Crítica | Legends of Tomorrow – 4X09: Lucha de Apuestas

  • Há SPOILERS! Leia aqui as críticas dos outros episódios.

Depois de um longo hiato, Legends of Tomorrow retorna à programação da CW e vemos aqui a conclusão do arco entre Mona e Konane, o Kaupe, que termina de uma maneira realmente inesperada, mas não em par com a toada que o episódio vinha apresentando até bem pouco antes. De certa forma, porém, é compreensível que o retorno da série tenha focado nessa grande revelação final sobre a “menina das marmitas”, dando uma base para o que está por vir na temporada, principalmente com os fatos ligados a Mona e Hank; Sara e Ava.

O roteiro de Keto Shimizu e Tyron B. Carter é um pouco tímido na hora de recolocar todos os personagens em cena, mas quando eles, enfim, reaparecem, o velho e bom humor da série também retorna, assim como a naturalidade de todos os personagens. Momentos como a saída noturna de Zari e Nate + a piada (séria) da mãe do herói sobre os grandes quadris de Zari me fez gargalhar. A reação dele foi maravilhosa e a dela foi simplesmente preciosa. Acho que vem um romance por aí, não? Outro bom ponto está nos momentos de Ray como interino na Waverider, sendo convencido a ir ao México e colocar novamente a História em curso. E fora esses dois ótimos momentos de humor, temos uma porção de problemas permeados por coisas ternas e cruéis.

Hank já tinha sido estabelecido como alguém de atitudes questionáveis na temporada, acendendo a nossa atenção, mas desde que vimos o ser maligno assumindo o corpo do ex-namorado de Constantine, a coisa ficou séria no tocante às ameças bem disfarçadas. A maneira como o enredo está construindo o ataque do vilão tem me agradado, porque aprimorou o modo como isso tudo influencia os personagens pouco a pouco (uma linha mais ou menos parecida foi adotada na 3ª Temporada, mas aqui parece mais madura) e como vai ganhando corpo sem interferir drasticamente no andamento da Temporada, o que é bem interessante para o formato de LoT, marcada por uma linha sequencial light, e por casos da semana que não estão isolados de um plano maior.

Temos agora um bom ponto de partida para continuar, dentro de um cenário de animosidade e novas intrigas. Apesar dos momentos engraçados e bobos, no bom sentido (ah, Gary, Gary…), um novo e sombrio momento está apresentado, embora eu não tenha certeza que Ava e Sara devam passar muito tempo separadas — eu torço para que não –. Todavia, se este for o plano dos produtores, teremos roteiros que trarão, no mínimo três frentes de contrariedade para das Lendas, tornando o trabalho mais difícil, já que tentarão impedir que Hank siga fazendo o que ele está fazendo; tentando se esconder de Ava (será que ela está sendo manipulada psicologicamente?) e enfrentando o vilão da semana. Não será um trabalho fácil para o grupo e nem serão roteiros fáceis de se manter em alta.

Algumas perguntas: Mona assumirá a forma Kaupe (ou algo que lembra um Kaupe) apenas quando estiver nervosa? Será caçada pelos agentes de Ava e Hank? Qual será o papel dela nessa busca por criaturas mágicas? Agora que estamos em terreno hostil, em diversos cenários, será interessante ver como os roteiristas vão lidar com os problemas daqui para frente. E como vão manter o humor e o nível de loucura tão fantásticos da série.

Legends of Tomorrow – 4X09: Lucha de Apuestas (EUA, 1º de abril de 2019)
Direção: Andrew Kasch
Roteiro: Keto Shimizu, Tyron B. Carter
Elenco: Brandon Routh, Caity Lotz, Maisie Richardson-Sellers, Tala Ashe, Jes Macallan, Amy Louise Pemberton, Ramona Young, Nick Zano, Dominic Purcell, Matt Ryan, Adam Tsekhman, Thomas F. Wilson, Darien Martin, Frank Gallegos, Susan Hogan
Duração: 43 min.

LUIZ SANTIAGO (OFCS) . . . . Após recusar o ingresso em Hogwarts e ser portador do Incal, fui abduzido pela Presença. Fugi com a ajuda de Hari Seldon e me escondi primeiro em Twin Peaks, depois em Astro City. Acordei muitas manhãs com Dylan Dog e Druuna, almocei com Tom Strong e tive alguns jantares com Júlia Kendall. Em Edena, assisti aulas de Poirot e Holmes sobre técnicas de investigação. Conheci Constantine e Diana no mesmo período, e nos esbaldamos em Asgard. Trabalhei com o Dr. Manhattan e vi, no futuro, os horrores de Cthulhu. Hoje, costumo andar disfarçado de Mestre Jedi e traduzo línguas alienígenas para Torchwood e também para a Liga Extraordinária. Paralelamente, atuo como Sandman e, em anos bissextos, trabalho para a Agência Alfa. Nas horas vagas, espero a Enterprise abordar minha TARDIS, então poderei revelar a verdade a todos e fazer com que os humanos passem para o Arquivo da Felicidade, numa biblioteca de Westworld.