Home TVEpisódio Crítica | Mythic Quest – 2X04: Breaking Brad

Crítica | Mythic Quest – 2X04: Breaking Brad

por Ritter Fan
304 views (a partir de agosto de 2020)

  • Há spoilers. Leiam, aqui, as demais críticas.

Já mencionei na crítica anterior e tenho que repetir aqui: Brad e, por tabela, Jo, parecem ter se tornado os pontos focais da nova temporada, algo que Breaking Brad somente reitera não só por ser o terceiro episódio seguido a focar nesses personagens, como também por introduzir, a partir de Brad, potencial antagonista do segundo ano da série. E a premissa é ótima e já indicada no título, ou seja, o que ou quem poderia “quebrar Brad”, considerando que ele é o grande manipulador maquiavélico da equipe criadora do jogo que dá nome à série?

E a resposta é muito simples: Zack, seu irmão. O simpático, sorridente, amigo de todos, humilde, amoroso e bonachão Zack, vivido por Parvesh Cheena. Mas é o porquê de ele ser uma ameaça à Brad é que é realmente interessante e a explicação vai muito além de uma rivalidade entre irmãos. Com direito a uma participação especial de Snoop Dogg como ele mesmo, parte do presente de aniversário de Brad (que não faz aniversário nesse dia) que serve de cunha para que Zack se entremeie na empresa. Porque é isso que Zack faz, ele é um investidor especialista em perceber oportunidades de mercado de forma que ele possa comprar, repartir e vender empresas reempacotadas. Sua mera presença ali acende o sinal vermelho em Brad e a coisa só vai ladeira abaixo na medida em que percebemos que Brad, perto de Zack, é inofensivo.

E o melhor é que o episódio faz uma abordagem satírica, claro, mas perfeitamente verdadeira desse tipo de investidor capaz de perceber o momento de pico de determinado empreendimento e que força sua entrada somente para potencialmente desmembrar o negócio e vender as “partes” por um valor total maior do que o conjunto, muitas vezes (ou sempre) destruindo a empresa no processo. O uso do “aniversário” de Brad para isso e a reação de Brad para tudo o que acontece ao seu redor, sem que ele consiga esboçar qualquer reação que não seja esconder-se em sua sala e colocar Jo no fronte de batalha, já indica tudo o que precisamos saber sobre Zack e o final, que promete seu retorno, parece indicar um caminho potencialmente desafiador para todos ali na desenvolvedora de jogos. Não duvidaria nada que Zack retornasse já como acionista da empresa, depois de ter uma reunião secreta com a matriz no Canadá.

No lado mais abertamente cômico do episódio, temos a ciumeira geral de Ian em relação à Poppy que, com o sucesso de seu modo Battle Royale, ganhou nada menos do que um Porsche GT4 da matriz, mas que, para desespero total de todos – inclusive o meu – ela não quer/sabe/gosta de dirigir, tendo que chamar sua “motorista” Dana – em um inspiradíssimo momento politicamente incorreto – para resgatá-la no meio da estrada. E, claro, Ian, que vem logo atrás, não sabe usar câmbio manual e sofre a humilhação das humilhações tendo que deixar Rachel, a outra testadora, dirigir para ele.

Aliás, a incorreção política percorre bem o episódio, já que não só uma personagem negra é classificada como motorista de uma personagem que não é tecnicamente branca, mas que é hierarquicamente superior, como grande parte do roteiro discute exatamente a facilidade que homens héteros brancos têm de subir na vida, mas sem que seja necessário tratar o assunto de maneira discursiva. Falo das sequências com Ian e Rachel no carro, em que ele admite suas vantagens inerentes, desafiando-a a usar o momento para trazer ideias e propostas, levando-a não a falar, mas a congelar completamente. Claro que a natureza do momento e a surpresa causada pela situação tornariam difícil para Rachel ter um momento brilhante que encantasse o chefe, mas o ponto maior da sequência é que apontar o fato e reclamar é apenas parte da solução. A outra parte depende justamente de atitudes pró-ativas de quem aponta o fato e reclama, já que o mundo – especialmente o de negócios – não entregará nada de bandeja a quase ninguém.

Breaking Brad é um ótimo episódio de Mythic Quest que sabe balancear uma ameaça séria à empresa de jogos com um lado satírico com pesadas críticas sociais que realmente fazem pensar. Resta saber por quanto tempo a estirada de atenção que Brad e Jo estão tendo continuará, pois é necessário, também, dar atenção ao desenvolvimento da expansão do jogo em si, ainda que seja compreensível que esse assunto seja colocado de lado nesse início para não repetir a 1ª temporada.

Mythic Quest – 2X04: Breaking Brad (EUA, 21 de maio de 2021)
Criação: Rob McElhenney, Charlie Day, Megan Ganz
Direção: Angela Barnes
Roteiro: Keyonna Taylor
Elenco: Rob McElhenney, Charlotte Nicdao, David Hornsby, Danny Pudi, F. Murray Abraham, Jessie Ennis, Imani Hakim, Ashly Burch, Naomi Ekperigin, Parvesh Cheena, Snoop Dogg
Duração: 24 min.

Você Também pode curtir

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais