Home Colunas Crítica | Buffy: A Caça-Vampiros – 1X01 e 02: Bem-Vindo à Boca do Inferno, Partes Um e Dois

Crítica | Buffy: A Caça-Vampiros – 1X01 e 02: Bem-Vindo à Boca do Inferno, Partes Um e Dois

Vampiros por toda a parte.

por Ritter Fan
2.459 views (a partir de agosto de 2020)

Bem-vindos ao Plano Piloto, coluna dedicada a abordar exclusivamente os pilotos de séries de TV.

Número de temporadas: 07
Número de episódios: 144
Período de exibição: 10 de março de 1997 20 de maio de 2003
Há continuação ou reboot?: Não como série ou filme, apenas na forma de quadrinhos.

XXXXXXXXXX

Uma das mais famosas e veneradas séries de televisão aberta dos anos 90, Buffy: A Caça-Vampiros tem seu começo com um episódio duplo que, por aqui, ganhou o mesmo título, mas que, original, tem dois diferentes, Welcome to Hellmouth (cuja tradução direta foi o título brasileiro) e The Harvest (ou A Colheita, também em tradução literal) e que não descarta o longa-metragem de 1992 roteirizado por Joss Whedon e que serviu de origem para a personagem título. Muito ao contrário até, os eventos do filme são diretamente abordados tanto na primeira quanto na segunda parte da dobradinha inicial, o que permite não só a continuidade entre mídias, como evita ter que reapresentar do zero Buffy Summers.

Mas Whedon, que assumiu o papel de showrunner da longeva série, fez uma modificação importante ao não escalar Kristy Swanson, preferindo chamar Sarah Michelle Gellar no mesmo ano em que ela apareceria tanto em Pânico 2 como em Eu Sei o Que Vocês Fizeram no Verão Passado. Apesar de razoavelmente desconfortável no episódio duplo, Gellar conseguiu convencer imediatamente como a adolescente de 16 que é a Caça-Vampiros de sua geração, inclusive carregando bem seu passado na escola anterior e sua vontade de deixar essa sua “maldição” para trás, algo que, obviamente, não dura nem 10 minutos com a descoberta de um corpo com a dentada da bela vampira Darla (Julie Benz, que depois viria a fazer a namorada de Dexter), cena que abre o primeiro episódio.

O roteiro de Whedon não perde tempo, portanto, em estabelecer o novo status quo de Buffy, agora na cidadezinha de Sunnydale depois que ela e a mãe foram praticamente obrigadas a saírem de Hemery, assim como todo o elenco escolar principal, começando pela nerd com problemas de autoestima Willow Rosenberg (Alyson Hannigan) e continuando com o paquerador skatista Xander Harris (Nicholas Brendon) e a patricinha Cordelia Chase (Charisma Carpenter). Do lado místico da coisa toda, o bibliotecário Rupert Niles (Anthony Stewart Head) logo se revela como um Guardião, tendo a mesma função de mentor que Donald Sutherland teve no filme, mas com uma pegada mais humana, sem que ele tenha todas as respostas. Igualmente, o misterioso vampiro bonzinho Angel (David Boreanaz) é apresentado, formando, assim, a equipe que precisa enfrentar o ressurgimento do Mestre (Mark Metcalf) e a tal colheita do título americano do segundo episódio, por intermédio do vampiro Luke (Brian Thompson, assustador com e sem próteses vampirescas).

O que realmente funciona é o carisma do elenco principal aliado a uma história – neste comecinho, claro – simples e eficiente, sem rodeios e floreios como, por exemplo, demorar para colocar Buffy em ação ou, pior ainda, esconder sua identidade de caçadora por mais do que alguns minutos. É o “pão pão queijo queijo” feito com honestidade e uma dose saudável de objetividade, o que acaba tornando o episódio duplo muito fácil e gostoso de se assistir sem que Whedon se furte de fazer o óbvio, ou seja, expandir o universo que criou para o filme, estabelecendo a tal “Boca do Inferno” que produz toda a sorte de criaturas sinistras para que Buffy tenha com o que se divertir entre um dever de casa e outro. Outra boa escolha desse começo é passar longe de romances adolescentes, mesmo que haja flertes naturais aqui e ali. É, como disse, uma história que não se desvia de seu objetivo e faz muito bem a apresentação dessa nova versão da Caça-Vampiros de 1992.

Bem-Vindo à Boca do Inferno é um início muito bem trabalhado e muito bem pensado para a série que seria o verdadeiro veículo para o estrelato de boa parte de seu elenco, inclusive com um spin-off também longevo dois anos depois. A Buffy de Gellar encanta imediatamente e a pegada adolescente e levemente cômica para uma série cheia de monstros variados que, como era inevitável, vai ganhando contornos complexos, diverte e prende logo de cara, deixando evidente o porquê do sucesso imediato da série.

Buffy: A Caça-Vampiros – 1X01 e 02: Bem-Vindo à Boca do Inferno, Partes Um e Dois (Buffy the Vampire Slayer – EUA, 10 de março de 1997)
Criação: Joss Whedon
Direção: Charles Martin Smith (1X01), John T. Kretchmer (1X02)
Roteiro: Joss Whedon
Elenco: Sarah Michelle Gellar, Nicholas Brendon, Alyson Hannigan, Charisma Carpenter, Anthony Stewart Head, David Boreanaz, Mark Metcalf, Ken Lerner, Julie Benz, Eric Balfour, Brian Thompson
Duração: 43 min. (1X01), 45 min. (1X02)

Você Também pode curtir

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais