Crítica | Do Fundo do Mar – Trilha Sonora Original

Como já apontado nas reflexões sobre Do Fundo do Mar, a produção está entre os filmes de tubarões aceitáveis no bojo do legado do clássico de Spielberg, ao lado de Águas Rasas, Medo Profundo, dentre poucos outros. Para a condução sonora da aventura lançada em 1999, os realizadores trouxeram Trevor Rabin, responsável pela textura percussiva que acompanha as feras marinhas turbinadas após as falhas no projeto de pesquisa desenvolvido por uma cientista que utiliza o cérebro dos tubarões como meio para chegar aos seus resultados, sem sequer imaginar as complicações provenientes da fúria selvagem prestes a se estabelecer.

De origem sul-africana, Trevor Rabin é conhecido por seus trabalhos em 60 Segundos, Armageddon, Duelo de Titãs, O Exorcista: O Início, dentre outros, além de ter sido músico da banda Yes, entre 1983 e 1995, atividade também mesclada com composição e experiência na guitarra. Tendo Jerry Bruckheimer, Jon Turteltaub e Michael Bay entre os cineastas de parceria estabelecida, Rabin sabe bem o que funciona em Hollywood, o que lhe ajudou no bom desenvolvimento da barulhenta trilha em Do Fundo do Mar, material interessante, em especial a sua música tema, mas que diferente do clássico de John Williams, funciona pouco descontextualizada do filme.

O molde popular estabelecido é o estilo Hans Zimmer, o queridinho dos hollywoodianos. Sem presença de orquestra e com altas doses de inovações musicais tecnológicas, a trilha segue os caminhos dos filmes de ação do final da década de 1990.O álbum é composto por 10 faixas, intituladas Aftermath, Susan Softens, Journey, Main, Hunting In Packs, Experiment, Jim Returns, Shark Ride, Anarchy e Doctor’s Orders. A faixa de abertura emula Tubarão em seus primeiros trinta segundos, para logo adiante flertar com coro e instrumentos para dialogar com a musicalidade de ação, com presença firme da guitarra elétrica como um dos pontos centrais da composição.

A faixa que demarca os tubarões como monstros perigosos é Anarchy, intensa e conduzida pela inspirada guitarra, tema que deveria ter sido utilizado mais vezes. Journey oferta um coro sintetizado, com três notas “notáveis”, também eficientes na condução da trama frenética em Do Fundo do Mar. Em Hunting In Packs, as notas introdutórias demarcam o perigo e intensificam a sensação de pavor, tal como Main. Susan Softens oferta um clima curioso ao filme, tal qual a pesquisa desenvolvida pela protagonista nos laboratórios da estação subaquática. Quando há presença vocal, faz-se perceptível a qualidade dos componentes do The LA Master Chorale, artistas que deveriam ter sido mais aproveitados.

Ademais, Do Fundo do Mar pode ser uma trilha que não é tão funcional dissociada de seu filme, mas ainda assim, é um trabalho com momentos notáveis, tais como apontado. Em narrativas de animais assassinos, mesmo que haja investimento grandioso na seara dos efeitos visuais e especiais, a trilha precisa trabalhar duro para fazer a tensão funcionar. É também o setor que precisa manter, ao longo de todo o filme, os tubarões onipresentes, pois mesmo quando não estão em cena, os sentimos por meio de notas sutis, choques entre instrumentos e outros recursos de composição oriundos das práticas musicais para cinema.

Do Fundo do Mar (Original Motion Picture Soundtrack)
Compositor: Trevor Rabin
Gravadora: Varese Sarabende
Ano: 1999
Estilo: textura percussiva, Trilha Sonora

LEONARDO CAMPOS . . . . Tudo começou numa tempestuosa Sexta-feira 13, no começo dos anos 1990. Fui seduzido pelas narrativas que apresentavam o medo como prato principal, para logo depois, conhecer outros gêneros e me apaixonar pelas reflexões críticas. No carnaval de 2001, deixei de curtir a folia para me aventurar na história de amor do musical Moulin Rouge, descobri Tudo sobre minha mãe e, concomitantemente, a relação com o cinema.