Home FilmesCríticasCatálogos Crítica | O Padre Voador

Crítica | O Padre Voador

por Luiz Santiago
152 views (a partir de agosto de 2020)

plano critico o padre voador kubrick plano critico

Duas-meia-estrelas

O Padre Voador foi o primeiro filme dirigido por Stanley Kubrick, um primeiro passo não muito firme de uma brilhante carreira. Na época em que o dirigiu, o jovem Kubrick tinha 22 anos de idade e trabalhava como fotógrafo para a revista Look. Essa sua primeira experiência cinematográfica não revela ainda o diretor que ele seria, embora mostre uma boa concepção fotográfica para todos os quadros do filmes, algo que também percebemos em seu filme curta-metragem seguinte, O Dia da Luta.

Flying Padre é um documentário encenado, que acompanha por dois dias os afazeres do padre Fred Stadmueller. Responsável por uma grande área paroquial no Novo México, Estados Unidos, o padre vai de fazenda em fazenda atender aos pedidos de missas fúnebres, socorro a crianças doentes e celebração da Eucaristia para os fiéis. Narrado por Bob Hite, o texto mostra o lado quase heroico do religioso, que acima de tudo, acaba fazendo importantes serviços sociais para sua comunidade. O texto mostra o lado nada popular das boas ações, aludindo à ideia do herói desconhecido, aquele que faz muito por quem precisa mas ninguém sabe que ele existe. Não há fotógrafos por onde ele passa. A imprensa não se interessa por ele. O tom irônico do altruísmo e suas variações aparecem nas entrelinhas do filme.

Ao destacarmos esse ponto do roteiro, tem-se a impressão de que o curta convida o espectador para uma reflexão sobre as funções sociais e a quem a sociedade dá maior atenção e paga pra ver. Todavia, essa reflexão é apenas o desenvolvimento de um momento do filme. Apenas isso. A narrativa não se fixa nesse assunto, ela percorre eventos diversos, colocando sempre o padre como herói e destacado a sua bondade e prontidão para atender os necessitados.

O filme não lembra quase nada que tenha a mão do Kubrick do futuro, exceto o já citado apuro fotográfico. Não apenas o roteiro – especialmente o momento final – mas o caráter do documentário encenado e o mínimo interesse que desperta no público fazem de Flying Padre um filme menor e cuja utilidade ou intenção é um verdadeiro ponto de interrogação. O exercício fílmico é mais interessante como um dado sensivelmente vergonhoso, mas histórico, sobre o início da carreira de Stanely Kubrick.

Flying Padre (EUA, 1951)
Direção: Stanley Kubrick
Roteiro: Stanley Kubrick
Elenco: Bob Hite, Fred Stadmueller
Duração: 09 minutos

Você Também pode curtir

3 comentários

Giuseppe Verdi 10 de fevereiro de 2019 - 21:39

Estranho, aqui e no IMDb tá que Flying Padre veio antes de Day of the Fight. Só que quando eu vejo em outros sites e naquele documentário “A Life in Pictures”, eles dizem o contrário.

Responder
Luiz Santiago 10 de fevereiro de 2019 - 22:10

Em relação as esses curtas isso realmente não faz nenhuma diferença. São todos do mesmo ano, produzidos exatamente no mesmo período e estreados com pouquíssimo tempo de diferença, em sessões anteriores aos longas. O Padre Voador em 23 de março e O Dia da Luta em 30 de março. Em termos de produção, O Dia da Luta (segundo a estrear) ficou pronto antes de O Padre Voador (primeiro a estrear), daí as pequenas mudanças na hora de indexar quem veio primeiro ou não. Mas como disse, dadas as particularidades de serem filmados no mesmo período e estreado com uma semana de diferença de um para o outro, essa ordem não faz diferença ou tem importância alguma.

Responder
Giuseppe Verdi 10 de fevereiro de 2019 - 22:30

Hmmm… interessante. Eu tava pesquisando porque eu to fazendo uma maratona do Kubrick (quero ver todos os filmes e curtas, já tinha visto metade dos filmes, mas agora vou ver todos na ordem que foram lançados), aí fiquei com isso na cabeça.

Responder

Escreva um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais