Home TVEpisódio Crítica | Game of Thrones – 8X01: Winterfell

Crítica | Game of Thrones – 8X01: Winterfell

por Ritter Fan
185 views (a partir de agosto de 2020)

  • spoilers. Acessem, aqui, todo o nosso material de Game of Thrones.

E, finalmente, depois de algo como um ano e oito meses, Game of Thrones volta para sua derradeira temporada composta, desta vez, de apenas seis episódios, mas vários de duração particularmente alongada para – esperamos! – fechar todas as milhares de pontas que ainda estão soltas. O episódio, que foi mantido a sete chaves a ponto de nem mesmo seu título ter sido divulgado antes de ir ao ar, faz o que todo o episódio de início de temporada da série fez até agora: ele nos situa no nada simples tabuleiro armado para o grande embate contra o Rei da Noite (Vladimir Furdik) e seu exército de desmortos que, agora, conta com um simpático e bastante prestativo dragão de gelo que derrubou a grande muralha que protegia o mundo civilizado.

Mas, diferente dos outros primeiros episódios de GoT, este aqui tem o grande mérito de conseguir trabalhar todos os seus personagens de maneira orgânica e fluida, mesmo sendo naturalmente obrigado a pular de um lado para o outro para nos relembrar por onde anda cada personagem importante. Claro que essa tarefa foi bastante simplificada como a concentração de forças em Winterfell, com belos e silenciosos minutos iniciais dedicados à marcar a chegada de Daenerys Targaryen (Emilia Clarke), a mãe dos dragões, ao lado de Jon Snow (Kit Harington), ex-Rei do Norte, ex-morto e, agora, namoradinho da moça de cabelos brancos. A solenidade foi muito bem trabalhada ao criar uma sensacional circularidade narrativa praticamente repetindo a mesma sequência da chegada do Rei Robert Baratheon à Winterfell lá na já longínqua primeira temporada e ao estabelecer visualmente praticamente tudo o que precisamos saber sobre o status quo da série. Os nortenhos não estão lá muito felizes com a renúncia da coroa por Jon e o reconhecimento por ele do reinado de Daenerys. É essa a principal temática que perfaz todo o capítulo e que Jon coloca muito claramente na audiência com os líderes de cada Casa: ou ele entregava a Coroa ou eles não teriam a menor chance contra o que vem por aí.

Os reencontros foram também os pontos altos do episódio, especialmente o de Jon com Bran (Isaac Hempstead Wright tentando parecer sábio e compenetrado, mas falhando miseravelmente), com Arya (Maisie Williams escondendo o jogo do desenvolvimento de sua personagem como uma assassina experiente) e, claro, com Sam Tarly (John Bradley, mais do que excelente no episódio), em um momento mais do que esperado e que voltarei a abordar mais para a frente. Houve outros reencontros cruzados também, como Gendry (Joe Dempsie) e o Cão (Rory McCann) com Arya e, no sul, Theon (Alfie Allen) com sua irmã Yara (Gemma Whelan), em momentos felizes – ou nem tanto – que certamente prenunciam a desgraça toda que vem por aí.

Com isso, a atmosfera de preparação de guerra, algo que ainda deve ser mantida por mais algum tempo, funcionou muito bem e trouxe uma harmonia de propósitos que não se via há muito na série, mesmo com os problemas de desconfiança entre os nortenhos que certamente crescerão e com a sempre encantadora Cersei (Lena Headey – e sim, eu torço por ela!) maquinando para fazer ruir a alegria lá no reino gelado dos Stark, juntamente com o completamente enlouquecido – e tarado – do Euron Greyjoy (Pilou Asbæk), um personagem que surgiu muito rapidamente demais como uma força disruptiva na sexta temporada, mas que, agora, encontrou bem seu lugar, funcionando lindamente ao lado da Rainha. Foi particularmente interessante a preocupação com a alimentação do exército por parte de Sansa Stark (Sophie Turner, essa sim vivendo muito bem seu papel de garota que teve que amadurecer muito rapidamente), algo que normalmente é esquecido em séries, especialmente as de pegada fantástica como essa. É possível que esse elemento narrativo seja importante para o desenrolar dos embates, mas, mesmo que não seja (sempre há a chance de algo assim ser convenientemente esquecido), já valeu a pena esse cuidado do roteiro de Dave Hill.

Mas o texto de Hill, apesar de dedicar a primeira linha de diálogo ao grande Tyrion (Peter Dinklage), manteve o personagem à sombra do que ele já foi. Isso não é novidade, infelizmente, já que o melhor personagem da série vem perdendo espaço desde a sexta temporada e, aqui, parece perdido, com conselhos abobados sobre Cersei para Sansa e sendo muito fácil e literalmente flanqueado em termos de estratégia por Davos (Liam Cunningham) e Varys (Conleth Hill). Entendo perfeitamente que a profusão de personagens – que já foi maior, devemos lembrar – não permita espaço para todos, mas Tyrion é Tyrion e a redução de sua importância e, principalmente, de sua inteligência, é algo que me incomoda profundamente.

Vejam, por exemplo, que, mesmo com um episódio bem repleto de sequências importantes, houve tempo para que David Nutter dirigisse uma bonita, não negarei, sequência de “amorzinho pelo ar” com Daenerys e Jon gastando computação gráfica para cavalgar dragões pela bela paisagem gelada da região, com direito a uma cachoeira idílica e a uma ridícula sugestão de que os dois “fujam” para viver no paraíso. Não quero dizer com isso que não há espaço para romance em GoT. Há, ainda que não seja lá muito grande ou relevante, mas certamente não há espaço para bobagens adolescentes tipo Barrados no Baile. E, quando esse tipo de sequência com dois atores no máximo medíocres tira espaço de personagens como Tyrion, a coisa fica mais séria ainda.

Por vários e longos minutos fiquei me revirando no sofá de aflição pela demora na cena que eu e, provavelmente todo mundo, esperava: a revelação, para Jon, que é ele o rei de tudo, herdeiro tanto dos Targaryen quanto dos Stark. Cheguei a pensar que deixariam isso para o próximo episódio, o que seria um erro enorme considerando que já estaríamos com um 1/3 do final já no ar. Mas o momento veio aqui e não só no melhor lugar possível, a cripta dos Stark, com Jon relembrando de seu pai, como também da melhor forma possível, já que fez dobradinha como o reencontro dele com Sam, seu verdadeiro irmão de acordo com o próprio Bran. E, mais do que isso, a sequência foi cirurgicamente montada posteriormente à revelação, pela própria Daenerys a Sam – como parte de seu “agradecimento” por ter salvado Jorah Mormont (Iain Glen) – que ela executara seu pai e irmão quando eles se recusaram a dobrar seus joelhos.

Com isso, a sequência da cripta ganha várias camadas. Jon recebe a notícia no estilo cold turkey como dizem os americanos, ou seja, na lata e sem rodeios, o que por si só já seria um choque para qualquer um. Mas essa notícia vem contextualizada pela postura perigosamente despótica de Daenerys que Jon se esforça para racionalizar e acaba saindo pela tangente e percebendo que sua paixão adolescente talvez não seja lá muito diferente de Aerys Targaryen, o Rei Louco, afinal de contas. Considerando o que já vimos de Daenerys e que Jon ainda não sabe, arma-se aí um potencialmente interessante conflito no coração de Winterfell, especialmente se a notícia da ascendência de Jon (não mais) Snow sair daquela cripta. Será que o casamento planejado pela trinca veterana tem alguma chance? Como será que Sansa reagirá a isso tudo, logo ela que parece um vulcão raivoso prestes a entrar em erupção?

Seja como for, a descoberta do pequeno Ned Umber (Harry Grasby) empalado morto-vivo na parede de seu castelo de Última Lareira e cercado com uma bizarramente aterradora escultura de braços humanos, cortesia do Rei da Noite é o tipo de sacudida final que o episódio precisava para nos lembrar que o inverno realmente já chegou e, agora, não tem mais jeito. As intrigas palacianas, que pesarosamente já haviam perdido espaço na série, não parecem ter, na última temporada, chance alguma de voltar de verdade diante do passo apertado que será necessário que David Benioff e D.B. Weiss imprimam na estirada final.

Mas Winterfell é um ótimo começo do fim de uma série que, gostando ou não, elevou absurdamente o sarrafo de como séries de pegada fantástica devem ser. A promessa de um final mais do que digno fica evidente pela competência demonstrada aqui.

Esse inverno tem tudo para ser mais do que memorável!

p.s. A nova abertura, com a câmera agora “mergulhando” nos meandros das maquetes mecânicas em pleno funcionamento, foi um show a parte!

Game of Thrones – 8X01: Winterfell (Idem, EUA – 14 de abril de 2019)
Showrunners: David Benioff, D.B. Weiss
Direção: David Nutter
Roteiro: Dave Hill
Elenco: Peter Dinklage, Nikolaj Coster-Waldau, Lena Headey, Emilia Clarke, Kit Harington, Sophie Turner, Maisie Williams, Liam Cunningham, Alfie Allen, Nathalie Emmanuel, Gwendoline Christie, John Bradley, Isaac Hempstead, Rory McCann, Conleth Hill, Carice van Houten, Kristofer Hivju, Hannah Murray, Jerome Flynn, Joe Dempsie, Iain Glen, Pilou Asbæk, Richard Dormer, Ben Crompton, Hafþór Júlíus Björnsson, Jacob Anderson, Daniel Portman, Anton Lesser, Tobias Menzies, Bella Ramsey, Staz Nair, Lino Facioli, Rupert Vansittart, Gemma Whelan, Vladimir Furdik, Marc Rissmann
Duração: 54 min.

Você Também pode curtir

230 comentários

Helder Lucas 29 de abril de 2019 - 09:02

Mas Ritter, até você torce pela Cersei, cara?

Responder
planocritico 29 de abril de 2019 - 09:17

Sempre!

Abs,
Ritter.

Responder
marcio martins 22 de abril de 2019 - 20:00

…falhando miseravelmente é exagero cara.

Responder
Felipe 18 de abril de 2019 - 11:14

Como sempre, o site está de parabéns, sempre fazendo criticas excelentes. Gostei bastante do episódio, me faz lembrar do que era Winterfell, to achando que a Daenerys vai acabar enlouquecendo por poder mas o que eu queria entender mesmo são as motivações do Rei da Noite, as vezes parece que o personagem quer transmitir algo, aquele simbolo que aparece no final com os membros já foi usado antes, sei que ele foi criado para proteger algo dos humanos mas antes ele não interferia muito e agora resolveu tocar o terror? Imagino que algum acordo entre os caminhantes e os humanos tenha sido quebrado.

Responder
planocritico 20 de abril de 2019 - 04:58

Obrigado!

Olha, outro leitor levantou a mesma coisa sobre as motivações do Rei da Noite e eu vou te responder da forma como respondi para ele: eu também gostaria, mas, a essa altura do campeonato, já me resignei em simplesmente aceitar se não houver explicação alguma.

Abs,
Ritter.

Responder
Gabriel Martins 17 de abril de 2019 - 18:32

Pra mim 3 estrelas no máximo. Levando-se em conta os quase 2 anos de preparação, foi mto curto, e o tempo usado foi mal aproveitado. Apressaram a resolução do salvamento da Iara e prolongaram demais as cenas Jonerys (que e um scos). Além do CGI mequetrefe dos dragoes (2 anos trabalhando para entregar isso?).
Espero mto mais dos próximos episodios.

Responder
planocritico 18 de abril de 2019 - 09:44

Eu gostei bem mais. Foi o melhor começo de temporada depois do da primeira.

Abs,
Ritter.

Responder
El Imparcial ~ Jaktal 17 de abril de 2019 - 10:15

Ótima crítica como sempre.

Já é normal os primeiros episódios das temporadas de GoT servirem mais para colocar as peças no tabuleiro. O problema aqui é a preocupação pelo tamanho da temporada e o medo de não conseguirem fazer tudo o que tem que ser feito de forma aceitável (por exemplo o resgate da Yara, que me desagradou bastante).

Eu estou notando uma coisa em relação à Daenerys. Aparentemente estão preparando o terreno para que os espectadores tenham um pouco de raiva dela, ou não reclamem com o final dela, podendo até achar justo. Talvez a intenção seja matá-la (Nissa Nissa), ou deixá-la tão obcecada pelo trono que, quando descobrir do Jon, se voltará contra ele…

Responder
planocritico 17 de abril de 2019 - 10:42

@jaktal:disqus , obrigado!

E cara, eu já tenho não um pouco, mas MUITA raiva da Daenerys… Ô mulher insuportável…

Abs,
Ritter.

Responder
El Imparcial ~ Jaktal 17 de abril de 2019 - 11:02

hahhaha
Confesso q tbm não gosto dela. Os capítulos dela nos livros são um desafio ler! Mas eu não sei se estou gostando do rumo que está sendo desenhado na série…

Responder
planocritico 17 de abril de 2019 - 12:41

Desde que ao final ela vire picadinho, está valendo!

Abs,
Ritter.

Responder
Pedrinho Rude Boy 17 de abril de 2019 - 03:24

Poderiam ter mostrado o exército undead no finalzinho do episódio, acho que teria sido style.

Responder
planocritico 17 de abril de 2019 - 10:51

Acho que foi bastante mostrar o garoto empalado como centro daquela “arte tradicional zumbi”…

Abs,
Ritter.

Responder
Carlão das Minas Gerais 16 de abril de 2019 - 22:04

Boa crítica como sempre! Concordo com vc que Tyrion está fazendo jus a sua estatura , e parece um bobo da corte. Talvez o álcool finalmente pedindo a conta , ou será umr plano mirabolante com uma reviravolta intencional programada. Sansa está fantástica e cada vez mais parecida com sua mãe e parece realmente um vulcão prestes a explodir. A moral de Daynerys com Sam, por sua vez , foi para o esgoto. Com sua total falta de.misericordia decepcionou a todos nós como pretendente ao trono e mostrou seus valores que “Mamãe-dragão está acima de tudo e de todos”. Amea-a ou queime! Acaba que está trilhando caminho que me lembralo de Anakin Skywalker. Ela já tinha mostrado este seu lado Bolsonaro, em Essos quando, empalou ou enforcou (não lembro) ,os membros da Classe dominante daquela cidade que esqueci o nome….. As pontas das cordas começam a se juntar…. pra mim não há dúvidas de quem deve ser o rei.

Responder
planocritico 17 de abril de 2019 - 02:38

Obrigado!

Engraçado seu comentário sobre o Tyrion. Você foi o terceiro leitor a levantar essa suspeita de um plano dele. Eu acho sinceramente bem difícil, mas se for, acho que vou adorar!

E quem deve ser o rei pra você? Fiquei curioso!

Abs,
Ritter.

Responder
Carlão das Minas Gerais 17 de abril de 2019 - 08:15

O Rei? Jon Snow mesmo.
Outra coisa . Vc tocou num ponto chave. Aquela observação de Sansa sobre a comida no inverno ser insuficiente. Pegando um gancho nisso, Daenerys falou que os Dragoes comem qq coisa. Isso aí pode ser de fato um ponto de derrocada final da Daenerys se ela não souber conduzir isso. Imagine os dragoes devorando nortenhos . Como um pretendente a rei ou rainha poe a segurança das suas feras cono prioridade…em detrimento dos seus semelhantes? Estou convencido q ela é muito despótica e narcisista para ser rainha. Lembra-se que na cachoeira ela falou “vamos largar tudo e ficar aqui”….. Ou seja , só pensa nela ou no poder. Jon Snow é o contrário. Altruísta , misericordioso e humilde. Basta comparar. E não estou falando de política brasileira…. Acho q Tyrion e o Eunuco estão cientes da incompetencia da rainha e estão sabotando ela nos bastidores, usando-a pra vencer a guerra contra os Zumbis e Ceesei e edepois instalar Snow para presidente , digo, rei.

Responder
planocritico 17 de abril de 2019 - 09:30

Acho o Jon Snow inocente demais (sem trocadilho). Não aguentaria um dia no Trono de Ferro. Pessoalmente, torço para os vilões para termos algo diferente do óbvio. Com Mindinho injustamente morto, fico com a Cersei!

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHA

Abs,
Ritter.

Responder
Carlão das Minas Gerais 17 de abril de 2019 - 13:04

Pior q vc tem razão. A historia mostra q os governantes geralmente tem perfil vilanesco , e se forem crus acabam engolidos pelos “aliados” . Neste caso então eu voto na Dayneris mesmo , que vai no final enlouquecer igual ao seu pai , e instaurar um cardápio variado para seus “filhos”.

planocritico 17 de abril de 2019 - 15:14

Estava relendo outro dia os livros da série Duna e o Frank Herbert fala algo bem interessante: não é o poder que corrompe e sim que ele atrai os corruptíveis e corruptos. E , de fato, é bem assim…

Abs,
Ritter.

Silverio Lucio 17 de abril de 2019 - 10:24

Achei bem curiosa aquela cena no final da sétima temporada que o Tyrion fica espiando o Jonh entrando no quarto da Daynerys. Acho que ali tem coisa.

Responder
planocritico 17 de abril de 2019 - 10:42

Eu interpretei apenas como o bom e velho ciúmes!

Abs,
Ritter.

Responder
Willian Dias Ribeiro 12 de maio de 2019 - 22:52

A Sansa tá parecendo com a mãe mesmo.
A atitude e o olhar duro…

E a Daenerys começou bem (ou não tão ruim) e agora tá trilhando o mesmo caminho do pai e do irmão… “Eu serei rainha e quem não aceitar será queimado”… Foi piorando depois da quinta temporada…

Aliás seria meu sonho ressuscitarem a genialidade do Tyrion.

Responder
Bruno Cavalcanti 16 de abril de 2019 - 17:51

Belíssimo texto Ritter.

Concordo com praticamente tudo. O Tyrion do tribunal faz uma falta danada. E o tempo de romance foi exagerado. E a CGI deles voando foi terrível!! (Meu Deus!!!)

Mas de resto foi um ótimo episódio sim.

O Sam Tarly foi espetacular em sua atuação, em todos os momentos.

“Se você fosse o rei, teria executado meu pai e meu irmão?”
“Será que ela abriria mão do trono pelo povo dela, assim como você fez?”

Muita carga pro fraco Jon Snow suportar. Tem horas que acho que ele vai sair correndo chorando.

Mas os ápices do episódio para mim foram a Arya quando abraça e manda Jon não se esquecer que ele é da família deles. (Ouch!!!) e Bran, com a frase:

“I’m waiting for an old friend.”.

Que cena com Jaime!

Se com Winterfell, GoT não voltou a glória de outrora, pelo menos diminuiu consideravelmente o fan service que foi a sétima.

PS: Espero que tudo isso seja um grande plano do Tyrion para enganar todo mundo e no final sentar num trono anão de ferro. A frase da Sansa dizendo que já considerou ele o homem mais inteligente do mundo me criou expectativa de que estamos todos subestimando o anão. Muahaha
Brincadeiras a parte, espero MUITO um final decente e a altura do Tyrion (metafórica e não literal).

abs!

Responder
planocritico 16 de abril de 2019 - 20:00

O ápice, para mim, foi a cena da cripta.

Sobre seu p.s., cara, eu gostaria muito que fosse isso. Mas eu duvido… Tyrion vai acabar como Bobo da Corte…

Abs,
Ritter.

Responder
Fakeman 16 de abril de 2019 - 16:04

Achei esse episódio um dos mais fracos da série. Tyrion parecia outro personagem. O romance entre Jon e danerys está muito forçado. Apenas cersei salvou, manipulando o machão. A maior marca da série são os diálogos maravilhosos e a trama política. Nesse começo de temporada não vi nenhum dos dois. Acho que a única série que eu vi que tenha mantido a qualidade em todos os eps foi breaking bad, e agora doom patrol, que ainda não terminou

Responder
planocritico 16 de abril de 2019 - 16:24

Da série toda? Nossa, há temporadas inteirias de GoT que são piores que esse episódio…

Abs,
Ritter.

Responder
Fakeman 16 de abril de 2019 - 16:41

Talvez o episódio do corvo a jato, mas não me lembro de outro tão corrido e com diálogos tão sofríveis. Como vamos alimentar o exército e o que os dragões comem não fazem justiça aos diálogos da série

Responder
planocritico 16 de abril de 2019 - 17:13

Esses diálogos de alimentação de exército fazem é falta em GoT. Não aguento mais é namorico com dragão, Tyrion virando bobo da corte, Bran com cara de paisagem, zumbis que NUNCA chegam, dragões inúteis e assim por diante…

Abs,
Ritter.

Responder
Nellio Vinicius 16 de abril de 2019 - 19:21

Alô 3ª temporada, Alô 4ª temporada, eu persisti, porque disseram que na 5ª temporada e na 6ª temporada, eu seria recompensado, e como eu tinha tempo livre, afinal, só estudava e não trabalhava, mas pari um cabrito pra terminar a 4ª.

Responder
Henderson Daniel 22 de abril de 2019 - 08:51

O cara não gostou da 3ª e 4ª temporada que são as melhores da série…
Gosto é gosto…mas preferir a 5ª do que a 3ª e 4ª realmente é dificil de imaginar.

Responder
Pedro Enzo 16 de abril de 2019 - 23:56

Acho que a partir da 5 temporada raras vezes a série apresentou diálogos e trama política aprofundada.

Responder
planocritico 17 de abril de 2019 - 01:04

Exato. Um gigantesco desperdício!

Abs,
Ritter.

Responder
Fórmula Finesse 16 de abril de 2019 - 10:10

Devo ser uma das poucas pessoas no mundo (“conectado”) que nunca se interessou ou assistiu UM episódio que fosse dessa saga. E não tenho orgulho algum disso…

Responder
planocritico 16 de abril de 2019 - 10:24

Realmente, é uma raridade. Mas eu conheço um cara que também nunca viu um episódio sequer. O problema é que toda vez que vamos almoçar com ele, ele nos impede de conversar sobre GoT porque não quer spoilers (e, como ele é grande, é prudente obedecer…).

Abs,
Ritter.

Responder
Fórmula Finesse 16 de abril de 2019 - 11:03

ahaha, mas que sujeito mala! E aposto – como eu – que ele nunca vai sequer a começar a ver a série. Eu também sou um dos poucos que só assiste os grandes lançamentos do cinema em DVD, muitos meses após o lançamento; como tenho verdadeira ojeriza aos cinemas locais (cinemas normais sem IMAX, sem HD…etc), só consigo “valorizar como se deve” os filmes com muitos efeitos especiais em imagem cristalina de Blue Ray – após muitas frustrações no cinema (3D dá vontade de cortar os pulsos), continuo insistindo em alugar os filmes, mesmo sabendo que esse modelo de negócio – as locadoras – estão em franca extinção. Para ONDE vai correr esse público que quer ver extras, bastidores, ver “aquela cena” quantas vezes quiser no conforto de casa? Que não quer ser estuprado financeiramente a cada bilhete-gourmet? Lamento o desabafo que nada têm a ver com o assunto do dia, mas creio que essas angustias podem gerar até uma matéria.
Contudo, no lançamento de CORINGA, vou estar acampado na frente do cinema, como um adolescente lesado que espera por dias o show de qualquer banda asiática obscura pop* – heheheheheheh
*Tokyo Idols, no Netflix é absurdamente bizarro!
*

Responder
planocritico 16 de abril de 2019 - 14:47

Duvido que ele um dia comece a ver mesmo!

Sobre seu ponto, acho que já conversamos sobre ele algumas vezes. Eu adoro o cinema e ainda aprecio a experiência como um todo e acho a imagem e som de cinemas bem regulados muito superiores a qualquer blu-ray (na verdade, objetivamente, cinema é melhor que blu-ray, pois tem o dobro da definição). Mas, de fato, essa grande experiência tem ido para o ralo por diversos outros fatores, dentre eles o financeiro e o retorno no investimento cada vez mais diminuto pelas razões que eu já abordei em artigo separado uma vez.

Abs,
Ritter.

Responder
Fórmula Finesse 16 de abril de 2019 - 16:40

Na minha região – Serra Gaúcha – eu não encontro cinema de alta definição, as imagens são escuras e parece que estou em constante estado de leve miopia no cinema; não sei se economizam nas lâmpadas de projeção (principalmente em 3D) ou sei lá…nitidez e luz bem abaixo do que encontro em blue-ray.

vince 21 de abril de 2019 - 02:07

Entendo isso mas no meu caso eu sou o cara grande mais ou menos como o Cão mas não tão feio.

Responder
planocritico 21 de abril de 2019 - 04:50

Mas pelo visto você não impede os amigos de comentarem GoT na sua frente!

HAHAHAHAHAHAHAAHHAHA

Abs,
Ritter.

Responder
Fakeman 16 de abril de 2019 - 15:56

E ainda assim, olha a força de got. Uma pessoa que nunca viu um episódio sequer mobiliza um tempinho para entrar em um post sobre got para deixar claro que nunca o viu rsrsrs

Responder
planocritico 16 de abril de 2019 - 16:13

GoT é um fenômeno, querendo ou não.

Abs,
Ritter.

Responder
Fórmula Finesse 16 de abril de 2019 - 16:40

Exatamente, é um evento – um fenômeno – tão grande que mesmo que nunca deu bola se sente “deslocado” rsrsrs

Responder
PABLO 16 de abril de 2019 - 01:22

Ótima Review!

Achei que a atual temporada andou repetindo alguns erros que se agravaram na anterior. A excessiva repetição de ideias. A ideia de que Daenerys é malvada e não tão confiável, que é uma déspota inconsequente foi cuspida incessantes vezes na cara do Jon pela Sansa e pelo Sam. E na cara do espectador também. Faltou um pouco de sutileza.

A escolha de colocar o Jon para montar no dragão já anunciavam que ele em breve saberia de sua ascendência Targaryen. Inexplicavelmente ele sobe em um, pra participar de uma cena bem brega de amor, que poderia ser em qualquer outro contexto, mas preferiram o absurdo e a ostentação do CGI.

Algumas coisas muito estranhas me incomodaram também, como as cenas da Arya com o Jon e da Cersei com o Euron. Parecia uma disputa de quem tinha a fala mais foda, foi muito artificial. Nem os competentes atores mascararam os diálogos péssimos.

Ainda assim gostei do episódio. Diferentemente da premiere da última temporada, que abriu com uma tosca cena da Arya fodona se vingando, esse ano a apresentação dos personagens e a relação ressuscitada de cada um deles do passado moveram bem a trama.

O passado vai pesar. Os crimes de cada um foram lembrados. E o episódio fecha muito bem, com o maior expoente de pessoas manchadas pelo passado: Jaime Lannister.

Vi muita objetividade e clareza. Mas muitas falhas na extrema repetição e exposição na execução. Um ano promissor pra um dos maiores eventos da televisão.

Responder
planocritico 16 de abril de 2019 - 14:40

Obrigado, @disqus_QPx1jgrxLh:disqus !

Os roteiros de GoT nunca foram muito sutis em sua exposição de ideias e há mesmo uma boa dose de repetição que chega a cansar. Isso vale para Daenerys, mas também para vários outros personagens e situações, como no caso da bondade e inocência eternas de Jon Snow.

Houve falhas no episódio, sem dúvida, mas, dentre todos os episódios de começo de temporada, tenho para mim que esse, com exceção do primeiro da primeira temporada, é o melhor.

Abs,
Ritter.

Responder
Isac Marcos 16 de abril de 2019 - 00:46

Achei a escolha da cripta um ótimo lugar p/ a revelação, porém achei bem fraca a reação do Jon. O Sam conseguiu trazer bem a carga necessária de drama pra contar, até pq tinha sentido ter raiva e tristeza dada a notícia que recebera poucos instantes antes, mas o Jon ficou meia boca demais. Era A revelação. Teve mais tensão na troca de olhares entre Jamie e Bran do que a cena na cripta.
Foi um episódio bom para nos relembrar e nos situar, e a cena quase final do menino Umber foi para não esquecermos do que espreita os personagens e pra gente não relaxar achando que nossos preferidos estão seguros rsrs, isso foi muito bacana e com requintes de terror, bem legal.
Obs.: torcer pra Cersei?! Só se for pra ela ter uma morte bem à altura de toda a psicopatia dela, aí sim rsrs.

Responder
planocritico 16 de abril de 2019 - 00:46

Mas aí o problema é que o Kit Harington é um ator muito fraco. Infelizmente, ele acabou sendo um dos principais da série…

Sobre Cersei, eu torço para ela de coração! Esse negócio de ganhar o mais puro de coração, o bonzinho, o que merece, o inocente e assim por diante é CHATO demais… HAHAAHAHHAHAHAHHAHAHAAHA

Abs,
Ritter.

Responder
Isac Marcos 16 de abril de 2019 - 11:03

Sim, estou de acordo com a atuação fraca dele. O que me incomodou mais foi isso, era A revelação né?! Acho que a gente que acompanha a série queria ver A cena, sem arrogância demais rsrs, acho que faríamos a cena bem melhor.

Sim, é chato pq cria a idéia de que há pessoas puras de coração, quando não há, todos temos a capacidade de bondade e maldade, simultâneas até. E tem muitos personagens ali assim. Mas no caso da Cersei o que sempre se evidenciou é a felicidade em trazer dor, infelicidade, humilhação, mal, etc., à vida das pessoas. Não era só o poder em si. Jamais esquecerei a felicidade dela no julgamento do Tyrion (meu preferido rsrs) quando a Shae entra para depor contra ele. Não dá pra torcer para um nível de psicopatia assim. Estou aguardando e torcendo pela morte dela ser à altura do que ela já cometeu. E com um balde de pipoca do lado 😁

Responder
planocritico 16 de abril de 2019 - 14:47

Eu entendo seu ponto. E eu sei que esperamos de filmes e séries um escape da realidade, mas, às vezes, eu gosto de ver a realidade retratada e, na realidade nua e crua, “ganha” quem maquina melhor por trás e dá rasteira em todo mundo.

Abs,
Ritter.

Responder
Isac Marcos 16 de abril de 2019 - 23:56

Eu te incomodando de novo rsrs, tbm entendo seu ponto de vista e concordo com ele, menos com a Cersei mesmo rsrs; e fora a questão do escape da realidade bem cruel que, de fato, muitas vezes queremos ter, quem pra mim tinha isso que vc falou e eu gostava de ver, era o Mindinho. Ele “exalava” maquinações e conspirações, e não fosse ter uma Arya cruzando seu caminho rsrs, talvez estivesse no jogo dos tronos. Assim como o Varys e suas articulações e ligações. Até no RPG curto mais os personagens ladinos e seus caminhos. A Cersei que me causa mal estar mesmo, tem um gozo na infelicidade alheia que já até preparei o rojão pra soltar quando ela “cantar pra subir”, ou melhor, descer, 😅😂

planocritico 17 de abril de 2019 - 01:04

Cara, estou contigo e não abro! Adorava o Mindinho e achei que a morte dele foi muito prematura! Ele anda tinha muito a oferecer à série.

Abs,
Ritter.

Willian Dias Ribeiro 12 de maio de 2019 - 23:13

Também concordo com a morte do Mindinho e não abro mão…
A série acertou bem em ter cortado diversas tramas paralelas, o que tornou tudo um pouco mais fluído e livre de muitos excessos.

Mas não consigo perdoar terem cortado o Mindinho (ainda mais daquela forma ridícula, não característico do personagem… uma morte natural ou acidente seriam melhores) e além disso reduzirem a inteligência e tramas de personagens como Varys e Tyrion… Se ao menos mantivessem a complexidade do todo… Agora temos que aturar o casal dragão

Fakeman 16 de abril de 2019 - 16:04

Assino em baixo de tudo o que você disse, mas discordo imensamente da obs rsrsrs

Responder
planocritico 16 de abril de 2019 - 16:24

É isso aí: Cersei rules!

Abs,
Ritter.

Responder
Mônica Barros 17 de abril de 2019 - 14:56

Eu queria que a Cercei tropeçasse no vestido ao chegar perto do trono, se empalasse numas espadas e morresse sozinha e do jeito mais ridículo possível dizendo: não pode terminar assim… e morreu rsrsrsrsrrs

Responder
planocritico 17 de abril de 2019 - 15:05

Confesso que gosto muito da ideia, mas não para a Cersei e sim para a fulana dos dragões…

Abs,
Ritter.

Isac Marcos 17 de abril de 2019 - 16:20

Kkkkkkkkk ótima ideia! Sozinha seria ainda melhor, sem ter ninguém pra observar seu último instante de poder. Super curti!

Pedrinho Rude Boy 17 de abril de 2019 - 03:09

Hahaha ótima obs man ! Acredito que ela terá um fim muito cruel, à la Ramsay Bolton.

Responder
Isac Marcos 17 de abril de 2019 - 16:20

Pedrinho Rude Boy, é do fim dele (Ramsay) pra pior, nada menos que isso 😂

Responder
bre.ribeiro 16 de abril de 2019 - 00:21

Kd a batalha!?
Os próximos quatro episódios podem ser somente de guerra ficarei muito feliz…

Responder
planocritico 16 de abril de 2019 - 00:29

Garanto que cansaria. GoT só chega a seus pontos altos nas intrigas. As batalhas são as de sempre que têm em todo filme que vemos no cinema. Divertem, claro, mas são mais do mesmo, com raras exceções.

Abs,
Ritter.

Responder
Willian Dias Ribeiro 12 de maio de 2019 - 23:20

Verdade… As batalhas não adicionam em muita coisa
E a quinta temporada basicamente se resumiu a isso…
Principalmente nos lados da muralha… Só tinha guerra
Além dos finais da sexta e sétima temporadas
Por enquanto é bom darem uma trégua…

Responder
Robson Luz 15 de abril de 2019 - 23:05

Daria nota 3 pro episódio, nada de relevante aconteceu, a maioria dos reencontros foi meia-boca, ficando com aquele clima de novela chegando no fim que todo mundo faz parte do mesmo plot, Tyrion claramente sofre com o roteiro depois que a série passou dos livros, Jon e Daenerys juntos são intragáveis, dois atores fracos e sem química nenhuma, o ponto alto do episódio foi a chegada de Jaime no final e a encontro com Bran logo de cara, curioso pra ver como ele vai ser recebido no próximo episódio.

Responder
planocritico 16 de abril de 2019 - 00:29

Nada de relevante? Acho que houve muita coisa relevante. O máximo que daria para inserir em um episódio de começo de temporada. Houve a união dos nortenhos, a chegada de Daenerys, o estabelecimento da desunião dos nortenhos em relação à rainha imposta a eles, os reencontros, a revelação para Sam da execução do pai e irmão dele, a revelação para Jon de seu passado, a libertação da Yara por Theon, a efetivação do acordo de Cersei com o banco e também com Euron, Bron foi enviado em missão, Jaime chegou em Winterfell e Última Lareira foi destruída.

Abs,
Ritter.

Responder
Robson Luz 16 de abril de 2019 - 11:20

Vou copiar um comentário que vi no reddit:
“The wall has fallen. There should be a huge sense of urgency, a fear of impending doom. Bran even literally spells it out, but it just isn’t there. Sansa points out a very big problem (supply) and no one feels like discussing how to solve that.

You have all these characters who used to be very serious but suddenly they act like life is a fairy tale. Making lame jokes instead of discussing solutions to the very big problems they are about to have.”

Realmente teve todos esses acontecimentos relevantes mas acho que faltou mais carga dramática e impacto, todo mundo agindo casualmente e despreocupado, Bran fala que a muralha caiu e eles tem um dragão e eles dão 0 fodas, acontecimentos que esperavam há anos como Jon montando um dragão e a origem dele sendo revelada não passaram a sensação de impacto, uma mera troca de olhares entre bran e jaime teve mais intensidade do que todo o resto do episódio.

Responder
planocritico 16 de abril de 2019 - 15:13

Eu até compreendo a origem do comentário dessa pessoa, mas eu discordo fundamentalmente se basearmos o raciocínio com um mínimo de apego à realidade. Para mim, um comentário nessa linha somente é possível por intermédio dos olhos de um espectador onisciente, o que é exatamente o nosso caso.

Mas, ao largarmos essa perspectiva mais externa e privilegiada, veremos que a vida e o mundo não funcionam dessa maneira. Westeros é dividido em reinos, ou seja, o equivalente a países. É normal países se unirem em torno de uma ameaça externa maior? Ah, aconteceu na 2ª Guerra Mundial. Aconteceu EM TERMOS, pois os EUA só entraram quando foram diretamente atacados, a União Soviética quando Hitler quebrou o pacto Molotov e assim por diante.

E em Westeros, o mundo é DESCONECTADO, ou seja, cada reino só sabe de si. A ameaça de zumbis é lenda e só dois ou três gatos pingados viram na pele o tamanho do problema,. Não há fotografia, não há nada. Cersei está absolutamente certa, sob o ponto de vista estratégico, em acreditar apenas em parte na ameaça e deixar os nortenhos serem destruídos para, depois, ficar com os espólios.

Os nortenhos mesmo não tem razão ALGUMA para confiar em uma auto-proclamada rainha estrangeira que não seja o poderio bélico dela representado pelos dragões. União em torno de zumbis que eles nunca viram? Não faz sentido. Faz MUITO mais sentido eles ficarem irritados com a mulher de cabelos brancos que entra com toda a empáfia na terra deles, depois que o panaca do Rei do Norte recém-empossado como tal abdicou da coroa. Ninguém – NINGUÉM – pensa de fora para dentro. Primeiro se pensa em si mesmo, depois no grupo imediatamente ao redor, depois em seu reino (cidade) e assim por diante. Egoísmo é a base de tudo.

Conto de fadas é acreditar piamente nisso aí que o cara do Reddit escreveu.

Abs,
Ritter.

Responder
Fakeman 16 de abril de 2019 - 16:04

Cara, sai da minha cabeça, você leu minha mente! Rsrsrs

Responder
Mr.L 15 de abril de 2019 - 22:05

Daenerys tá um pé no saco nesse ep, talvez o único momento que se salve é quando ela fala que matou o pai e o irmão do Sam; fala sério, além de todo romance água com açúcar teve a “grande” cena dela reclamando da sansa pro jon,pqp véi,e ainda quer dominar os setes reinos assim? Bela mudança de personalidade fizeram na personagem. Por falar em mudanças, a personalidade da Sansa também tá bem alterada, tudo bem que ela amadureceu e tals,mas ela tá agindo como se já fosse uma senhora com vários anos de experiência e que tá lidando com uns novatos que nem sabem o que tá acontecendo. Diferente do Tyrion,que por sua vez passou de jogador experiente para um amador que tá aprendendo as regras. O Jon, bem… parece que voltou a não saber de nada. Bran tava bem à toa, só prestou pra lembrar o pessoal que eles não têm tempo pra lenga lenga e Para receber o Jaime. Cersei tava maravilhosa como sempre, nada se reclamar. E a cena do tormund lá no castelo realmente foi muito boa,Rei da noite além de ser um exímio atirador também é um artista a frente do seu tempo kkkk, quando o pirralho virou zumbi eu tomei um baita susto.

Ps: mais alguém que assistiu dublado também achou que a dublagem não vc tava muito boa? Quero saber se foi isso mesmo ou só estou estranhando por causa do tempo da temporada anterior.

Responder
planocritico 16 de abril de 2019 - 00:21

Mas só nesse episódio, @MrL113:disqus ? A Daenerys é uma mala sem alça desde que surgiu…

Abs,
Ritter.

Responder
Mr.L 16 de abril de 2019 - 04:58

Hahaha antes ela era mais suportável.

Responder
planocritico 16 de abril de 2019 - 14:40

Ela tem dois níveis: insuportável e absolutamente insuportável…

Abs,
Ritter.

Responder
Carlos Bruno 16 de abril de 2019 - 13:08

Né Ritter kkkkkkkkkkk

Responder
Jose Claudio Gomes de Souza 15 de abril de 2019 - 21:56

Meu maior medo é que, com apenas seis episódios, as tramas sejam resolvidas de forma rápida ou casual demais. E a nova abertura ficou show, realmente!

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 22:05

@joseclaudiogomesdesouza:disqus , também tenho esse medo, mas não vejo alternativa, infelizmente!

Abs,
Ritter.

Responder
Gustavo Henrique 16 de abril de 2019 - 00:02

Mas vai ser desse jeito hehehe
O 1°episódio já mostrou que vai ser assim

Responder
Cesar 15 de abril de 2019 - 21:02

Ritter comentando GOT? Heueheueheu

Essa série não esta no meu top, Mas assistir GOT é de fato, um evento especial. Comigo é assim. Pode ser parecido com o que as pessoas sentiam por Lost (Não peguei esse epoca). Nao só pela euforia fora das telas com o público borbulhando, mas tambem a atmosfera que a história passa.

Apesar de todo mundo descendo o cacete, eu achei muito importante a cena do vôo dos dois. Principalmente no episódio que o Jon sabe que é de sangue Targaryen. Deixa escancarado que apenas Targaryens podem domina-los.

Eu nao sei como a série poderia deixar claro para os outros personagens que a história do Jon é verdade. Como isso vai/pode ser feito? Tem o Bran, não lembro dos documentos do Sam, mas ainda assim, não vejo como os outros personagens vão levar isso a sério. Aí talvez coisas sutis como Jon dominando um Dragão possa ajudar.

Belisssima análise, Ritter. GOT tá em excelentes mãos por aqui.

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 22:05

Obrigado, @disqus_MQyZmw7MOm:disqus ! A 1ª temporada de GoT é de análise minha, assim como o primeiro livro! Voltei agora!

Sobre a série, ela também não está entre as minhas favoritas, mas entra mesmo nessa categoria de “evento especial”.

Você fala da questão de que só os Targaryens podem dominar os dragões. Outro leitor também falou disso. No entanto, faço a pergunta legítima, pois eu realmente não me lembro: isso é fato dentro da série?

E outra coisa: sendo ou não fato, não seria possível concluir que Jon só cavalgou o dragão porque a Daenerys estava do lado, meio que “mandando” o dragão aceitá-lo?

Sobre provas do parentesco de Jon, de fato vai ser um problema isso… A não ser que descubram que os pais deles estão vivos ainda…

Abs,
Ritter.

Responder
Sheila Mello 16 de abril de 2019 - 14:04

Talvez o dragão solte fogo nele e ele não queime! kkkkk

Responder
planocritico 16 de abril de 2019 - 15:21

Quero ver é ele ser MACHO de ficar na frente da baforada do bicho!

Abs,
Ritter.

Responder
Daniel Roberto Santos 16 de abril de 2019 - 14:05

O Howland Reed é o pai da Meera e ele ainda está vivo na série. Ele estava junto do Ned na torre da alegria e seu testemunho ou algum documento, que o Ned deixou sobre a guarda dele, podem comprovar a paternidade do Jon / Aegon.

Responder
planocritico 16 de abril de 2019 - 15:13

Vão ter que rebolar para fazer as coisas se encaixarem para consumo geral acima de qualquer suspeita!

Abs,
Ritter.

Responder
Nicolas Dias 15 de abril de 2019 - 19:44

Minha cara de desgosto ao ver uma temporada final de seis episódios gastando preciosos minutos, no romance brega de dois atores fracos. Nada contra romances, mas precisa ser assim? Que saudades da Ygritte, a Rose ao menos compensava as limitações do Kit.

Compreendo que o episódio precisava situar a histórica, colocar as peças no lugar, e ele foi feliz em fazer isso, mas ainda assim foi morno, espero que o ritmo acelere já no próximo episódio.

https://uploads.disquscdn.com/images/9b52d4ae090c8a36b65f429364fca914d29e8b7daadbf014f0ae0f835b07ad55.jpg

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 21:56

Eu achei que foi na temperatura correta.

Abs,
Ritter.

Responder
Mariana 15 de abril de 2019 - 17:57

Preguiça daquele voo romântico, estava esperando eles começarem a cantar A whole new world (mas sem a química do casal original). E John Snow acreditou muito rápido na história de sua paternidade/maternidade, eu hein! Até parece que leu os livros.

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 17:57

@disqus_GRoOGsH1Kc:disqus , pensei a mesma coisa sobre o voo, hahahahahaha.

Sobre acreditar no parentesco dele, a questão é quem contou para ele. Por isso Bran diz que quem tinha que falar era o Sam, que carrega legitimidade, honestidade e é o verdadeiro irmão do Jon.

Abs,
Ritter.

Responder
Law 15 de abril de 2019 - 17:45

Vou ser sincero aqui, Tô começando a ficar com raiva da sansa sendo tratada com a modafoca da série, sério, ela e o Tyrion foi ridículo, o cara conhece a irmã a vários anos e vai dar um vacilo desses? E a sansa sabendo mais sobre a Cersei que o tyrion ? COERÊNCIA
E tipo,o bran ficou feliz ao se reencontrar com o jon, demonstrou ser um humano novamente, apenas para entrar no modo Robô de novo …

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 17:57

Ela ter amadurecido a esse nível é coerente. Tyrion é que não está coerente.

E não sei aonde que o Bran demonstrou ser humano com Jon… Eu só vi modo robô do começo ao fim…

Abs,
Ritter.

Responder
Law 15 de abril de 2019 - 18:37

Quando se compara a evolução dela com outros personagens, da pra perceber que a sim uma leve forçada de barra
Tipo, Jon depois de Ressuscitar não teve mudança no comportamento, Dany parece está a beira de um surto desde o início da temporada passada e etc …
Sobre o Bran, Não é que ele tenha aberto um grande sorriso,mas da para perceber no dialogo dele com o jon sim,principalmente se comparar com ele dando o spoiler do dragão zumbi, até vi melhor essa cena pra ter ctz

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 18:46

Tenho para mim que os outros personagens já estavam mais a frente na evolução, digamos assim. Sansa e Arya eram as que estavam mais atrás, eram as mais crianças, a primeira uma metidinha completamente desligada das maquinações do mundo e, a segunda, uma rebelde de meia-tigela. Ao longo dos anos, considerando o que elas passaram, eu vejo as evoluções delas como as melhores de toda a série.

E Jon, bem, Jon não evolui. Ele é unidimensional até dizer chega.

Sobre o Bran, acho que o ator não tem essa sutileza toda não, viu?

Abs,
Ritter.

Responder
Bruna Barros 15 de abril de 2019 - 16:08

Achei que foi um episódio morno pra começo de temporada final, esperava um pouco mais de ação, é compreensível visto que as peças do jogo precisavam ser posicionadas, mas no geral foi um bom episódio. O ponto alto foi a revelação de Sam para o Jon, que cena! Ansiosa pro próximo episódio!
PS: Prevejo Daenerys surtando ao descobrir a verdadeira identidade do Jon.

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 16:23

Também estou bem curioso para ver a Daenerys esbravejando quando souber do Jon…

Abs,
Ritter.

Responder
Bruna Barros 15 de abril de 2019 - 16:23

Eu acho que ela vai mandar os dragões matarem o Jon e eles não vão obedecer…. Ver o desespero dela vai ser ótimo! hahahaha

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 16:47

Seria lindo ver a cara de tacho dela nessa hora!!!

Abs,
Ritter.

Responder
Carlos Bruno 16 de abril de 2019 - 13:08

Óbvio que isso não vai acontecer.

Responder
Fabio Oliveira Bourdeaux 15 de abril de 2019 - 16:08

Será que a Daenerys em nenhum momento pensa que o Jon também é da família, visto que somente Targaryen pode montar dragões?

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 16:08

Isso foi determinado na série como fato?

E não sei se mesmo assim ela perceberia, pois é possível concluir que o outro dragão só está obedecendo as ordens dela deixando mais alguém cavalgá-lo.

Abs,
Ritter.

Responder
Charles Fernando 17 de abril de 2019 - 10:05

A Dany parece não saber nada disso, mas é claro nos livros que há a lenda popular em westeros que só os descendentes dos Dragon Lords podem domar dragões

Responder
planocritico 17 de abril de 2019 - 10:51

O que pode ser mesmo só lenda…

Abs,
Ritter.

Responder
Charles Fernando 17 de abril de 2019 - 14:09

Sim, não foi confirmado.
Mas pensando com a mentalidade do povo lá, todo mundo isso serviria de evidencia pra dizer que ele é do sangue do dragão.

planocritico 17 de abril de 2019 - 15:05

Certamente vale mais do que as palavras de Sam e Bran.

Abs,
Ritter.

Pedrinho Rude Boy 17 de abril de 2019 - 03:18

Se não me engano na 6ª temp, quando o Tyrion vai libertar os dragões dos grilhões, ele toca em um deles sem problemas. Das duas uma, ou são os próprios dragões que determinam pra quem concedem empatia independente do sangue familiar, ou o Tyrion é um Targaryen tb.

Responder
planocritico 17 de abril de 2019 - 10:51

Bem lembrado!

Abs,
Ritter.

Responder
Maycon Oliveira 15 de abril de 2019 - 15:53

Tá uma cara que Jhon vai trair (matar) a mãe dia dragões…

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 15:53

Um bem que podia matar o outro. Pode ser até de amor, que eu não reclamo, DESDE QUE ELES SAIAM DA SÉRIE E DEIXEM O TRONO LIVRE PARA A CERSEI!!!

HAHAHHAHAHAHAHAHAHAH

Abs,
Ritter.

Responder
Maycon Oliveira 15 de abril de 2019 - 16:08

Quem vai assumir o trono é o Rei da Noite hehehe

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 16:08

Cersei RULES!!!

Abs,
Ritter.

Responder
Nicolas Dias 15 de abril de 2019 - 19:44

É que a série tá cagando para detalhes dos livros, mas na profecia/lenda que circula lá, o herói Azor Ahai, que derrotou os mortos anteriormente, precisou matar sua amada para ter arma que pudesse derrotá-los, especula-se que Jon ou Daenerys cumprirá a função de Azor dessa fez. Se isso acontecer, e a série tiver se baseado nisso, podemos ver um matando o outro, ou algo do gênero. Claro que também pode rolar um final feliz estilo novela das 9 e o casal dividir o trono.

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 21:56

O problema é que isso deveria ter sido construído antes. Mas não duvido nada que inventem isso agora e entulhem os últimos episódios de profecias deus ex machina.

Abs,
Ritter.

Responder
Capitão Verdinho 15 de abril de 2019 - 14:09

Galera reclama do relacionamento de Jon e Dani, que realmente tá ruim pra xuxu, mas o que não estão notando é que esse relacionamento só foi “criado” para que a profecia seja escrita novamente, o grande herói Azor Ahai precisa matar o seu grande amor para então possuir a Luminifera, a espada flamejante que destruirá o Rei da noite.

Outro ponto é que Dani está se tornando muito parecida com seu pai, o que justificaria sua morte e a galera não ficaria tão “ó coitadinha, amava tanto ela”.

Não é “Fan Service”, é a profecia sendo escrita.

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 14:54

Mas então vão enfiar isso tudo de história nesses cinco episódios que faltam, tirando tudo da cartola? Vai ser MUITO feio isso…

Abs,
Ritter.

Responder
Capitão Verdinho 15 de abril de 2019 - 14:55

Acho que a profecia não precisa ter uma explicação muito longa na série, pode ser algo envolvendo um flashback do Bram ou até mesmo ele explicando que para derrotar o Rei da noite será preciso determinado sacrifício, assim como foi a revelação de que Jon Snow é um Targaryen. Na verdade é o que eu espero que aconteça e acredito ser o motivo mais plausível para esse romance meio forçado.

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 15:07

Cara, narrativamente isso seria medonho. Não dá para introduzir coisa nova desse naipe na última temporada. As coisas teriam que ter sido trabalhadas ao longo da série, nem que ficasse ali nas entrelinhas. Nada disso foi feito e trazer isso tudo para o final seria o equivalente a revelar que, na verdade, o Jaime é um White Walker especial, do bem, que desde o começo vem tentando evitar o pior…

Abs,
Ritter.

Responder
Capitão Verdinho 15 de abril de 2019 - 15:19

Hahuahua essa do Jaime ficou legal.

Mas se você for parar para analisar o fato de Jon ser um Targaryen não foi trabalhando no decorrer da série, em nenhum momento foi dada qualquer pista sobre os verdadeiros pais dele, nós espectadores que teorizávamos sobre isso.

Assim como existem as nossas teorias sobre quem é Azor Ahai, que na verdade já foi mencionado na série, quando Melisandre fala sobre o herói e ainda é corrigida dizendo que a tradução da profecia pode ser um herói ou uma heroína.

Grande abraço mestre.

planocritico 15 de abril de 2019 - 15:31

@wladicm:disqus , você tem toda razão. A história da ascendência do Jon foi MUITO mal feita. Até tem uma lógica interna que vem do mistério sobre sua verdadeira mãe, mas ficou por aí e, de repente, lá vem o Sam e o Bran para inventar essa história dele…

Por isso é que eu digo: não fica bom. Por outro lado, não duvido absolutamente nada que aconteça justamente o que você diz!

Abs,
Ritter.

Robson Luz 15 de abril de 2019 - 23:05

Aí que vcs se enganam, pelo menos nos livros são várias dicas dadas ao longo da história, não é a toa que essa era a teoria mais provável de acontecer, já a profecia de Azor Ahai é bem mais obscura e existem vários candidatos, não precisa necessariamente jon ser tudo

planocritico 16 de abril de 2019 - 00:21

Nos livros pode ser. Na série nem a ascendência de Jon e muito menos essa profecia foi bem tratada.

Abs,
Ritter.

Nicolas Dias 15 de abril de 2019 - 19:55

Pois é, pararam de mencionar a profecia e o herói prometido há trocentas temporadas atrás, sendo que nunca se aprofundaram nisso, a Melisandre que mencionou umas poucas vezes, apostando no Stannis como Azor. Nos episódios finais vão ressuscitar isso e introduzir toda essa história? Seria ruim.

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 21:56

Péssimo!

– Ritter.

Responder
Mr.L 15 de abril de 2019 - 22:15

Concordo, a série meio que cagou pra profecia (e pra todo misticismo de um modo geral), vai ficar um baita ex machina.

Responder
planocritico 16 de abril de 2019 - 00:21

Pois é. Vai ser ridículo…

Abs,
Ritter.

Responder
Jonatas Araújo 15 de abril de 2019 - 13:18

Que cena linda essa dos dragões voando e o beijo do casal, que química! Já posso imaginar na cena final da série um casamento real entre Jon e Daenerys ao som de “A Thousand Years”.

Concordo com a nota e o que pontuou, ótima crítica.

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 14:41

HAHAHAHAHAHAHAHAAH Nossa, já imaginou?

E obrigado, @jonatas_ara_jo:disqus !

Abs,
Ritter.

Responder
Flavio Batista 15 de abril de 2019 - 13:17

Po, velho ninguem comentou do esforço hercúleo do Sam pra nao chorar na frente da Dany, qdo esta conta q matou seu pai e irmao?
Tenho essa tendencia de gostar de personagens underdogs, entao sofri com o Sam ali.

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 14:41

Eu disse que a atuação dele foi soberba!!! Mas confesso que eu não sabia se ele estava chorando de alegria ou de tristeza…

Abs,
Ritter.

Responder
Flavio Batista 15 de abril de 2019 - 16:09

KKKKKKKKKKKKKKKKK vc é terrivel!
desculpa Ritter eu tava mais me referindo aos comments

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 16:23

Se foi tristeza, pode ter sido por ele não ter tido a oportunidade de matar os dois com a espada que roubou!

HAHAHAAHHAHAHAHAHA

Abs,
Ritter.

Responder
Flavio Batista 15 de abril de 2019 - 18:08

Hahaha do jeito q ele é bonzinho foi tristeza de verdade rsrs
“Pelo menos vou poder voltar pra casa…”
Desculpa, assei seu irmao tbm

planocritico 15 de abril de 2019 - 18:18

Bonzinho nada, rapaz! Por trás daquele rosto rechonchudo tem um monstro!!!

Abs,
Ritter.

Lenin Pessoto 15 de abril de 2019 - 13:04

Gostei do episódio, embora já não assista com a mesma empolgação desde que a briga com os white walkers se tornou mais importante que as disputas políticas, que foram o que me fizeram com que me apaixonasse pela série.
Jon e Daenerys não me desce, as cenas de romance com eles são lamentáveis.
Esperava ao menos uma morte impactante já pra agora, mas o episódio preferiu apenas posicionar os personagens, o que não ta errado.
Também lamento pelo Tyrion, meu favorito desde o início. Até a Sansa percebeu que tá burro demais. Por outro lado vejo no Jaime um elemento chave pro final, espero algo grande dele, e afinal, pra mim é disparado o personagem com a melhor caminhada.

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 14:41

Acho o mesmo, @leninpessoto:disqus !

Abs,
Ritter.

Responder
Junito Hartley 15 de abril de 2019 - 14:09

No primeiro episodio da serie ja estava claro que o foco principal era a guerra contra os caminhantes, as brigas politicas eram tipo uma subtrama, nada mais natural do que agora essa subtrama ficar de escanteio e a trama principal finalmente engrenar.

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 14:41

O principal deveria ser as disputas políticas, como o nome da série indica. Os zumbis é que deveriam ser a subtrama.

Abs,
Ritter.

Responder
Junito Hartley 15 de abril de 2019 - 14:42

Pra mim do que jeito que esta, esta bom, como eu disse no primeiro episodio a serie ja deixa claro qual seria o foco principal.

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 14:54

Entendo, mas para mim é exatamente o oposto: o primeiro episódio deixa claro que o principal é a politicagem e que o sobrenatural é detalhe.

Abs,
Ritter.

Anônimo 15 de abril de 2019 - 12:51
Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 14:41

E o pior é que os dois piores atores (sem ser o cara que faz o Bran, pois aí é covardia) são os dois mais importantes…

Abs,
Ritter.

Responder
wesley cardoso 15 de abril de 2019 - 12:38

Sempre considerei como os três principais personagens da série, o Jon (movimentando tudo além da muralha), Daenerys (movimentando Essos) e Tyrion transitando e movimentando todos os arcos. Mas conforme a história foi apertando a tendência era de que ele diminuisse a importância devido ao seu pouco poderio militar, mas ele poderia ser muito mais ativo aconselhando não só a Daenerys como o próprio Jon. Acho que caso se concretize a traição dele contra a Daenerys vai ser o maior erro de toda série, seria um personagem importante demais, e inteligente demais pra cometer uma estupidez dessa, iria contra tudo que a série construiu de um dos seus protagonistas. Ouvi rumores de que ele seria condenado a morte no último episódio da série, seria uma morte forçada e serviria só pra causar impacto, o sacrificio do melhor personagem da série.

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 14:42

Acho a Cersei essencial também. E daria muito bem para manter o Tyrion em destaque com constância. Há espaço para ele. O problema é que os showrunners enxertaram novos personagens demais que acabaram tendo papeis redundantes e o Tyrion ficou peridido no tiroteio.

Abs,
Ritter.

Responder
wesley cardoso 15 de abril de 2019 - 20:24

Só n ficou mais perdido que o coitado do Fantasma. Gastaram muito tempo e CGI no vôo dos dois e nem pra mostrar o coitado do lobo.

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 21:56

Pois é… Sacanagem com o lobinho…

Abs,
Ritter.

Responder
Big Boss 64 15 de abril de 2019 - 12:17

Vocês notaram que a putaria foi tão gratuita nesse episódio que ninguém comentou sobre?

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 12:27

Você diz a cena do Bron? Mas foi só mais um domingo na vida dele, oras…

Abs,
Ritter.

Responder
Big Boss 64 15 de abril de 2019 - 12:27

Eu queria um domingo desses também.

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 12:27

Pode ser segunda, ou terça, talvez quarta, uma quinta, certamente uma sexta também…

E sábado claro…

Abs,
Ritter.

Responder
Big Boss 64 15 de abril de 2019 - 17:23

Acabei de saber que a putaria gratuita serviu pra mostrar o que aconteceu com o Ed Sheeran: o soldado mencionado que perdeu as pálpebras era ele.

planocritico 15 de abril de 2019 - 17:34

Uau, que coisa mais importante!!!

HAHAAHHAAHAHHAHAHA

Abs,
Ritter.

Daniel Barros 15 de abril de 2019 - 12:28

Na verdade isso existia no início da série e foi sendo cortado, talvez por conta da popularidade.

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 14:42

@disqus_dcZDZO9Mmq:disqus , mas o lance é ninguém mais nem mesmo comentar exatamente porque virou padrão…

Abs,
Ritter.

Responder
Junito Hartley 15 de abril de 2019 - 14:19

Putaria gratuita em GOT? Vc acompanha a serie mesmo?

Responder
Big Boss 64 15 de abril de 2019 - 17:23

É, mas dessa vez achei bem mé. Já fizeram cenas melhores.

Responder
Cartman Raccon 15 de abril de 2019 - 10:55

O professor Xavier nem esperou ninguém descer do cavalo é ja foi soltando spoiler kkk e ninguém ligou. Tem um dragão zumbi…e foram brincar de Velozes e Furiosos com os dois que sobrou.
E Bran vê e fala tudo mas nem pra avisar o moleque que ele ia empacotar.
Achei que iria ter alguma interação entre Jorah e Lyanna.
#SansaNoTronoDeFerro

Curiosidade de bastidores: A Cersei não pediu diretamente ao Broon pra matar os irmãos pq os atores não podem contracenar juntos, era casados, deu b.o e tem uma clausula de contrato dela.

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 12:03

Deram poder demais para o Bran, mas não pode usar senão é vantagem demais. Era melhor não ter dado poder nenhum…

#CerseiNoTronoDeFerro

Abs,
Ritter.

Responder
Cartman Raccon 15 de abril de 2019 - 12:17

Gostava da Cersei… até aparecer essa Sansa do Demônio ai kkk to esperando ela empalar a Daenerys e depois ir atrás da Cersei hahaha

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 12:17

A parte do “empalar a Daenerys” estou contigo e não abro!

Já no caso da Cersei, seria um embate de titãs, mas a Sansa não tem chance!

HAHAHAAHAHAHAHAHAHA

Abs,
Ritter.

Responder
Big Boss 64 15 de abril de 2019 - 12:17

Bran deixou de ser personagem e virou recurso de roteiro pra acelerar a trama. Nada mais que isso.

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 12:17

Exato!

Abs,
Ritter.

Responder
Nathanael Pereira 15 de abril de 2019 - 10:43

Gostei do episódio, essas intrigas(palacianas) para mim é o que fizeram GOT interessante, achei algumas coisas bem toscas. Como a libertação da Greyjoy super rápido e fácil, a tentativa de um romance não sei se são os atores mas que não da pra engolir não tem química kkk. A E infelizmente a concretização de dizer que o Jon é o legítimo herdeiro gosto do personagem mas forçar isso é demais.

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 12:04

Sempre adorei as intrigas palacianas da série, pois é esse o verdadeiro coração dela, vide o título. O resto é firula em CGI. Uma pena, porém, que essas intrigas tenham já desaparecido há um bom tempo.

Abs,
Ritter.

Responder
Nathanael Pereira 15 de abril de 2019 - 12:39

sim infelizmente isso reflete em um dos personagens mais interessantes e inteligentes Tyrion que perdeu espaço, levando um sacode na ultima temporada da Cersei em termos de estrategia e de quebra nessa temporada parece que está ali só como enfeite (será que é sonhar demais que ele ainda vai fazer algo inteligente e interessante daqui pro fim?)

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 14:42

Pois é… Emburreceram o Tyrion…

Abs,
Ritter.

Responder
Lívia 16 de abril de 2019 - 13:30

Eu imagino uma estratégia do Tyrion aí…não acredito piamente que foi emburrecido dessa maneira, seria um desperdício. Ainda espero um belo golpe!

planocritico 16 de abril de 2019 - 15:13

Olha, você é muito otimista e confiante no taco dos roteiristas… Tomara que você esteja certa, mas eu infelizmente duvido…

Abs,
Ritter.

Pé De Pano 15 de abril de 2019 - 09:57

Um Exército de Mortos batendo a porta e Jon – Dany fazendo de Astrid e Soluço. Começou uma merda essa temporada derradeira. 2 estrelas só pelo Jaime no finalzinho (melhor personagem).

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 12:04

Esse momento de amorzinho foi ruim, mas o episódio foi muito bom!

Abs,
Ritter.

Responder
Matheus Carvalho 15 de abril de 2019 - 09:35

Achei um episódio 3 estrelas. Seria 4 estrelas se tivesse elefantes.

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 12:04

Elefantes = 5 estrelas.

Sempre!

Abs,
Ritter.

Responder
Teco Sodre 15 de abril de 2019 - 09:35

Tirando a cena do voo nos dragões – desnecessária e longa demais -, de resto achei um ótimo episódio. Precisava de um ‘punch’, pra deixar a gente na vibe GoT de ser, mas não me decepcionou em nenhum momento, uma vez que terminou com uma cena pra lá de macabra, com um símbolo que apareceu em algumas temporadas (espero que isso tenha um significado bacana e não deixem apenas como rastros inexplicáveis)!

Acredito que toda série deve ter seu fan service, é preciso equilibrar as intenções e tentar agradar à todos, porque há aqueles espectadores que não querem um romance, e há aqueles que querem… Logo, acho legal que os roteiristas pensem nesse equilíbrio. Ficou bem brega, mas não é a pior das coisas que poderiam acontecer. GoT não precisa ser sempre totalmente amarga e cruel. Acho que há falhas na condução desse romance (roteiro e direção), e também concordo que os atores poderiam entregar interpretações melhores. E, sinceramente, acho que depois dessa revelação do Sam para o Jon/Aegon, acredito que este romance está comprometido.

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 12:04

Sobre o romance, aí é que está: ficou bem brega como você colocou. Não precisava ser assim. Especialmente considerando que esses dois aí do romance são atores fracos.

Abs,
Ritter.

Responder
Big Boss 64 15 de abril de 2019 - 09:35

Sinceramente, eu só vou cobrar as motivações do Rei da Noite. Se me explicarem isso (e for bem feito), pode cair um meteoro em Westeros e os dragões destruírem ele com baforadas que eu aceito.

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 12:04

Cara, sinceramente não espero ver motivação nenhuma. Se vier, ótimo. Se não vier, não vou sofrer. Já estou resignado…

Abs,
Ritter.

Responder
Big Boss 64 15 de abril de 2019 - 12:04

A experiência com Lost me traumatizou bastante, por isso estou mais humilde e só pedi essa explicação kkk

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 12:17

Nem me lembre de Lost!!!

Abs,
Ritter.

Responder
Anderson Soares Pk' 15 de abril de 2019 - 14:41

Kkkkkkkkk de fato, Lost conseguiu a proeza de terminar “sem terminar”, deixando os fãs com a cara do meme do Vin Diesel. Não acredito q GOT repita o mesmo erro, mas por via das dúvidas né, não vamos criar expectativa kkkkk abraços!

planocritico 15 de abril de 2019 - 14:42

Também acho que GoT terá um final. Eu só não espero que o Rei da Noite explique o porquê ele está fazendo o que está fazendo. Eu já me resignei a aceitar um “porque sim”.

Abs,
Ritter.

Big Boss 64 16 de abril de 2019 - 08:05

“You know nothing, Jacob” 🤣

Charles Fernando 17 de abril de 2019 - 10:34

A motivação me parece bem simples.
Ele foi criado pelos Filhos pra matar os humanos e é isso que ele tá fazendo kkkk

Responder
planocritico 17 de abril de 2019 - 10:42

@disqus_FLpk9fGB8x:disqus , eu aceito facilmente essa explicação…

Abs,
Ritter.

Responder
Big Boss 64 18 de abril de 2019 - 00:41

Em cada episódio, vou levar tomates pra sala. Se for essa porra de porque sim… foda-se se é a TV de 42 polegadas do meu sogro, vou jogar legume a rodo.

Responder
planocritico 18 de abril de 2019 - 09:23

HAHAHHAHAHAAHAHAHAHAHHAAH

Não se esqueça de filmar esse ato de revolta e mandar para cá!

Abs,
Ritter.

Big Boss 64 17 de abril de 2019 - 22:15

Não pode ser só isso. Se for, pra quê perder tempo fazendo aquele símbolo parecido com o brasão dos Targaryen?

Responder
planocritico 17 de abril de 2019 - 23:37

Ué, @mjfilho33:disqus , você está querendo insinuar que zumbis não podem ser prendados? Isso é zumbifobia, hein?

HHAAHAHHAAHAHAHAHHHHA

Abs,
Ritter.

Responder
Ocireves 15 de abril de 2019 - 09:25

Não entendo o hate contra o casal Jon e Daenerys, além do mais que é um casal passageiro e não ficarão juntos, episódio foi bom, apenas uma introdução.

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 12:04

Passageiro ou não, eles são péssimos juntos e as cenas são bregas demais. Dava para fazer o mesmo de maneira menos bobalhona.

Mas o episódio foi ótimo mesmo assim.

Abs,
Ritter.

Responder
Daniel Silva Pereira 15 de abril de 2019 - 09:25

Gostei do episódio… Fora a parte do romancinho achei zuado também como eles decidiram incluir o bron de volta ao jogo… Sério q ela acha q o bron vai fazer o q ela quer? kkkkkkkk

Ps. No primeiro momento achei q ele falaria com a rainha e estranhei por q sei da treta por trás dos bastidores kkkkkk

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 12:04

Esse Bron é demais!

Abs,
Ritter.

Responder
Cahê Gündel 15 de abril de 2019 - 09:05

Excelente crítica, Ritter. Aquele rolê de dragão realmente foi o ponto fraco, desnecessário, e que atores ruins! Já tô torcendo pra Danny rodar só pra não ter ficar vendo as caras e bocas da Emilia Clarke. Outra coisa que não gostei foi a maneira aparentemente tranquila com que o Theon tomou de assalto a Frota de Ferro, mas dá pra entender que a série não tem tempo a perder mostrando coisas demais – muito menos piadinha do Tyrion sobre as bolas do Varys. O ponto alto foram os diálogos da Sansa – que personagem! que atriz! – com o Jon e o Tyrion – “já considerei você o homem mais inteligente” -, bem como os da Arya. A Cersei – também torço por ela! – fazendo gracinha com os elefantes foi uma bela piada interna – certamente os bichos não couberam no orçamento. E o menino Umber foi o momento terror, levei um puta susto com aquilo. Belo episódio, deu pra matar a saudade.

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 12:04

Obrigado, @cahegundel:disqus !

O voo de dragões com os dois piores atores da série foi de ranger os dentes. Só faltou tocar a música do Titanic…

Sobre Theon, acho que foi isso mesmo, a falta de tempo obrigou um atalho gigante ali.

Concordo sobre a Sansa, mas a Cersei é DEMAIS!!!

Abs,
Ritter.

Responder
Daniel Barros 15 de abril de 2019 - 09:05

Gostei do episódio.

Rei Louco virou White Walker e está em busca do trono, que deveria ser dele? Ou coincidência?

https://uploads.disquscdn.com/images/7e4a8bc3a9dd399d40df92fc53024e35a56cbafd6ee6d319ac0d7ae42afc3c94.jpg

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 12:04

@disqus_dcZDZO9Mmq:disqus , não sei, mas espero que não seja algo tão simples assim…

Abs,
Ritter.

Responder
Cahê Gündel 15 de abril de 2019 - 10:55

Vi na crítica da Folha a referência ao brasão, nem me toquei na hora.

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 12:04

Também não e, se for só isso, vai ficar meio bobinho…

Abs,
Ritter.

Responder
Daniel Roberto Santos 15 de abril de 2019 - 08:44

O Episódio foi bom para um inicio de temporada, o que me incomodou mesmo foi que quase não houve coisas novas. Praticamente tudo que mostrou ou já sabíamos ou os trailers já tinham revelados.

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 12:04

Achei normal não ter coisas novas. Aliás, é até perigoso ter coisas novas na última temporada, pois volta e meia coisas novas em situações como essa resultam em deus ex machina.

Abs,
Ritter.

Responder
Vitner Santos 15 de abril de 2019 - 03:20

Aceitem Jonerys que dói menos hahah

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 08:16

Se eles pelo menos fossem bons atores…

Abs,
Ritter.

Responder
Jonatas Araújo 15 de abril de 2019 - 08:25

Dói menos meus olhos vendo aquela cena

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 12:17

Foi de arrancar os olhos com uma colher mesmo…

Abs,
Ritter.

Responder
Cartman Raccon 15 de abril de 2019 - 10:55

Jonerys é aceitavel…se não tivesse um dragão zumbi! Os dois cagaram pra essa informação e foram catracar huahahua

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 12:17

Afinal, dragão zumbi e um exército de MILHARES de zumbizinhos não são páreo para a FORÇA DO AMOR!!!

HAHAHAHHAAHHAHAHAHHHA

Abs,
Ritter.

Responder
Big Boss 64 15 de abril de 2019 - 12:28

Qual dos White Walkers mergulhou pra prender a corrente no dragão submerso?

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 14:42

Não foi um qualquer?

Abs,
Ritter.

jhonatan diego 15 de abril de 2019 - 03:00

Gostei do episódio, foi bem oq eu esperava, típico primeiro episódio de game of thrones, com toda a apresentação do tabuleiro.
Curti toda ligação desse com o primeiro episódio da série, como o garoto no começo querendo ver o exército chegando em winterfell assim como a água na primeira temporada, e toda essa chegada do pessoal da daenerys q foi bem parecido com a chegada do rei robert e até o final acabando com uma cena entre o Jaime e o bran.
Um dos pontos altos do episódio pra mim foi a interação entre os personagens, foi bem legal ver alguns encontros e reencontros esperados. Mas o ponto alto foi a cena da cripta, a forma que o roteiro preparou e deixou ela com muito mais peso, acho q o ator q faz o sam foi excelente nesse episódio e deu um peso ainda maior nessa cena. E a nova abertura também achei maravilhosa.

p.s. Os personagens nesse episódio falavam exatamente oq eu sentia kkk, tanto a decepção da cersei com a falta dos elefantes quanto a Sansa falando pro tyrion q um dia ela o achou a pessoa mais inteligente de todas.

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 12:17

Achei que foi mais do que o típico episódio de começo de temporada de GoT, pois eles são normalmente fracos. Esse foi realmente bom.

Abs,
Ritter.

Responder
jhonatan diego 15 de abril de 2019 - 14:41

Eu falo típico pois vi muitas pessoas esperando um episódio bombástico cheio de ação por ser a última temporada mas foi aquele episódio mais preparatório como os outros primeiros episódios da série. E normalmente acho os primeiros episódios OK assim como esse, tirando os das 2 primeiras temporadas.

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 14:42

Ah, sim. Bombástico eu já esperava que não fosse. Eu me surpreendi é por ter sido tão bom!

Abs,
Ritter.

Responder
Lucas Rodrigues 15 de abril de 2019 - 02:31

Depois da ultima temp, tinha prometido pra mim que não ia começar essa hypado, mas revi as 4 primeiras e não consegui cumprir a promessa kkk. Então achei esse ep um banho de água fria. Tá, os reencontros eram necessários e eu gostei, mas, como vc disse, trocarem cenas que focassem no Tyrion ou outros pontos relevantes pra colocarem essa cena totalmente brega do casal Cherno e Byl (nem o Drogon gostou), ou pra começarem a darem pistas de que a Arya e o Gendry vão se pegar (?). O questionamento da Sansa sobre a comida foi importante, mas não entendi pq decidiram tratar disso agora, pq assim que a Dany apareceu com aquele exército monstruoso de imaculados, a muitas seasons, andando entre as cidades, me perguntei “como caralhos ela tá alimentando todo esse povo?”
Tô com medo porque no próximo ep ainda vão focar em coisas que eu n vejo necessidade na ultima season, como o romance da Missandei e do Verme Cinzento. Mas n achei o ep no geral ruim, achei ok.

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 12:17

O hype é inevitável! Curve-se a ele! HAHAHAAHAHAHAHAH

Achei um ótimo episódio inaugural!

Abs,
Ritter.

Responder
Vinicius Maestá 15 de abril de 2019 - 02:03

O maior destaque do episódio pra mim foram as tiradas cômicas, raríssimas em GOT, que funcionaram muito bem, como a cena do Drogon olhando para o Jon e os olhos azuis do Thormund

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 12:17

Foram boas mesmo as tiradas cômicas, bem lembrado!

Abs,
Ritter.

Responder
Gabriel Carvalho 15 de abril de 2019 - 01:23

Metalinguístico a Cersei lamentando não ter elefantes. Certeza que o plano era que tivesse, mas a produção acabaria ultrapassando o orçamento.

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 01:23

Ela deu voz aos lamentos dos showrunners quando tiveram o orçamento dos elefantes ceifado pela HBO!

Abs,
Ritter.

Responder
cleverton 15 de abril de 2019 - 11:19

Tmb achei isso hahahaha, o plano dos caras a dois anos atrás era mostrar os elefantes com certeza, não sei se tiraram pelo orçamento realmente, mas que eles queriam isso é fato.

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 12:17

@disqus_p5Vt9bnmie:disqus , eu ainda acho que é uma finta e teremos elefantes!

Abs,
Ritter.

Responder
Junito Hartley 15 de abril de 2019 - 14:19

To vendo voces falarem bastante desses elefantes, tem alguma coisa especial neles nos livros?

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 14:42

No livro eu não faço ideia, mas havia planos paquidérmicos para a série, segundo os produtores!

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 22:05

Chegou o elefante da rainha!!!

Abs,
Ritter.

Responder
Big Boss 64 16 de abril de 2019 - 08:05

Tirando a metalinguagem, pra quem viu DRAGÕES aterrissando na sua frente, esse fascínio da Cersei por elefantes é muito estranho. Será que ela tem a ideia errada de como é o animal de verdade?

Responder
planocritico 16 de abril de 2019 - 10:25

Vai ver os elefantes de Essos são que nem os olifantes da Terra-Média!

Abs,
Ritter.

Fakeman 16 de abril de 2019 - 16:48

Safadona ela, quer ver a tromba de qualquer jeito

O Homem do QI200 15 de abril de 2019 - 01:05

Sinceramente, esperava mais, não foi ruim, nem chegou perto disso, mas acredito que não soube controlar meu hype, tá muito alto. Confesso que gostei da cena a lá Disney do Jon e Daenerys montado nos dragões pq foi à primeira vez que senti uma química entre eles (além, claro, daquele olhar safado do Drogon). Achei genial a fala da Sansa sobre a alimentação do exército, pois é um ponto realmente deixado de lado em muitas séries fantasiosas e ressalta como GoT consegue equilibrar a fantasia com a realidade. Tyrion não lembra mais o cara inteligente que era, sempre achei que futuramente ele iria perder seu espaço, mas não dessa forma brusca. Esperava bem mais do encontro do Cão e da Arya (apesar que já esperava algo frio nessa parte pq isso era importante apenas para mim) e achei muito show a fala do Bran: “Estou esperando um velho amigo” e esse amigo era o Jaime; a reação dele é impagável. Vou deixar pra comentar sobre a questão do verdadeiro herdeiro do trono mais pra frente quando tiver um maior desenvolvimento.

*Só pra deixar claro, essa temporada já me decepcionou em um ponto e é a mesma da Cersei: NÃO VAI TER ELEFANTES!

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 01:14

HAHAHAHAHAHAAHAHAHHA

Essa dos elefantes foi excelente. Mas, realmente, sem elefantes, sem série. Vou parar de ver em protesto!!!

Abs,
Ritter.

Responder
Big Boss 64 15 de abril de 2019 - 09:35

Sobre essa do Bran esperar o Jaime, muita gente falou que deixaram um aleijado no frio a noite toda.

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 12:17

Mas deixaram mesmo! Tadinho do sujeito!!!

HAHAHAHAAHHAAHAHAHAH

Abs,
Ritter.

Responder
Junito Hartley 15 de abril de 2019 - 01:05

Rapaz eu fico admirado como tem gente que ainda reclama desse episodio, gostei de quase tudo no episodio, so nao curti a cena do passeio nos dragões, assim, a cena nao foi de todo um desperdício, pra mim ela mostrou que agora o Jon pode montar nos dragoes e aposto que isso vai ser usado na guerra, so acho que a cena foi longa demais, poderia e devia ser mais curta. A cena do encontro e da revelação do Sam para o Jon foi foda demais, me arrepiei todo, a cena do menino empalado e revivendo dando aquele gripo foi assustador e muito foda tambem, ser humano nunca ta satisfeito mesmo com nada, episodio foda demais!

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 01:05

A cena da cripta foi irretocável. E o momento de terror lá em Última Fogueira foi excelente para já gelar a espinha.

Mas o namorico dos dois principais é irritante demais e o espaço diminuto dado ao Tyrion um verdadeiro crime. Mesmo assim, foi um baita episódio!

Abs,
Ritter.

Responder
John Locke 15 de abril de 2019 - 17:11

Nina, sou seu fã.

Responder
cleverton 15 de abril de 2019 - 00:55

Na abertura os lugares congelando foi muito bom tmb

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 01:05

Sensacional!

Eu poderia ver essas aberturas de GoT por horas.

Abs,
Ritter.

Responder
Mera Rainha de Atlântida 15 de abril de 2019 - 00:55

Não gostei do episódio, acho bem forçado esse romance do Jon e Daenerys, aquele momento Como Treinar o seu Dragão foi fofinho, mas desnecessário. Foi um episódio pra arrumar o tabuleiro e checar se as peças estão todas sólidas, mas não gostei do modo como as informações foram simplesmente jogadas sem a menor sutileza. Tudo bem que eles não podem mais enrolar devido a questão dos poucos episódios, mas poderiam ter tido um pouco mais de sutileza. O roteiro soube dar atenção a quase todos como você mencionou, mas não vejo mais como desenvolver isso sem enrolar mais.

Responder
planocritico 15 de abril de 2019 - 01:05

Estamos de acordo sobre os momentos “Como Treinar seu Dragão”, mas nossa percepção geral sobre o episódio foi bem diferente. Achei que de todos os episódios de começo de temporada, talvez com exceção do da primeira, esse foi o que melhor soube trazer e encaixar as informações.

Abs,
Ritter.

Responder

Escreva um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais