Home TVEpisódio Crítica | Fear the Walking Dead – 7X04: Breathe with Me

Crítica | Fear the Walking Dead – 7X04: Breathe with Me

A vingança de Josiah.

por Ritter Fan
2.558 views (a partir de agosto de 2020)

  • Há spoilers. Leia, aqui, as críticas de todos os episódios da série e, aqui, de todo nosso material do universo The Walking Dead.

Quem aqui já sentiu aquela distinta sensação de que está sendo enrolado? Pois é assim que me sinto com Fear the Walking Dead desde pelo menos a temporada anterior em razão da estrutura de “separa o grupo, solta episódios solo sobre um ou dois deles, reúne todo mundo para nada efetivo acontecer”. O problema não é exatamente a estrutura, porém, que fique claro, mas sim a aparente falta de direção que tem levado a série a ficar em um limbo narrativo, perambulando por aí sem rumo que nem os desmortos que povoam a distopia que retrata.

Na verdade, espero estar errado e, quando a temporada acabar, eu olhe para trás e constate isso, que o caminho seguido valeu a pena, mas, como isso só aconteceu de verdade uma vez na série (lá na 3ª temporada), então não tenho razão para mostrar-me esperançoso. E olha que Breath with Me nem foi especialmente ruim. Mas também não foi especialmente bom. E esse meio termo hesitante, nem lá, nem cá, é cansativo e perigoso, pois consegue matar até mesmo episódios promissores como foi Cindy Hawkins.

Trata-se de um episódio que serve, em primeiro lugar, para nos mostrar que os coadjuvantes esquecidos ainda existem e estão por aí para serem usados quando convenientes ao roteiro e, em segundo lugar, para trazer Josiah, irmão gêmeo de Emile, morto por Morgan, para o lado dos “mocinhos”, mesmo que, no processo, o eficiente e simpático sabujo Rufus tenha que morrer. Ah, teve uma terceira função também: mostrar um pouco mais dos malucos despidores de zumbis e revelar que há um míssil não explodido, mas vazando radiação, que eles acharam em um final que me lembrou imediatamente aqueles mutantes ridículos adoradores de bomba nuclear de De Volta ao Planeta dos Macacos (e, só para deixar bem claro para aqueles que tiverem preguiça de clicar no link do filme setentista, esta não é uma correlação boa…).

De resto, o episódio foi, na melhor das hipóteses, protocolar, com Sarah saindo para procurar seu irmão Wendell, já que ela se recusa a aceitar que ele tenha morrido mesmo levando em conta que um apocalipse zumbi com um apocalipse nuclear em cima não parece ser o melhor dos lugares para um cadeirante. E é claro que essa conexão entre irmãos serve de bandeja para que sua luta seja paralelizada com a de Josiah, com Demetrius Grosse finalmente tendo mais espaço do que teve como seu outro personagem que morreu muito rapidamente demais em um daqueles clássicos exemplos de desperdício na série.

O que já está cansando é a rivalidade entre Strand e Morgan, com o primeiro ainda se achando o dono do novo mundo e levando para sua fortaleza apenas aqueles que ele acha que merece – ou que não trarão problemas para seu reino, claro – e deixando Morgan cada vez mais de mãos vazias, cabisbaixo e com o rabo entre as pernas. Essa rotina chega a ser boba, pois parece ser justamente o que é: a maneira que os showrunners encontraram para atrasar a inevitável reunião do grupo contra os doidos lá dos zumbis peladões, algo que não me enche de esperanças não, devo adiantar logo, novamente na esperança de quebrar a cara lá para a frente.

Breath with Me funciona ali no limite especialmente em razão da boa interação de Grosse com Mo Collins e com a empatia que a busca teimosa dela inevitavelmente causa. De resto, ele é apenas mais um degrau nessa longa e lenta escada que Andrew Chambliss e Ian Goldberg criaram e que eu espero com todas as minhas forças que chegue a algum lugar decente.

Fear the Walking Dead – 7X04: Breathe with Me (EUA, 07 de novembro de 2021)
Showrunner: Andrew Chambliss, Ian Goldberg
Direção: Tara Nicole Weyr
Roteiro: Nazrin Choudhury, David Johnson
Elenco: Lennie James, Alycia Debnam-Carey, Maggie Grace, Colman Domingo, Danay García, Austin Amelio, Mo Collins, Alexa Nisenson, Karen David, Christine Evangelista, Colby Hollman, Jenna Elfman, Keith Carradine, Rubén Blades, Omid Abtahi, Demetrius Grosse
Duração: 42 min.

Você Também pode curtir

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais