Home QuadrinhosOne-Shot Crítica | Demônios da Goetia em Quadrinhos

Crítica | Demônios da Goetia em Quadrinhos

por Daniel Tristao
210 views (a partir de agosto de 2020)
plano critico demonios da goetia em quadrinhos plano critico

Demônios da Goetia em Quadrinhos é uma publicação da editora Draco, lançada em 2017, que consiste numa coletânea de oito contos baseados na Goetia, todos escritos e ilustrados por artistas nacionais. No entanto, você deve estar se perguntando que raios é Goetia, certo?

Há um livro chamado A Chave Menor de Salomão, cuja autoria é atribuída ao Rei Salomão (isso mesmo, aquele da Bíblia), mas que sofreu algumas adaptações e incrementos ao longo do tempo, sendo as principais no século XVII. Este livro é dividido em cinco partes e dedicado a descrever rituais de invocação e de controle de toda sorte de demônios, entidades, espíritos e até anjos. A primeira parte do livro, denominada Ars Goetia ou Goetia, contém uma relação de 72 entidades; cada uma delas é descrita com nome, posição ou título que ocupa na corte do inferno (duque, príncipe, marquês, conde, etc) e selos de evocação. Ao longo do tempo, A Chave Menor de Salomão ganhou diversas versões e traduções em várias línguas (inclusive em português). No entanto, o livro se popularizou em 1904, após uma tradução para a língua inglesa feita por MacGregor Mathers e Aleister Crowley, dois famosos ocultistas modernos.

Bom, só isso já é suficiente para fazer muita gente pensar cinco vezes antes de ler este quadrinho. Porém, se você está determinado e não se impressiona facilmente, fique tranquilo, pois não é necessário possuir nenhum prévio conhecimento arcano para compreender as histórias. Resumidamente, todos os contos envolvem algum tipo de ritual de feitiçaria e suas consequências ou trata da influência de demônios e entidades maléficas sobre humanos.

Depois desta introdução esclarecedora (e talvez desencorajadora, haha), já é possível imaginar o quanto de sangue pinga da edição! Não à toa, todos os contos são ilustrados com somente três cores: preto, branco e vermelho. Tratando-se de uma coletânea com diferentes artistas, os desenhos variam bastante; desde estilo inspirado em mangás, passando pelo underground até traços mais clássicos com elementos realistas. No entanto, cada um deles se adéqua muito bem à temática do volume, colaborando com diferentes abordagens visuais afim de retratar histórias grotescas e profanas.

plano critico demonios da goetia plano critico interna

Os roteiros de Demônios da Goetia têm em comum a ênfase no terror gore, gerando impacto não somente nas splash pages e em momentos de ápice narrativo, mas também de maneira constante em alguns contos, ajudando na construção de uma ambientação pesada e violenta (como é o caso, por exemplo, de Colônia e El Cartel de Las Hermanas Satánicas). A única exceção é o último conto, O Jogo, que conta com roteiro mais focado na criação de tensão através de diálogos envolventes e um final extremamente contundente e crítico em relação à natureza humana.

Outro fator recorrente utilizado como força motriz nos roteiros é o tema da corrupção do caráter humano diante de adversidades ou desafios da vida. Sempre em busca de soluções fáceis para problemas cotidianos ou ainda por puro egoísmo ou vaidade, os personagens acabam recorrendo aos métodos arcanos para obterem benefícios (muitas vezes, é claro, sem a devida compreensão ou preparo para tal); invariavelmente, o desfecho é trágico e pessimista.

Demônios da Goetia em Quadrinhos é asqueroso, horrendo, repulsivo, herético e, por tudo isso, muito divertido! E o melhor de tudo, é uma publicação inteiramente nacional; quem não conhece, não gosta ou tem algum preconceito com os quadrinhos nacionais, vai ter que repensar seus conceitos após esta leitura. Mas prepare-se, pois é um conteúdo altamente indicado para quem gosta do terror gore.

Demônios da Goetia em Quadrinhos (Brasil, 2017)
Editora: Draco
Roteiros: Raphael Fernandes, Caio H. Amaro, Juscelino Neco, Erick Santos Cardoso, Alexey Dodsworth, Tiago P. Zanetic, Airton Marinho, Antonio Tadeu
Desenhos: Daniel Canedo, Flávia Lima, Juscelino Neco, Kaji Pato, Lucas Chewie, Victor Freundt, Ioannis Fiore
Capa: João Pirolla
Organização: Raphael Fernandes
168 páginas

Você Também pode curtir

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais