Home TVEpisódio Crítica | Arrow – 8X07: Purgatory

Crítica | Arrow – 8X07: Purgatory

por Ritter Fan
134 views (a partir de agosto de 2020)

  • Há spoilers. Leiam, aqui, as críticas das temporadas anteriores.

Arrow tem oito anos de vida, mas de nada adianta toda essa veteranice se a equipe de roteiristas insiste em escrever os episódios da maneira mais amadora possível. Quer dizer, adianta sim se o objetivo é fazer quem tenha um mínimo de bom senso gargalhar até a barriga doer ou quem ame a série incondicionalmente fechar os olhos em desespero e descrença.

Vamos lá só com um exemplo: como é que alguém tem a coragem de escrever uma cena tão importante quanto a de Roy Harper tendo seu braço decepado como se estivesse rascunhando uma cena sobre alguém cortando a unha com um alicate? Porque é isso que essa sequência em tese solene pareceu. Estão felizes com as piscadelas para o evento correspondente dos quadrinhos e esqueceram o senso crítico? Então deixe-me trazê-los para a dura e fria realidade.

O sujeito está lá com o braço esmagado debaixo de um bloco de motor aparentemente inamovível e mais pesado do que a chave que abre a Fortaleza da Solidão. Ok, vamos acreditar nisso por um momento e vamos acreditar que realmente John Diggle e Connor Hawke, juntos, mesmo com uma alavanca, não conseguiram mover o bloco nem por um milímetro sequer. Tudo “certo” até aí. Agora, como acreditar que, mesmo antes de tentar o fulcro arquimédico, Connor já levanta a mão para dizer que a única maneira de tirar Roy de lá é cortar seu braço? E mais, como acreditar que Connor tem um kit de primeiros socorros à mão que tem o que ele precisa para fazer a delicada operação? E, mais ainda, como acreditar que, quando ele finalmente pega o kit, o que ele tira de lá é uma peixeira maior do que a de Lampião não para serrar, mas sim decepar como um ninja o braço do coitado do Arsenal?

Mas vamos lá que, como as meias Vivarina e as facas Ginsu (alguém velho o bastante aqui para se lembrar disso?), tem mais! Depois de ter seu braço cortado, Roy está de pé, conversando serelepe como se ele literalmente tivesse mesmo apenas cortado as unhas das mãos. Nem nos quadrinhos foi assim, já que o personagem entrou em coma por lá. Ah, mas o que o crítico quer, um episódio de série de super-herói que retrate a realidade? Que cara chato! Sim, sou chato, todo mundo já sabe disso, mas o que eu quero não tem relação alguma com realidade, mas sim com verossimilhança. Todos os momentos envolvendo Roy Harper nesse episódio pareceram escritos não para, mas sim por uma criança de cinco anos de idade (desculpe-me se isso ofender alguma criança de cinco anos…).

E olha que estamos falando do episódio que é imediatamente anterior ao início da tão esperada, tão falada, tão alardeada e tão hypeada Crise nas Infinitas Terras (não sei se o espectador mais astuto percebeu, mas a palavra “crise” aparece pelo menos uma dúzia de vezes no brilhante roteiro desse episódio para dar pistas sutis de que ela está vindo) e que, em tese, encerra Arrow como a conhecemos hoje em dia. Mas nem por essa razão os showrunners tentaram se esforçar para criar algo que consiga no mínimo chegar na linha do medíocre. Na verdade, minha conclusão é que, ao contrário, o que eles estão tentando fazer agora é um estudo científico para descobrir o grau de ruindade que eles podem alcançar mantendo o mesmo público fiel de sempre elogiando esse troço…

A Crise, aliás, elevou o tom dos choramingos e da chorumela em Purgatory, o 246º episódio da série que se passa na tal ilha misteriosa do Sr. Rourke, digo Queen. Foi chororô de Oliver com cada personagem do elenco mais uma vez e sempre na mesma linha do “vou morrer, é inevitável”, “estou com você para o que der e vier, Oliver”, “eu já te perdoei” que já ouvimos tantas e tantas E TANTAS vezes antes nessa e em outras várias temporadas em uma sucessão de momentos de trincar os dentes que contou até mesmo com fantasmas do passado (Charles Dickens, aprenda!) vindo para atormentar Oliver e sua gangue e uma ilha viva que gera energia e que me lembrou a de Lost (e não, isso não é uma coisa boa).

Afinal, tirando o braço de Roy decepado mal e porcamente e o aparecimento de Lyla fardada de Precursora anunciando o começo da C_ _ _ E (duvido que você acerte!), o resto é encheção de linguiça com fotografia escurecida ruim e coreografias de luta completamente sem inspiração, como se o coreógrafo estivesse só cumprindo tabela e, claro, com os personagens de uniformes completos, já que manter as identidades secretas quando se luta com fantasmas é algo essencial. Ah, sim, teve também a cena pós-crédito enfiada lá de qualquer jeito só para criar aquele mistério burocrático.

Sei que os fãs cegos que não “entendem” porque eu faço as críticas de Arrow vão fazer bico e bater o pezinho, mas só tenho mesmo uma coisa boa a dizer sobre esse episódio que evitou uma avaliação mais baixa: só precisarei voltar à série agora em mais de um mês, quando ela retornará do hiato em 14 de janeiro de 2020. Mas a Crise está vindo mesmo assim, ok?

Arrow – 8X07: Purgatory (EUA, 03 de dezembro de 2019)
Showrunners: Marc Guggenheim, Beth Schwartz
Direção: James Bamford
Roteiro: Rebecca Bellotto, Rebecca Rosenberg
Elenco: Stephen Amell, David Ramsey, Katherine McNamara, Ben Lewis, Joseph David-Jones, LaMonica Garrett, Katie Cassidy, Charlie Barnett, Andrea Sixtos, Audrey Marie Anderson, Rila Fukushima, Kelly Hu, Willa Holland, Lexa Doig, Jamie Andrew Cutler, Echo Kellum, Rick Gonzalez, Juliana Harkavy, Colton Haynes, David Nykl
Duração: 42 min.

Você Também pode curtir

70 comentários

Cleisson Oliveira 25 de abril de 2020 - 21:46

Olha, nunca vi nenhum episódio dessa série, tenho preconceito assumido contra as séries da Warner mas cafungando o site, vi 0 estrelas e fiquei curioso. Pesquisei a cena do braço e kkk o cara tinha uma peixeira de 1 km no kit de 30cm. Fiquei com vergonha. Como que você viu 8 temporadas? Eu vi 1min e meio e desisti da série

Responder
planocritico 26 de abril de 2020 - 18:11

Essa série eu abracei como autoflagelo televisivo. Só um psiquiatra explicaria. Eu acho…

Abs,
Ritter.

Responder
Paula Rabello 2 de janeiro de 2020 - 21:33

Acompanho a série desde que lançou o episódio piloto, convenhamos, que fiquei decepcionada mesmo.
Pensar que por ser a última temporada, despedida, ia ter todo um capricho com a história pra fechar com chave de ouro. Só vi lamentações, cenas que não foram planejadas, só fizeram qualquer “coisa” pra ter o episódio no ar.
ROY do futuro não tem braço decepado, os filhos do Oliver são chaaatos e as lutas fracas ao ponto de dar sono.

Achei sua crítica justa e coerente! Hahaha.

Responder
planocritico 2 de janeiro de 2020 - 22:14

Obrigado! É uma pena que não estejam caprichando nessa despedida!

Abs,
Ritter.

Responder
Isac Marcos 10 de dezembro de 2019 - 18:42

O braço de Roy decepado… Çen-or!
E pensar que tem gente recebendo dinheiro para escrever e filmar isso.
Esse episódio inaugura uma nova categoria de notas: Supernova (quando a estrela explode e só o que resta é o Buraco Negro).

Responder
planocritico 11 de dezembro de 2019 - 15:00

Realmente, foi de lascar mesmo…

Abs,
Ritter.

Responder
Isac Marcos 11 de dezembro de 2019 - 15:29

Eu, como espectador, fico irritado de ver algo assim, que duvida não inteligência da gente, mas da nossa burrice; muito malfeito e parece que fizeram obrigados.
Fico imaginando vocês, que escrevem as críticas, com todo conhecimento mais técnico e que isso deve frustrar ainda mais. Decepção dupla: espectador e crítico.
Esse episódio foi vergonhoso demais.
Abç.

Responder
planocritico 11 de dezembro de 2019 - 15:49

Frustra demais. Afinal, apesar de tentarmos ser técnicos, também queremos gostar no nível “fã”.

Abs,
Ritter.

Responder
Mateus Sousa 7 de dezembro de 2019 - 18:16

Canário: “Deus, eu odeio essa ilha”
Eu: Tô contigo

E merecia radioativo.

Socorro!!!

Se a C___E for assim eu precisarei de um transplante de memórias, vou jogar Arrow fora e substituir por vídeos aleatórios de gatos sendo fofinhos
https://media3.giphy.com/media/Maz1hoeGskARW/giphy-downsized-medium.gif

Responder
planocritico 10 de dezembro de 2019 - 14:21

Gatos são SEMPRE melhores!

Abs,
Ritter.

Responder
cleverton 6 de dezembro de 2019 - 19:12

Eu fico impressionado com o quanto o autor do texto quer ser cultzinho e fica maltratando a melhor serie da historia, O Citizen Kane das telinhas, sem comentários.

Responder
planocritico 6 de dezembro de 2019 - 19:12

O mais importante é saber se minha estratégia maquiavélica de destruir essa obra-prima está dando certo para a amplificação de meu status de CULT!!!

HAHHAHAAHAHAHAHAHHAHAHA

Abs,
Ritter, o Cult Culto.

Responder
Guilherme Gomes 6 de dezembro de 2019 - 17:42

Realmente ,Arrow se superou. Em 8 anos de carreira não é possível que os diretores da série não consiguam fazer um episódio minimamente assistivel?
Gente , alguém lembra se o Roy no futuro tinha um braço decepado? Porque isso seria um gigante furo de roteiro.
Mano , mas sério , até agora no entendi , qual é a função desses fantasmas nesse episódio? Enrola a trama ? porque tipo , eles foram lá só pra montar uma arma que esteve lá (,essa ninguém esperava) para a C___E.
Realmente , eu acho que vocês do plano crítico deveriam criar um novo tipo de classificação , as estrelas negativas , porque daqui a pouco alguns episodios nem zero estrelas vão merecer.

Responder
planocritico 6 de dezembro de 2019 - 19:13

Os fantasmas são para enrolar um episódio que poderia ser feito em 5 minutos e de maneira muito melhor. E até onde eu sei o Roy do futuro não tem braço decepado não.

Abs,
Ritter.

Responder
Marcelo Farias 6 de dezembro de 2019 - 11:40

Em 8 anos de série, nunca foi comentado que essa ilha solta uma energia pra construir um troço tecnológico e AINDA por cima ressuscita os mortos!!!
Esse episódio oficialmente foi pior que 4 temporada toda….Parabéns para arrow conseguiu se superar nos últimos episódios!!!!!🥳🥳🥳
Agora sobre a crise, vc vai acompanhar???

Responder
planocritico 6 de dezembro de 2019 - 16:44

Pois é. Vamos inventar algo diferente porque não tivemos tempo nos últimos 8 anos para pensar nisso…

Sim, a Crise será devidamente acompanhada! Já estou em crise só de pensar nisso…

Abs,
Ritter.

Responder
Roberto Borges 6 de dezembro de 2019 - 10:57

Não falto nada em suas palavras, EP BEM RUIMZINHO mesmo, aliás a ladainha na busca por perdão e o que tirou minha vontade de continuar vendo a série na T4, resolvi poupar meus olhos e ouvidos e pulei pra T8 assim minha agonia chega mais rápido ao fim.

Responder
planocritico 6 de dezembro de 2019 - 16:44

He, he. Olha, só assim mesmo…

Abs,
Ritter.

Responder
Inominável Ser 6 de dezembro de 2019 - 01:39

Inomináveis Saudações, Ritter!

Arrow chegou ao ápice da ruindade, então.

Responder
planocritico 6 de dezembro de 2019 - 16:44

Em sendo Arrow, diria para você que SEMPRE pode piorar…

Abs,
Ritter.

Responder
Inominável Ser 6 de dezembro de 2019 - 18:31

Essa futura série da Arqueira já dá até medo…

Responder
planocritico 6 de dezembro de 2019 - 19:26

Cara, dá mesmo…

Abs,
Ritter.

Responder
Huckleberry Hound 5 de dezembro de 2019 - 23:50

E geral dizendo que esse episódio foi bem dirigido e atuado…

Responder
planocritico 5 de dezembro de 2019 - 23:58

Só pode ser piada…

Abs,
Ritter.

Responder
Josué de Morais 5 de dezembro de 2019 - 19:44

Devia ter um ranqueado depois que série acabasse dos “melhores” momentos, imagine cada um de nós revivendo sua tortura.
Tenho certeza que o braço decepado sem dor entra pra essa lista, com esse analgésico que neutraliza qualquer dor, sem efeitos adversos.
Ri muito com esse episódio se a série fosse de comédia minha nota era 5 chorei de tanto rir.

Responder
planocritico 6 de dezembro de 2019 - 16:51

Você deve me odiar ao sugerir algo assim, não?

HAHAHAHAHAHHAAHAHHAHA

Abs,
Ritter.

Responder
Wagner 5 de dezembro de 2019 - 18:49

Uau, cinco estrelas.
Pena que acabou a tinta pra preencher.

Responder
planocritico 6 de dezembro de 2019 - 16:51

O estagiário só comprou tinta verde! Tivemos que demitir o sujeito!

Abs,
Ritter.

Responder
Gabriel Filipe 5 de dezembro de 2019 - 18:32

Se nn fosse pelo parágrafo final ia ficar indignado com a sua passada de pano, pq esse ep merecia lixo tóxico, qm sb o da C___E leve.
Eu geralmente escrevo textão sobre Arrow, mas esse ep foi tão ruim q nn merece meu tempo

Responder
planocritico 6 de dezembro de 2019 - 16:51

Pois é. Fiquei com uma preguiça enorme em escrever algo sobre essa porcaria. Da próxima ver serei bem técnico na crítica e só escreverei em letras garrafais: É UM LIXO.

Abs,
Ritter.

Responder
Beatrix Kiddo 5 de dezembro de 2019 - 16:23

O avião cai e na luta final contra FANTASMAS tá todo mundo com o traje inteiro e passado a vaco.
(não vou me dar ao trabalho de escrever o nome certo)Yan fei: ”Vamos nos separar de novo, mas os mortos nunca vão de verdade.” seguido de uma explosão… Americanos comedores de hambúrgueres e fanáticos pelos filmes do Michael Bay devem ter ficado todo ouriçado com essa cena! kkkk
Também não entendi o cara perdeu a merda do braço e no final do ep ele ta de pé falando devolvendo presentes, nenhum paracetamol faz esse milagre! (o arsenal só se fode!)
Quase esqueci: só agora que o conner fez alguma menção das consequências de sair falando do futuro, mas a essa altura tanto faz.
Força soldado só faltam 3 eps… E por mim não precisa fazer uma ranqueada, pois sei que reviver toda chernobyl só abrirá passagem para muitas seções de terapia.

Responder
planocritico 5 de dezembro de 2019 - 16:29

O importante é lutar com as fantasias completas, máscara e tudo mais. Mesmo contra fantasmas aleatórios.

O meu ranking será dificílimo de fazer. Como escolher o pior? Talvez ele tenha que ser de -10 até o -1. Faria mais sentido…

Abs,
Ritter.

Responder
Beatrix Kiddo 5 de dezembro de 2019 - 17:14

A medição dos episódios se faz pelo ”contador Geiger” e assim que se mede a radiação. kkkkk

Responder
planocritico 6 de dezembro de 2019 - 16:51

Exato! Boa!

Abs,
Ritter.

Responder
Junito Hartley 5 de dezembro de 2019 - 13:47

Era pra ter botado o simbolo de lixo atômico igual numa critica que teve aqui uma vez kkkkkkk

Responder
planocritico 5 de dezembro de 2019 - 14:22

Não coloquei pela razão que eu dei lá no final: agora vem o hiato…

Abs,
Ritter.

Responder
Stella 5 de dezembro de 2019 - 12:52

Que pena que nao chegou no nivel Radioativo, saudades quarta temporada kkkkkkk

Responder
planocritico 5 de dezembro de 2019 - 14:22

Foi por pouco!

Abs,
Ritter.

Responder
Lucas Rodrigo 5 de dezembro de 2019 - 12:04

Força Ritter, falta pouco…

Responder
planocritico 5 de dezembro de 2019 - 14:22

Agora eu tenho mais de um mês para respirar. Se bem que a C_ _ _ E começa agora no domingo com Supergirl… Ó vida…

Abs,
Ritter.

Responder
Pablo 5 de dezembro de 2019 - 12:04

Parabéns a Arrow, conseguiu ganhar o primeiro zero na história do Plano Crítico kkkkkkkk

https://uploads.disquscdn.com/images/d5335dcdd49f4a1fb1dd96a997733315a19fda7e9d2caa89b2937769995a0a6d.jpg

Responder
planocritico 5 de dezembro de 2019 - 14:22

Não foi o primeiro não. Mas Arrow (a 4ª temporada) tem a honra de ter levado o primeiro Lixo Atômico do site!

Abs,
Ritter.

Responder
Gabriel Filipe 5 de dezembro de 2019 - 17:14

Foi o primeiro??? Kkkk incrível, se vc fizer a critica geral de Arrow ignora a 1° e a 6° q foram pontos fora da curva e dá lixo atômico pra série k

Responder
planocritico 6 de dezembro de 2019 - 16:51

Se eu ignorar essas, realmente merece lixo atômico!

Abs,
Ritter.

Responder
Pablo 5 de dezembro de 2019 - 20:14

hahaha Arrow bate recordes aqui no site.

Responder
planocritico 6 de dezembro de 2019 - 16:51

Facilmente a pior série que já critiquei na vida…

Abs,
Ritter.

Responder
Peter 5 de dezembro de 2019 - 11:20

”nota” perfeita hauahuahaua

Incrível como mesmo numa temporada de 10 eps – e tecnicamente menos ainda, porque os 3 últimos serão tie ins da crise – conseguiram fazer algo ruim desse jeito.

A sétima temporada ao menos conseguiu ser melhor, tendo 22 eps.

Achei incrível como o Roy perder o braço foi isso mesmo que você pontuou – como se tivesse quebrado uma unha. E o discurso ”ai, nao se culpe, que bom que você foi me procurar, eu estava sozinho e sem ningzzzzz” a gente já sabe a ladainha sentimental de sempre.

Como eu tentaria ”melhorar” o plot dessa temporada – apenas Oliver sendo o arauto do Monitor. E nada de filhos do futuro, Diggle, nem mais ninguém. Se fosse ele preparando a crise através do multiverso, seria tão melhor…. já repetiram tanto ”crisis” que nem dava animo pro que vinha.

Responder
planocritico 5 de dezembro de 2019 - 14:22

Exato. DEZ EPISÓDIOS só e fazem essa lambança… Incrível…

Abs,
Ritter.

Responder
Jackson Santos 5 de dezembro de 2019 - 09:04

O dia chegou!

Muito feliz de fazer parte da história do Plano Critico e testemunhar uma nota 0 , no aguardo agora das ” estrelas negativas ” , kkkkkkkk

É impressionante a duração de 40 minutos ,se tivesse 10 já passariam a mensagem que queriam , de Oliver dizer adeus, fazer as pazes e etc.

Responder
planocritico 5 de dezembro de 2019 - 10:52

Vai lá na crítica da quarta temporada da série para você ver…

Abs,
Ritter.

Responder
Elton Miranda 5 de dezembro de 2019 - 04:37

Deem logo um premio ao Ritler, por que nao é facil parar para assistir 42 minutos, e parar outros tantos minutos para escrever as criticas, isso durante 8 temporadas. Verdadeiro heroi

Responder
planocritico 5 de dezembro de 2019 - 10:56

Não sou tão herói – ou masoquista – assim. Eu só fiz críticas por episódio dessa temporada. O resto foi só mesmo das temporadas completas.

Abs,
Ritter.

Responder
Luiz Santiago 🌮😈🐂½ 5 de dezembro de 2019 - 02:13

Quantos episódios vão ter essa temporada mesmo?
É a última, né?

Responder
planocritico 5 de dezembro de 2019 - 02:13

O suplício acaba em mais três episódios que só irão ao ar a partir do meio de janeiro do ano que vem. E um deles é parte da Crise, então são dois mais, na verdade.

Mas pode ficar tranquilo que, ato contínuo, entrará no ar a série derivada da ArqueirA Verde, filha do Oliver Queen e que VOCÊ criticará por episódio…

Abs,
Ritter, a Vítima.

Responder
Luiz Santiago 🌮😈🐂½ 5 de dezembro de 2019 - 02:23

Estou comprando minha passagem para Tonga agora mesmo.

Responder
planocritico 5 de dezembro de 2019 - 10:56

Cuidado que Tonga pode ser a ilha do Oliver!

Abs,
Ritter.

Responder
Luiz Santiago 🌮😈🐂½ 5 de dezembro de 2019 - 11:58

AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

Gabriel Filipe 5 de dezembro de 2019 - 08:50

Ritter se eu fosse eu obrigava ele a fazer da série da Arqueira e Batwoman, pra vingar de Arrow

Responder
planocritico 5 de dezembro de 2019 - 10:56

Batwoman o arregão só fez do primeiro episódio e fugiu…

Abs,
Ritter.

Responder
Gabriel Filipe 5 de dezembro de 2019 - 16:23

Ss, mas ele pd correr contra o tempo nesse hiato…

planocritico 5 de dezembro de 2019 - 16:29

Acho mesmo que o @luizsantiago:disqus tinha a OBRIGAÇÃO de fazer isso. Fica só escrevendo coisa fácil como Watchmen e Mr. Robot e, na hora do vamos ver, arrega…

Abs,
Ritter.

Gabriel Filipe 5 de dezembro de 2019 - 17:14

Ele só pega as séries boas. LoT, Watchmen, Mr Robot, His Dark Materials, Doom Patrol e vc tem q fazer crítica de Arrow

planocritico 6 de dezembro de 2019 - 16:51

Pois é. A distribuição de trabalho aqui na Ditadura @luizsantiago:disqus é inacreditável…

Abs,
Ritter.

Luiz Santiago 🌮😈🐂½ 6 de dezembro de 2019 - 17:57

Eu sou a vítima nessa história toda, vocês não entendem?

planocritico 6 de dezembro de 2019 - 19:12

A maior façanha do ditador @luizsantiago:disqus foi convencer o mundo de que ele é a vítima…

Abs,
Ritter.

Gabriel Filipe 6 de dezembro de 2019 - 23:20

Ele nn me engana, vc é o criador do site, mas qm governa é o ditador Luís Santiago

Luiz Santiago 🌮😈🐂½ 7 de dezembro de 2019 - 11:21

😇

Gabriel Filipe 6 de dezembro de 2019 - 23:20

Ele merece a tortura de falar de tds as séries da Cw, menos Flash pq já tem o Gibba. Inclusive ver as temporadas q ele nn viu de Supergirl e fzr a crítica de cada uma e tem q ser em maratona pra pegar a 5° e colocar em dia com as críticas por ep durante o hiato pra aí pegar semanalmente no pós crise, eu fiz isso e digo q ainda é leve comparado a ver esse ep de Arrow

Escreva um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais