Home FilmesCríticas Crítica | Logan

Crítica | Logan

por Lucas Nascimento
309 views (a partir de agosto de 2020)

estrelas 4

  • Leia, aqui, nossa crítica com spoilers e, aqui, nosso Entenda Melhor com referências e easter-eggs.

Com 17 anos desde sua primeira aparição nos cinemas, nenhum ator na História do Cinema teve uma carreira como a de Hugh Jackman e seu Wolverine, personagem mais icônico e adorado dos X-Men. Contabilizando 9 filmes entre participações coadjuvantes, filmes solo e cameos em filmes da equipe, o Carcaju sempre esteve muito bem representado pelo ator australiano, que agora prepara-se para um adeus com Logan, segunda grande aposta da Marvel-Fox em um filme do gênero para maiores de 18 anos. Com isso, o terceiro filme solo do Wolverine é seu melhor e mais profundo, e um dos filmes de quadrinhos mais únicos e fascinantes que tivemos nos últimos anos.

Assim como a maioria dos filmes do universo, continuidade não é algo importante no início da trama – aliás, sempre digo que esse universo cinematográfico mutante deveria ser encarada como uma antologia, da mesma forma como alguns encaram a quadrilogia Alien. Dessa vez, estamos em 2029 e encontramos Logan em sua pior fase: seu fator de cura está debilitado, uma tosse nunca deixa de perturbá-lo, abusa do álcool e trabalha como motorista de limusine em um mundo onde os mutantes estão praticamente extintos – e os X-Men, destruídos e adaptados para quadrinhos. A grande devoção de Logan enquanto junta trocados entre serviços é cuidar de Charles Xavier (Patrick Stewart), que sofre de demência e apresenta um risco para todos ao seu redor graças ao descontrole de seu poder. Tudo ganha um novo significado quando a menina Laura (Dafne Keen) cruza o caminho de Logan, com uma enfermeira mexicana implorando para que ele a leve em segurança dos mercenários que a perseguem.

É um filme que se difere de outras adaptações de quadrinhos e do selo Marvel de muitas maneiras. Temos um retrato melancólico e debilitado de um universo outrora tão colorido, soando como uma mistura esperta entre Filhos da Esperança (adicione também o fato de que “nenhum mutante é nascido há anos) e Mad Max, com o visual próximo de um western e que concentre boa parte de sua ação na estrada e na fronteira entre os EUA e México. O fato de termos uma censura mais alta também contribui para uma experiência mais selvagem e perigosa, com membros sendo decepados e sangue jorrando a todo o instante, consequência natural de um protagonista cuja principal habilidade reside em garras de metal, claro – o próprio fato de vermos sangue entre as garras já nos permite sentir melhor como a arma fere as mãos do protagonista. Wolverine e todos os personagens xingam, brigam e parecem completamente perdidos nesse futuro que é quase apocalíptico, e que o designer de produção François Audoy é inteligente ao equilibrar seus aspectos mais decadentes (a fronteira, a cúpula de Xavier) com aspectos definitivamente contemporâneos, vide o hotel cassino que abriga o grupo em certo momento da projeção.

Quando Laura entra no jogo, temos uma das melhores experiências do ano. A garotinha claro, é a mutante X-23, uma feroz assassina que também possui garras (um par em cada mão, além da nitidamente desconfortável presença de uma em cada pé) e saiu do mesmo programa Arma X que criou o esqueleto de adamantium do Wolverine. A partir daí, o roteiro de Scott Frank, Michael Green e do diretor James Mangold transforma-se em um road movie como poucos, com o cansado Logan, a silenciosa Laura e o debilitado Xavier formando o trio mais incomum na situação mais peculiar possível; há momentos de ternura, como quando são acolhidos por uma família na estrada para jantar, e de um bem-vindo senso de humor – a relação entre Logan e Xavier nunca esteve tão dinâmica e paternal, e o inesperado senso de proteção com o protagonista e a jovem Laura é outro ponto fortíssimo, com a estreante Dafne Keen sendo capaz de dominar todas as cenas em que aparece, e o fato de conseguir fazê-lo quando passa 70% do filme calada – atuando apenas com seus olhos e a expressão curiosa/ameaçadora – é impressionante.

E ainda mais incrível é ver o desempenho da pequenina durante as brutais cenas de ação. Mangold mantém uma mise-en-scène clara e engenhosa, com a pequena mutante usando seus oponentes para escalar, rodopiar e até dar estrelas enquanto os fatia com suas pequenas garras, e confesso que a imagem de uma criança sendo atingida por um arpão no peito é de uma brutalidade que raramente vimos no gênero até então. Em compensação, ver Laura e Logan lutando juntos contra um grupo de mercenários é algo simplesmente inebriante, e confesso que ficarei muito chateado se não voltar a ver a Laura de Keen em futuros projetos. A violência nunca é gratuita ou super exagerada, servindo bem ao propósito de criar um mundo hostil e demonstrar as consequências de lutas claramente perigosas.

Os antagonistas também funcionam, em parte. Boyd Holbrook merece créditos por elevar um vilão claramente genérico e sem personalidade, fornecendo a Donald Pierce uma presença ameaçadora e imprevisível, algo também beneficiado por sua prótese mecânica altamente chamativa (reparem em como as pontas dos dedos trazem pedaços de pele), e todo o conceito do grupo de caçadores apelidados de Carniceiros funciona como bons vilões para o trio protagonista. O problema reside quando o roteiro aprofunda seu conceito, e acabamos com a insurgência de um novo antagonista que parece completamente deslocado do universo realista e sujo que vinha dominando a primeira metade da projeção. É um oponente que oferece uma óbvia metáfora sobre os conflitos de Logan, mas que surge de forma incômoda e artificial, juntando-se ao Deadpool de X-Men Origens: Wolverine e o Samurai de Prata de Wolverine: Imortal como o “grupo de antagonistas infelizes” dos filmes solo do Carcaju.

Há ainda mais algumas decisões questionáveis do trio roteirista, especialmente no terceiro ato. E se mencionei que o estabilishment do universo lembrava Mad Max, temos um núcleo apresentado na metade do longa que é praticamente uma mistura de Mad Max: Além da Cúpula do Trovão e… Hook: A Volta do Capitão Gancho, e que também destoam do restante do tom da projeção. Aliás, outro demérito reside na bizarra exposição para apresentar tais personagens, que se dá através de um registro de celular surpreendentemente elaborado: em teoria, apenas um relato da enfermeira mexicana falando com a câmera, mas converte-se entre narrações em off, edições e até inserts. É no mínimo confuso qual exatamente era a intenção de Mangold com tal sequência, e o resultado acaba provocando essa exposição artificial.

Mas os problemas ficam por aí. Há muito mais qualidades do que defeitos em Logan, e este com certeza é o filme que Hugh Jackman sempre quis fazer. Sua performance tem mais nuances do que nunca e o personagem ganha um aprofundamento e uma despedida que certamente vai emocionar aqueles que acompanham sua jornada desde o ano 2000. E mais do que isso, representa também mais um marco significativo em termos de adaptações de quadrinhos, sendo eficiente em evitar fórmulas e transcender gêneros.

Logan — EUA, 2017
Direção: James Mangold
Roteiro: James Mangold, Michael Green e Scott Frank
Elenco: Hugh Jackman, Patrick Stewart, Boyd Holbrook, Stephan Merchant, Dafne Keen, Elizabeth Rodriguez, Richard E. Grant
Duração: 135 min.

Você Também pode curtir

87 comentários

Wonder Pig 24 de junho de 2017 - 16:29

Como assim como a X-23 vai crescer? Envelhecendo e crescendo, ué…

Ela não tem adamantium nos ossos se é o que vc tá pensando, diferente do Logan ela só tem nas garras.

Responder
Mauro Guimaraes 14 de março de 2017 - 19:04

4 estrelas para o filme!
5 estrelas para a crítica!

Responder
Rafael Gardiolo 13 de março de 2017 - 04:21

Eu achei o vídeo do celular um erro tão absurdo que é inexplicável que tenha sido mantido. É meu único problema com o filme. Ele tem algumas exposições no começo, quando Pierce e Logan conversam, sobre o status dos mutantes, mas é compreensível. O X-24 me incomodou, como foi dito, por destoar do tom, mas dado o universo em que os personagens se encontram não deixa de ser crível um personagem como ele, diferente das aberrações de Origens e Imortal. Filmaço, e excelente crítica.

Responder
Daniel Plainview 8 de março de 2017 - 21:53

Assisti hj. Filme simplesmente sensacional. Muito interessante ver como todos os acontecimentos da vida do Logan marcaram ele e depois de tudo e não tem mais desejo de se apegar a nada e aninguém. Muito interessante a interação dele com a Laura, um dos pontos altos do filme. E também temos finalmente o Wolverine usandos suas garras e decepando cabeças, membros e espalhando sangue pela tela (sem querer ser sádico, mas é muito bom ver ele fazendo isso kkk). Filmaço, os R$ 10,50 mais bem gastos do ano, até agora.

Responder
Magnosama 3 de março de 2017 - 10:43

A questão que fica é,

como a X-23 vai crescer???? (¬¬)

de resto, 09/10 pra esse filmaço.

Responder
Mau 3 de março de 2017 - 14:18

Acredito que ela só tenha as garras de adamantium, e não o corpo todo

Responder
Gaius Baltar 5 de março de 2017 - 10:54

Dificilmente ela aguentaria tanta pancada sem quebrar vários ossos e mesmo com fator de cura ela levaria algum tempo para se recuperar.

Responder
planocritico 5 de março de 2017 - 14:47

Sim, @disqus_sUTjCEmc4m:disqus , se seguirem a lógica dos quadrinhos, X-23 só tem as garras de adamantium. Isso faz com que o fator de cura dela seja muito melhor do que o de Woverine, já que muito do dele é empregado na luta contra o envenenamento por adamantium.

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 5 de março de 2017 - 14:47

Sim, @disqus_sUTjCEmc4m:disqus , se seguirem a lógica dos quadrinhos, X-23 só tem as garras de adamantium. Isso faz com que o fator de cura dela seja muito melhor do que o de Woverine, já que muito do dele é empregado na luta contra o envenenamento por adamantium.

Abs,
Ritter.

Responder
Guilherme Coral 5 de março de 2017 - 13:17

@magnosama:disqus se começarmos a questionar essas coisas ferrou tudo. Por exemplo:
Como o Homem de Ferro não virá patê toda vez que ele pousa em alta velocidade?
Como o Wolverine não tem de comer o tempo todo para suprir as necessidades do metabolismo acelerado dele?
Como o Flash consegue respirar correndo naquela velocidade?
Como o Capitão América sabe EXATAMENTE onde jogar o escudo para que ele volte para sua mão?

E por aí vai…

Responder
Magnosama 6 de março de 2017 - 09:05

Apesar da minha pergunta ter sido feita em tom jocoso,

vou fazer aqui algumas observações sobre as suas questões,

basicamente todas elas são respondidas dentro da própria mitologia (magia, tecnologia, ciência…) de cada personagem. A questão não é ser absurdo, é ser coerente com o que foi instituído naquele universo.

E aqui no caso da X-23, é um pouco diferente, tendo em vista que implante de metal em ossos foram feitos apenas em adultos, por motivos óbvios. Daí a “piada” sobre esse deslize no roteiro, em colocar isso numa criança. Condenada coitada, a ser uma anã pelo resto da vida.

Responder
Josevando Sousa 2 de março de 2017 - 22:56

Filmão da porra, cumpriu a que veio e superou as minhas expectativas. E aquele final, ah aquele final…

Responder
Josevando Sousa 2 de março de 2017 - 22:56

Filmão da porra, cumpriu a que veio e superou as minhas expectativas. E aquele final, ah aquele final…

Responder
Mau 2 de março de 2017 - 22:00

O filme é foda, mas….

SPOILER

PRA QUE COLOCAREM AQUELA MERDA DE CLONE DO WOLVERINE??

Já meio que fizeram isso no Origens, pra que fazer de novo??

Achei que isso deu uma caida forte no filme, além de deixar a historia previsivel (bala de adamantium pra salvar o dia)

Responder
planocritico 5 de março de 2017 - 14:49

SPOILER SPOILER SPOILER SPOILER SPOILER

O clone representa o Wolverine “que deu certo”, ou seja, o resutado esperado do programa Arma X. E o nosso Wolverine passou a vida toda lutando para suprimir seu lado sombrio, seu lado animal. Portanto, a luta ao final é simbólica, pois ele está enfrentando ele mesmo.

Abs,
Ritter.

Responder
JJL_ aranha superior 11 de março de 2017 - 01:32

+SPOILERS
Normalmente eu esculhambaria o X-24, pelos mesmos motivos que a crítica sugeriu, mas aquela cena no quarto do Xavier me fez esquecer disso.

Responder
planocritico 5 de março de 2017 - 14:49

SPOILER SPOILER SPOILER SPOILER SPOILER

O clone representa o Wolverine “que deu certo”, ou seja, o resutado esperado do programa Arma X. E o nosso Wolverine passou a vida toda lutando para suprimir seu lado sombrio, seu lado animal. Portanto, a luta ao final é simbólica, pois ele está enfrentando ele mesmo.

Abs,
Ritter.

Responder
Mau 2 de março de 2017 - 22:00

O filme é foda, mas….

SPOILER

PRA QUE COLOCAREM AQUELA MERDA DE CLONE DO WOLVERINE??

Já meio que fizeram isso no Origens, pra que fazer de novo??

Achei que isso deu uma caida forte no filme, além de deixar a historia previsivel (bala de adamantium pra salvar o dia)

Responder
Gabriel Pereira 2 de março de 2017 - 21:03

Bela crítica, concordo com ela. Filme maravilhoso, antes o melhor filme dos X-Men era o Primeira Classe, mas Logan passou e muito, melhor filme da Marvel pra mim, sendo que não sou fã dessa área, mas Wolverine tem o seu lugar no meu coração, personagem maravilhoso, valeu Hugh Jackman.

Responder
Gabriel Pereira 2 de março de 2017 - 21:03

Bela crítica, concordo com ela. Filme maravilhoso, antes o melhor filme dos X-Men era o Primeira Classe, mas Logan passou e muito, melhor filme da Marvel pra mim, sendo que não sou fã dessa área, mas Wolverine tem o seu lugar no meu coração, personagem maravilhoso, valeu Hugh Jackman.

Responder
Maurício Silva 2 de março de 2017 - 16:59

Porque não fizeram nesse nível antes, os outros 02 solos do Carcaju? Cara, sensacional! Jackman na sua melhor versão do Wolverine.. Saí do cinema ontem muito satisfeito. E o que dizer de seu dublador? que também se despede.. entrega uma ótima dublagem, dando mais enfase à atuação do Jackman! Cenas ótimas, humor dentro do cabível, Xavier top, X-23 arrebentando.. #logan

Responder
Maurício Silva 2 de março de 2017 - 16:59

Porque não fizeram nesse nível antes, os outros 02 solos do Carcaju? Cara, sensacional! Jackman na sua melhor versão do Wolverine.. Saí do cinema ontem muito satisfeito. E o que dizer de seu dublador? que também se despede.. entrega uma ótima dublagem, dando mais enfase à atuação do Jackman! Cenas ótimas, humor dentro do cabível, Xavier top, X-23 arrebentando.. #logan

Responder
JJL_ aranha superior 11 de março de 2017 - 01:34

Acho que o Mangold tentou fazer isso em Imortal, mas acho que o estúdio não deixou, assisti legendado mas acabei sentindo falta do Bardavid e tentava imaginar como seriam as cenas com a voz dele.

Responder
Junito Hartley 2 de março de 2017 - 12:43

Fui ver o filme ontem na seçao de 21:30, ai chego na fila, so tinha uma pessoa atendendo, quando fui comprar nao tinha mais lugar so na seçao de 23h. Parabéns Cinepolis.

Responder
Guilherme Coral 2 de março de 2017 - 14:49

Os cinemas do Brasil estão cada vez melhores…

Responder
Al_gostino 2 de março de 2017 - 11:27

Assisti ontem….que filmaço, tá loco…..´um filme de heróis e não é ao mesmo tempo…..é um filme solo do Wolverine, com referencias pontuas ao universo mas que não está muito preso, é como se fosse uma graphic novel do personagem….as atuações, os personagens, roteiro, fotografia, tudo está excelente……enfim, depois de tantos anos, consegui ver um filme a altura do meu herói favorito…..e o final?? emocionante demais..nota 10!

Responder
Guilherme Coral 2 de março de 2017 - 14:50

Exatamente isso que senti assistindo. É um filme com personagens de quadrinhos e não um filme de personagens de quadrinhos.

Responder
Anônimo 2 de março de 2017 - 01:14
Responder
Guilherme Coral 2 de março de 2017 - 14:50

No meu ranking está junto com Homem de Ferro 1!

Responder
Fábio Duarte 2 de março de 2017 - 01:14

Acabei de assistir o filme há poucos minutos e estou extasiado… Pra mim o melhor filme da Marvel até hoje.

Responder
Diogo Maia 2 de março de 2017 - 01:03

Logan é realmente um filmão, mas está muito longe de ser o melhor da franquia.

Responder
Diogo Maia 2 de março de 2017 - 01:03

Logan é realmente um filmão, mas está muito longe de ser o melhor da franquia.

Responder
Guilherme Coral 2 de março de 2017 - 14:51

Eu não colocaria tão longe assim!

Responder
Diogo Maia 3 de março de 2017 - 17:57

Talvez tenha sido minha alta expectativa…

Responder
Al_gostino 2 de março de 2017 - 14:56

Qual vc acha o melhor da franquia?

Responder
Diogo Maia 3 de março de 2017 - 17:57

Deadpool, seguido de perto pelo segundo.

Responder
Al_gostino 3 de março de 2017 - 18:20

Não gosto de Deadpool….mas respeito sua opinião

Responder
Diogo Maia 4 de março de 2017 - 22:15

Valeu pelo respeito, brother. Isso é raro hoje em dia.

Diogo Maia 4 de março de 2017 - 22:15

Valeu pelo respeito, brother. Isso é raro hoje em dia.

Diogo Maia 3 de março de 2017 - 17:57

Deadpool, seguido de perto pelo segundo.

Responder
Filipe Isaías 2 de março de 2017 - 00:33

Eu sei que isso é discutível, mas Logan, na minha opinião fecal, é o melhor filme do universo mutante, rivalizando com Deadpool. As atuações, fotografia, cenas de ação, compensam a exposição exagerada e um dos vilões fraquíssimo. E aquela cena final, emblemática. 4 estrelas de adamantium!

Abs.

Responder
Filipe Isaías 2 de março de 2017 - 00:33

Eu sei que isso é discutível, mas Logan, na minha opinião fecal, é o melhor filme do universo mutante, rivalizando com Deadpool. As atuações, fotografia, cenas de ação, compensam a exposição exagerada e um dos vilões fraquíssimo. E aquela cena final, emblemática. 4 estrelas de adamantium!

Abs.

Responder
Guilherme Coral 2 de março de 2017 - 14:51

Também colocaria como o melhor, junto com Primeira Classe!

Responder
Gabriel 1 de março de 2017 - 19:51

Estou com grandes expectativas para o filme… Espero que sejam atendidas!

PS: Se não for evasivo, gostaria de saber qual fonte vocês usam nas postagens. Obrigado!

Responder
Guilherme Coral 2 de março de 2017 - 14:52

O filme é fantástico, pode ir sem medo!
Sobre a fonte, cara, infelizmente não sei, é nativa do site mesmo.

Responder
Adelaide Ferreira Nishimura 2 de março de 2017 - 17:56

Melhor ir sem grandes expectativas, o filme não é ruim, porém concordei totalmente com a critica referente as “decisões questionáveis do trio roteirista, especialmente no terceiro ato” e também a parte que se refere ao “núcleo apresentado na metade do longa que é praticamente uma mistura de Mad Max: Além da Cúpula do Trovão e… Hook: A Volta do Capitão Gancho, e que também destoam do restante do tom da projeção” nunca antes alguém conseguiu transmitir em palavras meus pensamentos com tamanha perfeição

Responder
Adelaide Ferreira Nishimura 2 de março de 2017 - 17:56

Melhor ir sem grandes expectativas, o filme não é ruim, porém concordei totalmente com a critica referente as “decisões questionáveis do trio roteirista, especialmente no terceiro ato” e também a parte que se refere ao “núcleo apresentado na metade do longa que é praticamente uma mistura de Mad Max: Além da Cúpula do Trovão e… Hook: A Volta do Capitão Gancho, e que também destoam do restante do tom da projeção” nunca antes alguém conseguiu transmitir em palavras meus pensamentos com tamanha perfeição

Responder
Adelaide Ferreira Nishimura 2 de março de 2017 - 17:58

Um comentário a mais: Hugh Jackman, Patrick Stewart e a menina que faz Laura Kinney perfeitos, já vale assistir o filme.

Responder
Adelaide Ferreira Nishimura 2 de março de 2017 - 17:58

Um comentário a mais: Hugh Jackman, Patrick Stewart e a menina que faz Laura Kinney perfeitos, já vale assistir o filme.

Responder
Gabriel 1 de março de 2017 - 19:51

Estou com grandes expectativas para o filme… Espero que sejam atendidas!

PS: Se não for evasivo, gostaria de saber qual fonte vocês usam nas postagens. Obrigado!

Responder
Daniel Plainview 1 de março de 2017 - 17:00

Parece que finalmente temos um filme digno do Carcaju! Vou conferir no cinema com ctz!

Responder
Guilherme Coral 2 de março de 2017 - 14:52

Depois volta aqui e nos diga o que achou!

Responder
Júnior Souza 21 de fevereiro de 2017 - 23:03

Tô esperando muito desse filme. Desde o 1o trailer ao som de Johnny Cash.

Responder
Júnior Souza 21 de fevereiro de 2017 - 23:03

Tô esperando muito desse filme. Desde o 1o trailer ao som de Johnny Cash.

Responder
Guilherme Coral 2 de março de 2017 - 14:52

Os trailers captaram bem a atmosfera do filme!

Responder
Guilherme Coral 2 de março de 2017 - 14:52

Os trailers captaram bem a atmosfera do filme!

Responder
ABC 21 de fevereiro de 2017 - 14:04

Excetuando o filme do 4 fantástico, desde Kingsman a Fox vem se mostrando a mais versátil das produtoras de filmes baseados em quadrinhos.

Saudações.

Responder
ABC 21 de fevereiro de 2017 - 14:04

Excetuando o filme do 4 fantástico, desde Kingsman a Fox vem se mostrando a mais versátil das produtoras de filmes baseados em quadrinhos.

Saudações.

Responder
Guilherme Coral 2 de março de 2017 - 14:53

Concordo!

Responder
ABC 3 de março de 2017 - 10:28

Vai ter crítica com spoiler?

Sabe se o boneco que o superchoque gordinho carrega está a venda?

Saudações.

Responder
Guilherme Coral 2 de março de 2017 - 14:53

Concordo!

Responder
Ricardo 21 de fevereiro de 2017 - 10:47

A pergunta que não quer calar… Ele finalmente usa o uniforme clássico nesse filme?

Responder
Guilherme Coral 2 de março de 2017 - 14:53

Vai ter de assistir para descobrir 🙂

Responder
Guilherme Coral 2 de março de 2017 - 14:53

Vai ter de assistir para descobrir 🙂

Responder
JCésar 20 de fevereiro de 2017 - 16:05

Estou doido para ver esse filme.

Responder
Guilherme Coral 2 de março de 2017 - 14:53

Depois volte aqui e nos diga o que achou!

Responder
JCésar 4 de março de 2017 - 01:35

Adorei, simples e seco. Acho difícil acharem um final melhor para um personagem tão marcante e simbólico, agora é ver como a Fox e seus mutantes vão sobreviver sem qualquer referência ao Carcaju, afinal ele pintou em todas e foram as melhores cenas.

Responder
JCésar 4 de março de 2017 - 01:35

Adorei, simples e seco. Acho difícil acharem um final melhor para um personagem tão marcante e simbólico, agora é ver como a Fox e seus mutantes vão sobreviver sem qualquer referência ao Carcaju, afinal ele pintou em todas e foram as melhores cenas.

Responder
ronny 20 de fevereiro de 2017 - 13:29

admito que estou saturado de filmes de super herois…depois e ter vistos tantos,parece que se vemos um,vemos todos.
Pelo jeito esse Logan é um necessário folego para o genero

Responder
ronny 20 de fevereiro de 2017 - 13:29

admito que estou saturado de filmes de super herois…depois e ter vistos tantos,parece que se vemos um,vemos todos.
Pelo jeito esse Logan é um necessário folego para o genero

Responder
Guilherme Coral 2 de março de 2017 - 14:53

Sinto o mesmo, Ronny, mas Logan traz um ar novo.

Responder
Maycon Oliveira 20 de fevereiro de 2017 - 13:25

primeiro obrigado Deadpool por abrir as portas e segundo Warner não precisa ser +18 mas precisa ser diferente da Marvel, dá pra fazer o problema é roteiro e não o tom do filme, os filmes Marvel são bons, mas não quero apenas filmes tipo Marvel.

Responder
Maycon Oliveira 20 de fevereiro de 2017 - 13:25

primeiro obrigado Deadpool por abrir as portas e segundo Warner não precisa ser +18 mas precisa ser diferente da Marvel, dá pra fazer o problema é roteiro e não o tom do filme, os filmes Marvel são bons, mas não quero apenas filmes tipo Marvel.

Responder
ABC 21 de fevereiro de 2017 - 14:10

Kick-ass, Kingsman, 300 e Sin City mandaram lembranças.

Responder
Rafael Gardiolo 20 de fevereiro de 2017 - 11:58

Sempre achei as reclamações quanto a cronologia pura picuinha, até porque as trilogias, se consideradas separadas, se sustentam até que bem nesses termos, e de qualquer forma prefiro esses “problemas” de continuidade do que obras engessadas e sem liberdade criativa em prol de um “universo coeso”. Só um desabafo mesmo. Mas crítica muito boa, e expectativa alta pra esse filme.

Responder
Ricardo F. 21 de fevereiro de 2017 - 10:46

Os filmes de X-Men têm a cronologia meio bagunçada, mas, se forem analisados isoladamente, são melhores que muitos filmes do MCU (que eu adoro, por sinal).

Responder
Ricardo F. 21 de fevereiro de 2017 - 10:46

Os filmes de X-Men têm a cronologia meio bagunçada, mas, se forem analisados isoladamente, são melhores que muitos filmes do MCU (que eu adoro, por sinal).

Responder
ABC 21 de fevereiro de 2017 - 14:13

Hoje a maior parte do público desse tipo de filme acha que para ser bom precisa vir como seriado para cinemas. Voltamos aos primórdios do cinema, quando não existia tv.

Saudações.

Responder
Guilherme Coral 2 de março de 2017 - 14:54

Sou 100% a favor de obras separadas, que se dane a cronologia!

Responder
Guilherme Coral 2 de março de 2017 - 14:54

Sou 100% a favor de obras separadas, que se dane a cronologia!

Responder
Andrey Hugo 20 de fevereiro de 2017 - 11:07

Uma dúvida Lucas. Dá pra incluir esse filme em um top-3 do Universo Cinematográfico dos X-Men?

Ah e meu parabéns pela crítica. Acompanho diariamente o portal e sempre me deparo com conteúdo de ótima qualidade!

Responder
Andrey Hugo 20 de fevereiro de 2017 - 11:07

Uma dúvida Lucas. Dá pra incluir esse filme em um top-3 do Universo Cinematográfico dos X-Men?

Ah e meu parabéns pela crítica. Acompanho diariamente o portal e sempre me deparo com conteúdo de ótima qualidade!

Responder
Guilherme Coral 2 de março de 2017 - 14:54

Entra fácil no top 3! Muito obrigado pelos elogios!

Responder
Guilherme Coral 2 de março de 2017 - 14:54

Entra fácil no top 3! Muito obrigado pelos elogios!

Responder
Inominável Ser 20 de fevereiro de 2017 - 10:46

Este é o ponto que faz com que um filme como este fique acima dos demais: ALMA.

Enquanto Marvelândia e DC Films se preocupam com filmes recheados de efeitos especiais e aquela merda de CGI a todo momento, a Fox arremete com este tipo de filme diferente da maioria. Creio ser cedo para afirmar, mas este já pode ser considerado como o filme do ano no Gênero, sem querer aqui diminuir os outros filmes do mesmo que estrearão neste ano.

Estou ansioso para assistir Logan após a leitura desta Crítica, muito bem realizada.

Responder
Inominável Ser 20 de fevereiro de 2017 - 10:46

Este é o ponto que faz com que um filme como este fique acima dos demais: ALMA.

Enquanto Marvelândia e DC Films se preocupam com filmes recheados de efeitos especiais e aquela merda de CGI a todo momento, a Fox arremete com este tipo de filme diferente da maioria. Creio ser cedo para afirmar, mas este já pode ser considerado como o filme do ano no Gênero, sem querer aqui diminuir os outros filmes do mesmo que estrearão neste ano.

Estou ansioso para assistir Logan após a leitura desta Crítica, muito bem realizada.

Responder
Guilherme Coral 2 de março de 2017 - 14:55

Realmente se tem algo que esse filme possui e outros do gênero não é alma!

Responder

Escreva um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais