Home TVEpisódio Crítica | Invencível – 1X05: Essa Doeu de Verdade

Crítica | Invencível – 1X05: Essa Doeu de Verdade

por Kevin Rick
2.825 views

  • Há spoilers. Leiam, aqui, a crítica dos episódios anteriores.

Depois desse episódio, é possível atestar uma certa estrutura comum que os criadores da série utilizam em cada capítulo, manuseando uma história heroica contida, com várias inserções da vida privada de Mark, além de algumas subtramas que ganham pequenas cenas de elaboração para problemas posteriores. É um encadeamento episódico bastante comum em cartoons americanos, como o próprio Avatar: A Lenda de Aang, ganhando uma camada interessante pelo teor maduro da obra, especialmente com a violência. Tenho uma certa preocupação com a repetição do problemas pessoais de Mark-subtramas-violência final-cliffhanger, mas por enquanto está sendo uma experiência formidável.

Mesmo sendo um leitor da HQ, eu não imaginava que meu sentimento para com a adaptação seria a de um cartoon anos 2000 com a adição da desmistificação da glória e beleza da vida super heroica, ainda que seja a escolha estética perfeita para a narrativa. Me sinto vendo X-Men Evolution ou Super-Choque, se o Ciclope e o Virgil tivessem que enfrentar inimigos sanguinários todos os dias. Novamente, eu já sabia da trama, mas é interessante notar a perfeita estética dada à obra, que passa essa vibe adolescente infantil na história realisticamente brutal, o que é curioso, pois tenho visto várias pessoas reclamando da animação. Acho que é melhor olhar ela não do ponto de vista técnico, mas da maneira que personifica tão bem o discurso da série.

Mas falando de Essa Doeu de Verdade em si, acredito que ele incorpora todos os conceitos do roteiro no melhor episódio da temporada até agora. Nós nos reencontramos com Titan (Mahershala Ali), que conhecemos brevemente no primeiro episódio, que se encontra em dívida com um chefão do crime meio andróide (?), chamado Machine Head (Jeffrey Donovan). Primeiro que eu adoro esses nomes, como se Kirkman não estivesse nem tentando, mas está claramente fazendo piada com o gênero. Segundo que eu simplesmente amei todo esse núcleo, desde o belo tom sintetizador da voz do vilão, o maduro subtexto moral entre o suburbano Mark e o criminoso Titan, a sensacional batalha final do episódio, a trilha sonora de puro hype e a atmosfera “Rei do Crime” de Titan.

É sempre legal pontuar como a narrativa trabalha tão bem clichês do gênero, como o gerenciamento do tempo complicado de Mark, o senso de otimismo e desejo de fazer a coisa certa que o protagonista tem, recebendo um ótimo diálogo com Debbie sobre como a ação correta de ajudar alguém nunca está “abaixo” do personagem, além do maravilhoso núcleo romântico. Confesso não ser muito fã de dramalhões adolescentes, mas a obra exerce uma poderosa empatia nestes relacionamentos, até fugindo do paradigma de “triângulo amoroso” ao criar uma amizade entre Amber e Eve. Ambas personagens ganham bons arcos no episódio, tanto na frustração amorosa e senso de comunidade de Amber, como também no péssimo cenário familiar de Eve.

Aliás, Essa Doeu de Verdade faz muita coisa, o que acaba deslocando a experiência de um jeito ruim em alguns momentos, mas dá um bom prosseguimento para a grande classe de personagens da série. Temos um desenvolvimento da química e trabalho em equipe dos Guardiões do Globo, os planos ocultos de Robô e a ótima subtrama de Debbie desconfiando de Nolan. Adoro esse núcleo de suspeita e destruição lenta da confiança inabalável no casamento dos Grayson, num desenvolvimento familiar que eu não esperava da animação. Até o grand finale, o quinto episódio da série oferece sua melhor narrativa de desenho infantil heroico, em par com clássicas séries como X-Men Evolution, O Espetacular Homem-AranhaSuper-Choque, e tantas outras com o enredo do herói adolescente.

Por fim, a luta final com Battle Beast – olha esse nome! – traz o diferencial da obra, mas existe aqui mais propósito além do choque, algo que critiquei anteriormente, em especial no primeiro episódio. O choque existe, obviamente, mas a existência da violência, aqui, é exposta com uma camada mais interessante, pegando a construção do episódio e pintando um cenário de consequências desse estilo de vida. Um realismo de combate que pega a trama tradicional e utiliza o twist para desmoronar o glamour, no melhor estilo InvencívelDivertido e brutal, Essa Doeu de Verdade estabelece a melhor dramaturgia vinculada ao tom da série.

Invencível – 1X05: Essa Doeu de Verdade (Invincible – 1X05: That Actually Hurts) – EUA, 09 de abril de 2021
Criado por: Robert Kirkman, Cory Walker, Ryan Ottley
Direção: Jeff Allen, Jay Baker, Hanhyung Lee
Roteiro: Christine Lavaf
Elenco: Steven Yeun, Sandra Oh, J.K. Simmons, Gillian Jacobs, Zazie Beetz, Walton Goggins, Jason Mantzoukas, Grey Griffin, Kevin Michael Richardson, Zachary Quinto, Chris Diamantopoulos, Melise, Khary Payton, Jeffrey Donovan, Mahershala Ali, Nicole Byer, Michael Dorn
Duração: 46 min.

Você Também pode curtir

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais