já teria acontecido.

Responder
planocritico 11 de junho de 2017 - 16:57

E, no meu, Ward voltaria para a série!

Abs,
Ritter.

Responder
Ian Luz 18 de maio de 2017 - 20:56

Foi um episódio satisfatório ? Foi sim. Mas me pareceu faltar alguma coisa. Não sei se a série me acostumou com os episódios duplos , ou os de 1h30m de season finale , onde podiam fazer quase um filme.

Ainda bem que renovaram , mas essa mudança pra sexta-feira é bem temerária. Acho que querem fazer um teste pra ver se a audiencia no mínimo se mantém igual , mantendo a série viva pra uma possível sexta temporada. Espero que aumente.

Responder
planocritico 18 de maio de 2017 - 23:29

@ianluz:disqus , exatamente o ponto que levantei na crítica de The Return. Seria perfeitamente possível fundir elementos de World’s End a The Return, expandir tudo para 1h30′ e deixar os cliffhangers do final de The Return. Mas, nem tudo é perfeito!

Acho MUITO difícil a série passar da 5ª temporada, mas só nos resta torcer!

Abs,
Ritter.

Responder
Huckleberry Hound 18 de maio de 2017 - 19:09

O cliffhanger só confirma a quinta temporada hehehe!

Responder
planocritico 18 de maio de 2017 - 23:31

Já está confirmada!

Abs,
Ritter.

Responder
Nicolas Dias 18 de maio de 2017 - 17:34

Achei o episódio 21 e 22 corridos demais, e tinha expectativas para um confronto mais intenso entre AIDA e os agentes. Apesar de bem explicado os retornos e motivações do Ghost, como você disse Ritter, ele foi muito “deus ex machina”. Mas foi um bom episódio, uma finale para amarrar pontas soltas e não grandes embates e reviravoltas, essas preencheram a temporada, que foi muito boa, apesar de um começo abaixo do que poderia ter sido.

Fiquei satisfeito pelo Ward e Tripp não terem retornado, gosto bastante do Tripp ele tem ótima química com a Daisy, mas morte é morte, não é Dragon Ball, não tem esferas do dragão pra ficar ressuscitando a galera, caso contrário o conceito de morte fica algo banal. Já para a season 5 espero que o personagem do Zach McGowan seja melhor explorado, ele é um bom ator, fez um bom antagonista em The 100 como King Roan, tem competência para ser um bom antagonista para SHIELD também.

Obrigado pelas reviews Ritter, é legal ler suas análises e opiniões e ter espaço para trocarmos ideias, até season 5.

Responder
planocritico 18 de maio de 2017 - 23:35

@ni_forlan:disqus , foi minha impressão geral dos dois episódios também, mas mais do anterior. Como eu disse na outra crítica, teria preferido que The Return fosse espichado para ter duas partes e aí tudo seria resolvido de maneira mais uniforme.

Sobre Ward e Trip, ainda que eu quisesse que eles voltassem mesmo, o que eu queria de verdade é que eles aparecessem novamente no Framework só para encerrar decentemente o arco deles. Podiam aparecer e, assim como Radcliffe, desaparecer em seguida.

McGowan é o Capitão Charles Vane de Black Sails. O cara é ótimo!!! Mas o personagem dele foi sofrível, tadinho…

E obrigado pelos comentários e por todo seu prestígio aqui para minhas críticas. É sempre um prazer interagir com os leitores! E até o season 5 nada. Tem Inumanos antes! HAHAHHAHAHAHHAH

Abs,
Ritter.

Responder
Dr. Fate 18 de maio de 2017 - 16:50

Eu até gostei do episódio, mesmo achando que poderia ser melhor, foi incrível. Essa temporada foi espetacular. Agora resta esperar Inumanos! Excelente crítica! Espero sinceramente que a Mallory Jansen ganhe algum prêmio por esse papel incrível!

Responder
planocritico 18 de maio de 2017 - 17:01

Duvido que ela ganhe algum prêmio importante da TV, pois há um enorme preconceito com séries de ficção científica. Mas que ela merece, ah, merece!

Abs,
Ritter.

Responder
Willian Alves de Almeida 19 de maio de 2017 - 08:13

No meu coração ela ganha todos os prêmios possíveis e imagináveis haha

Responder
Júnior Souza 18 de maio de 2017 - 15:13

Que temporada espetacular hein.
O que eu ia perguntar e comentar aqui, já li na sua excelente crítica e nos comentários do pessoal.
Então deixo apenas uma perguntinha no ar : ‘Pq será que, de repente eu passei a me importar mais com esse grupo de agentes da shield do que com os Vingadores ?
Abraço

Responder
planocritico 18 de maio de 2017 - 16:18

Boa pergunta, @disqus_QJ7q0YNN0V:disqus ! E olha, apesar da polêmica, não diria que você está muito errado em pensar assim não… 🙂

Abs,
Ritter.

Responder
Willian Alves de Almeida 19 de maio de 2017 - 08:15

Vingadores tem a mágica de serem os Vingadores,mas vemos com mais freqüência os Agentes …

Eu gosto muito de ambos!

Responder
Matheus Brito 18 de maio de 2017 - 12:36

Ao longo do ano, acompanho umas 70 séries. Em gêneros que vão do suspense à comédia, obviamente acabamos selecionando algumas favoritas. E pra mim é fácil dizer que Agents of S.H.I.E.L.D. se encontra nesse panteão. Que série, meus amigos!

E por que essa série é tão boa? Acho que o principal mérito de MAoS é alterar constantemente seu status quo. Tomemos a própria agência dentro da série como exemplo principal. Era uma agência respeitável, descobriu-se que estava infiltrada pela Hydra, passou a agir nas sombras, recentemente voltou “à luz” e agora é praticamente uma agência de criminosos. Fazendo um paralelo direto com as séries DC/CW, você não vê as obras de lá tomando esse tipo de risco. O lugar comum é mais seguro.

E essa season finale foi tudo isso e um pouco mais. Foi mudança de status quo, foi fechamento de arcos de forma satisfatória… foi o que se esperava.

Aida/Ophelia é uma das melhores vilãs já feitas em séries inspiradas em HQs. Mallory Jensen fez um trabalho nada menos que excelente com ambas as personagens e ainda Agnes, além das múltiplas facetas que a primeira citada ofereceu. Num mundo justo, ela seria indicada a um Emmy pelo ótimo trabalho feito. Mas, como não é, teremos que ficar com essas concepções apenas para nós mesmos.

Chorei bastante com as cenas Mack – YoYo – Hope, que foram de cortar o coração. E a cena final com o Radcliffe, QUE CENA! Quando ele desaparece o copo cai, num silêncio mortal, senti um arrepio gigantesco subir pelo corpo – arrepio similar ao de quando Mack acorda praticamente chorando.

Adorei a reinserção do Motorista – que, com a explicação, ficou quase orgânica – e a sua luta com Aida. Podia ter durado mais? Sim. Podia ter sido mais complicado? Sim. Mas a Aida ficou tão “overpower” que a série precisaria de um orçamento gigantesco pra dar o final que ela realmente merecia. Levando esses fatores em consideração, passo a ter o encerramento dela como satisfatório. Principalmente que a destruição dela não veio sem consequências, pois Coulson teve de assumir o espírito de vingança, num pacto que deve gerar muitas reverberações na vindoura (graças a Deus!) 5ª temporada.

Iain e Elizabeth, show a parte, elogiar os dois é chover no molhado.

Agora, a cena no fim, com eles no restaurante, foi ótima! Em 88 episódios da série nunca os vimos assim, reunidos, de forma tão casual. Me lembrou a pós-créditos de Vingadores 1, quando eles salvam o mundo e vão lanchar logo depois haha

E, como Agents simplesmente AMA fazer, lá ficamos nós com mais um cliffhanger maldito. Que diabos de lugar é aquele que o Coulson tá? O que aquilo significa pra série? Será algo a ter interferências no MCU e nos vindouros Vingadores? São muitas teorias para ficar martelando por muitos meses – já que a série não volta na fall season como costumava ser.

Pra mim, episódio nota 4.5 e temporada nota 4. Mal posso esperar pela continuação dessa maravilhosa trama heroística, sci-fi, dramática, ágil e tensa.

Abraços, Ritter! Nos encontramos novamente nas reviews daqui haha

Responder
planocritico 18 de maio de 2017 - 12:57

@Brito_Matheus:disqus , excelente análise! Concordo com simplesmente tudo, ainda que tenha gostado um pouco menos do episódio do que você, mas não tão menos assim.

Foi uma jornada incrível se lembrarmos o começo desapontador da série. Chegamos a um ponto em que temos uma ex-androide overpower lutando contra o Ghost Rider depois de um arco inteiro passado em um mundo virtual dominado pela Hydra. Não é pouca coisa não!!!

E sim, Aida é um dos melhores vilões de todo o UCM. Para mim, fica lá em cima junto com o Rei do Crime, Kilgrave e Ego.

Nos falamos em Inumanos? Vai ter crítica por episódio, claro!

Abs,
Ritter.

Responder
Matheus Brito 18 de maio de 2017 - 14:57

Nos vemos em Inumanos então! Haha

Responder
planocritico 18 de maio de 2017 - 16:18

Beleza!

– Ritter.

Responder
Jose Aquiles 11 de junho de 2017 - 15:28

Ue, e o loki?😮

Responder
planocritico 11 de junho de 2017 - 16:56

Loki também é ótimo!

– Ritter.

Responder
Josevando Sousa 18 de maio de 2017 - 10:20

É complicado ter expectativas altíssimas. AoS nos acostumou com EPs nota 10, vem esse e é “só” nota 9 e a gente fica com aquela sensação de “poderia ter sido melhor”. Os desfechos foram plausíveis, a trama foi bem construída, as atuações (como sempre) fantásticas, porém novamente fiquei pensando “tá faltando alguma coisa aí…”. E por essa alguma coisa, são pequenos detalhes como “pra onde foi o Ward, o Tripp”, “o Superior de fato foi derrotado ou ainda tem LMDs dele por aí?”. Enfim, World’s End tinha tudo pra encerrar esse ano da série (o melhor, sem dúvida) e esse arco (também o melhor) com nota maior, porém e estou sendo chato com isso “ficou faltando algo…”
Resta teorizar (cabeça tá fervilhando já) sobre o que o Coulson tá fazendo no espaço, que acordos ele fez com o Gosth Rider e porque os roteiristas insistem em ferrar Fitz-Simmons kkkkkk (cada K é uma lágrima).
Sobre a mudança de horário, é uma pena, sexta-feira é o pior dia pra séries nos EUA. É de uma falta de noção grandiosa, colocar projetos como AoS e a tão ambiciosa Inumanos pra esse dia e esse horário, vamos ver no que isso vai dá…

Não acredito que essa é a última crítica em tempos que vamos falar sobre AoS, eu tô bem triste. Mas agradeço o espaço e que bom que eu tinha aqui pra comentar e vocês pra me ajudar nas teorias e tals, a gente se ver. Abração.

Responder
planocritico 18 de maio de 2017 - 12:29

@josevandosousa:disqus , é isso. Ficou faltando algo, mas esse “algo” não tira o brilho do final e da temporada como um todo. AoS certamente está no caminho certo!

A mudança de dia é que tem me irritado. A ABC disse que é para concentrar as séries de “fantasia” em um dia só, pois é para lá que vai Once Upon a Time, mas é justamente isso que me assusta, até porque Once Upon a Time teve uma debandada gigantesca do elenco principal…

E eu é que agradeço os comentários e toda essa troca! Voltaremos com Inumanos, não é mesmo?

Abs,
Ritter.

Responder
Josevando Sousa 18 de maio de 2017 - 20:04

Complicado essa questão da mudança de dia, enfim, torcer pra quem sabe AoS puxar audiência neste dia… Outra coisa, como vai voltar a ser exibida uma hora antes desta 4° temporada acho que vai ser menos violenta, essa temporada tava meio gore, Gosth Rider pisando no pescoço do cara e arrancando a cabeça tranquilamente… Hahahahah.
Voltamos com Inumanos, é claro 😉

Responder
planocritico 18 de maio de 2017 - 23:31

Tomara que as pessoas encontrem AoS. O problema é que, quem não viu até agora, dificilmente vai querer correr atrás de quatro temporadas de 22 episódios cada para ver…

Abs,
Ritter.

Responder
Leonardo Sette Pinheiro 18 de maio de 2017 - 10:03

Primeiramente gostaria de dizer que a ABC é inteiramente responsável pelos showrunners não nos entregar dois episódios 5*…essa demora em definir a renovação atrapalhou o fim do arco.

Segundamente, mesmo sabendo da volta do GR e sua função na história sua execução me deixou extremamente feliz… fizeram o óbvio ser muito bem digerido e com um “ohhh” de surpresa.

Quanto ao “pós-créditos” acredito de duas uma: SWORD ou Inhumans… mais provável SWORD, a Shield acabou depois de escândalos atrás de escândalos… ficaria chato se tentarem ressuscitarem ela de novo.

Sobre Trip e Ward a mensagem que senti (e que acho que foi proposital): passar a sensação do virtual, ou seja, eu fiquei incomodado como não citaram mais eles, porém ao mesmo tempo isso mostra que eram virtuais, descartáveis, apenas para mexerem com nossas emoções.

Responder
planocritico 18 de maio de 2017 - 12:32

@leonardosettepinheiro:disqus , concordo totalmente. A ABC ficou de palhaçada e aí os showrunners tiveram que arrumar um final híbrido, que continua, mas acaba ao mesmo tempo.

Sobre o GR, concordo também. Foi óbvio, mas foi bem realizado e é isso que, no final das contas, importa.

Torço para que seja SWORD. Adoraria ver esse upgrade na série, tornando-a cósmica e mais bem integrada ao caminho que o UCM está tomando.

Sobre Trip e Ward, entendo o raciocínio, mas houve tempo para fazer aquele belo final com Radcliff. Os dois mereciam algo parecido!

Abs,
Ritter.

Responder
Eric 18 de maio de 2017 - 10:01

Mais uma vez, ótima crítica! Foi um bom encerramento da temporada. Mallory Jansen vai deixar saudades… Uma das melhores escolhas de elenco pra série.

Realmente, a volta do Ghost Rider não pareceu forçada como eu imaginei que seria. A resolução foi interessante, embora não tenha atingido minhas expectativas. Eu esperava que tivesse um peso dramático maior, talvez envolvendo a Jemma… Sei lá… Também achei que foi um pouco rápida. Fica a dúvida: qual foi o acordo que Coulson fez?

Aah… Nota para o portal que o Ghost Rider aprendeu a fazer, idêntico aos mostrados em Dr. Estranho.

Quanto ao Framework, rendeu momentos emocionantes e, por algumas vezes, cheguei a pensar que Mack e Yo-Yo ficariam de vez por lá… Poderia ter uma participação do Ward (e Trip) ou explicação do sumido deles. E fiquei triste por não ver o Triskelion sendo demolido…

Acho que o ataque da Daisy LMD ao Talbot e às outras autoridades poderá acarretar em uma onda de ódio aos inumanos e talvez afete a série dos Inumanos.

E a cena do restaurante me lembrou a “despedida de espiões” da Bobbi e do Hunter. Penso que eles pretendiam encerrar a série ali, caso fosse cancelada.

Agora ficam os questionamentos:

Será que Aida/Ophelia realmente morreu?

Ainda existem LMD’s do “Superior” por aí? E da Daisy?

Quem era aquele agente misterioso do governo que captura os agentes da SHIELD? Poderia ser o agente Sitwell? (Não me lembro de qual foi o seu destino em Soldado Invernal). A aparência, embora pouco iluminada, me lembrou Darren Cross, o Jaqueta Amarela (poderia ele ter sobrevivido?).

E a última: qual será a ligação da cena pós crédito com Guerra Infinita e o futuro do MCU? Imediatamente, pensei na formação da S.WO.R.D. Espero muito que aconteça!

Triste esperar até 2018 pra ver a continuação dessa maravilha que Agents of SHIELD se tornou. Aguardamos ansiosamente. Vou sentar na praia e ver o pôr do sol, como o Radcliff…

Abraço,

#Eric

https://uploads.disquscdn.com/images/cdda67044f77c586e3f807e9049cd37d20ab492de4bebcc83c99b02c4c2a7c4e.gif

https://uploads.disquscdn.com/images/55063fe5ecc0f91822d8ee1363d2a0b9fc4776b63a36c809e8d3b334794af822.gif

https://uploads.disquscdn.com/images/1767e47ac53f378fac9e7f9257bbdfbb359f97d0317a3a20c4b541d6181dfd3c.gif

Responder
planocritico 18 de maio de 2017 - 12:46

Valeu pelos GIFs, @Eric_aragao:disqus ! E obrigado pelo elogio.

Olha, sobre seus pontos:

1. O acordo de Coulson pode ter relação com o novo cargo dele lá no espaço, seja lá qual for. Se ele fosse o The Man on the Wall, ele poderia entregar “almas” para o Espírito da Vingança, sei lá… Mas suponho que saberemos em breve!

2. O GR deve ter tido aulas lá com Strange no Sanctum Santorum!

3. O Framework foi uma criação incrível, mas realmente não terem dado um fim digno a Ward e Trip foi irritante. E fiquei desapontado por não ter visto o Triskelion vindo abaixo..

4. Sobre o ataque de Daisy-droide, pode ser,mas vai depender o quanto a série Inumanos vai se conectar com AoS. Setembro descobriremos!

5. Cena do restaurante: concordo plenamente!

6. Tomara que Aida não tenha morrido, mas acho que morreu…

7. Se for para o Superior voltar, que seja como MODOK. Como a cabeça dele estava em local incerto e não sabido, pode ser que ele volte sim.

8. Acho que os agentes que capturam a equipe são da S.W.O.R.D. ou, pelo menos, espero muito que seja…

9. A ligação é essa mesmo, se eu tivesse que chutar. Coulson e equipe podem se tornar a linha de defesa da Terra contra alienígenas.

Abs,
Ritter.

Responder
Willian Alves de Almeida 19 de maio de 2017 - 08:21

Pensei nisso também Eric, se a série fosse cancelada, ela seria encerrada na cena do Bar, já que esse episódio chegou a ter uma versão roteirizada nessa hipótese!

Responder
Stella 18 de maio de 2017 - 08:57

OH MY GOD OH MY GOD RITTER, que episodio foi este. Ghost Rider roubou a cena nesse episodio. Capricharam demais no CGI para ele, a cena do portal criado pela corrente foi foda demais, ainda estou tentando processar tudo.
Será que finalmente Veremos a SWORD? Tudo indica que sim né, a deixa para o crossover com Guerra Infinita, também foi plantando. Robbie com certeza voltará para quinta temporada. E que cena inesperada e linda ao do portal criado pelas correntes!

Mds eu vibrei a cada momento no team up Daisy e Ghost Rider, que CGI fantástico, estava cinematográfico. Foi um episodio brutal, frenético. Notou até um certo gore? coisa que não veríamos nos filmes. Ghost Rider foi bem violento neste episodio, eu como fã não poderia estar mais feliz. Ainda estou processando tudo kkkkkk
Excelente crítica.

Responder
planocritico 18 de maio de 2017 - 12:39

Tomara que seja a SWORD, @disqus_9KZLz8G0wg:disqus . Isso combinaria tão bem com Guerra Infinita e com a direção geral do UCM que eu fico todo arrepiado só com as possibilidades!

Abs,
Ritter.

Responder
Stella 18 de maio de 2017 - 13:08

Os fãs nos Estados Unidos estão eufóricos com isso. Eu acredito que terá ligação com os Inumanos mas ainda não um crossover, ja Guerra Infinita terá crossover. Robbie deve voltar como um personagem recorrente de novo, e ele Daisy parece que darão uns pegas, rolou maior climão.
Também senti a falta de Ward e Trip, simplesmente tiveram que descarta-los rapidamente, pela pressa da finalização. O arco Agents of Hydra realmente era para ter sido maior com 7 ou 8 episódios, o maior foi do Ghost Rider, eu acho
Nem acredito que acabou, e teremos que esperar até o próximo ano! Vou ficar inconsolada Ritter.

Responder
planocritico 18 de maio de 2017 - 13:25

É o que aposto também: menções em Inumanos e um crossover com Guerra Infinita.

E sim, esse arco final poderia ter sido maior. O arco do meio poderia ter sido o menor de todos e “dado” dois episódios para o último…

AoS só mesmo no final do ano, possivelmente no começo de 2018, mas tem Inumanos nem meio tempo!

Abs,
Ritter.

Responder
Stella 18 de maio de 2017 - 17:07

O trailer da série Inumanos que foi exibido em um evento nos EUA, teve muitas reações positivas, falaram que os efeitos visuais realmente estão como de filmes da Marvel. E que eles usam uniformes que não são o da foto que vem sendo zoada na internet.

planocritico 18 de maio de 2017 - 17:24

Eles precisarão mesmo fazer efeitos de alto nível, pois os primeiros episódios da série passarão no IMAX lá fora (e espero que aqui também!). Não dá para esconder efeito porcaria com a qualidade da projeção em IMAX.

Sobre os uniformes, a galera do ataque histérico precisa relaxar… É tradicional que as fotos de ensaio de revistas fiquem péssimas. É assim com praticamente todos os filmes e séries com “fantasias coloridas”. Tenho certeza que, nas telonas e nas telinhas, eles ficarão BEM melhores.

Abs,
Ritter.

Stella 19 de maio de 2017 - 12:26

Acabei de tomar um banho de água fria amigo kkkkk Olhei sobre a S.W.O.R.D , e a agencia espacial está com a FOX sebosa. Ela surgiu nas revistas Surpreendentes X-Men. Acho que a Marvel só vai criar uma nova SHIELD no espaço mesmo, uma forma de referencia. Que chato isso.

planocritico 20 de maio de 2017 - 10:44

Estou sabendo. Por outro lado, esse negócio dos direitos, como já conversamos, é complicado pacas… De toda forma, não acho que eles introduziriam uma nova agência não para não confundir a galera leiga. Será Shield Espacial mesmo… 🙂

Abs,
Ritter.

Stella 20 de maio de 2017 - 17:01

Sim é o que penso e disse, será uma SHIELD espacial. Mas que terá uma referencia vai a SWORD kkkkkkkk
Meu irmão fez um post no site dele, falando o que a Marvel vai poder produzir e o que está fora dela.

planocritico 20 de maio de 2017 - 19:35

@disqus_9KZLz8G0wg:disqus , eles podem adicionar uma espada discretamente no logo…

Abs,
Ritter.

Stella 21 de maio de 2017 - 01:38

hahahahahahaha seria genial!

Jose Aquiles 11 de junho de 2017 - 15:18

Shield Wars -uma nova esperança. Coulson, May, Dayse ,fitz, Simmons, Mark e yo yo nossos jedi sem sabres de luz. Resgatem Bobby Morse da prisão de carbonite.

planocritico 11 de junho de 2017 - 16:57

Tomara mesmo! Bobbi e Hunter logo!

Abs,
Ritter.

Victor César Brito Rosário 18 de maio de 2017 - 09:51

Venho acompanhando suas excelentes críticas há um bom tempo Ritter, e não via a hora dessa última sair pra ver sua reação ao episódio haha
Eu estava com o mesmo medo que você, de perder a Aida, e realmente aconteceu (que desperdício). Mas o modo que ela foi derrotada na série foi extremamente bem trabalhado, usando o fator surpresa, para ela e para nós. Esse lance de o Coulson pegar o espírito de vingança emprestado foi sensacional.
Agora o que eu mais desejo ver, após a cena do Coulson no espaço, é uma conexão ou até mesmo um crossover com a série dos Inumanos (não custa sonhar).

Responder
planocritico 18 de maio de 2017 - 16:17

Obrigado pelo prestígio, @victorcsarbritorosrio:disqus ! Também achava que Aida tinha mais potencial, mas realmente o embate final não foi banal e acabou de satisfazendo.

Sobre Coulson no espaço, para mim o mais importante mesmo é estabelecer alguma conexão com Guerra Infinita!

Abs,
Ritter.

Responder
Pato Verde no Disqus 18 de maio de 2017 - 07:43

Ótima crítica! Só eu que pensei que aquele final com coulson no espaço está relacionado com a série dos inumanos?

Responder
planocritico 18 de maio de 2017 - 12:32

@wendersongarreto:disqus , pode ser que seja uma conexão com Inumanos, mas eu espero que seja mais do que isso.

Abs,
Ritter.

Responder
Lenin Pessoto 18 de maio de 2017 - 08:00

Eu vou te confessar que não gostei do episódio final. As coisas foram resolvidas das formas mais óbvias e clichês possíveis, e a série se caracterizou por ousar e fugir do padrão; achei a Aida meio patética, falava, falava e falava quando podia simplesmente matar todo mundo, lembrou o Oberyn. Depois de tudo não esperava menos que uma equipe quebrada e pelo menos uma perda significativa, infelizmente fui traído pelas expectativas, certamente as coisas não apontavam para o final feliz que foi. E sobre as consequências do framework, aparentemente não haverá nenhuma na quinta temporada.

Obs: como esse Superior é chato, meu pai do céu…

Responder
planocritico 18 de maio de 2017 - 12:38

@leninpessoto:disqus , como disse um outro leitor, esse final desse jeito foi culpa exclusiva da ABC que não renovou a série a tempo dos showrunners criarem algo melhor. Eu mesmo defendi que o episódio anterior – The Return – deveria ter sido o final se ele fosse desenvolvido ao longo de duas partes. Seria perfeito.

E, sobre o Framework, acho que você está certo. Não veremos mais nada dele não… E nem de Aida, pelo visto… Uma pena…

E sim, o Superior é uma mala sem alça!

Abs,
Ritter.

Responder
Viviane Valverde 18 de maio de 2017 - 18:59

Quanto a AIDA não achei patética, foi clichê o fato de toda mulher rejeitada.

Responder
planocritico 18 de maio de 2017 - 23:32

Eu gostei dela enlouquecida naquela sequência com Fitz e Simmons. Foi de arrepiar!

Abs,
Ritter.

Responder
Rodrigo  18 de maio de 2017 - 05:32

Parabéns pela crítica. Robbie Reyes bem que fez uma ponta do Doutor Estranho, parece que teve aulas com o Dr. O que será da 5ª temporada? Será que o Coluson está ajudando os vingadores em Guerra Infinita?

Responder
planocritico 18 de maio de 2017 - 12:33

Obrigado! Sim, o GR andou tendo umas aulas lá no Sanctum Santorum, pelo visto!

Acho que o final dá pistas disso mesmo, de uma conexão com Guerra Infinita. Tomara que seja!

Abs,
Ritter.

Responder
Junito Hartley 18 de maio de 2017 - 03:43

Bem que eu disse que o motoqueiro so voltou pra matar a Aida, e por falar nela, a risco em dizer que ela foi o melhor vilao de todo UCM, nessa reta final toda vez que ela aparecia eu sentia raiva dela, e quando ela ficou com medo do Ghost rider eu vibrei.
Bem, so nos resta agora sofrer esperando a 5 temporada e torcer pra que seja igual ou melhor que essa 4 temporada.

Responder
planocritico 18 de maio de 2017 - 12:34

@Junito_Silva:disqus , acho que Aida fica lá em cima com o Rei do Crime, Kilgrave e Ego como os quatro melhores vilões do UCM!

Abs,
Ritter.

Responder
Junito Hartley 18 de maio de 2017 - 12:49

Cara, se a próxima temporada for no espaço vc acha que a serie vai conseguir se manter na questão dos esfeitos especiais? Se vao ser convincentes? Porque agente sabe o quanto series sao limitadas nesse quesito.

Responder
planocritico 18 de maio de 2017 - 12:52

Duvido que seja integralmente no espaço. A ABC está até negociando uma redução no orçamento da série com os produtores, ou seja, vão arrumar alguma forma de não mostrar muito o espaço…

Abs,
Ritter.

Responder
Junito Hartley 18 de maio de 2017 - 12:57

Poxa, o pessoal da ABC tao querendo ferrar a serie mesmo hein! Uma das coias que ajuda a tornar a serie top sao os CGI bem feito e os caras querem reduzir o orçamento, fica parecendo que querem o fracasso da serie pra cancelar.

planocritico 18 de maio de 2017 - 13:23

Mas veja pelo lado positivo: apesar de todas as sabotagens da ABC, a série só tem crescido em qualidade!

Abs,
Ritter.

Mateus 18 de maio de 2017 - 02:42

Gostei muito do episódio. Apesar de não estar a altura dos picos de qualidade do último arco, ele conseguiu fechar bem a melhor temporada da série até o momento. Acho muito difícil um dia eles conseguirem fazer uma finale que supere a da 2 temporada… Bem, quem sabe a da 5 temporada (Boatos que será a última. Será? Se for, espero que fechem com chave de ouro a belíssima trajetória dessa série).
O momento da despedida do Radcliffe foi a cena mais poética que a série já teve (junto, talvez, com a conversa FitzSimmons embaixo do oceano) e serviu muito bem para encerrar a trama desse personagem tão bacana.
Agora, o tormento é aguentar até janeiro com esse tanto de dúvidas na cabeça. Sinceramente, se tem uma coisa que AoS sabe fazer bem em cada finale é deixa uma puta cliffhanger, ein?
p.s: Iain e Elizabeth deram mais um show, ein. Felizmente, a morte da Simmons foi fake, a série perderia muito sem o talento dela e a sua química com o Fitz.
p.s2: Caso ele decidam continuar com essa estrutura de três arcos, terão que corrigir a distribuição de episódios, né? Esses últimos dois episódios deram a sensação de serem muito corridos o que atrapalhou um pouco a qualidade.
Enfim, até a season 5, onde veremos a May dando uma surra no Thanos. (será? kkkkk)

Responder
planocritico 18 de maio de 2017 - 12:37

@disqus_zEJ9CmrAnI:disqus , há vários episódios incríveis na série e realmente o finale da 2ª foi maravilhoso. Mas a 5ª temporada (que, desconfio, será mesmo a última) pode encerrar a série com chave de ouro.

Sobre seu primeiro p.s.: Sim, os dois são demais. Ainda bem que ela não morreu!

Sobre seu segundo p.s.: Tomara que eles continuem com a estrutura de 3 arcos e que adaptem mesmo as histórias ou para caber neles direito ou que alterem a duração deles, fazendo arcos mais desiguais em números de episódio.

E eu PAGARIA para ver May encaçapando Thanos! HHAHAHAHAHAAHAHAHH

Abs,
Ritter.

Responder
Stella 18 de maio de 2017 - 17:08

Jed Whedon disse que sua intenção é acabar na sétima temporada. Tomara que ele consiga.

Responder
planocritico 18 de maio de 2017 - 17:25

Tomara mesmo! Sete temporadas é um número bom para séries assim.

Abs,
Ritter.

Responder
Willian Alves de Almeida 19 de maio de 2017 - 08:45

A minha predileta é a segunda. Mas a Quarta foi fantástica,se não tivesse sofrido sabotagem interna da ABC, seria a melhor temporada da série.

Josevando Sousa 18 de maio de 2017 - 20:22

Amém Daisy Johnson

Responder
Mateus 18 de maio de 2017 - 21:38

Mas será que a ABC permitiria? Eu acho que tudo vai depender do desempenho dos Inumanos. Duas séries da Marvel com baixa audiência não deixariam a emissora nada contente…

Responder
planocritico 18 de maio de 2017 - 23:27

Tudo depende de desempenho mesmo. Se as pessoas continuarem correndo para ver Flash e Arrow e ignorando AoS, ficará difícil…

Abs,
Ritter.

Stella 18 de maio de 2017 - 23:30

O ultimo arco Agent’s of Hydra, aumentou a audiência de forma bastante positiva. Uma historia conectada com o UCM, e ao mesmo tempo totalmente independente. Isso que quero ver mais para frente na série. Ela não depende dos Inumanos já que ela é mais antiga.

planocritico 18 de maio de 2017 - 23:42

De certa forma, é isso mesmo @disqus_9KZLz8G0wg:disqus . Fora que eu acho sinceramente que pelo menos a 1ª temporada de Inumanos será um sucesso maior até que AoS simplesmente pelo fato que tem a galera fantasiada, algo que os fãs adoram (vide a idolatria àquelas porcarias da CW…).

Abs,
Ritter.

Stella 18 de maio de 2017 - 23:57

Disso tudo amigo kkkkkkkkk Espero que tenha um bom enredo, porque AoS me deixou ”mal acostumada”.

Mateus 18 de maio de 2017 - 21:43

Acho que eles deveriam ter suprimido um pouco o 2 arco, dos LMD, e deixado sobrar um pouco mais para esse ultimo incrível arco de Agents of Hydra. Mas, todavia, foi uma temporada excelente e que demonstrou que AoS é exemplo de qualidade para as demais do seu gênero, mesmo que eu ache que isso nem deveria ser mais questionado depois de uma 2 temporada muito boa e uma 3 ótima. Aliás, a sua temporada predileta foi essa? Eu fico muito em dúvida entre essa atual e a 3, gostei bastante de ambas.

Responder
planocritico 18 de maio de 2017 - 23:26

Exato. Menos LMD mais Agents of Hydra. Mas eles quiseram dividir certinho em três arcos iguais.

Sobre minha temporada predileta, não sei. Acho que ainda é a terceira.

Abs,
Ritter.

Responder
Josevando Sousa 18 de maio de 2017 - 20:15

Por falar da cena de Fitz-Simmons no fundo do oceano, deixa eu citar ela aqui, porque DEFINITIVAMENTE essa cena é uma das mais lindas, phodas e poéticas que já vi na minha vida:
“Gosto de pensar sobre a 1º lei da Termodinâmica: não há energia no Universo que se crie, nem se destrua. Significa que toda energia dentro de nós, cada partícula, continuará sendo parte de outra coisa. Talvez viver como uma moréia, um micróbio, ou ser queimado em uma supernova daqui a 10 bilhões de anos. Cada parte de nós agora, foi parte de outra coisa antes, talvez uma lua, um mamute, um macaco. Inúmeras outras coisas lindas que estavam com medo de morrer, tanto quanto temos. Espero que tenhamos dados a eles uma nova vida, uma boa vida, ao menos…”

Inclusive, obrigado por lembrar-me dela, sempre é um fascínio sem tamanho vê-la.

Responder
planocritico 18 de maio de 2017 - 23:30

Bacana!!!

Abs,
Ritter.

Responder

Escreva um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais