Home Colunas Crítica | Bob’s Burger – 1X01: Human Flesh

Crítica | Bob’s Burger – 1X01: Human Flesh

por Kevin Rick
741 views (a partir de agosto de 2020)

Bem-vindos ao Plano Piloto, coluna dedicada a abordar exclusivamente os pilotos de séries de TV.

Número de Temporadas: 11
Número de episódios: 219 até o momento
Período de exibição: 09 de janeiro de 2011 até hoje em dia.
Há continuação ou reboot?: A série ainda está em andamento, com a 12ª Temporada prevista para 2021.

XXXXXXXXXX

Desde o sucesso astronômico de Os Simpsons nos anos 90, perdurando até os dias de hoje, e posteriormente com o acerto das séries criadas/produzidas por Seth McFarlane, em especial Family Guy (1999), a emissora Fox, casa dessas e de várias outras animações adultas, sempre buscou alguma outra sitcom animada com grande audiência. Houveram alguns pequenos sucessos temporários, como Futurama (antes de se mudar para o Comedy Central pela decaída em números de audiência) e a estável King of the Hill, como também o resultado positivo de Archer no FX. No entanto, a Fox sempre sofreu para encontrar uma nova série de sucesso que não fossem as lançadas antes da virada do milênio. Claro que depois da explosão dos serviços de streaming houve uma maior proliferação do gênero para outras distribuidoras, mas até o início da década anterior, a Fox mantinha uma ligação criativa e pública bastante forte com animações adultas. E foi nessa procura de uma sucessora para as séries dos anos 90 que a emissora encontrou Bob’s Burger.

Lançada em 2011, o show criado por Louren Bouchard e Jim Dauterive, apesar de não ter encontrado o mesmo apelo global de precursoras como Os Simpsons, South Park Family Guy, conseguiu se firmar como uma constante na grade da Fox, mantendo números de audiência respeitáveis e até criando uma surpreendente fanbase. A obra acompanha a disfuncional família Belcher, composta pelo patriarca Bob Belcher, sua esposa Linda Belcher, e seus três filhos, Gene, Tina e Louise. Como o título da obra alude, Bob tem uma sanduicheria, na onde toda sua família trabalha (ou pelo menos tenta trabalhar).

O piloto nos conduz pela re-re-re-inauguração do restaurante (existe uma montagem bem divertida das outras aberturas que falharam). E a questão da dificuldade de êxito no negócio vira mote e piada constante no episódio. A trama nos situa de uma investigação sanitária, causada por uma informação que o Bob’s Burger vende carne humana (rumor espalhado pela filha de Bob, Louise). E assim vamos vendo uma repetição de diferentes blocos e punchlines criando comédia com as derrotas e fracassos do protagonista e seu restaurante que não consegue engrenar.

Até certo ponto as piadas se encaixam, principalmente pelo carisma dos três filhos problemáticos – dois deles são praticamente versões amenas do Bart. Existe uma apresentação inicial bem inteligente da trinca, no qual Bob distribui tarefas, e o roteiro é ágil em estabelecer a personalidade de cada um deles. Louise e Gene são mais maluquinhos, rendendo uma boa dose de humor com o caos causado pela dupla, especialmente Louise. A menina basicamente recebe a tarefa de injetar humor negro na animação, à la Stewie de Family Guy, mas o roteiro é perspicaz em trabalhar isso com uma simplicidade e ingenuidade nos atos da personagem, e não tanto com uma personalidade perversa como estamos acostumados. Já a outra filha, Tina, oferece uma comédia autodepreciativa e cringe, dando um ótimo contraste com seus irmãos desequilibrados.

Contudo, se o grupinho de pequenos conquista o espectador logo de cara, não é possível dizer o mesmo de Bob e Linda. Ao longo do piloto, o arco dos pais é mais situado na relação dos dois com algumas piadas bobas sobre o homem esquecer a data de aniversário de casamento – qualquer roteirista que se preze devia esquecer esse clichê imbecil -, assim como em resolver os problemas causados pelos filhos. Os dois personagens têm um humor meio seco e de pouco ânimo, funcionando melhor como âncoras para os meninos do que como personagens realmente engraçados. Talvez a proposta seja os pais funcionarem como coadjuvantes para a comicidade dos filhos, mas como grande porção da narrativa acontece em torno deles (bem mais que nos meninos), o piloto parece sempre tirar o foco de quem realmente importa.

Além disso, é muito interessante como o piloto consegue subverter algumas situações e elementos que estamos acostumados com animações adultas. Primeiro que o episódio dita um tom realista com uma história sobre família, ambiente de trabalho e o humor mais pé-no-chão. Claro que há exageros, como toda a questão da “carne humana”, mas a comédia tem um viés mais pragmático, cheio de piadas cotidianas e realmente situacionais. Ajuda muito nesse quesito o fato dos criadores não fazerem sátira, piadas de cultura pop ou absurdos como um cão falante, realmente focando nas dinâmicas familiares e do restaurante.

Pensando nisso, o piloto também surpreende com a linguagem que me lembra mockumentary, desde se manter sempre na ambientação do trabalho (e utilizar crianças nisso é uma ótima sacada de humor), até a câmera trêmula, cheia de close-ups zooms-in out para fazer piada visual (é muito divertido como também há uma trilha sonora dramática acompanhada). Por fim, o piloto de Bob’s Burger apresenta uma série extremamente promissora; inventiva com a câmera e a trilha sonora, o contexto realista e um elenco infantil cativante que deixam o espectador querendo mais da animação. Há algumas repetições chatinhas de piadas sobre o fracasso do restaurante que deixam o humor cansativo, além de que Bob e Tina são personagens monótonos e desinteressantes, mas há uma gama de elementos que já nesse piloto demonstram o motivo da estabilidade da série por tantos anos na Fox.

Bob’s Burger – 1X01: Human Flesh – EUA, 09 de janeiro de 2011
Criação: Louren Bouchard, Jim Dauterive
Direção: Anthony Chun
Roteiro: Louren Bouchard, Jim Dauterive
Elenco: H. Jon Benjamin, Dan Mintz, Eugene Mirman, John Roberts, Kristen Schaal, Andy Kindler, Ron Lynch, Sam Seder
Duração: 30 min.

Você Também pode curtir

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais