Home TVEpisódio Crítica | Ducktales 3X09 e 10: They Put a Moonlander On the Earth! e The Trickening!

Crítica | Ducktales 3X09 e 10: They Put a Moonlander On the Earth! e The Trickening!

por Roberto Honorato
171 views (a partir de agosto de 2020)

Por conta da louca agenda da Disney XD, Ducktales têm sido lançado em um cronograma bem irregular, e essa é a minha desculpa por ter atrasado o lançamentos dessas duas críticas (Espero que me perdoem. O que Darkwing Duck faria?). Então, vamos para os episódios, e nas últimas semanas tivemos habitantes da lua, Mac Mônei, doces, travessuras e monstros!

.

3X09: They Put a Moonlander On the Earth!

Após a grande batalha entre os terráqueos e os habitantes do “planeta” lua (2X24: Moonvasion!), muitos dos alienígenas ficaram sem um meio de retornar para a casa, então acabaram vivendo na Terra. Enquanto se adaptam surpreendentemente bem ao estilo de vida em Patópolis, o mesmo não pode ser dito de Penumbra, que sente falta de nosso satélite natural e ainda não está pronta para mudanças.

Para fazer com que a alienígena se sinta mais confortável entre os terráqueos, Dumbela faz com que Patrícia e Zezinho levem Penumbra para um passeio, onde poderão provar comidas e realizar atividades divertidas, como visitar a nova montanha-russa do píer de Patópolis, um oferecimento do visionário Pão Duro Mac Mônei. Mas enquanto Patrícia deseja ajudar uma amiga, Zezinho tem segundas intenções e pretende tirar satisfação com um adversário que tem recebido todo o sucesso e a atenção das câmeras em seu lugar.

Ducktales chegou a ponto de nos deixar acostumados com o desenvolvimento de personagens secundários, como já aconteceu com B.O.Y.D. e Violeta, os dois apenas nesta temporada. Ao tentar focar em Penumbra, não chegamos a ter algum tipo de arco dramático muito diferente do que já vimos em episódios anteriores, mas pelo menos conhecemos melhor o cotidiano e a personalidade dela, incluindo informações sobre um encontro com o Capitão Bóing, que foi o típico desastre para o pobre motorista de Patinhas, apenas dessa vez não envolvendo qualquer veículo motorizado – talvez tenha envolvido, vai saber. Seria bem engraçado se em algum ponto no futuro mostrassem esse encontro.

Mesmo que Penumbra seja o foco, ela nunca teve chance de competir com o brilho cegante de Mac Mônei, que retorna para seus planos mirabolantes de destruição, mesmo que completamente falhos. Ao colocar o trama da alienígena ao lado da comédia de erros do segundo pato mais avarento de Patópolis, tivemos dois episódios em um, mas ainda que pareça desbalanceado, o ritmo continua no padrão de qualidade Ducktales, assim como o humor.

Destaque para as piadas recorrentes onde Bóing evita Penumbra das maneiras menos sutis possíveis, a relação entre Mac Mônei e seu fiel novo assistente alienígena e as tentativas de Zezinho em não deixar que seu arqui-inimigo, Timmy Jenkins, seja mais uma vez o foco das atenções, como já foi depois de último acidente envolvendo um brinquedo / invenção / arma secreta de Mac Mônei. Mas a piada premiada deste episódio (pretendo fazer disso algo recorrente) está em uma sequência que os roteiristas já admitiram querer fazer há muitos episódios, com os sobrinhos de Patinhas alimentando os patos do píer de Patópolis. Além de ser um dos pontos mais absurdos e engraçados do episódio, a reação de Penumbra é impagável.

Vale mencionar aqui algumas referências, como uma tomada da lua, onde podemos ver a nave destruída de Lunaris ainda em órbita (será que ele pode retornar?); e o personagem Timmy Jenkins, que já marcou presença na série como um dos rostos entre os figurantes, (no episódio Daytrip of Doom!, para ser mais exato) mas os roteiristas queriam tanto usá-lo que ele recebeu seu espaço. De acordo com o produtor executivo Francisco Angones, cada personagem criado para a série, incluindo os figurantes em segundo plano, são mantidos em uma parede, assim os roteiristas e animadores podem trazer de volta e fazer referência a personagens de temporadas anteriores.

They Put a Moonlander On the Earth! é mais um divertido episódio de Ducktales, o que já virou uma regra, mesmo que não tenha um enredo tão bem estruturado e focado, o que tira um pouco do drama de Penumbra e não dá espaço o suficiente para Mac Mônei brilhar em toda a sua glória. A trama de Zezinho não entra nessa equação porque ela serviu mais como uma piada recorrente do que uma história, na verdade. 

.

3X10: The Trickening!

É Halloween em Patópolis e toda a família Pato está pronta para uma jornada de doces e travessuras, mas cada um possui sua própria rota e motivação para participar das festividades. Enquanto as crianças mudam de planos e decidem investigar a casa abandonada mais assustadora da cidade, Patinhas usa sua fantasia mais assustadora e a arte da pão-durice para conseguir a maior quantidade de doces da noite. Ainda assim, nem todos parecem estar se divertindo, já que Dumbela saiu para caçar doces ao lado de Donald, que não a deixa participar de nenhuma atividade perigosa, mas talvez a chegada do Capitão Bóing traga uma pegadinha imperdível.

Ao contrário do episódio anterior, The Trickening! faz um ótimo trabalho em desenvolver e conectar a subtrama de cada um dos personagens, transformando a noite de Halloween em Patópolis em uma das aventuras mais engraçadas da série. E já que há tanta coisa acontecendo nesse episódio, vamos logo para cada um dos núcleos de personagens. 

O maior destaque está na história dos sobrinhos, que investigam uma casa abandonada e descobrem que ela está realmente amaldiçoada. Enquanto todos ficam assustados antes mesmo de passar pela porta de entrada, Luisinho mantém seu espírito empreendedor e foca na recompensa, a possibilidade de ter todo o doce dos Halloweens anteriores, deixados para trás por crianças que passaram pela casa abandonada. Patrícia e Zezinho assumem um papel de coadjuvantes para que o episódio dê mais foco na relação de Huguinho e Luisinho, que possuem personalidades completamente diferentes, mas precisam se unir para fugir das figuras misteriosas que habitam a casa.

Patinhas está em sua busca por doces, e Donald e Dumbela fazem uma visita à casa de Bóing, que está comprometido com a sua fantasia e a rotina de afastar qualquer um que bata em sua porta pedindo doces. O mais engraçado aqui é o fato de Bóing estar comprometido porque não “conhece” o Halloween e realmente acredita que é responsável por uma maldição na qual, uma vez por ano, criaturas tomam as ruas à procura de doces. Donald tenta explicar o conceito nas festividades, mas Dumbela pretende se aproveitar da confusão de Bóing para criar uma experiência de Halloween mais realista e perigosa (que no dicionário dela, é um sinônimo para “divertida”).

Mesmo com tantas subtramas, esse é um episódio que nunca perde o fôlego. As sequências de Bóing confundindo o Halloween com uma maldição que ele soltou no mundo são facilmente as minhas favoritas, principalmente por conta dos paralelos com as franquias Evil Dead e as referências aos filmes de zumbi de George Romero, como A Noite dos Mortos-Vivos. Assim como The Walking Dead chama seus zumbis de “Walkers”, Bóing também apelidou os seus algozes de “The Hungries” (“Os famintos”), e esse episódio já valeria a pena só de ouvi-lo contar a sua história enquanto senta em um barril de óleo com a expressão mais séria do mundo em seu rosto.

Esse é um episódio cheio de referências e easter eggs, principalmente por causa das fantasias. Patinhas está como um esqueleto luminescente, provavelmente fazendo alusão ao protagonista de O Estranho Mundo de Jack; Huguinho homenageia seu herói favorito recriando a armadura do RoboPato; Bóing usa a sua máscara dos Mighty Ducks; e Donald e Dumbela representam um anjo e um demônio, respectivamente. Além deles, os monstros introduzidos no episódio são inspirados nos clássicos da Universal, como Frankenstein e Drácula, mas também há piadas com filmes mais “recentes”, como O Chamado, com uma das figuras da casa abandonada saindo de um poço e recriando uma cena do filme.

A “piada premiada” poderia facilmente ir para todo o monólogo de Bóing sobre os Hungries, mas se eu tiver que escolher apenas uma que me fez passar mal de rir é o momento em que os monstros confundem a voz de Donald com a de alguém possuído por demônios. Assim, The Trickening! é um daqueles episódios memoráveis de Ducktales, com uma comédia pontual e atenção para cada um dos personagens. Felizmente, já estamos acostumados ao padrão de qualidade da série, e vamos torcer para continuar assim.

Ducktales – 3X09 e 3X10: They Put a Moonlander on the Earth! e The Trickening! (EUA, 28 de Setembro e 05 de Outubro de 2020)
Direção: Jason Zurek, Sam King (They Put a Moonlander on the Earth!), Matthew Humphreys (The Trickening!)
Roteiro: Sam King, Bob Snow (They Put a Moonlander on the Earth!), Christian Magalhaes (The Trickening!)
Elenco: David Tennant, Dani Pudi, Ben Schwartz, Bobby Moynihan, Kate Micucci, Tony Anselmo, Beck Bennett, Paget Brewster, Toks Olagundoye, Bill Farmer
Duração: 21 min.

Você Também pode curtir

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais