Home TVEpisódio Crítica | Inumanos – 1X08: …And Finally: Black Bolt

Crítica | Inumanos – 1X08: …And Finally: Black Bolt

por Ritter Fan
134 views (a partir de agosto de 2020)

…And Finally: Black Bolt

Temporada

  • Há spoilers. Leiam, aqui, as críticas dos demais episódios.

Confesso que não sei exatamente por onde começar…

Mas deixe-me tentar daqui: em determinado ponto de …And Finally: Black Bolt, Maximus diz que seu plano é fazer uma segunda terrigênese e, então – e eu cito palavra por palavra -, “liderar toda Attilan até a Terra, como um exército conquistador”. Uau, bacana. Ameaçador, não?

No entanto, não demora muito e, quando a família real prepara a evacuação de Attilan, Medusa revela que a população inteira de lá é composta de 1.400 pessoas. Daí vem a conclusão clara de que o sensacional plano maligno de Maximus é atacar a Terra com 1.400 “soldados”, dentre eles mulheres, crianças, idosos, paredes e cachorros teletransportadores, certo? E se alguém mais afobado levantar a mão para dizer que eles têm poderes, o que lhes dá vantagem sobre os meros humanos, por favor revejam a temporada (se tiverem coragem ou forem masoquistas) e me digam então porque raios NINGUÉM, absolutamente NINGUÉM fora a família real inumana e Auran, demonstram algum tipo de poder na Terra ou mesmo em Attilan? Até a guarda de Maximus jamais demonstrou qualquer traço fora do normal, só sabendo usar armas de raio, além de apanhar como boi ladrão de qualquer um que passa por eles, especialmente o literal peixe fora d’agua Triton e suas faquinhas mais rápidas que pulsos de energia. Então não, não dá para, sequer por um segundo, emprestar uma nesga sequer de credibilidade para tamanha bobagem que esse episódio final tentou vender a seus espectadores incautos…

Mas vamos imaginar que isso aí tenha sido alucinação coletiva e que não aconteceu realmente. Finjamos que o plano de Maximus era simplesmente teletransportar os attilanianos para a Terra e reunir os novos inumanos que estão surgindo por aqui em uma lenta, mas certeira construção de um exército para um dia, quem sabe, colocar em funcionamento uma variação minimamente aceitável de seu plano imbecil. Bem, mesmo que fizéssemos esse esforço mental (e aviso logo que esse exercício dói…), o resultado do season finale ainda seria pífio. E isso para usar um eufemismo.

São tantos os problemas do encerramento da temporada que seria mais econômico se eu os enumerasse rapidamente abaixo, mas quem me acompanha aqui no site sabe que não sou lá muito capaz de escrever pouco, um defeito que tento corrigir, mas não consigo. Portanto, não tem jeito e terei que abordar o que incomodou tremendamente.

Para começar, Declan, que era o peão humano de Maximus, responsável por todas as experiências com os novos inumanos na Terra e pela almejada segunda terrigênese no irmão invejoso de Raio Negro, é morto sem dó nem piedade por um Gorgon na versão Mr. Hyde. Em outras palavras, um personagem particularmente importante – ou pelo menos era isso que fomos levados a acreditar que ele era – foi defenestrado da série como se ele nunca tivesse existido, em uma decisão narrativa que revela mais uma vez que Scott Buck não tinha um planejamento muito claro do caminho que queria seguir. Afinal, Declan é apenas o mais recente personagem a ser limado, já que o Loiro Hang Loose de Crystal, a morena genérica pegadora de Karnak e o novo inumano melhor amigo de Raio Negro sumiram, com Louise somente reaparecendo agora, neste episódio, com um objetivo tão surreal que só consegui rir dele, mas eu chego lá.

O próprio Gorgon enlouquecido é de trincar os dentes, uma vez que Eme Ikwuakor já havia levado o Troféu Ritter Fan de pior  ator da série, com chances de abocanhar o de pior ator da TV como um todo em 2017. Ele bufando como o Lobo Mau dos Três Porquinhos foi tão vergonhoso quanto a decisão estúpida do roteiro de fazer com que Karnak deixasse evidente que a câmara em que os dois estavam foi desenhada por ele para conter o mais poderoso dos inumanos, bastando duas ou três patadas de Gorgon segundos depois para todo o cenário de isopor desmoronar. Será que Buck ou Rick Cleveland e Scott Reynolds não têm o menor senso de construção narrativa? (a pergunta é retórica, apenas)

Ah, ainda falando de Karnak e Gorgon, repararam na inabilidade do roteiro em transmitir suas ideias de maneira econômica como exige um episódio de duração regulamentar de uma série? Um exemplo claro disso é a quantidade de vezes que Karnak diz, com tom pesaroso, quase querendo se chicotear, que ele fez uma segunda terrigênese em Gorgon sem autorização, como se cada membro de sua família não pudesse deduzir isso de imediato somente vendo o grandalhão cascudo agindo como o monstro de Frankenstein. Se ninguém contou, eu contei: foram quatro repetições de quase exatamente as mesmas frases, passando as mesmas informações, em um intervalo de 15 minutos. Obrigado, Buck  e companhia. Nós, espectadores burros, vamos agora escrever no quadro-negro a mesma coisa uma 150 vezes só para não esquecermos…

O que poderia ser o ponto alto do episódio, a interação belicosa entre Raio Negro e Maximus, continua na mesma linha do episódio anterior, com os dois se bicando como as crianças mimadas que são. Colocando em execução seu plano secreto descontrolado de ameaçar o irmão com a destruição da redoma que protege a cidade, Maximus é a antítese completa do semblante de um vilão de moral dúbia que Iwan Rheon começou a construir na série, permitindo que os espectadores até mesmo compreendessem seu lado, o que automaticamente colocava em xeque a monarquia de Attilan. No entanto, agora, Maximus é, tão somente, um vilão padrão que, para ficar completo, só faltou uma risada maníaca com as mãos na barriga.

Mas o pior é o outro segredo tirado da cartola de Raio Negro. Se eu já havia reclamado da ameaça de Maximus e do plano de contingência que só Raio Negro conhecia, usando um bunker antigo que mais parece uma loja de departamentos da Coréia do Norte, a revelação velada de que há um inimigo secreto dos inumanos que só o rei conhecia é um típico desenvolvimento barato de série mequetrefe pega-trouxa. No lugar de trabalhar essa informação vagarosamente desde o começo, ela surge literalmente do nada, somente para criar o cliffhanger para temporadas futuras que, espero sinceramente, nunca vejam a luz do dia. Fico até com preguiça de especular que ameaça seria essa. Krees? Skrulls? Celestiais? Dr. Gori? Esqueleto?

Há, ainda, um caminhão de outros problemas no episódio, todos eles pequenos se vistos isoladamente, mas que ficam enormes em seu conjunto. São coisas como (1) a constatação de que TODOS os cristais de terrigênese de Attilan estavam naquela maletinha mixuruca; (2) a patrulha de Maximus mostrar-se incrivelmente incompetente, pois deixam a família real fazer um discurso longo à luz do dia nas ruas da cidade; (3) Louise, com a ajuda de seu superior aleatório que menciona outro superior aleatório, conseguir providenciar literalmente em 15 minutos um lugar para 1.400 seres em tese super-poderosos se aninharem na Terra e (4) este mesmo superior aleatório espantar-se com um cachorro teletransportador em um mundo em que os Vingadores lidaram com uma invasão alienígena, Ultron destruiu Sokovia, o Hulk pôs o Harlem abaixo, inumanos novos surgem todos os dias e coisas do gênero.

E isso pois nem mesmo abordarei a (in)utilidade de Crystal e a revelação de que uma sílaba falada por Raio Negro pulveriza seus pais, mas que uma frase inteira dita por ele apenas põe abaixo a fachada de um prédio, pois estou me sentindo benevolente hoje. Mas uma coisa não poderia deixar de fora: foi Scott Buck quem copiou a frase “Attilan é seu povo” de Thor: Ragnarok ou vice-versa? Porque não foi coincidência. Será que Nova Asgard e Nova Attilan serão como bairros vizinhos flutuando sobre a Terra?

No fundo, no fundo, o pior de tudo mesmo é constatar algo que usei como abertura de minha crítica anterior: a premissa da série tinha potencial. Mesmo aqui, em …And Finally: Black Bolt, é perfeitamente possível entrever uma boa história sendo enlameada por um showrunner que não sabe o que tem em mãos e por roteiros amadores muito mais preocupados em tratar os espectadores como bobalhões do que apresentar algo que no mínimo estabelecesse uma razoável lógica interna.

A primeira temporada de Inumanos só não foi pior, pois foi curta. Imaginem vocês essa bobajada multiplicada por três se fosse uma temporada regulamentar. Seria uma competição duríssima com outra pérola televisiva, aquela com um sujeito que se veste de verde e pula pelos telhados de prédios atirando flechas luva-de-boxe em seus inimigos…

Inumanos – 1X08: …And Finally: Black Bolt (EUA – 10 de novembro de 2017)
Showrunner: Scott Buck
Direção: Billy Gierhart
Roteiro: Rick Cleveland, Scott Reynolds
Elenco: Anson Mount, Iwan Rheon, Serinda Swan, Eme Ikwuakor, Isabelle Cornish, Ken Leung, Sonya Balmores, Mike Moh, Nicola Peltz, Ellen Woglom, Henry Ian Cusick
Duração: 44 min.

Você Também pode curtir

75 comentários

Giselle Lima 20 de janeiro de 2019 - 23:01

Eu assisti essa série até o final (lendo A menina que roubava livros, detalhe…). Ela realmente tinha potencial, se outro diretor tivesse assumido o projeto. Enfim, pena que não renovaram, AoS foi renovada cinco vezes sendo também medíocre (peço desculpas desde já a quem gosta, minha opinião pessoal), porque não renovar Inumanos? Vou assistir Siren agora, kkkkkkk
Sabe, eu nunca torci para vilões (por motivos óbvios), torço, até agora, para a Cersei se ferrar legal, torci pelo fim mais trágico possível para o Voldemort, mas, o Maximus, pessoal… eu torcia por ele. Pode isso, produção? Eu torcia por ele, já que, de longe, ele era quem mais beirava a coerência. É horrível ver o quanto desperdiçaram a atuação do Iwan Rheon. E Black Bolt, que, literalmente, entra mudo e sai calado, chega a ser risível. Mas aquela de deixar brechas para uma próxima temporada, foi muito frustrante, terrível, mesmo. Me chateou muito.
E quanto a Louise, não sacaneem a pobrezinha, ela era a irmã da Leslie Shay de Chicago Fire, então comparar ela com uma personagem de outro fiasco televisivo chega a ser humilhante (tenham compaixão, por favor, ela já foi envergonhada o bastante, kkkkkk).
Obrigada por ler meus comentários, eu gostaria que essa série tivesse sido mais palatável, já que dois aspectos dela foram extraídos para a minha dissertação. Vocês já terminaram de sofrer… eu ainda não…

Responder
Lázaro Barros da Silva 2 de fevereiro de 2018 - 19:00

Estou arrependido de só ler a crítica antes de baixar, mas nem tanto por ainda não ter visto…

Responder
planocritico 4 de fevereiro de 2018 - 13:41

Cara, confesso que não entendi seu comentário…

Abs,
Ritter.

Responder
Lázaro Barros da Silva 4 de fevereiro de 2018 - 14:07

A gente resolve, talvez eu tenha escrito de forma que dificultasse a compreensão. Mas vamos lá. (principalmente trocando a palavra depois por antes)
Eu quis dizer que me arrependi de só ter lido as suas críticas de Inumanos depois de já ter baixado a série toda, Só não foi pior porque eu ainda não havia assistido, embora eu tenha assistido assim mesmo kkkk
P.S. Falta do que fazer…

Responder
planocritico 4 de fevereiro de 2018 - 15:47

Ah, a troca do “antes” pelo “depois” deixou tudo bem claro, HAHAHHHAHHHA

Sobre ver a série mesmo com todos os avisos, é aquela coisa: a curiosidade é a última que morre… Mas ela matou o gato também… HAHAHHAHAAHHAHAHAHAHA

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 4 de fevereiro de 2018 - 15:47

Ah, a troca do “antes” pelo “depois” deixou tudo bem claro, HAHAHHHAHHHA

Sobre ver a série mesmo com todos os avisos, é aquela coisa: a curiosidade é a última que morre… Mas ela matou o gato também… HAHAHHAHAAHHAHAHAHAHA

Abs,
Ritter.

Responder
Elance Rangel 13 de janeiro de 2018 - 17:09

Acabei de assistir a série é acompanhei a crítica de todos eps aqui pelo site como de costume. Cara, quase n conseguir terminar de ver. Tortura total. Ri muito na parte da crítica que diz ser masoquismo rever a série kkkk Sábias palavras

Responder
Elance Rangel 13 de janeiro de 2018 - 17:09

Acabei de assistir a série é acompanhei a crítica de todos eps aqui pelo site como de costume. Cara, quase n conseguir terminar de ver. Tortura total. Ri muito na parte da crítica que diz ser masoquismo rever a série kkkk Sábias palavras

Responder
planocritico 14 de janeiro de 2018 - 01:33

Obrigado por acompanhar as críticas. E, como você viu, eu te entendo perfeitamente. Inumanos é inumano de tão torturante!

Abs,
Ritter.

Responder
Rodrigo Patini 19 de dezembro de 2017 - 17:25

@planocritico:disqus, só passei aqui de novo para dizer que constatei um detalhe que resume tudo o que foi dito: a série é tão ruim, tão ruim que nem o Stan Lee teve coragem de fazer uma ponta!….

Responder
Rodrigo Patini 19 de dezembro de 2017 - 17:25

@planocritico:disqus, só passei aqui de novo para dizer que constatei um detalhe que resume tudo o que foi dito: a série é tão ruim, tão ruim que nem o Stan Lee teve coragem de fazer uma ponta!….

Responder
planocritico 20 de dezembro de 2017 - 12:31

Exato. Se duvidar, nem tiveram coragem de convidar o Stan Lee já sabendo da porcaria que tinham em mãos…

Abs,
Ritter.

Responder
Wesley Colatti 17 de novembro de 2017 - 15:40

Cara, eu estou sem palavras, mesmo. Eu não sou um grande fã das Inumanos nos quadrinhos, mas conheço o mínimo de estrutura de roteiro para considerar essa série como a pior adaptação de quadrinhos já feita. Sentia vergonha alheia quando os atores tentavam até entregar uma atuação digna (?) com falas canastronas e situações ridículas. A personagem humana que interagiu com a Medusa pareceu uma cópia barata da Felicity de Arrow, tanto fisicamente quanto nos trejeitos. As outras interações com os humanos também foram bobas e não levaram a lugar nenhum. Pra início de conversa, fora a pirada que o Maximus deu no episódio final de destruir Atilan, eu achava ele o personagem mais crível da série. Que sistema de governo era aquele que o Raio Negro tinha? Segregação, exclusão de classes. A família real parecia mais a grande antagonista dos Inumanos do que o próprio Maximus. Nossa, foram tantas péssimas decisões de roteiro que me cansa só em pensar em enumerar. Medusa careca, câmara indestrutível sendo destruída por três chutes do Gorgon, Crystal totalmente descartável, personagens humanos com tramas totalmente sem sentido… Enfim, decepção.

Responder
planocritico 19 de novembro de 2017 - 00:02

@wesleycolatti:disqus , a série não funciona para fãs e não fãs e também para quem nunca ouviu falar do grupo, exatamente pelos pontos técnicos que você levanta. É um show de horrores…

Abs,
Ritter.

Responder
Andre Basetto 14 de novembro de 2017 - 15:28

Eu consegui passar por toda a tortura. Alias faz tempo que não cochilava no meio de uma série e nem ligava de voltar pra ver o que tinha perdido.

A série consegue além de ser ruim, queimar o filme de uma galera. Isso sem considerar o nome inumanos que para aqueles que não conhecem as hqs, vai ficar taxado pra sempre como “a família buscapé da lua em suas loucas aventuras pelo Havaí”. Fico com dó principalmente da Serinda Swan que parece ser uma ótima atriz, mas que pode ter sua carreira prejudicada por essa série e claro a pobre coitada da Isabelle Cornish (Crystal) que apesar de linda dificilmente vai ser chamada pra fazer alguma coisa além de comercial de tintura de cabelo, e sem dúvida é nela que da pra perceber como a direção é ruim, a garota fica perdida o tempo toda pela série com caras e bocas que não fazem o minimo sentido. No ultimo episódio por exemplo todas as cenas que ela aparece da pra ver que a atriz esta desconfortável, nem ficar parada no fundo da cena funciona com ela, é de ficar com dó. E nem vou falar do Black Bolt e sua prisão de ventre.

Sinceramente se o M.I.B existe é a hora deles aparecerem e apagarem a memória de todo mundo e assim podem tentar denovo com a família real de Atilan.

Responder
planocritico 14 de novembro de 2017 - 16:08

Exatamente isso: a série queimou o filme da família real inumana. Se a série não for renovada (o que é o mais provável, obviamente), ou eles esquecerão da existência deles ou aproveitarão um pouco da história em Agents of Shield, talvez para dar um encerramento.

Sobre Cornish, cara, você tem toda razão. Ela não tem função alguma na história a não ser pedir para para o cachorrão ir de um lado a outro e piscar os olhos para o surfista sarado… Destruíram a personagem sem nem dar chance para a atriz mostrar se é boa ou não…

Abs,
Ritter.

Responder
Giselle Lima 20 de janeiro de 2019 - 22:42

Ei, Ritter, não esqueçam da Woglom, ela foi atriz em Law & Order: SVU (uma série dramática muito boa, cuja equipe não tolera atores de segunda e, se fosse o caso dela, nunca a teriam chamado) e Chicago Fire, provavelmente, lascaram com ela também. A Serinda nem tanto, ela já está em outra série, The Coroner, que estreou esse ano, com ela como protagonista. E o Rheon foi protagonista num filme logo após a série (queria lembrar do nome, mas, o filme é muito sem noção e tedioso também). Os demais, no entanto, nunca mais ouvi falar.

Responder
Mateus 14 de novembro de 2017 - 15:18

Caso ocorra um reboot, valeria a pena manter o Iwan Rheon como Maximus ? Tipo, eu acho ele um bom ator para o personagem

Responder
planocritico 14 de novembro de 2017 - 15:25

Acho que com roteiros melhores e uma direção melhor, ele poderia sim ser um bom Maximus. Na verdade, a Serinda Swan também poderia ser mantida como Medusa, pois ela tem potencial. O resto pode limar sem dó!

Abs,
Ritter.

Responder
Anônimo 13 de novembro de 2017 - 22:27
Responder
planocritico 13 de novembro de 2017 - 23:55

Se a série não for renovada, acho que existe a chance de eles tentarem incorporar alguma coisa dela em AoS, mas não acho que eles darão muito destaque não, exatamente porque o filme da família real inumana foi queimado.

Espero que você apareça mais vezes aqui no site!

Abs,
Ritter.

Responder
Anônimo 14 de novembro de 2017 - 01:00
Responder
planocritico 14 de novembro de 2017 - 15:27

Também acho que não vai ter filme não. Um arco em AoS é possível.

A crítica de Justiceiro deve sair já no sábado!

Abs,
Ritter.

Responder
Anônimo 14 de novembro de 2017 - 15:30
planocritico 14 de novembro de 2017 - 16:06

Sim, aí serão 10 filmes e 8 séries da Marvel por ano…

Abs,
Ritter.

Anônimo 14 de novembro de 2017 - 22:05
Josevando Sousa 13 de novembro de 2017 - 23:15

Eu tô realmente MUITO INDIGNADO com o que fizeram com meus Inumanos cara. Uma das melhores equipes dos quadrinhos virou essa “coisa” horrorosa. Eu assistia os EPs apenas porque tenho mania de quando começar a ver uma coisa, tenho que terminar; mas assistia já pressentindo a vergonha e que não melhoraria. Esse episódio final foi tremendamente mal escrito (aliás, toda a temporada né?). Confesso que a questão deles terem vindo pra Terra era algo que eu adoraria ver numa possível futura temporada, porém melhor esquecer que isso já existiu e começar do zero com um filme, ou pode ser com uma série, porém TOTALMENTE diferente (mas acho que geral já ia ficar com o pé atrás). Perdi tempo e tô puto com os responsáveis pois amo os personagens.
No mais, nesse último episódio achei que a Medusa voltaria gloriosa com seu cabelo igual nessa imagem promocional e fui tapeado. Ódio.
https://uploads.disquscdn.com/images/29f156990c5f6e0df59d3a219be032d38a509b30d58915e60921b672fb963ee6.png

Responder
planocritico 13 de novembro de 2017 - 23:52

@josevandosousa:disqus , eu te entendo perfeitamente. Nunca fui um grande fã dos inumanos, apesar de ter lido muita coisa deles, mas, realmente, NENHUM personagem ou grupo de personagens merece uma série assim. É de matar qualquer um…

Abs,
Ritter.

Responder
Ricardo 13 de novembro de 2017 - 14:58

Vocês vão fazer um “Entenda Melhor” com essa temporada de Inumanos ou isso é um trabalho desnecessário? Hahahah…

Responder
planocritico 13 de novembro de 2017 - 16:15

Vou usar caixa alta para ser bem enfático: MAS DE JEITO NENHUM, MEU CARO!!!!

HAHAHAAHAAHHHHAHA

Abs,
Ritter.

Responder
thiago 13 de novembro de 2017 - 09:16

Ae Ritter ja pode ir pro céu depois dessa temporada no inferno hein? 😂😂😂😂

Responder
planocritico 13 de novembro de 2017 - 11:58

Depois dessa temporada e as cinco de Arrow, não quero só ir para o Céu. Quero logo o trono de lá!!! HAHAHAHAAHHAAHAHHAAHAHAH

Abs,
Ritter.

Responder
thiago 13 de novembro de 2017 - 20:34

Kkkkkkkk pelo.menos tu não vê twd né? Ou vê?👀

Responder
planocritico 13 de novembro de 2017 - 21:01

Assisto sim. Perto de Inumanos e Arrow, TWD é uma obra-prima incomparável!

Abs,
Ritter.

Responder
márcio xavier 13 de novembro de 2017 - 08:58

passei aqui em todos os episódios para compartilhar do sofrimento do crítico (e pra ver se dava pra assistir) e só tenho a agradecer. Ler as críticas me fez não assistir nenhum episódio. Amém. #RIP

Responder
planocritico 13 de novembro de 2017 - 11:59

Agradeço imensamente a solidariedade! kkkkkkkkk

Abs,
Ritter.

Responder
Leandro 13 de novembro de 2017 - 03:17

Adorei sua crítica, refletiu exatamente o meu sentimento e frustração com a série (até mesmo o deboche com Arrow rs). Antes, quando vi os trailers zoadinhos e umas críticas ruins na internet, não esperava que a série fosse TÃO ruim assim. Pegaram todo o potencial dos quadrinhos, a premissa ótima de Agents de SHIELD e o selo Marvel e jogaram no lixo. Chega a ser inacreditável como conseguiram fazer uma coisa tão pífia. Triste. Torcer agora pra que nada disso tenha “contaminado” Agents of SHIELD.

Responder
planocritico 13 de novembro de 2017 - 12:00

Vira essa boca para lá!!! Que contaminar AoS que nada!!!! HHAHAHAHHAHAHHA

Abs,
Ritter.

Responder
Gustavo Rodrigues 12 de novembro de 2017 - 21:29

nunca fiquei tão feliz de ter terminado uma serie

Responder
planocritico 12 de novembro de 2017 - 21:43

Faço minhas as suas palavras!

Abs,
Ritter.

Responder
ABC 12 de novembro de 2017 - 20:54

Faz a crítica da última temporada de Halt and catch fire para tirar o gosto ruim.
Ainda bem que eu passei longe disso, desde o princípio achei que seria uma cilada.

Saudações.

Responder
planocritico 12 de novembro de 2017 - 21:45

Farei em breve, pode deixar!

Abs,
Ritter.

Responder
Jesse Geller 12 de novembro de 2017 - 16:38

É uma pena que essa série tenha destroçado com o conceito de inumano tão bem introduzido no MCU pela 2° temporada de AoS… Deveriam ter usado a grana investido nisso em AoS que com certeza seria um uso muito mais proveitoso.

Responder
planocritico 12 de novembro de 2017 - 16:55

Totalmente de acordo! Mas pelo menos acabou e AoS está voltando!

Abs,
Ritter.

Responder
Helene 12 de novembro de 2017 - 15:46

Sinceramente, nas imagens da série já dá pra perceber que não ia ser tão boa assim, mas chegar no ponto em que é praticamente unanimidade que é horrível, eu não esperava.

Responder
planocritico 12 de novembro de 2017 - 15:51

Pois é… Também não esperava essa reação negativa quase universal, especialmente considerando o tanto de gente que adora Arrow e coisas do gênero… Mas a série é BEM ruim mesmo…

Abs,
Ritter.

Responder
Max James 12 de novembro de 2017 - 12:47

Eu não acredito que existem 3 temporadas de Arrow melhor que essa série. Eis que finalmente posso dizer “Prefiro ver Arrow”. Obrigado pela crítica, pela boa vontade em ver essa tortura e por me perder a vontade de querer ver isso, Ritter!

Responder
planocritico 12 de novembro de 2017 - 13:46

He, he… Eu só não prefiro ver Arrow, pois cada temporada de Arrow tem 24 episódios. Tortura por tortura, prefiro a que dura menos tempo…

Abs,
Ritter.

Responder
Huckleberry Hound 12 de novembro de 2017 - 14:45

Correção:23!

Responder
planocritico 12 de novembro de 2017 - 15:52

Ah… BEEEEEM melhor… HAHAHAHAAHAHHAHHAHAAH

Abs,
Ritter.

Responder
Max James 12 de novembro de 2017 - 15:55

Acho que o consenso, pelo menos para quem só quer assistir, e não irá fazer uma crítica, como vocês do Plano Crítico, é: Não perca tempo com essas coisas!

Responder
planocritico 12 de novembro de 2017 - 15:58

Acho um consenso bastante razoável…

Abs,
Ritter.

Responder
Rafa Silveira 12 de novembro de 2017 - 12:15

Tentei assistir o primeiro episódio e não consegui ver mais do que 15 minutos da mais pura canastrice. Vendo as reviews aqui vejo que fiz muito bem em ter abandonado assim quase de cara

Responder
planocritico 12 de novembro de 2017 - 13:46

Cara, não gosto de dizer isso de qualquer série ou filme, mas SIM, você fez muito bem em não ter insistido nesse caso aqui…

Abs,
Ritter.

Responder
Vicente Ishikawa 12 de novembro de 2017 - 11:27

Desisti de assistir esta série no primeiro episódio.

Responder
planocritico 12 de novembro de 2017 - 13:46

E eu que vi os dois episódio no IMAX??? Tortura em tela gigante…

Abs,
Ritter.

Responder
matheus eira 12 de novembro de 2017 - 09:07

Nesse suplício de série, qual foi o episódio mais tolerável ?

Responder
planocritico 12 de novembro de 2017 - 13:48

Foi o 4º episódio. Ele conseguiu a proeza de alcançar a mediocridade!

Abs,
Ritter.

Responder
Pablo Lorenzo 12 de novembro de 2017 - 03:21

Assim como o Rilson, não cheguei a ver essa série e, pelo o que eu li nas reviews desse site, foi uma ótima ideia, pessoalmente acho que o maior erro na história das séries da Marvel foi terem escolhido o Scott Buck pra trabalhar com eles, primeiro foi com Punho de Ferro que mesmo eu gostando, podia ser bem melhor, e agora com Inumanos, sabe, talvez uma teoria errada, mas acho que a atuação do elenco de Inumanos acabou sendo ruim pelos próprios atores perceberem que o material que deram pra eles era uma bosta.

Responder
planocritico 12 de novembro de 2017 - 13:48

Scott Buck parece mesmo ter sido o maior culpado, mas acho que contribuíram para isso os roteiros idiotas e o orçamento de filmes de Roger Corman no começo de carreira…

Abs,
Ritter.

Responder
Matheus Roberto Brasil 12 de novembro de 2017 - 02:53

Concordo o showrunner é um lixo , estragou meus Inumanos mais tudo isso é culpa da Disney/Marvel Studios por terem cancelado o filme (eu gostei do Cast)..
Enfim Agents Of SHIELD ta voltandoo pra matar as inimigas, e o foco é só nela.. beijos <3 <3

Responder
planocritico 12 de novembro de 2017 - 13:49

Sim, AoS está voltando e, pelo que vi até agora nos previews, o negócio está BEM interessante…

Abs,
Ritter.

Responder
Mateus 12 de novembro de 2017 - 02:19

Será se Noah Hawley conseguiria salvar essa série ?

Responder
planocritico 12 de novembro de 2017 - 13:50

Se soltarem completamente o cara, sim, ele consertaria tudo, mas a segunda temporada seria TÃO diferente, que seria mais justo com todo mundo apagar o que foi feito e começar novamente…

Abs,
Ritter.

Responder
Matheus Roberto Brasil 12 de novembro de 2017 - 14:46

Pode ser até interessante , já que Attilan não está mais na lua, então poderiam recomeçar do zero na terra !!?

Responder
planocritico 12 de novembro de 2017 - 15:51

Poderiam em tese. Mas duvido que um cara do naipe de Hawley pegue esse produto estragado agora…

Abs,
Ritter.

Responder
Mateus 12 de novembro de 2017 - 17:17

Eu queria ver algo baseado na HQ atual escrita pelo Priest, aquilo sim é uma boa origem

Responder
planocritico 12 de novembro de 2017 - 17:32

Hawley dificilmente seguiria algo pré-estabelecido. O cara funciona maravilhosamente bem quando não têm rédeas.

Abs,
Ritter.

Responder
Mateus 12 de novembro de 2017 - 17:39

Verdade, só fico pensando o que ele faria com o Maximus…..É triste cara, muito triste.

planocritico 12 de novembro de 2017 - 18:00

Maximus, provavelmente, seria um personagem espetacular nas mãos dele.

Abs,
Ritter.

Dr. Fate 12 de novembro de 2017 - 02:17

Terrivel. Lembro que falaram que perderam mt pra fazer o cabelo da Medusa… mas usou só por 7 minutos kkkk.
N devia nem ser considerado uma série, e sim um Reality Show duma familia perdida tirando ferias do Hawai.

Responder
planocritico 12 de novembro de 2017 - 13:50

Exato. Sete minutos de cabelo da Medusa. Patético demais…

Abs,
Ritter.

Responder
Rilson Joás 12 de novembro de 2017 - 01:12

Passei longe dessa série e dou gracas a Deus por isso.

Responder
planocritico 12 de novembro de 2017 - 01:16

Fez muito bem!

Abs,
Ritter.

Responder
The Flash 12 de novembro de 2017 - 10:11

Somos 2.

Responder

Escreva um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais