Home Audiodramas Crítica | Class: The Audio Adventures – 2ª Temporada

Crítica | Class: The Audio Adventures – 2ª Temporada

Uma maravilhosa temporada de Class.

por Luiz Santiago
89 views

Ao terminar de ouvir esta 2ª Temporada da série Class: The Audio Adventures eu estava genuinamente espantado. Lançado em 2018, no mesmo ano da medíocre 1ª Temporada, o projeto parece ter sido produzido em outra Era da Big Finish, com outro propósito, outra visão de criação dramática. Isso porque o nível de qualidade geral das histórias aqui é completamente outro. A organização dos episódios se mantém muito similar à do volume anterior, mas os times escolhidos para protagonizar as histórias funcionam muito melhor aqui, além de terem roteiro com diálogos coerentes, inteligentes, e tramas que combinam perfeitamente com a Coal Hill Academy e todo o Universo de Class.

O primeiro episódio, Everybody Loves Reagan, de Tim Foley, elenca Ram e April como protagonistas (Tanya está de coadjuvante), um time com um laço agressivo e ao mesmo tempo amigável que me deixou com um baita sorriso no rosto. O roteiro mescla situações típicas de um gaslighting — forma de abuso psicológico na qual informações são distorcidas, seletivamente omitidas para favorecer o abusador ou simplesmente inventadas, com a intenção de fazer a vítima duvidar de sua própria memória e percepção e sanidade — com diferentes sentimentos de um grupo de amigos com gênio forte. O resultado é uma tensa e sombria aventura onde uma nova aluna da Academia ganha a atenção das pessoas e parece ter muita facilidade em tornar todos os alunos seus confidentes. Ao se alimentar das dores dos jovens e fazer com que todos a amem, Reagan Harper consegue manter-se viva. Mas às custas da sanidade emocional dos outros. Uma abertura e tanto para a temporada.

Na sequência, temos o meu episódio favorito da trilogia, Now You Know…, de Tim Leng. Em cena, Tanya e Matteusz, dois dos meus xodós desse Universo, especialmente o polonês fofíssimo, namorado de Charlie, que passa por maus bocados aqui, ao lado de sua inteligentíssima amiga Tanya. Tim Leng faz parte do novo time de roteiristas da Big Finish e aqui vemos o quão maravilhoso é ter sangue novo em um projeto como Class. O autor pega o tema bullying e o retrabalha num enredo de ficção científica tão bem articulado, que ganha momentos de genuíno terror. É uma história que explora diversos tipos de preconceito (racial, sexual, social, de gênero) e apresenta uma história que se origina no passado. A dor de um jovem que sofria nas mãos de alguns colegas da Coal Hill atravessa o tempo e o espaço, chegando a 2016 (ano em que essa trama se passa), numa missão de vingança. A atuação de Jordan Renzo e Vivian Oparah é a cereja do bolo dessa aventura, com destaque máximo para a hilária cena em que eles precisam xingar um ao outro, para atrair o garoto que atingia pessoas que cometiam bullying. Um texto com uma reflexão mais do que necessária para os nossos tempos.

Com Charlie, Miss Quill, Ace e os Daleks em cena, a temporada se encerra com o episódio In Remembrance, de Guy Adams. Este é um drama parcialmente ligado ao arco Remembrance of the Daleks. Um episódio que está bem ali, do ladinho do meu favorito da temporada. Adams trabalha viagem no tempo de uma forma gostosa de acompanhar, e consegue explorar os Daleks de forma ameaçadora, fazendo uma ligação sem furos e sem muita invenciocine com o icônico arco do 7º Doutor. Ace está uma graça aqui, e como sempre, e eu não consigo me desvencilhar da simpatia magnética que emana da voz de Sophie Aldred, mesmo 30 anos depois. Charlie recebe um bom tratamento do roteiro, com sua fragilidade em evidência, mas sem exageros. Da mesma forma Miss Quill, com sua pinta de vilã estereotipada. O texto traz uma reflexão que serve como aprofundamento de sua personalidade, fazendo-nos entender o trauma de guerra que ela carrega, a síndrome de sobrevivente e o grandioso sentimento de culpa. Unir esse momento de Class com um recorte do passado de Doctor Who, e ainda elencando uma das companheiras mais queridas do Doutor deixa tudo ainda melhor. Para quem, como eu, não estava nada animado para esta temporada do spin-off, teve diante de si uma grande e positiva surpresa.

Class: The Audio Adventures: Volume Two (Reino Unido, 31 de agosto de 2018)
Direção: Scott Handcock
Roteiro: Tim Foley, Tim Leng, Guy Adams
Elenco: Fady Elsayed, Sophie Hopkins, Vivian Oparah, Taj Atwal, Jordan Renzo, Anson Boon, Shvorne Marks, Wilf Scolding, Katherine Kelly, Greg Austin, Sophie Aldred, Nicholas Briggs
Duração: 3 episódios de 60 min.

Você Também pode curtir

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais