Home LiteraturaConto Crítica | Custa Caro e Depois do Baile, de Lev Tolstói

Crítica | Custa Caro e Depois do Baile, de Lev Tolstói

por Luiz Santiago
326 views (a partir de agosto de 2020)

Neste pequeno compilado trago duas críticas de obras curtas do escritor russo Lev Tolstói. A primeira, Custa Caro, data de 1890; e a segunda, Depois do Baile, de 1903. Ambas as narrativas foram lidas por mim através dos lançamentos da Editora 34: a primeira delas, na coletânea Antologia do Humor Russo, e a segunda, na coletânea Nova Antologia do Conto Russo. Abaixo estão as minhas reflexões sobre essas tramas. Como sempre, desejo a todos uma boa leitura e não se esqueçam de comentar ao final da crítica!

.

Custa Caro

“Subtitulado” como (História Real) – Conto a partir de Maupassant, esse excelente Custa Caro (1890), de Tolstói, é um irônico trabalho do autor em cima do conto O Condenado à Morte (Le Condamné à Mort), publicado por Maupassant 7 anos antes. O nível de ironia, a fineza e o humor ácido na forma de apresentar os fatos para o leitor fazem dessa recriação literária algo imensamente superior à sua fonte de inspiração. Ao mesmo tempo que consegue manter a polêmica discussão sobre reinserção de condenados à sociedade, a obra tem a capacidade de ampliar solidamente o debate para questões puramente sociais, culturais e até comportamentais.

A trama fala sobre o Principado de Mônaco, um minúsculo Estado de apenas 7.000 habitantes (à época), localizado entre a França e a Itália. Suas muitas despesas são para servir ao “reizinho” do país e a todos os seus súditos, militares, familiares, etc. Para conseguir manter bem essas despesas, o tal reizinho criou diversas casas de jogos, e é daí que saem acordos nacionais que terminam por favorecer os cofres públicos, assim como os donos de todos esses cassinos. Pois bem, é a partir de uma aguda observação desse lado econômico que Tolstói ergue a sua história, uma maneira de frisar a questão do dinheiro ainda bem cedo na narrativa, para depois fazer com que o leitor entenda e aceite o problema causado pelo tal condenado que só irá causar problemas ao reizinho.

Basicamente, todos os elementos críticos contidos no conto francês aparecem aqui, todavia, com um caráter hilário em sua construção e uma maneira absurdamente gostosa de se acompanhar, ainda mais porque se trata de um assunto com coisas importantes para debate. Se em Maupassant a gente sente um tantinho de decepção do meio para o fim da narrativa, apesar da verve crítica que não deixa de ser interessante, a mesma decepção não acontece aqui. Tolstói segura firmemente a veia cômica ao mesmo tempo em que nos fala sobre a organização de um Estado, sobre a fragilidade e o absurdo de certos arranjos sociopolíticos, entregando ao leitor uma trama leve e, ao mesmo tempo, densa em conteúdo.

Custa Caro (Дорого стоит / Dorogo Stoit) — Rússia, 1890
Autor: Lev Tolstói
Em: Antologia do Humor Russo (Editora 34, 2018)
Tradução: Irineu Franco Perpetuo
9 páginas

.

Depois do Baile

Escrito em 1903 mas publicado apenas em 1911, após a morte do autor, Depois do Baile é um conto sagaz sobre a posição social de um homem, seu olhar para a realidade em que vive, a busca por um entendimento das coisas que o cercam e a reflexão sobre uma antiga problemática: o homem se faz sozinho ou é, de fato, fruto de seu meio social? A trama começa com Ivan Vassílievitch contando uma história para um grupo de companheiros mais novos que ele. O narrador fala de uma arrasadora paixão que o tomou em dado momento de sua juventude, quando caiu de amores por Varenka B., filha de um Coronel. Ivan conta aos amigos os acontecimentos de uma determinada noite, durante a qual dançou com Varenka e viu o Coronel dançar com ela. Ele observa com riqueza de detalhes como se apaixonou profundamente por Varenka e como passou a admirar seu pai durante aquela noite.

Tolstói consegue engajar o leitor nesse relato de uma paixão, fazendo com que o público entenda o fascínio de Ivan e passe a enxergar tudo o que acontece através de seu olhar adocicado, afetado pela paixão. Assim, notamos com mais atenção do que o normal em diversas peças do vestuário dos personagens, como luvas e vestidos; consideramos as regras sociais e mesmo posições de classe bem definidas a partir da dinâmica do baile — sempre escrita com a máxima atenção pelo autor — a partir do qual o espanto de Ivan para com esse novo sentimento se torna maior. A imersão é tanta, que não conseguimos pensar como esse belo e profundo sentimento pode ser quebrado, mesmo tendo uma introdução que nos dê todos os ingredientes para pensarmos assim. É depois do baile, no entanto, que o narrador, ainda esbanjando paixão, sai pelas ruas frias e vê algo que irá direcionar os seus sentimentos e, para todos os efeitos, a sua vida, para caminhos bem diferentes.

O homem tártaro açoitado pode ter alguns significados aqui. O feriado ortodoxo em que eles estão, no momento em que a história se passa, pode trazer algum alinhamento simbólico desse indivíduo com o próprio Jesus, açoitado e envergonhado publicamente. A visão, no entanto, nos traz à discussão a alienação de Ivan. Ele assumidamente não entende o que está acontecendo, aquele horror público, aquele espancamento, aquele castigo, mas diz que “não achou aquilo algo ruim” porque não sabia do que se tratava. Tolstói nos faz pensar na relação entre o absurdo de uma pena medonha e o seu “merecimento”, trazendo a debate os caminhos da punição a alguém e o que é ou não é válido em casos assim, especialmente quando estamos falando de forças a serviço do Estado.

A segunda parte de Depois do Baile é um tanto menos interessante do que a primeira, e o se desfecho, com o ciclo se fechando e o assunto voltando à roda de amigos onde Ivan encerrava sua narração, cumpre a missão de terminar a história coerentemente, mas com um quê de anticlímax que eu, pelo menos, não esperava encontrar em um texto tão bem azeitado como este, até aquele momento.

Depois do Baile (После бала / Posle Bala) — Rússia, 1903
Autor: Lev Tolstói
Em: Nova Antologia do Conto Russo (Editora 34, 2011)
Tradução: Graziela Schneider
19 páginas

Você Também pode curtir

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais