Home TVEpisódio Crítica | Fear the Walking Dead – 2X09: Los Muertos

Crítica | Fear the Walking Dead – 2X09: Los Muertos

por Ritter Fan
139 views (a partir de agosto de 2020)

estrelas 2,5

Obs: Há spoilers. Leia  a crítica de todos os episódios da série, aqui.

Grotesque foi um interessante episódio de volta de temporada focado exclusivamente em Nick e seu “desejo de morte” que acaba com o rapaz encontrando mais uma comunidade murada e um pouco de paz de espírito. Era de esperar, porém, que logo a série procurasse abordar os demais grupos resultantes do incêndio na fazenda de Celia e é exatamente isso que acontece em Los Muertos, porém não da maneira mais óbvia.

Para começar, Travis e Chris ainda estão desaparecidos. Além disso Nick continua sendo o grande foco do episódio, o que foi uma grata surpresa. Mas Strand, Madison, Alicia e Ofelia aparecem como mais ou menos esperado e, portanto, começarei a análise por eles.

Fear the Walking Dead, desde o momento que mostrou, ainda na temporada passada, que o grande plano de Daniel para libertar Nick e sua esposa do hospital-prisão militar era soltar centenas de zumbis presos em um estádio e, como o flautista de Hamelin, usá-los como “distração”, perdeu completamente sua credibilidade comigo. E, a partir da 2ª temporada, a sucessão de burradas por parte de todos do elenco começou gradativamente a transformar a série em um pastiche. Digo isso, pois a situação do grupo de Strand enquadra-se perfeitamente neste conceito.

Afinal, depois de passarem dois dias procurando Nick, Travis e Chris, o quarteto finalmente decide voltar para a Abigail que, para surpresa de absolutamente ninguém (só deles), não está mais lá onde deveria estar. Frustrados, as inteligências raras decidem abrigar-se em um hotel enorme, pois hotéis, especialmente os que são tipo resort como o que eles acham, têm pouca gente e, portanto, baixo potencial de se encontrar mortos-vivos… E, dito e feito, o hotel está vazio (ha, ha, ha…), como comprova a campainha do balcão de check-in que Strand insistentemente toca. Findo esse momento meigo, o já pequeno grupo se divide em dois, com as jovens Alicia e Ofelia decidindo fazer uma varredura completa nos quartos (porque elas são experientes nesse tipo de tarefa e separar o grupo é algo prático e inteligente de se fazer em uma hora dessas) e os adultos(???) Strand e Madison resolvem se embebedar no bar, prática usual em apocalipses zumbis quando é pouco necessário manter-se alerta o tempo todo.

Mas calma, pois, assim como no caso das meias Vivarina e das facas Ginsu, TEM MAIS! Enquanto Alicia decide tomar banho calmamente (porque ficar fedida em meio aos mortos é impensável, não é mesmo?), Ofelia some, Madison começa a arremessar copos na parede e Strand, o suprassumo da genialidade, decide tocar piano…

Quando eu já estava passando mal de tanto rir, os zumbis começaram a se jogar pelas sacadas, criando, então, o único momento realmente interessante desta parte do episódio. Como antes Alicia e Ofelia haviam visto um homem que se matara no chuveiro sem saber que se transformaria em desmorto e Ofelia demonstrou-se completamente sem esperanças, ver os corpos caindo logo me fizeram parar de gargalhar e entrar no clima pesado que o roteiro de Alan Page tentou criar, mas falhou fragorosamente até aquele momento (e não consegui deixar de conectar essa sequência com as imagens das pessoas se jogando do World Trade Center, depois do ataque terrorista de 2001). Mesmo com um CGI capenga, o objetivo foi alcançado, deixando um cliffhanger desnecessário (por ser muito cedo), mas interessante, com a bancada quadrada do bar servindo de mureta protetora entre os bêbados e os mortos, em uma bem coreografada e bem fotografada sequência. Aposto que, se os dois saírem vivos dessa confusão (duvido que não saiam), comemorarão tomando um porre…

Gente, sei que meu “modo sarcasmo” estava ligado em nível 11 durante a redação dos parágrafos anteriores, mas é que não resisti. A sucessão de decisões ilógicas que essa turma toma episódio atrás de episódio realmente me tira do sério. Mas o mais chato é que é perfeitamente possível ver o que Chris Erickson, o showrunner, está tentando fazer: criar empatia do público em relação aos seus personagens. Creio que ele já tenha conseguido a duras penas no caso de Nick, mas falta muito em relação aos demais, talvez com exceção de Strand. Aliás, a conversa pré-piano entre ele e Madison é eficiente em quebrar o gelo dela, deixando em destaque um lado mais humano da personagem e abrindo espaço para Kim Dickens mostrar que sabe fazer mais do que ficar de cara amarrada gritando “Nick” para cá, “Alicia” para lá e “Travis” acolá. Teria sido muito melhor, porém, que este grupo tivesse recebido o tratamento que Nick recebeu em Grotesque, com um episódio só para eles de modo que a calmaria pudesse ser estendida e os acontecimentos tensos ao final fossem mais bem construídos. Do jeito que ficou, até mesmo Strand começa a apagar-se, o que pode ser a morte da temporada.

No lado de Nick, a revelação de que, aparentemente, o farmacêutico Alejandro é imune à praga e que, por isso, ele tornou-se uma espécie de messias para o grupo de desesperados que vive na comunidade, é no mínimo estranha se for verdadeira. Pode ser mentira (falso profeta!), pode haver uma explicação médica (um corte preciso logo após a mordida) ou pode não ser nada (repararam como ele esconde a cicatriz?). Mas se isso realmente tiver acontecido, será a primeira vez dentro da mitologia de The Walking Dead e, portanto, não saberia exatamente como equalizar essa situação com todo o resto. É esperar para ver.

Mas aqui, como no grupo de Strand, as decisões imbecis também prosperam. A primeira delas é o jogo que Nick faz com os bandoleiros locais em troca de mais água e de um bolinho para a menina que perdera o pai. Tudo pode ser explicado pelo ânimo suicida do rapaz, mas confesso que cada vez mais me desagrada esse enfoque, por ser simplista demais. Por outro lado, não consigo ainda ver em Nick alguém esperto o suficiente para conseguir fazer o que ele faz sem maiores consequências (e aquela historinha de que a gangue nunca seguiu Luciana está muito mal contada…). E isso me leva ao segundo problema. Mesmo considerando que a série agora se passa no México, país profundamente católico, esta é a segunda vez que uma espécie de culto aos muertos aparece. Tivemos Celia e sua adega-prisão e, agora, temos Alejandro e seu “muro”. Haja estereótipos.

Em ambos os casos, os mortos são “protegidos” e, mais estranho ainda, em ambos os casos Nick parece enamorar-se com a lenga-lenga vomitada pelos pregadores. Ou seja, o rapaz que se mostra tão esperto em determinados momentos é, ainda, em seu âmago, um dependente de drogas, pouco importando a forma que ela se apresente: pílulas, injeções ou palavras. Mas deixe-me qualificar a crítica. A questão não é exatamente Nick cair nas conversas, mas sim a velocidade com que isso acontece, o que novamente poderia ser evitado com outro episódio dedicado só a ele que se protraísse no tempo.

A 2ª temporada de Fear the Walking Dead que, conforme prometeram, se passaria na água, está bem fixa em terra firme, o que apenas a coloca em posição mais frágil em comparação com a série mãe. E, mesmo se assim não fosse, a repetição temática nos poucos episódios que ela teve até agora chega a ser desconcertante, ainda que, entre uma bobagem e outra, haja momentos realmente bem pensados. O grande problema é que isso não basta. Nem de longe, na verdade…

Fear the Walking Dead – 2X09: Los Muertos (EUA, 28 de agosto de 2016)
Criação: Robert Kirkman, Dave Erickson
Showrunner: Dave Erickson
Direção: Deborah Chow
Roteiro: Alan Page
Elenco: Kim Dickens, Cliff Curtis, Frank Dillane, Alycia Debnam-Carey, Mercedes Mason, Lorenzo James Henrie, Paul Calderon,  Lexi Johnson, Moisses Arath Leyva, Jorge Bustamante,  Heidi García,  Lyn Alica Henderson,  Alfredo Herrera
Produtora: AMC
Disponibilização da série no Brasil (na data de publicação da presente crítica: Canal AMC
Duração: 44 min.

Você Também pode curtir

51 comentários

Bruno Fabian 17 de setembro de 2016 - 18:27

Eu não sei se rio ou se choro com essa série. Faz um tempo que não a vejo, já que só paro para assistir quando tem nada mais para assistir, tal como podem ver, só estou comentando agora, semanas depois desse episódio. E depois de apoiar a maioria das coisas ditas na crítica, eu acrescento uma parte esquecida do episódio, onde o traficante está próximo de cortar a mão do nick e antes disso, nick toma uma coronhada bem dada e o rosto dele onde levou a pancada está limpinho e brilhoso com sol, fora que a cena escurece e quando penso que a cena voltaria com nick apagado, pra minha surpresa o cara tá normal, como se nada tivesse acontecido (haha). Mas o grande ápice da cena e no momento em que o traficante vai pra cortar a mão do nick e eis que nick (parecendo que nem está próximo de perder a sua mão e qualquer outra pessoa estaria totalmente histérica) fala para o traficante e este como se tivesse entendido ou pensando: vou parar no meio do caminho pQ esse ladrãozinho (rata, rs) quer falar algo importante. Mas eis que nick diz: se cortar minha mão a gente vai fazer compra em outro lugar.
Pronto! Isso foi o que precisava pra eu desgraçar mais ainda a série. Fala sério né, mesmo que o traficante estivesse precisando de algo deles, o cara roubou e o traficante para o momento de cortar a mão do nick só pQ ele proferiu algumas palavras que nem entendia.

Pra terminar, é como falei no começo da minha escrita, só assisto a série quando nada tem mais de série de meu interesse pra assistir, pois essa série já “cagou no maiô” faz tempo. kkk

Responder
planocritico 18 de setembro de 2016 - 18:33

Confesso que já estou na fase em que admiti para mim mesmo que não adianta mais chorar, apenas rir das imbecilidades de cada episódio… Por enquanto, é um enorme desperdício de tempo.

E concordo com seus pontos todos!

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 18 de setembro de 2016 - 18:33

Confesso que já estou na fase em que admiti para mim mesmo que não adianta mais chorar, apenas rir das imbecilidades de cada episódio… Por enquanto, é um enorme desperdício de tempo.

E concordo com seus pontos todos!

Abs,
Ritter.

Responder
Claudinei Maciel 4 de setembro de 2016 - 00:12

Eu abandonei completamente as esperanças tanto com essa série, quanto com a original. A original está se arrastando com variações sobre o mesmo tema e já poderia ter se encerrado, mas, pelo visto, vai durar mais umas três temporadas, e confesso que Fear não me conquistou. Tentei. Mas não me conquistou.
Caras!! É um apocalipse zumbi!!! A calmaria dessas pessoas não condiz com o que está acontecendo!! Não faz sentido para mim.
Será que é simplesmente tão fácil assim perambular por um lugar onde MORTOS estão andando?!?!?!
A fria e crua aceitação dessa gangue do Fear me dá nos nervos.
É muito simplista que nessa altura do campeonato simplesmente se conviva com mortos perambulando como se fosse a coisa mais natural do mundo, afinal, acho que não se passou muito tempo desde o início da “infecção”, mas mesmo assim, me dá nos nervos isso.
Em uma situação real, o PÂNICO seria o mais usual e não essa aceitação de entrar em uma rua e a cada esquina ter uns dois ou três MORTOS andando sem rumo. E agora me vêem com essa “messianidade”, me poupe.
Pode ser a minha idade provecta e já estar meio ranzinza, mas esse troço já não me pega tanto. Ao meu ver já está na hora de encerrar, AMBAS e partir para outra coisa. Se não vão entregar o porquê da transformação e/ou possibilidade de evitar que se alastre para uma salvação, não mais me interessa. Vou assistir como faço com Arrow: porque quero saber não que me importe de fazê-lo.
Vou orar ao Deus Ritter para alguma iluminação, ou vou simplesmente apagar a lâmpada…
Abraços

Responder
planocritico 5 de setembro de 2016 - 16:26

FTWD não engrenou. Achei que iria engrenar, mas ela se perdeu. TWD eu também acho que pode ser encerrada. Já está se repetindo.

Não tenho nenhuma iluminação para passar… Está complicado mesmo… Mas olha, qualquer uma das duas é MUITO, mas MUITO melhor que Arrow…

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 5 de setembro de 2016 - 16:26

FTWD não engrenou. Achei que iria engrenar, mas ela se perdeu. TWD eu também acho que pode ser encerrada. Já está se repetindo.

Não tenho nenhuma iluminação para passar… Está complicado mesmo… Mas olha, qualquer uma das duas é MUITO, mas MUITO melhor que Arrow…

Abs,
Ritter.

Responder
Claudinei Maciel 4 de setembro de 2016 - 00:12

Eu abandonei completamente as esperanças tanto com essa série, quanto com a original. A original está se arrastando com variações sobre o mesmo tema e já poderia ter se encerrado, mas, pelo visto, vai durar mais umas três temporadas, e confesso que Fear não me conquistou. Tentei. Mas não me conquistou.
Caras!! É um apocalipse zumbi!!! A calmaria dessas pessoas não condiz com o que está acontecendo!! Não faz sentido para mim.
Será que é simplesmente tão fácil assim perambular por um lugar onde MORTOS estão andando?!?!?!
A fria e crua aceitação dessa gangue do Fear me dá nos nervos.
É muito simplista que nessa altura do campeonato simplesmente se conviva com mortos perambulando como se fosse a coisa mais natural do mundo, afinal, acho que não se passou muito tempo desde o início da “infecção”, mas mesmo assim, me dá nos nervos isso.
Em uma situação real, o PÂNICO seria o mais usual e não essa aceitação de entrar em uma rua e a cada esquina ter uns dois ou três MORTOS andando sem rumo. E agora me vêem com essa “messianidade”, me poupe.
Pode ser a minha idade provecta e já estar meio ranzinza, mas esse troço já não me pega tanto. Ao meu ver já está na hora de encerrar, AMBAS e partir para outra coisa. Se não vão entregar o porquê da transformação e/ou possibilidade de evitar que se alastre para uma salvação, não mais me interessa. Vou assistir como faço com Arrow: porque quero saber não que me importe de fazê-lo.
Vou orar ao Deus Ritter para alguma iluminação, ou vou simplesmente apagar a lâmpada…
Abraços

Responder
Ricardo Gelatti 31 de agosto de 2016 - 10:06

Pior que eu gostei desse episódio. Essa trama do Alejandro começou a me prender, acho que se não tivesse aquela trama horrível da Célia, seria mais interessante ainda.

Seria o Alejandro mais um Eugene da vida?

Responder
Ricardo Gelatti 31 de agosto de 2016 - 10:06

Pior que eu gostei desse episódio. Essa trama do Alejandro começou a me prender, acho que se não tivesse aquela trama horrível da Célia, seria mais interessante ainda.

Seria o Alejandro mais um Eugene da vida?

Responder
planocritico 31 de agosto de 2016 - 12:29

Acho que sim, @ricardogelatti:disqus . Caso contrário, seria uma mudança enorme de status quo que afetaria também a série mãe.

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 31 de agosto de 2016 - 12:29

Acho que sim, @ricardogelatti:disqus . Caso contrário, seria uma mudança enorme de status quo que afetaria também a série mãe.

Abs,
Ritter.

Responder
Pablo Gonçalves 30 de agosto de 2016 - 23:31

Nossa! Não sei vcs, mas TWD me irrita porque eu realmente levo a história a sério e fico decepcionado com as decisões burras das personagens! Aqui é só festa, gente!!!!

Responder
Pablo Gonçalves 30 de agosto de 2016 - 23:31

Nossa! Não sei vcs, mas TWD me irrita porque eu realmente levo a história a sério e fico decepcionado com as decisões burras das personagens! Aqui é só festa, gente!!!!

Responder
planocritico 31 de agosto de 2016 - 00:53

TWD tem vários problemas, mas FTWD ganha fácil em termos de imbecilidades por minuto…

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 31 de agosto de 2016 - 00:53

TWD tem vários problemas, mas FTWD ganha fácil em termos de imbecilidades por minuto…

Abs,
Ritter.

Responder
Mauro Guimaraes 30 de agosto de 2016 - 23:17

Olá Ritter,
Desisti dessa série logo após o fim da primeira temporada, pressenti que não iria a lugar algum e, diante de tantas outras opções mais interessantes (sim, estou falando de você Netflix…) decidi não perder meu tempo.
E pelo que vejo tomei a decisão correta, pelo que tenho lido esta série esta mais para um primo pobre do TWD, relatando os mesmos acontecimentos da trupe do Rick, só que com outros personagens…

E parabéns pelas críticas, tem me garantido ótimas risadas (a piada das facas Ginso foi demais! kkkkkk)
Abs.

Responder
planocritico 31 de agosto de 2016 - 00:54

@mauroguimaraes:disqus , acho que você acabou tomando a decisão certa. É aquele negócio, né: se melhorar, você volta. Já sabe onde pode vir para descobrir como a série está indo!

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 31 de agosto de 2016 - 00:54

@mauroguimaraes:disqus , acho que você acabou tomando a decisão certa. É aquele negócio, né: se melhorar, você volta. Já sabe onde pode vir para descobrir como a série está indo!

Abs,
Ritter.

Responder
Mauro Guimaraes 30 de agosto de 2016 - 23:17

Olá Ritter,
Desisti dessa série logo após o fim da primeira temporada, pressenti que não iria a lugar algum e, diante de tantas outras opções mais interessantes (sim, estou falando de você Netflix…) decidi não perder meu tempo.
E pelo que vejo tomei a decisão correta, pelo que tenho lido esta série esta mais para um primo pobre do TWD, relatando os mesmos acontecimentos da trupe do Rick, só que com outros personagens…

E parabéns pelas críticas, tem me garantido ótimas risadas (a piada das facas Ginso foi demais! kkkkkk)
Abs.

Responder
Sllaker 30 de agosto de 2016 - 21:02

FTWD está aos trancos e barrancos e cada vez mais me pergunto por que ainda me auto flagelo assistindo essa série. E o pior de tudo: já tá confirmada até 3ª temporada…

Responder
planocritico 31 de agosto de 2016 - 00:57

Eu sei, eu sei… Mais uma temporada confirmada, o que significa que é mais um ano vendo isso… Ai, ai… Só me resta torcer muito para melhorar…

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 31 de agosto de 2016 - 00:57

Eu sei, eu sei… Mais uma temporada confirmada, o que significa que é mais um ano vendo isso… Ai, ai… Só me resta torcer muito para melhorar…

Abs,
Ritter.

Responder
André Mozzer 31 de agosto de 2016 - 17:36

Fico na torcida imensa para que melhore, pois a serie tinha uma baita de uma base para isso. Já falei algumas vezes aqui, mas como da tristeza a serie se perder e não aproveitar para tratar de forma bem estruturada o inicio do problema, a fase em que Rick estaria em coma.

Mas enquanto isso não acontece e não acontecerá rsrsr vamos aqui acompanhando nosso amigo Ritter.

Responder
André Mozzer 31 de agosto de 2016 - 17:36

Fico na torcida imensa para que melhore, pois a serie tinha uma baita de uma base para isso. Já falei algumas vezes aqui, mas como da tristeza a serie se perder e não aproveitar para tratar de forma bem estruturada o inicio do problema, a fase em que Rick estaria em coma.

Mas enquanto isso não acontece e não acontecerá rsrsr vamos aqui acompanhando nosso amigo Ritter.

Responder
planocritico 31 de agosto de 2016 - 18:02

Isso! Solidariedade comigo e meu sofrimento de assistir – às vezes voltar algumas cenas e revê-las – e escrever sobre a série! HAAHHAHAHAHAHHHAHA

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 31 de agosto de 2016 - 18:02

Isso! Solidariedade comigo e meu sofrimento de assistir – às vezes voltar algumas cenas e revê-las – e escrever sobre a série! HAAHHAHAHAHAHHHAHA

Abs,
Ritter.

Responder
Sllaker 30 de agosto de 2016 - 21:02

FTWD está aos trancos e barrancos e cada vez mais me pergunto por que ainda me auto flagelo assistindo essa série. E o pior de tudo: já tá confirmada até 3ª temporada…

Responder
Clayton Lucena 30 de agosto de 2016 - 19:01

Ótima crítica Ritter!!!!
Vou falar o que???? vc já disse tudo! dei risada praticamente o episódio inteiro, só burrada atrás de burrada pelo amor de Deus esta parecendo Debi & Lóide.
Ai na hora que ia engrenar começa a chuva de tomate (verde por sinal pq nenhum estragou) e do nada levantam kkkkkkkkk e o pior aquela cena deles cercados sendo protegidos pelo balcão a pelo amor (na primeira temporada de TWD zumbi subia em tanque de guerra).
Na parte do culto R. R. Soares apresentando o seu programa Show da fé só fazendo a cabeça do Nick. HAHAHAHA

Responder
planocritico 30 de agosto de 2016 - 19:16

@claytonlucena:disqus , obrigado! E olha, eu tinha tantas esperanças por essa série. Cheguei até a adorar alguns episódios da 1ª temporada. Mas, agora, está dureza, viu?

Mas continuarei firme e forte!

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 30 de agosto de 2016 - 19:16

@claytonlucena:disqus , obrigado! E olha, eu tinha tantas esperanças por essa série. Cheguei até a adorar alguns episódios da 1ª temporada. Mas, agora, está dureza, viu?

Mas continuarei firme e forte!

Abs,
Ritter.

Responder
Clayton Lucena 30 de agosto de 2016 - 22:46

Olha que eu tbm Ritter, os 3 primeiros episódios eu gostei bastante mas os dois últimos da primeira temporada foram forçados e mesmo assim ainda estava na esperança mas a segunda temporada chegou e esta mantendo o nível dos episódios ruins da primeira com alguns lampejos de melhora com o episódio anterior a esse, mas sei lá acho que vamos ter que empurrar com a barriga ate o final da temporada!

Vamos ensinar esses roteiristas como é sobreviver!!! assistir a isso até o final firme e forte, estamos juntos nessa Ritter!

Abraços

Responder
planocritico 31 de agosto de 2016 - 00:55

Isso, o “survival horror” é aqui, assistindo FTWD!!!

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 31 de agosto de 2016 - 00:55

Isso, o “survival horror” é aqui, assistindo FTWD!!!

Abs,
Ritter.

Responder
Clayton Lucena 30 de agosto de 2016 - 22:46

Olha que eu tbm Ritter, os 3 primeiros episódios eu gostei bastante mas os dois últimos da primeira temporada foram forçados e mesmo assim ainda estava na esperança mas a segunda temporada chegou e esta mantendo o nível dos episódios ruins da primeira com alguns lampejos de melhora com o episódio anterior a esse, mas sei lá acho que vamos ter que empurrar com a barriga ate o final da temporada!

Vamos ensinar esses roteiristas como é sobreviver!!! assistir a isso até o final firme e forte, estamos juntos nessa Ritter!

Abraços

Responder
Clayton Lucena 30 de agosto de 2016 - 19:01

Ótima crítica Ritter!!!!
Vou falar o que???? vc já disse tudo! dei risada praticamente o episódio inteiro, só burrada atrás de burrada pelo amor de Deus esta parecendo Debi & Lóide.
Ai na hora que ia engrenar começa a chuva de tomate (verde por sinal pq nenhum estragou) e do nada levantam kkkkkkkkk e o pior aquela cena deles cercados sendo protegidos pelo balcão a pelo amor (na primeira temporada de TWD zumbi subia em tanque de guerra).
Na parte do culto R. R. Soares apresentando o seu programa Show da fé só fazendo a cabeça do Nick. HAHAHAHA

Responder
Alex Alves 30 de agosto de 2016 - 15:12

Eu achei que a qualquer momento eles iriam achar carne no freezer, fazer um churrasco de comemoração rsrs, qualquer pessoa em um Apocalipse Zumbi iria ficar em estado de alerta constante poderia beber sem problemas algum, mas pequenas doses não ficar chapado. E outra eles nem revistaram de forma completa um mega hotel. Sem falar nos Zumbis saltando de 10 andares no chão o mínimo que iria ocorrer era eles se espatifarem totalmente e não andando de forma normal. Nick é um doido tentar roubar de traficantes armados claro que eles iriam ficar de olho. Enfim um episódio digno de Z Nation embora lá tudo seja mais divertido. Pelo menos aquela porcaria de barco foi roubado rsrs !!

Responder
planocritico 30 de agosto de 2016 - 15:26

Verdade, caro @disqus_wHnwexv2Fr:disqus ! Faltou aquele churrasquinho esperto regado de bebida ao som de um funk na piscina do hotel! Seria o máximo!

E os zumbis saltando e se levantando me lembraram de Um Morto Muito Louco… Muito engraçado…

Parece Z Nation mesmo e não era para ser…

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 30 de agosto de 2016 - 15:26

Verdade, caro @disqus_wHnwexv2Fr:disqus ! Faltou aquele churrasquinho esperto regado de bebida ao som de um funk na piscina do hotel! Seria o máximo!

E os zumbis saltando e se levantando me lembraram de Um Morto Muito Louco… Muito engraçado…

Parece Z Nation mesmo e não era para ser…

Abs,
Ritter.

Responder
Alex Alves 30 de agosto de 2016 - 15:12

Eu achei que a qualquer momento eles iriam achar carne no freezer, fazer um churrasco de comemoração rsrs, qualquer pessoa em um Apocalipse Zumbi iria ficar em estado de alerta constante poderia beber sem problemas algum, mas pequenas doses não ficar chapado. E outra eles nem revistaram de forma completa um mega hotel. Sem falar nos Zumbis saltando de 10 andares no chão o mínimo que iria ocorrer era eles se espatifarem totalmente e não andando de forma normal. Nick é um doido tentar roubar de traficantes armados claro que eles iriam ficar de olho. Enfim um episódio digno de Z Nation embora lá tudo seja mais divertido. Pelo menos aquela porcaria de barco foi roubado rsrs !!

Responder
Junito Hartley 30 de agosto de 2016 - 13:02

Cara, eu gostei do episodio, as ações do pessoal no Hotel, especificamente as de Strande e Madison foram ridiculas? foram, mas eles ainda sao inexperientes no quesito apocalipse zumbi, eles nao sao como o pessoal de Rick, os dois acharam que o local tava vazio e ficaram bebendo e fazendo zoada ja que ja estavam bebados, talvez agora depois de passar por isso eles quando forem explorar nao façam mais barulho, sobre as meninas tomarem banho, vai dizer que se fosse vc, vc nao tomaria um banho quente hehe

Responder
planocritico 30 de agosto de 2016 - 13:29

Entendo, mas eu acho que, apesar de inexperientes, as atitudes deles ali no hotel (incluindo a própria escolha do hotel, claramente equivocada) depõe contra a inteligência deles e fere o bom senso de morte… Quer se embebedar, maravilha, mas pelo menos tranque-se em um dos quartos antes…

Sobre tomar banho, confesso que não resistiria, MAS primeiro eu tomaria precauções como ter alguém equilibrado do lado de fora do quarto e procuraria uma casa ou um andar sem mortos-vivos vagando pelas escadas de incêndio…

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 30 de agosto de 2016 - 13:29

Entendo, mas eu acho que, apesar de inexperientes, as atitudes deles ali no hotel (incluindo a própria escolha do hotel, claramente equivocada) depõe contra a inteligência deles e fere o bom senso de morte… Quer se embebedar, maravilha, mas pelo menos tranque-se em um dos quartos antes…

Sobre tomar banho, confesso que não resistiria, MAS primeiro eu tomaria precauções como ter alguém equilibrado do lado de fora do quarto e procuraria uma casa ou um andar sem mortos-vivos vagando pelas escadas de incêndio…

Abs,
Ritter.

Responder
Junito Hartley 30 de agosto de 2016 - 13:37

Mais foi o que eu disse, na cabeça deles eles estavam seguros, e sobre o Hotel, eles nao tinham pra onde ir e o Hotel por estar perto foi o local que acharam ser melhor pra ficar, alem do que, um hotel daquele tamanho deve ter bastante suprimento pra pegar, desde roupas, objetos, e comida.

Responder
Junito Hartley 30 de agosto de 2016 - 13:37

Mais foi o que eu disse, na cabeça deles eles estavam seguros, e sobre o Hotel, eles nao tinham pra onde ir e o Hotel por estar perto foi o local que acharam ser melhor pra ficar, alem do que, um hotel daquele tamanho deve ter bastante suprimento pra pegar, desde roupas, objetos, e comida.

Responder
planocritico 30 de agosto de 2016 - 15:25

Sim, mas daí a se dividir e nem checar direito o hotel antes de se embebedar e tomar banho são outros quinhentos…

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 30 de agosto de 2016 - 15:25

Sim, mas daí a se dividir e nem checar direito o hotel antes de se embebedar e tomar banho são outros quinhentos…

Abs,
Ritter.

Responder
Junito Hartley 30 de agosto de 2016 - 13:02

Cara, eu gostei do episodio, as ações do pessoal no Hotel, especificamente as de Strande e Madison foram ridiculas? foram, mas eles ainda sao inexperientes no quesito apocalipse zumbi, eles nao sao como o pessoal de Rick, os dois acharam que o local tava vazio e ficaram bebendo e fazendo zoada ja que ja estavam bebados, talvez agora depois de passar por isso eles quando forem explorar nao façam mais barulho, sobre as meninas tomarem banho, vai dizer que se fosse vc, vc nao tomaria um banho quente hehe

Responder
SuzukaDriver90 30 de agosto de 2016 - 05:15

O episódio anterior segurou as pontas, já esse foi ladeira abaixo! As ações dos personagens são cômicas, patéticas, até parece que colocaram um estagiário qualquer para escrever o roteiro. Bom, seguimos com esse martírio temporada adentro…

Abraço.

Responder
planocritico 30 de agosto de 2016 - 13:01

Pois é, @suzukadriver90:disqus ! O que raios o showrunner está pensando? Não dá para entender direito o que ele pretende com isso…

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 30 de agosto de 2016 - 13:01

Pois é, @suzukadriver90:disqus ! O que raios o showrunner está pensando? Não dá para entender direito o que ele pretende com isso…

Abs,
Ritter.

Responder
SuzukaDriver90 30 de agosto de 2016 - 05:15

O episódio anterior segurou as pontas, já esse foi ladeira abaixo! As ações dos personagens são cômicas, patéticas, até parece que colocaram um estagiário qualquer para escrever o roteiro. Bom, seguimos com esse martírio temporada adentro…

Abraço.

Responder

Escreva um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais