Home TVEpisódio Crítica | Ataque dos Titãs (Attack on Titan) – 4X17: Julgamento

Crítica | Ataque dos Titãs (Attack on Titan) – 4X17: Julgamento

Rumbling!

por Kevin Rick
2k views

  • Há spoilers. Leiam, aqui, a crítica dos episódios anteriores.

E retornamos para a parte final da 4ª temporada de Attack on Titan. Já vou começar a crítica me vangloriando por ter conseguido ficar distante do mangá durante o hiato do anime – comentem aí se conseguiram ou não essa proeza. Confesso que algumas recepções extremamente negativas de pessoas próximas acerca do desfecho da obra original não me deixaram exatamente entusiasmado, mas cá estamos, e o começo dessa segunda parte, se ainda não necessariamente espetacular, é uma boa introdução para a reta final de Eren e companhia.

Gosto bastante do início melancólico com a chuva e a “morte” de Levi, seguido pelos raios de sol simbolizando o renascimento de Zeke. A sequência nos “caminhos” com a “reconstrução” de Zeke também é bacana, trazendo uma camada onírica e misteriosa a já ótima mitologia da série. Sinto que o momento seria visualmente mais interessante se fosse mais longo, silencioso e quem sabe com um toque mais surreal, mas a sequência sofre de um vício de adaptações de anime, com a situação passando com a rapidez de um painel de mangá e com a narração de Zeke por cima explicando o acontecimento. Ainda assim, mesmo sendo situações simples, e não sabendo se os momentos são transliterações das páginas de Isayama, é sempre agradável ver um tantinho de criatividade cinematográfica para simbolismo e atmosfera em shounens.

Em seguida, temos uma abertura com um rock pesado ditando o desfecho de guerra épico da série. A primeira parte transitou com excelência entre os combates bombásticos e os dramas pessoais, mas, pelo visto aqui, os episódios finais da obra focarão no campo de batalha. Fiquei, no entanto, um pouco decepcionado com a direção da série para nos dar esse tom de guerra total. Acho que o coração está no lugar certo, como os planos dos dirigíveis chegando e os soldados caindo de paraquedas, mas visualmente a série ficou aquém de um grande impacto de conflito entre nações como aconteceu em Marley, por exemplo – as transições com vários diálogos e a falta de uma trilha sonora efetiva contribuíram para atrapalhar a criação de uma atmosfera frenética.

A batalha de Eren contra os outros Titãs também não me encantou. Eficaz, mas nada deslumbrante. A animação da Mappa está competente e fluída, mas as lutas carecem de melhores coreografias e criatividade com os poderes dos Titãs, em especial do Martelo de Guerra, no que é provavelmente o embate menos memorável entre Reiner e Eren (até o momento). A montagem que ficava indo e vindo dos golpes para os escombros é um artifício visual safado para esconder a falta de qualidade da construção das cenas, e um que eu não espero de uma obra desse porte. Mas há suficiente qualidade na ação para manter a guerra rolando em um bom ritmo visual, e algumas ótimas cenas como os golpes poderosos de Eren contra seu saco de pancada favorito.

Se a direção da série é um tantinho decepcionante para um retorno em tese bombástico, o roteiro do episódio também não oferece grande substância. Julgamento tem um caráter extremamente introdutório, reorganizando núcleos de coadjuvantes e apresentando o provável mote da reta final: o encontro de Eren (Titã Fundador) e Zeke (Titã com sangue Real). Desde que Eren precisou fechar um portão com uma pedra lá na 1ª temporada, Isayama sempre prezou objetivos simplistas para sua narrativa labiríntica, então delinear logo de cara o “toque” entre os irmãos como fio condutor da trama faz muito sentido.  Será interessante como os outros personagens circulam esse momento decisivo, desde o papel do contra-ataque de Marley, para onde a narrativa irá levar Gabi, o (óbvio) retorno de Levi, a explicação do “caminho”, até as decisões do grupo de amigos do protagonista. O desfecho do episódio traz ótimos conflitos dramáticos, como a desconfiança de Connie e Jean, a esperança de Armin, e, claro, o conflito interno de Mikasa – finalmente a personagem ganhando um arco narrativo pessoal e interessante. Mas especialmente oferece uma bem-vinda ambiguidade para Eren, deixando novos mistérios para os desdobramentos da série. Um episódio sólido, que não encanta, mas estabelece bem o arranjo narrativo e nos deixa curiosos para os próximos capítulos.

Attack on Titan – 4X17: Julgamento (進撃の巨人, Shingeki no Kyojin – 断罪, Danzai, Japão, 09 de janeiro de 2022)
Criado por: Hajime Isayama
Direção: Yuichiro Hayashi
Roteiro: Hajime Isayama, Hiroshi Seko
Elenco:  Takehito Koyasu, Yoshimasa Hosoya, Ayane Sakura,  Natsuki Hanae, Toshiki Masuda, Manami Numakura, Yûmi Kawashima, Ayumu Murase, Masaya Matsukaze, Jirô Saitô, Tôru Nara, Yû Shimamura, Yûki Kaji, Kazuhiro Yamaji, Hiroshi Kamiya, Romi Pak, Kishô Taniyama, Hiro Shimono, Yû Kobayashi
Duração: 24 min.

Você Também pode curtir

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais