Home TVEpisódio Crítica | Ducktales – 3ª Temporada: Episódios 14 a 16

Crítica | Ducktales – 3ª Temporada: Episódios 14 a 16

por Roberto Honorato
665 views (a partir de agosto de 2020)

Parece que Ducktales está chegando ao fim, mas também começa a estabelecer novas dinâmicas que, se a série for renovada, serão muito bem-vindas. Aí vai mais um compilado de críticas porque a agenda da Disney nunca bate com a minha, mas nunca vou abandonar meus patos. Let’s Get Dangerous!

.

3X14: The Split Sword of Swanstantine!

Parece que os planos da F.O.W.L. estão dando certo, o que deixa Patinhas e sua família atenta para possíveis artefatos que podem estar no alvo da agência secreta. E dessa vez, todos vão atrás da mística espada de Swanstantine (trocadilho com o histórico imperador romano Constantino), que canaliza a força interior daquele que a empunhar. Mas há um problema: ela está dividida em pedaços espalhados através de uma feira de rua em Istanbird (a Istambul do universo de Ducktales), o que obriga todos a se separarem em grupos.

Como era de se esperar, alguns agentes da F.O.W.L. surgem de surpresa para tentar capturar os pedaços da espada antes dos patos, e assim temos mais um reencontro com Patacôncio, Bico de Aço, Garça Negra e Gandra Dee, que não tem sido tão presente quanto os outros membros da equipe até o momento, o que é uma pena, já que ela poderia ser utilizada para criar armadilhas envolvendo tecnologia e quebra-cabeças inteligentes. O retorno dela para esse episódio apenas evidencia como ela não foi tão bem aproveitada quando os outros três vilões que a acompanham na missão.

Mesmo tendo esse problema, The Split Sword of Swanstantine! faz uma das coisas que eu mais gosto, que é explorar a dinâmica entre os personagens e fazê-las funcionar muito bem. Com a separação dos grupos, temos algumas uniões que já tem sido bem divertidas, como Zezinho e Patrícia (o entusiasmo dos dois é ainda mais engraçado quando estão juntos); mas outras foram mais improváveis, como Huguinho e Lena, e Luisinho e Violeta.

Seria óbvio juntar Huguinho com Violeta no time organizado, e Lena e Luisinho na equipe indiferente e sagaz, mas essa mudança mostra como os personagens são bem desenvolvidos a ponto de combinar e continuar aprendendo algo com o outro, como acontece com Huguinho, que passa a abraçar seu lado mais selvagem por conta de Lena. Talvez o maior problema do episódio seja apenas o mal aproveitamento de Gandra Dee e a forma como o poder de Lena parece cada vez mais forte, o que com certeza vai ajudar Patinhas na batalha final contra a F.O.W.L., mas os roteiristas poderiam ter se contido um pouco na hora de deixá-la super-poderosa a ponto de conseguir parar o tempo. Pelo menos esse poder teve um propósito narrativo – ainda assim, é um pouco exagerado. 

The Split Sword of Swanstantine! (EUA, 2 de Novembro de 2020)
Direção: Matthew Humphreys
Roteiro: Christian Magalhaes, Robert Snow
Elenco: David Tennant, Ben Schwartz, Bobby Moynihan, Kate Micucci, Danny Pudi, Libe Barer, Kimiko Glenn, Jameela Jamil
Duração: 21 min.
.

3X15: New Gods on the Block!

Os Deuses do Olimpo estão de volta! E dessa vez eles procuram por um candidato capaz de tomar o lugar de Zeus, que não tem feito um trabalho decente há um bom tempo e vem abusando do poder. Assim, temos Selena e Storkules oferecendo os poderes de Zeus para alguém da família pato, mas eles não parecem confiantes o suficiente depois de terem perdido mais um artefato para a F.O.W.L. em sua última missão. 

Depois de Patinhas dizer que precisa procurar uma equipe mais adulta e eficiente, a chegada dos Deuses anima as crianças, isso porque elas acham que os poderes do Olimpo serão capazes de deixar o velho pato escocês orgulhoso. Mas nem todos estão felizes com a chegada dos visitantes, e “nem todos” seria Donald, que está em um encontro com Margarida e quer que tudo saia perfeitamente, mas a extravagante e inconveniente presença de Storkules pode estragar o encontro romântico do casal.

Uma das partes mais divertidas do episódio foi assistir os sobrinhos tentando usar os poderes de Zeus e falhar em todas as simulações, mas o destaque vai para a relação de Donald e Margarida, que já estão em seu segundo encontro, e parece que as coisas vão muito bem para eles, considerando o desfecho da aventura. O que poderia ter sido esticado para fazer com que o casal demorasse para ficar juntos acaba deixando ainda mais certo a teoria de que estamos lidando com os últimos episódios da série.

Ao lado das várias piadas em volta das crianças tentando se provar dignas de um poder divino, também foi engraçado ver as tentativas frustradas de Zeus para retornar ao trono e recuperar sua coroa, chegando ao ponto de pedir ajuda para Hades, que está representado como um gótico punk no celular, sem paciência e apenas fazendo o seu trabalho. Vale destacar aqui o ótimo trabalho de Chris Diamantopoulos dublando Hades e Storkules, duas das melhores e mais divertidas participações do episódio. 

Muitas piadas e ótimas sequências de ação, esse é o típico episódio sólido de Ducktales, o que é bom, mas também pode não ser tão impressionante considerando o potencial da série e a possibilidade de estarmos nos últimos episódios, que deveriam ser mais grandiosos em escalada, o que esse não parece tanto, mesmo tendo Deuses do Olimpo. Consistentemente envolvente, mas não tão inventivo quanto poderia ser. Felizmente, os roteiristas fizeram um excelente trabalho com Donald e Margarida.

New Gods on the Block! (EUA, 9 de Novembro de 2020)
Direção: Jason Zurek
Roteiro: Megan Gonzales
Elenco: David Tennant, Ben Schwartz, Bobby Moynihan, Kate Micucci, Danny Pudi, Paget Brewster, Tony Anselmo, Chris Diamantopoulos, Nia Vardalos, Tress MacNeille
Duração: 21 min.
.

3X16: The First Adventure!

Alguns dos melhores episódios desse “novo” Ducktales envolvem aventuras do passado, principalmente aquelas que podem referenciar a animação original ou os quadrinhos, como os de Carl Barks ou Don Rosa. Em The First Adventure!, temos uma aventura com premissa similar a do episódio clássico The Treasure of the Golden Suns, da primeira temporada, tanto que o próprio é mencionado em um diálogo, quando Patinhas relembra algumas de suas aventuras.

No original, temos Patinhas recebendo a tarefa de cuidar dos trigêmeos enquanto procura por um navio abandonado, mas aqui voltamos um pouco no tempo e assistimos o velho pato tomar conta de Donald e Dumbela, os filhos de Hortência, irmã de Patinhas (que parece ter sido confirmada no próximo episódio por conta de uma imagem de divulgação), também enquanto procura um navio abandonado. Preso à obrigação de ser um adulto responsável, Patinhas evita sair em novas aventuras, mas a chance de capturar um artefato poderoso faz com que ele mude de ideia e vá atrás do Papiro da Obrigação, um pergaminho capaz de realizar qualquer desejo escrito nele. Nesta aventura temos vários easter eggs e origens, como o momento em que Dumbela se apaixona por pilotagem.

Entre as referências, além das menções a episódios e aventuras clássicas, temos participações rápidas de alguns personagens adorados, como o mordomo Leopoldo e o Professor Ludovico, que tem um visual sem muitas mudanças e aparece aqui distraído com um cubo mágico (que foi criado depois da data em que esse episódio se passa, mas vamos relevar os anacronismos porque a série nunca se importou muito com eles), e aparição do Capitão Bico Amarelo, mais presente nas páginas dos quadrinhos, ele é um papagaio de pirata… pirata.

Mas tirando de lado todas as referências, The First Adventure traz um drama bem feito e um dos enredos mais bem trabalhados da série, com uma jornada cheia de reviravoltas e a sensação de algo épico que ficou faltando em New Gods on the Block!. Podemos estar na reta final e por mais que Ducktales nunca tenha falhado comigo, admito estar preocupado com a chance da história ir rápido demais e tentar encaixar mais do que o necessário nos dois episódios que faltam para o fim da temporada. Vamos ser otimistas e torcer para uma nova temporada, ou pelo menos uma conclusão que faça justiça ao que a série construiu até agora. 

The First Adventure! (EUA, 16 de Novembro de 2020)
Direção: Vince Aparo, Tanner Johnson
Roteiro: Christian Magalhaes
Elenco: David Tennant, Paget Brewster, Toks Olagundoye, Cristina Valenzuela, Corey Burton, David Kaye, Marc Evan Jackson
Duração: 21 min.

Você Também pode curtir

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais