Home FilmesCríticas Crítica | Iniciação (2021)

Crítica | Iniciação (2021)

por Leonardo Campos
1.950 views (a partir de agosto de 2020)

Existe muita consciência de subgênero em Iniciação, slasher que toma alguns arquétipos deste campo de produção e os apresenta numa perspectiva diferenciada, mas ainda assim, cheia de imprecisões narrativas. De início, vamos falar dos aspectos relacionados aos personagens. O rapaz negro, geralmente estereotipado, aparece aqui muito autoconsciente, sem a representação burlesca que na década de 1980 e já nos anos 1990, estigmatizou muitas figuras ficcionais. O oriental, na mesma linha, também aparece aqui numa caracterização menos arquetípica, demonstração de responsabilidade dos realizadores que interessados na subversão de muitos aspectos, fazem trocas que significativas, como a aparição do garoto nu em seu reconfortante banho no chuveiro. É uma narrativa interessada em conduzir as nossas expectativas por um viés mais inovador, distanciado dos lugares comuns que em fases distintas da história do slasher, tornaram o subgênero desgastado.

Em linhas gerais, muitas boas intenções, diferentes da execução, assumida por John Berardo, cineasta que se baseia no roteiro escrito em parceria com Lindsay LaVanchy e Brian Frager, texto com ideias muito interessantes, mas transformação morosa em produto final. O direcionamento narrativo, aqui, peca pela falta de objetividade e pela pressa em resolver, próximo ao desfecho, todas as lacunas que ficaram em aberto ao longo dos 97 minutos que em alguns instantes, parecem o desenvolvimento de um épico cansativo, tamanha a letargia. As coisas demoram demais para acontecer e quando ocorrem, a pressa torna a narrativa inimiga do alcance de algo próximo ao que denominamos por perfeição. Alexander Arntzen dá conta da textura percussiva, o uso demasiado de steadicam entrega alguns bons momentos para a direção de fotografia de Jonathan Pope, pontos da forma fílmica que alcançam destaque aos olhos do espectador.

Mas é só. Iniciação é um filme que expõe uma série de potenciais desperdiçados, produção razoável (boa) que poderia ser um grande acontecimento para o slasher contemporâneo, subgênero que atualmente retomou seus medalhões Candyman e Michael Myers em narrativas intensas e devidamente conduzidas. Na trama, acompanhamos o clima de pavor estabelecido na Universidade de Whiton, uma zona distante dos habituais acampamentos e cidades localizadas em territórios ermos dos Estados Unidos. Seguindo a linha de Pânico, Eu Sei O Que Vocês Fizeram No Verão Passado e Lenda Urbana, temos um assassino mascarado que ataca com uma furadeira, e nalguns momentos, com o que aparece em sua frente. Ele parece aniquilar os rapazes da universidade dentro de um método muito específico, marcado por um símbolo deixado na cena de cada crime. Depois da morte de um renomado atleta da instituição, a insegurança toma todos de assalto e os personagens precisam arrumar uma forma de sobreviver.

Assim, temos o estabelecimento de um mistério e a luta da final girl Ellery (Lindsay LaVanchy) na busca por entendimento acerca do ponto de exclamação deixado em ao lado do corpo de cada vítima do assassino. O mistério é um tanto óbvio e desde o começo sabemos ser algo associado com as discussões sobre cultura do estupro envolvendo Kylie (Isabella Gomez), Wes (Froy Gutierrez) e Beau (Gattlin Griffith). Será que temos um psicopata vingativo em busca de retaliação por aqui? Há curvas no desenvolvimento do roteiro que driblam as obviedades do argumento? É preciso assistir Iniciação para saber, um slasher politizado, com estética acima da média, interatividade dos personagens por meio de telas de redes sociais e aplicativos que permitem um fluxo de informações além do que a direção de fotografia capta e explana. O ritmo moroso, tal como mencionado, impede que as discussões empolguem mais, no entanto, para quem emprega a santa paciência, torna-se possível fruir entretenimento e reflexão nesta narrativa de temas pertinentes, mas encadeamento inconstante.

Iniciação (Initiation) | EUA/2021
Direção: John Berardo
Roteiro: John Berardo, Lindsay LaVanchy, Brian Frager
Elenco: Isabella Gomez, Lindsay LaVanchy, Froy Gutierrez, James Berardo, Gattlin Griffith, Adin Kolansky, Shireen Lai, Patrick R. Walker, Maxwell Hamilton, Bart Johnson, Jon Huertas, Kent Faulcon, Yancy Butler, Lochlyn Munro, Nick Ballard, Shalini Bathina, Betsy Hume, Mel Fair, Debra De Liso, Anthony Tai
Duração: 97 min

Você Também pode curtir

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais