Home TVEpisódio Crítica | Legends of Tomorrow – 2X10: The Legion of Doom

Crítica | Legends of Tomorrow – 2X10: The Legion of Doom

por Luiz Santiago
178 views (a partir de agosto de 2020)

estrelas 3,5

Contém spoilers! Leiam as críticas dos demais episódios de Legends of Tomorrow, aqui.

Sabem aquele adolescente feio que ninguém quer namorar no colégio e que quando chega à juventude parece que tomou um banho de glória e fica irreconhecível, desejado, admirado por quem antes só o desprezava? Então… com vocês, Legends of Tomorrow.

Depois de estruir a série ao longo da 1ª Temporada, eu tenho o alívio de ver uma 2ª Temporada em franca melhora, com um número bem menor de tropeços (foram dois até agora, um grande em Abominations e outro mediano em Outlaw Country), o que já é um ganho enorme, se levarmos em consideração os horrores do primeiro ano do show. Buscando crescer através do duo ação + viagem no tempo, os produtores criaram uma linha de eventos que aos poucos tomam forma, dão distintas participações aos personagens e fazem sentido em si e para a temporada. Exatamente como deve ser uma série.

Eu ainda acho que foi um grande erro o aumento do número de episódios para este ano, mas talvez o tempo adicional seja bem aproveitado, visto que além da volta progressiva de Rip (sigo impressionado pela forma inteligente como reintroduziram Arthur Darvill na série, dando a oportunidade para ele mostrar o bom ator que é, além de criar, com ele, um bloco genuinamente cômico) temos a ponta solta da Sociedade da Justiça, que deve voltar na reta final da temporada; temos o que realmente deve ser feito com a Legion of Doom — pela primeira vez senti uma real e boa interação de Damien Darhk, Malcolm Merlyn e Eobard Thawne no programa, com adição de uma boa exploração dos respectivos atores, especialmente os ex-Liga dos Assassinos — e as questões de reconstrução do tempo, cada vez mais intricadas, dando um verdadeiro banho em The Flash.

E por falar em The Flash, LoT fez aqui o melhor episódio de The Flash fora de The Flash, introduzindo de forma correta o Black Flash (quantos “Flashes”!!!) e o melhor de tudo, não jogando-o apenas como ‘a coisa exótica da semana’, mas estabelecendo uma grande interação dele com todos os protagonistas, já que suas ações acabam afetando mocinhos e vilões, além trazer a explicação para as verdadeiras intenções do trio de renegados.

Na outra ponta, as lendas deixam a ação de lado e param um pouco para pensar. E convenhamos, a decisão do roteiro para isso foi nada menos que providencial. Me incomoda ver em séries que acompanham o cotidiano de uma equipe mostrar apenas seus momentos de ação e lutas épicas, grandes encontros e viagens inimagináveis. Isso não é nada verossímil. É preciso parar, nem que seja para planejar, e esse momento de “marasmo” deve utilizado, dentre outras coisas, para aprimorar a interação entre os personagens, exatamente o que tivemos aqui. Evidente que nem todos tiveram a atenção que mereciam do roteiro, mas para um elenco grande, confinado em um pequeno espaço, este sempre será um problema recorrente. A despeito disso, mesmo as pequenas aparições (como a de Mick, voltando a ser o “babaca rude” que conhecemos) acabaram funcionando a favor do episódio.

Tivemos ainda uma elogiável direção de fotografia, uma direção correta a maior parte do tempo (o experiente diretor Eric Laneuville é muito bom em compor planos para cenas de enfrentamento ou diálogos) e uma simpática participação da aberração temporal mais fofa do Cosmos, Lily Stein, e devo dizer que Christina Brucato compôs muito bem sua personagem, não exagerando em maneirismos nerd e deixando claro a sua grande inteligência e sensibilidade.

O capítulo termina estranhamente confuso, bem mais do que deveria. Porém, como aquela cena é parte de algo que será explorado logo a seguir, entendemos esse nó desnecessário como uma forma apressada de cliffhanger. O que será que fizeram com as memórias de Rip?

Legends of Tomorrow – 2X10: The Legion of Doom (EUA, 31 de janeiro de 2017)
Direção: Eric Laneuville
Roteiro: Phil Klemmer, Marc Guggenheim
Elenco: Victor Garber, Brandon Routh, Arthur Darvill, Caity Lotz, Franz Drameh, Matt Letscher, Maisie Richardson-Sellers, Amy Pemberton, Nick Zano, Dominic Purcell, Neal McDonough, John Barrowman, Christina Brucato, Randall Batinkoff
Duração: 42 min.

Você Também pode curtir

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais