Home TVEpisódio Crítica | Fear the Walking Dead – 2X06: Sicut Cervus

Crítica | Fear the Walking Dead – 2X06: Sicut Cervus

por Ritter Fan
116 views (a partir de agosto de 2020)

estrelas 2

Obs: Há spoilers. Leia  a crítica de todos os episódios da série, aqui.

Dei uma chance a Fear the Walking Dead. Esperava que, mesmo com a escolha equivocada de Dave Erickson (e de Robert Kirkman também, não esqueçamos dele) em abordar apenas superficialmente o efetivo começo do apocalipse zumbi, ele tentasse fazer algo diferente do que é oferecido em The Walking Dead, a série principal. No entanto, não é isso que tem sido feito e a sensação de dejà vu é constante e incrivelmente irritante.

Mas tomarei a liberdade de voltar a essa reclamação mais tarde. Deixe-me começar com outro tipo de reclamação, uma que é ligada diretamente à história estabelecida nesta segunda temporada. Afinal, ela foi “vendida” como sendo uma temporada, digamos, marítima, algo que definitivamente a retiraria do lugar-comum. No entanto, a grande verdade é que toda a ação propriamente dita, ao longo de cinco dos seis episódios até agora se passa em terra, transformando a série em uma inédita “terra firme da semana” como, aliás, previ já no segundo episódio, We All Fall Down. Uma ilha aqui, uma praia ali, uma doca seca acolá. A repetição temática e a incapacidade de ousar do showrunner são impressionantes, mas negativamente. Para que o grande iate Abigail, o mistério de Strand, a viagem ao México se tudo que vemos são paradas, desembarques e voltas ao barco? Sinto-me como um otário por ter acreditado que uma série que prometia caminhar de maneira diferente (nem peço algo original…), esteja repetindo a já batida estrutura estabelecida pela série-mãe.

Reparem nos detalhes. Falei do plano misterioso de Strand para levar seu grupo ao México, não? Pois bem, em Blood in the Streets, Luis Flores entrou na história permitindo-nos vislumbrar a dificuldade que seria Strand entrar em Baja com um grupo grande como aquele. Cada “cabeça” precisava ser comprada, caso contrário o plano iria por água abaixo. E, nos primeiros cinco minutos de Sicut Cervus após os créditos iniciais, toda essa grande dificuldade, esse mirabolante plano misterioso acaba com um tiroteio fora de tela traduzido e narrado passo-a-passo por Daniel. Depois, vemos dois ou três tiros quebrando as janelas do Abigail, um pequeno drama com o “mata-não-mata” envolvendo o moribundo Luis e ABRACADABRA, todos os problemas desaparecem como se nunca tivessem existido. É sério mesmo que fomos enganados por cinco episódios, que toda essa complexidade era para “inglês ver”?

E, pior, ao chegar em Terra, Strand e seu grupo passam pela igreja que vimos no prelúdio e enfrentam os zumbis da paróquia que haviam sido misteriosamente mortos. Descobrimos que o referido prelúdio, que inicialmente parece um flashback para algum tempo atrás, deve ter acontecido, no máximo, há um dia, fazendo com que a chegada de Strand à propriedade de Celia Flores (Marlene Forte), mãe de Luis, seja providencial e coincidente ao extremo, permitindo que ele ainda visse a morte de seu amado Thomas Abigail, que fora mordido. O que se desenrola daí é drama barato do pior tipo, daqueles vendidos em banca de jornal em papel jornal. Um pacto shakespeariano de suicídio, um mistério zumbi, uma matriarca sinistra, um Daniel perdido, um Chris psicopata. De tudo um pouco para todos os gostos, menos para quem gosta de séries de TV com bons roteiros…

Mas a cereja no bolo – e aqui eu volto para minha primeira reclamação – é notar que todas essas linhas narrativas, de uma forma ou de outra, já foram abordadas em The Walking Dead. Erickson dá apenas nova roupagem a elas, sem se preocupar com cadência, acelerando acontecimentos e criando uma correria no roteiro de Brian Buckner que acaba banalizando tudo. Vejam Strand e Thomas, por exemplo. Os dois atores conseguem, no pouquíssimo tempo que têm, dar credibilidade ao relacionamento de seus personagens, mas todo o esforço na atuação é desperdiçado em dramalhão excessivo, em diálogos vazios e banais. Querem outro exemplo? Psycho Chris. De um garoto chato, ele torna-se um louco varrido que tem vários parafusos a menos, e isso praticamente de um dia para o outro. Ah, mas ele sofreu traumas terríveis. Ok, entendo o ponto, mas o problema, novamente, é a velocidade vertiginosa com que tudo acontece. Nesse mesmo episódio, em questão de horas, ele passa de alguém que reclama porque ninguém mais quer falar com ele (também pudera, pois é o Sr. Antipatia em pessoa…) a um quase assassino capaz de matar mãe e filha dormindo. Claro que ele não ia conseguir ou mesmo tentar – o suspense vazio chega a ser patético – mas o mero fato de ele ter entrado no quarto e segurado a faca já é suficiente para jogar o sujeito na jaula de zumbis…

Aliás, falando em jaula de zumbis, o que foi aquilo? Quer dizer então que Celia é a versão feminina do Governador? Uma matriarca religiosa que acha que os zumbis são seres pensantes, que são o “próximo passo” da humanidade e que é capaz de matar um padre e seu rebanho com hóstias envenenadas? Reparem como a descoberta de Daniel, que chega a ser bem construída graças a direção de Kate Dennis e a fotografia noturna do episódio, não surpreende nem um pouco e como seu enfrentamento posterior é corriqueiro e simplista.

E o mais interessante personagem até agora, Nick, ganha uma espécie de aura messiânica, algo que de certa forma já havia ficado claro quando Strand vê a qualidade no jovem logo quando eles se conhecem em Cobalt, na primeira temporada. Agora é Celia que vê algo diferente em Nick e os diálogos que os dois travam, muito distante de serem interessantes, são apenas estranhos, diria até deslocados e descontextualizados.

E claro: novamente temos uma “fortaleza murada”. Quantas vezes tivemos isso em The Walking Dead? Já é a segunda em Fear the Walking Dead. Repete-se o padrão, mas sem nenhum resquício de impacto. Espero que não resolvam transformar a hacienda em uma nova Alexandria…

O que realmente se salva em Sicut Cervus é a direção da já citada diretora australiana Kate Dennis, que trabalhou em Turn: Washington’s Spies, Sleepy Hollow e The Mindy Project, dentre outras séries. Mesmo sem material bom para trabalhar, ela consegue criar atmosfera usando uma câmera muitas vezes estática, bem posicionada, que consegue extrair dos atores o melhor possível. A tensão que ela constrói e deixa no ar é palpável e ela assim o faz sem ser intrusiva e óbvia, empregando filtros que delicadamente realçam a aridez e a crueza da situação e das decisões tomadas. Mas não há muito mais o que elogiar nesse episódio.

Tentei com todas as minhas forças, mas Fear the Walking Dead parece caminhar para a “estrada mais viajada” e isso me dá uma tremenda angústia, uma sensação de oportunidade desperdiçada e dinheiro indo para o ralo, dinheiro esse que poderia ser empregado em uma série diferente, engajante, corajosa. Infelizmente, parece-me, porém, que a escolha mais fácil, a repetição são o que alimentam a indústria hoje em dia, cabendo ao espectador simplesmente aceitar mais do mesmo ou recusar-se a embarcar nessa canoa furada…

Fear the Walking Dead – 2X06: Sicut Cervus (EUA, 15 de maio de 2016)
Criação: Robert Kirkman, Dave Erickson
Showrunner: Dave Erickson
Direção: Kate Dennis
Roteiro: Brian Buckner
Elenco: Kim Dickens, Cliff Curtis, Frank Dillane, Alycia Debnam-Carey, Mercedes Mason, Lorenzo James Henrie, Rubén Blades, Jamie McShane, Shawn Hatosy, Sandrine Holt, Colman Domingo, Michelle Ang, Brendan Meyer, Dougray Scott, Arturo Del Puerto,  Daniel Zovatto, Jesse McCartney, Veronica Diaz-Carranza, Mark Kelly, Marlene Forte
Duração: 45 min.

Você Também pode curtir

86 comentários

Alexandre 20 de maio de 2016 - 15:22

Fala Ritter,

Perdi meu tempo hj assistindo essa porcaria, quanta coisa ruim, desconexa, meu aquele moleque é tão ruim que dá até raiva ter de comentar, psicopata? Fala sério, esses dias tava chorando pela mamãe. Tá dificil, pior que colocam como uma série para substituir TWD nas férias, mas fica complicado acompanhar algo tão mau feito, essa segunda temporada tá uma estrela e olhe lá.

Abs,

Responder
planocritico 22 de maio de 2016 - 18:35

Fica realmente MUITO complicado. Erraram a mão feio nessa temporada…

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 22 de maio de 2016 - 18:35

Fica realmente MUITO complicado. Erraram a mão feio nessa temporada…

Abs,
Ritter.

Responder
Alexandre 20 de maio de 2016 - 15:22

Fala Ritter,

Perdi meu tempo hj assistindo essa porcaria, quanta coisa ruim, desconexa, meu aquele moleque é tão ruim que dá até raiva ter de comentar, psicopata? Fala sério, esses dias tava chorando pela mamãe. Tá dificil, pior que colocam como uma série para substituir TWD nas férias, mas fica complicado acompanhar algo tão mau feito, essa segunda temporada tá uma estrela e olhe lá.

Abs,

Responder
Batman 19 de maio de 2016 - 23:58

Que preguiça de seguir com essa série!
Aguente, Batman!, Aguente!

Responder
planocritico 22 de maio de 2016 - 18:50

Força, rapaz!

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 22 de maio de 2016 - 18:50

Força, rapaz!

Abs,
Ritter.

Responder
Batman 19 de maio de 2016 - 23:58

Que preguiça de seguir com essa série!
Aguente, Batman!, Aguente!

Responder
Leandro Lindao 18 de maio de 2016 - 12:43

Se naop fosse todo esse povo cult que adora essas séries sem graça…isso aí nao passaria de um programa nível C de qualquer televisão mundial. Podre demais!

Responder
planocritico 18 de maio de 2016 - 13:49

Cult? Essa série não tem nada de cult… Mas o pior é o pessoal que idolatra The Flash, Legends of Tomorrow, Arrow e coisas do gênero…

Abs,
Ritter.

Responder
nanda 24 de maio de 2016 - 23:14

Também parei com arrow e to quase parando com flash.

Responder
nanda 24 de maio de 2016 - 23:14

Também parei com arrow e to quase parando com flash.

Responder
planocritico 25 de maio de 2016 - 02:51

@disqus_YA3DWOdVWm:disqus, a crítica da quarta temporada de Arrow sai na sexta agora, se estiver interessada!

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 25 de maio de 2016 - 02:51

@disqus_YA3DWOdVWm:disqus, a crítica da quarta temporada de Arrow sai na sexta agora, se estiver interessada!

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 18 de maio de 2016 - 13:49

Cult? Essa série não tem nada de cult… Mas o pior é o pessoal que idolatra The Flash, Legends of Tomorrow, Arrow e coisas do gênero…

Abs,
Ritter.

Responder
Leandro Lindao 18 de maio de 2016 - 12:43

Se naop fosse todo esse povo cult que adora essas séries sem graça…isso aí nao passaria de um programa nível C de qualquer televisão mundial. Podre demais!

Responder
Alex Alves 17 de maio de 2016 - 16:37

Episódio estranho, chegou um momento que achei que estava vendo a série errada rsrs. Parecia Z Nation (claro esse é muito melhor). Está cada dia mais difícil de acompanhar a série.

Responder
Alex Alves 17 de maio de 2016 - 16:37

Episódio estranho, chegou um momento que achei que estava vendo a série errada rsrs. Parecia Z Nation (claro esse é muito melhor). Está cada dia mais difícil de acompanhar a série.

Responder
planocritico 17 de maio de 2016 - 16:48

Estranho é eufemismo, caro @disqus_wHnwexv2Fr:disqus!

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 17 de maio de 2016 - 16:48

Estranho é eufemismo, caro @disqus_wHnwexv2Fr:disqus!

Abs,
Ritter.

Responder
Maitê 17 de maio de 2016 - 13:42

Ritter, sabe o que há de melhor em FTWD ? É a sua crítica. Você acabou com a série a partir de um excelente texto: direto, objetivo, indo bem na jugular da série! Adorei! Fiquei a espera (a partir de suas resenhas) de que as coisas melhorassem, mas não. Então eles mataram o personagem de Dougray Scott (meu Príncipe Encantado favorito) em apenas dois episódios? Por fim confessar sentir-se um otário ficou impagável! Ô dó!!!

Responder
planocritico 17 de maio de 2016 - 15:12

Pelo menos uma coisa divertida, não é? Mas sim, sou um otário de marca maior por ter embarcado nessa série. E olha que eu REALMENTE gostei do começo da primeira temporada…

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 17 de maio de 2016 - 15:12

Pelo menos uma coisa divertida, não é? Mas sim, sou um otário de marca maior por ter embarcado nessa série. E olha que eu REALMENTE gostei do começo da primeira temporada…

Abs,
Ritter.

Responder
Maitê 17 de maio de 2016 - 13:42

Ritter, sabe o que há de melhor em FTWD ? É a sua crítica. Você acabou com a série a partir de um excelente texto: direto, objetivo, indo bem na jugular da série! Adorei! Fiquei a espera (a partir de suas resenhas) de que as coisas melhorassem, mas não. Então eles mataram o personagem de Dougray Scott (meu Príncipe Encantado favorito) em apenas dois episódios? Por fim confessar sentir-se um otário ficou impagável! Ô dó!!!

Responder
Diego Uzêda 17 de maio de 2016 - 13:03

Assim como muitos, dei uma chance para Fear – The Walking Dead, mas está ficando cada vez mais difícil acompanhar semana a semana.

Responder
planocritico 17 de maio de 2016 - 15:12

@diegouzda:disqus, imagina então acompanhar E escrever? Se continuar assim, não terei mais xingamentos diferentes para fazer…

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 17 de maio de 2016 - 15:12

@diegouzda:disqus, imagina então acompanhar E escrever? Se continuar assim, não terei mais xingamentos diferentes para fazer…

Abs,
Ritter.

Responder
Diego Uzêda 17 de maio de 2016 - 13:03

Assim como muitos, dei uma chance para Fear – The Walking Dead, mas está ficando cada vez mais difícil acompanhar semana a semana.

Responder
Junito Hartley 17 de maio de 2016 - 11:39

Minha namorada ja desistiu da serie, eu vou continuar ate nao aguentar mais, ta dificil, ta dificil, eu daria 1 estrela pra esse episodio.

Responder
planocritico 17 de maio de 2016 - 15:11

@Junito_Silva:disqus, pensei em dar uma estrela, mas dei uma canja para a diretora, que é boa!

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 17 de maio de 2016 - 15:11

@Junito_Silva:disqus, pensei em dar uma estrela, mas dei uma canja para a diretora, que é boa!

Abs,
Ritter.

Responder
nanda 20 de maio de 2016 - 11:58

Parei mesmo..Ou eu parava ou me jogava da janela..Resolvi parar!

Responder
nanda 20 de maio de 2016 - 11:58

Parei mesmo..Ou eu parava ou me jogava da janela..Resolvi parar!

Responder
planocritico 22 de maio de 2016 - 18:50

Entre essas opções, você realmente escolheu bem. HAHAHHHAAHAH

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 22 de maio de 2016 - 18:50

Entre essas opções, você realmente escolheu bem. HAHAHHHAAHAH

Abs,
Ritter.

Responder
Junito Hartley 17 de maio de 2016 - 11:39

Minha namorada ja desistiu da serie, eu vou continuar ate nao aguentar mais, ta dificil, ta dificil, eu daria 1 estrela pra esse episodio.

Responder
André Mozzer 17 de maio de 2016 - 08:43

Putss bicho que raiva desses caras… Eles tem um prato cheio para fazer algo bacana, mas não, detonam com tudo.

Tomara que tenha ainda um ou outro episodio bacana para ajudar nosso amigo Ritter… que luta hein camarada, pelo jeito assistir é mais complicado do que sobrevider ao APZ da série hehe

Responder
planocritico 17 de maio de 2016 - 15:08

@andrmozzer:disqus, está me dando uma tristeza… E saber que há ainda 9 episódios pela frente, sem perspectiva de melhoria substancial é de matar…

Mas é a vida… Nem tudo pode ser Better Call Saul…

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 17 de maio de 2016 - 15:08

@andrmozzer:disqus, está me dando uma tristeza… E saber que há ainda 9 episódios pela frente, sem perspectiva de melhoria substancial é de matar…

Mas é a vida… Nem tudo pode ser Better Call Saul…

Abs,
Ritter.

Responder
André Mozzer 17 de maio de 2016 - 08:43

Putss bicho que raiva desses caras… Eles tem um prato cheio para fazer algo bacana, mas não, detonam com tudo.

Tomara que tenha ainda um ou outro episodio bacana para ajudar nosso amigo Ritter… que luta hein camarada, pelo jeito assistir é mais complicado do que sobrevider ao APZ da série hehe

Responder
Luiz Santiago 17 de maio de 2016 - 04:40

A primeira coisa que eu pensei quando vi a foto de destaque foi: meu, isso parece foto de filme brasileiro! Uma produção da Globo Filmes chamada QUEM ROUBOU MEU PÃO DE QUEIJO? E o cara com cara feia ali é o acusado pela tiazinha atrás, que está pensando em “contar tudo para Dona Jurema”.

Responder
Luiz Santiago 17 de maio de 2016 - 04:40

A primeira coisa que eu pensei quando vi a foto de destaque foi: meu, isso parece foto de filme brasileiro! Uma produção da Globo Filmes chamada QUEM ROUBOU MEU PÃO DE QUEIJO? E o cara com cara feia ali é o acusado pela tiazinha atrás, que está pensando em “contar tudo para Dona Jurema”.

Responder
Stella 17 de maio de 2016 - 12:15

HAHAHAHA juro que pensei que era uma produção brasileira da globo filmes também kkkkkkk, acho que Ritter escolheu esta imagem com esta intenção.
Não é Ritter?kkkk

Responder
Stella 17 de maio de 2016 - 12:15

HAHAHAHA juro que pensei que era uma produção brasileira da globo filmes também kkkkkkk, acho que Ritter escolheu esta imagem com esta intenção.
Não é Ritter?kkkk

Responder
planocritico 17 de maio de 2016 - 15:07

@disqus_9KZLz8G0wg:disqus, o feel de novelão mexicano me infectou e eu não resisti!

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 17 de maio de 2016 - 15:07

@disqus_9KZLz8G0wg:disqus, o feel de novelão mexicano me infectou e eu não resisti!

Abs,
Ritter.

Responder
Maycon Oliveira 17 de maio de 2016 - 14:22

De acordo com a ANAZO (Agência Nacional da Zoeira), você atingiu 100% do seu pacote de zoeira. Sua zoeira será cortada, mas você pode adquirir um novo pacote, mandando um SMS para o número 666, com a mensagem 50UTR0UX4 .

Responder
planocritico 17 de maio de 2016 - 15:13

HAHAHHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

@luizsantiago:disqus, o Master Zoator Tabajara!

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 17 de maio de 2016 - 15:13

HAHAHHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

@luizsantiago:disqus, o Master Zoator Tabajara!

Abs,
Ritter.

Responder
Maycon Oliveira 17 de maio de 2016 - 14:22

De acordo com a ANAZO (Agência Nacional da Zoeira), você atingiu 100% do seu pacote de zoeira. Sua zoeira será cortada, mas você pode adquirir um novo pacote, mandando um SMS para o número 666, com a mensagem 50UTR0UX4 .

Responder
Patoutor Destino 2099 17 de maio de 2016 - 15:20

“Dona jurema”! Kkkkkkkkk

Responder
Patoutor Destino 2099 17 de maio de 2016 - 15:20

“Dona jurema”! Kkkkkkkkk

Responder
Stella 17 de maio de 2016 - 01:58

Cade o Luiz??? HAHAHAHAHA. A serie está ótima 2 estrelas. Ritter e agora o jeito é convocar a carreta furacão.

Responder
planocritico 17 de maio de 2016 - 02:07

@disqus_9KZLz8G0wg:disqus, o @luizsantiago:disqus é um fanfarrão… Já está se contorcendo porque as séries favoritas dele estão acabando…

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 17 de maio de 2016 - 02:07

@disqus_9KZLz8G0wg:disqus, o @luizsantiago:disqus é um fanfarrão… Já está se contorcendo porque as séries favoritas dele estão acabando…

Abs,
Ritter.

Responder
Luiz Santiago 17 de maio de 2016 - 04:38

Olha eu aquiiiiiiiiiiii!!!

Responder
Luiz Santiago 17 de maio de 2016 - 04:38

Olha eu aquiiiiiiiiiiii!!!

Responder
Stella 17 de maio de 2016 - 01:58

Cade o Luiz??? HAHAHAHAHA. A serie está ótima 2 estrelas. Ritter e agora o jeito é convocar a carreta furacão.

Responder
Kate Bishop 17 de maio de 2016 - 02:01

Minha irmã, a teenager maluca por TWD, estava pensando em assistir FTWD para cobrir o buraco que o hiatus de sete meses está causando. Só que ela está em dúvida – primeiro porque tem poucos episódios, segundo porque ela tem medo de não gostar…

Então, peço sua ajuda: o que ela deve fazer?

xx

Responder
planocritico 17 de maio de 2016 - 02:08

@agentcartter:disqus, se sua irmã não se importar com muito sangue e tripas (mais do que em TWD), sugiro que ela fuja de FTWD e veja Z Nation que é uma sátira (mas não é comédia) divertidíssima de zumbis. Tem as duas temporadas no Netflix e é uma maluquice só. Fiz as duas críticas aqui para o site: https://www.planocritico.com/tag/z-nation/

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 17 de maio de 2016 - 02:08

@agentcartter:disqus, se sua irmã não se importar com muito sangue e tripas (mais do que em TWD), sugiro que ela fuja de FTWD e veja Z Nation que é uma sátira (mas não é comédia) divertidíssima de zumbis. Tem as duas temporadas no Netflix e é uma maluquice só. Fiz as duas críticas aqui para o site: https://www.planocritico.com/tag/z-nation/

Abs,
Ritter.

Responder
Kate Bishop 17 de maio de 2016 - 02:16

Falarei com ela (apesar de que agora ela começou Supernatural e gostou, então sei lá…).

p.s.: levei dois tiros de distração na última crítica de AoS (desculpa), mas prometo que falarei bastante na próxima. Muito MESMO…….se não me distraírem de novo zzzz

xx

Responder
Kate Bishop 17 de maio de 2016 - 02:16

Falarei com ela (apesar de que agora ela começou Supernatural e gostou, então sei lá…).

p.s.: levei dois tiros de distração na última crítica de AoS (desculpa), mas prometo que falarei bastante na próxima. Muito MESMO…….se não me distraírem de novo zzzz

xx

Responder
planocritico 17 de maio de 2016 - 15:10

Supernatural… As pessoas que assistem a essa série dizem que foram enfeitiçados pela CW e não conseguem mais largar… Sua irmã adolescente provavelmente estará assistindo a 28ª temporada quando já estiver adulta e uma profissional respeitada no meio em que escolher, tendo que “esconder” que gosta dessa série…

Abs (e boa sorte para ela),
Ritter.

Responder
Stella 17 de maio de 2016 - 15:52

Eu consegui me livrar do feitiço HAHAHAHA realmente a gente nao consegue parar tem algo nela, nao sei dizer hmmm se assistir por muito tempo , ai eu nao sei porque …..HAHAHAHA https://uploads.disquscdn.com/images/875c8129bb2981f974775395562954328bd208ccc4c09c75e4a604842d8b5231.gif

Stella 17 de maio de 2016 - 15:52

Eu consegui me livrar do feitiço HAHAHAHA realmente a gente nao consegue parar tem algo nela, nao sei dizer hmmm se assistir por muito tempo , ai eu nao sei porque …..HAHAHAHA https://uploads.disquscdn.com/images/875c8129bb2981f974775395562954328bd208ccc4c09c75e4a604842d8b5231.gif

Jessé Claudino 18 de maio de 2016 - 10:46

Supernatural conta a história dos irmãos que enfrenta o sobrenatural
Então vai ter diversas coisas

Jessé Claudino 18 de maio de 2016 - 10:46

Supernatural conta a história dos irmãos que enfrenta o sobrenatural
Então vai ter diversas coisas

planocritico 17 de maio de 2016 - 15:10

Supernatural… As pessoas que assistem a essa série dizem que foram enfeitiçados pela CW e não conseguem mais largar… Sua irmã adolescente provavelmente estará assistindo a 28ª temporada quando já estiver adulta e uma profissional respeitada no meio em que escolher, tendo que “esconder” que gosta dessa série…

Abs (e boa sorte para ela),
Ritter.

Responder
Jessé Claudino 18 de maio de 2016 - 10:56

Z nation é legal
Tem uma mistura de humor negro e também é uma série que não tem compromisso de seguir uma padrão que acaba se tornando uma série boa para assistir

Responder
Jessé Claudino 18 de maio de 2016 - 10:56

Z nation é legal
Tem uma mistura de humor negro e também é uma série que não tem compromisso de seguir uma padrão que acaba se tornando uma série boa para assistir

Responder
planocritico 18 de maio de 2016 - 13:54

Exato! Um divertimento sem fim!

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 18 de maio de 2016 - 13:54

Exato! Um divertimento sem fim!

Abs,
Ritter.

Responder
Kate Bishop 18 de maio de 2016 - 18:26

Eu adoraria assistir – apesar de não ter tempo e não curtir muito sangue e tripas…
Deixa pra outra hora, então hahahaha.

Responder
Kate Bishop 18 de maio de 2016 - 18:26

Eu adoraria assistir – apesar de não ter tempo e não curtir muito sangue e tripas…
Deixa pra outra hora, então hahahaha.

Responder
Kate Bishop 17 de maio de 2016 - 02:01

Minha irmã, a teenager maluca por TWD, estava pensando em assistir FTWD para cobrir o buraco que o hiatus de sete meses está causando. Só que ela está em dúvida – primeiro porque tem poucos episódios, segundo porque ela tem medo de não gostar…

Então, peço sua ajuda: o que ela deve fazer?

xx

Responder
AugustoCG 17 de maio de 2016 - 01:54

Se a série não melhorar até o mid-season – e eu creio fortemente que não vai – eu pulo desse barco, com o perdão do trocadilho infame, que já nem faz sentido depois desse último episódio.

Responder
planocritico 17 de maio de 2016 - 02:09

Também duvido que melhore! Mas não pare de ver não! Solidarize-se com minha desgraça, já que terei que ver – e criticar por episódio – até o final…

PLEAAAAASE!

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 17 de maio de 2016 - 02:09

Também duvido que melhore! Mas não pare de ver não! Solidarize-se com minha desgraça, já que terei que ver – e criticar por episódio – até o final…

PLEAAAAASE!

Abs,
Ritter.

Responder
AugustoCG 17 de maio de 2016 - 19:16

Hahaha, é complicado para os fãs que adoram TWD quando você vai ver o spin-off e se depara com a mesma coisa, só que malfeito. Adorei o começo da série mas o início da infecção acabou muito rápido e só passamos a ver uma família de psicopatas em situações incomuns e passageiras que não os afetam de forma natural.

Eu esperava muito da segunda temporada, mas em tempos de GoT, Better Caul Saul, Vikings e outras, fica difícil achar vontade de ver esses 45 minutos de sofrência.

Mas vou me esforçar pra acabar a temporada pelo menos, não é bacana abandonar essas 6 horas que eu já vi e não me serviriam pra nada.

Responder
AugustoCG 17 de maio de 2016 - 19:16

Hahaha, é complicado para os fãs que adoram TWD quando você vai ver o spin-off e se depara com a mesma coisa, só que malfeito. Adorei o começo da série mas o início da infecção acabou muito rápido e só passamos a ver uma família de psicopatas em situações incomuns e passageiras que não os afetam de forma natural.

Eu esperava muito da segunda temporada, mas em tempos de GoT, Better Caul Saul, Vikings e outras, fica difícil achar vontade de ver esses 45 minutos de sofrência.

Mas vou me esforçar pra acabar a temporada pelo menos, não é bacana abandonar essas 6 horas que eu já vi e não me serviriam pra nada.

Responder
planocritico 18 de maio de 2016 - 13:58

@augusto_cezar_gerber:disqus, é bem por aí mesmo. Tem tanta oferta melhor que é perda de tempo mesmo ver FTWD…

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 18 de maio de 2016 - 13:58

@augusto_cezar_gerber:disqus, é bem por aí mesmo. Tem tanta oferta melhor que é perda de tempo mesmo ver FTWD…

Abs,
Ritter.

Responder
Maitê 19 de maio de 2016 - 18:17

Você é tão corajoso quanto o Ritter quanto a aguentar a “sofrência” de assistir a FTWD, pelo menos até o final da temporada vocês poderão comentar sobre as oito horas que não serviram pra nada.

Responder
Maitê 19 de maio de 2016 - 18:17

Você é tão corajoso quanto o Ritter quanto a aguentar a “sofrência” de assistir a FTWD, pelo menos até o final da temporada vocês poderão comentar sobre as oito horas que não serviram pra nada.

Responder
AugustoCG 17 de maio de 2016 - 01:54

Se a série não melhorar até o mid-season – e eu creio fortemente que não vai – eu pulo desse barco, com o perdão do trocadilho infame, que já nem faz sentido depois desse último episódio.

Responder

Escreva um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais