Home TVEpisódio Crítica | Arrow – 8X06: Reset

Crítica | Arrow – 8X06: Reset

por Ritter Fan
148 views (a partir de agosto de 2020)

  • Há spoilers. Leiam, aqui, as críticas das temporadas anteriores.

Parece que o elenco de Arrow é bem melhor atrás do que na frente das câmeras. Katie Cassidy debutou na direção com Leap of Faith, o melhor episódio da temporada até agora e muito em razão dela, revelando um futuro promissor nessa cadeira, e, agora, David Ramsey, o fiel escudeiro John Diggle – ou Spartan, seu desnecessário nome super-heroico – retorna para a direção, depois de Past Sins, da temporada anterior. Com a ajuda de um roteiro que faz uso de um artifício batido, mas sempre bem-vindo, da ficção-científica, o loop temporal no estilo Feitiço do Tempo e contando com a participação de Paul Blackthorne, o melhor ator de toda a série (ok, eu sei que isso não quer dizer muita coisa, mas vocês me entenderam) retornando como Quentin Lance, além de ter Katherine McNamara apenas por alguns segundos, o que é sempre uma benção, Ramsey faz com que Reset funcione muito bem e facilmente dispute com Cassidy o posto de melhor episódio até agora.

O diretor e ator mostra logo de início que tem excelente controle do trabalho de câmera, transitando de maneira narrativamente lógica entre tomadas paradas, que apenas observam os personagens e outras que contam com “câmera na mão” e que são capazes de colocar o espectador, ainda que brevemente, no meio da ação. Claro que os maneirismos padrões da série estão presentes, como as irritantes tomadas circulares que deixam qualquer um tonto, assim como os close-ups em olhos chorosos, prestes a derramar lágrimas, mas a boa notícia é que a estrutura do episódio impede repetições e, surpresa, surpresa, os discursos motivacionais deslocados e forçados.

O roteiro de Onalee Hunter Hughes e Maya Houston, estreantes na série, tem como maior defeito a criação de uma trama extremamente aguada e boba para justificar o uso do loop temporal. E não falo aqui do objetivo em si do loop – fazer com que Laurel e principalmente Oliver consigam redenção em relação a Quentin e, no processo, em relação ao Monitor – é ruim, longe disso. O problema está em toda a rotina de acordar, ir até uma festa beneficente e tentar impedir um situação com reféns na boa e velha delegacia de polícia de Star City. Teria sido incrível se o texto tivesse trabalhado uma premissa um pouco melhor, um pouco mais profunda para capturar imediatamente a atenção do espectador para além da “repetição do dia até a morte de Quentin” que, como já disse, por si só, é algo que sempre é divertido, mesmo em filmes de baixo orçamento e com protagonista fraquíssimo como ARQ (não coincidentemente com Robbie Amell, primo de Stephen). As citações às obras mais famosas que usam o artifício me pareceram exageradas e falta do que falar para além de agradar aos fãs e ter certeza de que todo mundo está entendendo a premissa, mas a simples ausência de constantes bobagens saindo da boca do elenco já trouxe algo que falta e muito a essa temporada: um senso de que seres humanos – e não babuínos com máquinas de escrever – estão trabalhando nos textos.

O retorno de Blackthorne como prefeito da cidade e vivinho da silva é o segundo grande chamariz do episódio e o ator não desaponta com seu carisma imediato e sua capacidade de expressar mais do que duas emoções, algo que sempre o separou de seus colegas de trabalho. Claro que a trama água com açúcar foi imaginada de forma a derreter corações, mas essa forma de fisgar o espectador acaba funcionando bem porque as repetições dos mesmo eventos ganham em economia graças aos cortes precisos comandados por Ramsey, algo comum nos filmes do gênero, mas que não é algo simples de se fazer quando o tempo é curto como o padrão de 42 minutos dos episódios de Arrow. Mesmo exagerando no tempo de texto expositivo ao final entre Lyla e Oliver para explicar o que já era óbvio (como sempre), o diretor soube poupar a paciência do espectador que quer mais do que apenas a mesma coisa sempre.

Reset é um alívio, especialmente depois do tenebroso Prochnost. Fico pensando se Stephen Amell, atrás das câmeras, seria tão bom quanto seus outros dois colegas, mas, por outro lado, fico com medo de imaginar que ele seja tão bom diretor quanto é ator…

Arrow – 8X06: Reset (EUA, 26 de novembro de 2019)
Showrunners: Marc Guggenheim, Beth Schwartz
Direção: David Ramsey
Roteiro: Onalee Hunter Hughes, Maya Houston
Elenco: Stephen Amell, David Ramsey, Katherine McNamara, Ben Lewis, Joseph David-Jones, LaMonica Garrett, Katie Cassidy, Charlie Barnett, Andrea Sixtos, Audrey Marie Anderson, Rila Fukushima, Kelly Hu, Willa Holland, Lexa Doig, Jamie Andrew Cutler, Echo Kellum, Rick Gonzalez, Juliana Harkavy, Colton Haynes, David Nykl
Duração: 42 min.

Você Também pode curtir

52 comentários

Fantasma do Espaço 1 de dezembro de 2019 - 14:30

Eps de Séries com essa abordagem de RESET, eu não gosto.

Assisto adiantando depois que percebo que vai ficar voltando e voltando.

Vejo a primeira parte, pulo para o meio e vou para o Fim…

Gosto do Filme do Tom e da Emily, mas essa abordagem em série é um saco.

Responder
planocritico 1 de dezembro de 2019 - 15:36

Mas que falta de paciência! São só 40 minutos e até que ficou bem feito aqui.

Abs,
Ritter.

Responder
Fantasma do Espaço 1 de dezembro de 2019 - 17:53

Na realidade eu já estou sem paciência para assistir Arrow e Flash…Vejo pq se cheguei até aqui tenho de ver o final.

Responder
planocritico 2 de dezembro de 2019 - 16:23

Eu te entendo perfeitamente!

Abs,
Ritter.

Responder
Guilherme Gomes 29 de novembro de 2019 - 20:55

Eu até gostei do episódio daria a mesma nota .Oloop foi muito interessante , deram um contornos mais emocionais para os personagens , e a presença do Quentin sempre é um presente, mas mesmo assim achei um pouco cansativo e muito batido , mas mesmo sim foi bom.
Próximo episódio se passa em Lian Yu , de novo ( e quando digo de novo digo pela 10000000X vez) , e espero que mantenha o nível.

Responder
planocritico 2 de dezembro de 2019 - 16:39

Pois é. De novo no raio da ilha perdida… Nem Robinson Crusoé aguenta mais isso!!!

Abs,
Ritter.

Responder
Comediante 29 de novembro de 2019 - 19:50

Finalmente o episódio com o Paul Blackthorne chegou. Mas esse recurso de loop é muito batido, principalmente na CW. Acredite ou não, Arrow era a única série da CW, dentre as que eu vejo, que ainda não tinha um episódio assim e eu achei que nunca teria… Olha aí, Arrow sempre surpreendendo. No mais é só esperar que o Slade dê as caras no próximo episódio.

Responder
planocritico 2 de dezembro de 2019 - 16:38

Podiam colocar o Blackthorne como o Old Man Hawkeye um dia, hein?

Abs,
Ritter.

Responder
Marcelo Farias 29 de novembro de 2019 - 19:26

Gosto muito de loops estilo feitiço do tempo, ponto positivo para o episódio!!!
Mas só não entendi a razão para laurel estar nesse loop, só para receber um presente do monitor por não ter traido o oliver…..não engoli essa!!!
Aliás que presentão….ver o seu “pai” morrer várias vezez….acho que o pessoal de arrow tem uma visão um pouco deturpada do que é um presente!!
Tirando isso amei o episódio!!!

Responder
planocritico 2 de dezembro de 2019 - 16:38

He, he. Tem razão. Presente de grego esse para a Laurel!

Abs,
Ritter.

Responder
Diogo 29 de novembro de 2019 - 15:55

Só uma dúvida, se vc odeia tanto a série e acha que assisti-la é uma grande perda de tempo porque continua? Vc faz parte de uma pequena porcentagem de pessoas que não está gostando da temporada. Direito é todo seu. Mas qual o prazer de toda semana assistir e chegar aqui e detonar a série? Se não gosta não assiste e pronto.

Responder
planocritico 29 de novembro de 2019 - 16:48

Eu não odeio série alguma. Esse sentimento não se aplica a NADA das artes para mim. Eu só não gosto de Arrow. Assim como não gosto do Woody Allen, por exemplo.

Agora porque eu assisto se não gosto? Porque eu aprendi com a vida que não se pode só ler ou assistir aquilo que se gosta. É necessário – diria vital, na verdade – que se veja de tudo, gostando ou não, para ter horizontes ampliados e poder entender o porquê de outros posicionamentos. Se eu só visse aquilo que eu gosto para criticar, todas as minhas críticas seriam positivas. Qual é o valor intrínseco disso?

Da mesma forma, é importante que quem goste dessa série ou de qualquer outra coisa tenha a serenidade não só para ler como para ativamente procurar pessoas que tenham posicionamento contrário ao seu para que um diálogo civilizado, sem xingamentos e mimimis seja estabelecido. Quando eu critico algo, meu objetivo maior é justamente trazer elementos para que uma conversa seja possível especialmente com quem tem uma visão diametralmente oposta à minha. É assim que se constrói ideias e valores.

O raciocínio do “se não gosta não assiste e pronto” é extremamente falho e, diria, com todo respeito, infantil.

Abs,
Ritter.

Responder
André Medeiros 29 de novembro de 2019 - 21:40

Vishe, engoliu o fã de série chorão

Responder
Ruqui 30 de novembro de 2019 - 00:35

Eu acho que, como nosso sistema educacional não é lá essas coisas, é bem comum nos depararmos com comentários de denotam uma deficiência do pensamento crítico básico e argumentação. Quando alguém vem com esse ” uma quantidade insignificante não gostou”, ” porque no rotten e imdb”, etc., costuma entregar que o sujeito está mais preocupado se os outros estão gostando do que se ele mesmo gostou. Claro que não é obrigatório que o consumidor faça uma análise crítica, mas fico imaginando que tipo de críticos essas pessoas andam acompanhando para até agora não entenderem algo tão elementar, que não é vergonha admitir que se gosta de coisas ruins, que nenhum crítico sério se diria dono da verdade (exceto por sarcasmo rs) e que o espaço de comentários é aberto pra divergir da análise. Por outro lado, tento ser condescendente com o Diogo porque tive minha fase de fanboy

Responder
Maria Karoline 1 de dezembro de 2019 - 18:48

Eu não acho que todo o fandom de Arrow está gostando da temporada
Tem muita gente que só assiste por nostalgia e por causa da crise. Então se você acha que essa temporada e outra fizeram tanto sucesso, tá enganado, vai ver a audiência de Arrow
Segundo: não se critica só o que você gosta de assistir. Você deveria ler mais e entender que para exercitar nosso modo crítico é preciso amplia- lo, lendo e buscando novos conteúdos sempre. Vou dizer uma coisa pra você, ser fã não quer dizer glosar os problemas. Ninguém pode te culpar por gostar da série porém você não pode negar os pontos negativos da série.

Responder
Mateus Sousa 29 de novembro de 2019 - 00:58

É, agora eu realmente estaria interessado num EP dirigido pelo Amell. Será que ele faria o melhor episódio da série?!

Mas, falando sério, eles estão fazendo algo bem estranho com o Monitor tipo: colocando ele como vilão em Flash e como herói (?) em Arrow, não sei se é pra dar uma expectativa diferente pra cada série… só sei que tô tendo uma overdose de Arrow, assistir 6 temporadas de uma vez ainda está me afetando https://media2.giphy.com/media/U6LYwGnMfKe1YQ3ucy/giphy.gif

Responder
planocritico 29 de novembro de 2019 - 01:18

Seis temporadas de Arrow de uma vez deve ter transformado seu cérebro em gelatina verde…

Abs,
Ritter.

Responder
Mateus Sousa 29 de novembro de 2019 - 01:18

Que cérebro? Tive sorte de manter a sanidade

Responder
Huckleberry Hound 28 de novembro de 2019 - 22:01

Será que o Stephen Amell cara de pastelão tem mais talento fora das telas também?Seria bom ele fazer um teste!

Responder
planocritico 28 de novembro de 2019 - 22:36

Como disse, fico curioso ao mesmo tempo que temeroso para descobrir!

Abs,
Ritter.

Responder
Wagner 28 de novembro de 2019 - 19:16

Episódio muito bom, adorei.
1 estrela

Responder
planocritico 28 de novembro de 2019 - 19:16

HAAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAH

Sucinto!

Abs,
Ritter.

Responder
Gabriel Filipe 28 de novembro de 2019 - 19:06

Eu nn sabia q esse ep era dirigido por outro ator, eu tô começando a ter ctz q mts atores da Cw são melhores diretores do que atores, esse rivaliza legal com Leap of Faith como o melhor ep da temporada. Eu falo isso de q mts atores são melhores como atores q diretores pq em Supergirl tivemos um caso semelhante, em sua melhor temporada que foi a 4° fomos brindados com um ep dirigido pelo David Harewood que além de ter sido o episódio mais ousado da série inteira pq teve um acontecimento X q mudou tds os paradiguimas da temporada e o episódio se destaca justamente pela direção consistente dele

Responder
planocritico 28 de novembro de 2019 - 19:16

Pois é. O negócio é fazer como o Monty Python e: “always look the bright side of life”!

HAHAHAHAHAHAHAHAHAH

Abs,
Ritter.

Responder
Gabriel Filipe 28 de novembro de 2019 - 19:16

Kkkkkkkk. Já pensou o Ammel dirigir um ep e esse ser o melhor da temporada?

Responder
planocritico 28 de novembro de 2019 - 19:16

Aí finalmente eu ficaria feliz em saber que ele não morrerá de fome depois que Arrow acabar…

Abs,
Ritter.

Responder
Gabriel Filipe 28 de novembro de 2019 - 20:33

Kkkkkklk. O Ammel nn irá morrer de qlqr jeito, ele atrai os fãs bitolados q dizem q ele merece um Emmy

planocritico 28 de novembro de 2019 - 22:36

Já imaginou uma Emmy para o sujeito?

Séria a desmoralização final da premiação…

Abs,
Ritter.

Gabriel Filipe 29 de novembro de 2019 - 00:26

Kkkkk

Peter 28 de novembro de 2019 - 15:37

Foi um episódio ok, daria a mesma nota.

Paul Blacktorne foi o melhor ator que já passou por essa série.

Responder
planocritico 28 de novembro de 2019 - 15:37

Exato. O cara é bom.

Abs,
Ritter.

Responder
Gabriel Filipe 28 de novembro de 2019 - 19:06

Ritter, vc já elogiou tanto ator dizendo q é o melhor da série. Na crítica da 3° temporada vc disse q o David Ramsey era um dos melhores, em Leap Of Faith vc disse a Willa Holland era a única atriz minimamente boa da série, se decide sobre qm é o melhor

Responder
planocritico 28 de novembro de 2019 - 19:16

São tantas escolhas nesse elenco magnífico! Como é que você quer que eu escolha???

Ma vamos lá: Ramsey é um dos melhores atores. Blackthorne é o melhor ator. Holland é a melhor atriz. Agora, entre o Blackthorne e a Holland, Blackthorne ganha de braçada!

Abs,
Ritter.

Responder
Gabriel Filipe 28 de novembro de 2019 - 20:30

Desculpa pela tarefa impossível de escolher melhor ator desse elenco digno de um filme dp Scorcese. Senti falta do Ammel na lista hahhaaha

planocritico 28 de novembro de 2019 - 22:36

Ammel é hors concours!!!

Abs,
Ritter.

Vitner Santos 28 de novembro de 2019 - 14:46

Eu venho aqui só pra rir dessas ´´criticas´´ hahahahah

Responder
planocritico 28 de novembro de 2019 - 14:46

E eu faço essas críticas só para rir desses “comentários” hahahahah

– Ritter.

Responder
Chatter 28 de novembro de 2019 - 16:07

ah por isso que são tão ruins

Responder
planocritico 28 de novembro de 2019 - 16:28

Exato. A mesma qualidade da série.

– Ritter.

Responder
Chatter 28 de novembro de 2019 - 19:06

frizando que é só de acordo com vocÊ que a série está ruim, ou seja a grande esmagadora minoria…

planocritico 28 de novembro de 2019 - 19:10

Eu sei. Eu sou a única pessoa certa sobre Arrow. Todos os que dizem o contrário estão errados.

– Ritter.

Chatter 28 de novembro de 2019 - 19:16

vocÊ passa mesmo isso nessas críticas

planocritico 28 de novembro de 2019 - 19:16

Mas é fato incontroverso que eu estou certo. Não poderia mesmo passar outra impressão…

– Ritter.

Gabriel Filipe 28 de novembro de 2019 - 20:34

Kkkkkk. Ritter e o seu incrível senso de humor. Arrow é mt ruim mesmo e nm chega aos pés de outras séries da prórpia Dc como Doom Patrol e Watchmen. Ao menos q Arrow seja rebootado trocando o elenco, os roteiristas e os showrunners a série nunca chegará ao pé dessas 2 e nn precisa nem exagerar tanto pra Doom Patrol e Watchmen, assim como seu colega Luiz sou um dos fãs de LoT que é do Arrowverse e ainda assim pisa em Arrow. Se bobear até Batwoman tá pisando…

planocritico 28 de novembro de 2019 - 22:36

Não dá nem para começar a comparar com Doom Patrol e Watchmen…

Abs,
Ritter.

Ruqui 28 de novembro de 2019 - 19:44

Portanto, coma bosta! Bilhões de moscas não podem estar erradas.

planocritico 28 de novembro de 2019 - 22:36

Cara, melhor paralelo que já vi!!! Tô morrendo de rir aqui!!!

Abs,
Ritter.

Gabriel Filipe 28 de novembro de 2019 - 20:34

1- Não é só pq ele é a minória que a opinião dele é invalida, já que vale frisar quaisquer opinião é válida.
2- Você fez um censo com tds os espectadores da série pra saber que eles tão gostando? Nn né, pois é, a sua bolha de convivência nn define o mundo inteiro.
3- Arrow é uma bosta e as críticas dele tem embasamento técnico pra mostrar pq a série é ruim

Gabriel Filipe 28 de novembro de 2019 - 18:50

Buaaah. Buaaaah falaram mal da minha série horrível favorita

Responder
Maria Karoline 1 de dezembro de 2019 - 19:05

Um amigo meu que é fã maluco dessa série admitiu esses dias que Arrow não tá essas coca cola toda não
você deveria sair dessa bolha e pesquisar mais antes de passar uma vergonha dessa.
A série está fazendo sucesso entre para a minoria de seus fãs e que geralmente são loucos por OLICITY
A audiência de Arrow tá feia meu amigo
Você pode gostar da série mas seja sensato e não glose os pontos negativos dela
CW renova a série em busca dessa audiência que eu citei acima mas compare com a série originais da Netflix, Amazon, até da hulu,da pequena Freeform ( Manto e adaga),da Starz , com Doom patronal e a cancelada monstro do pântano que foi boa e cancelada por questão de orçamento. Arrow tá bem abaixo no que diz respeito a qualidade e só se mantém por uma boa Fan base e vive no comodismo.

Responder

Escreva um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais