Home TVEpisódio Crítica | Mythic Quest – 2X07: Peter

Crítica | Mythic Quest – 2X07: Peter

por Ritter Fan
413 views (a partir de agosto de 2020)

  • Há spoilers. Leiam, aqui, as demais críticas.

F. Murray Abraham estrela “ao vivo” seu primeiro episódio completo da 2ª temporada de Mythic Quest contando com um convidado ilustre para contracenar: ninguém menos do que William Hurt, vivendo a versão idosa e doente de seu amigo-que-se-torna-inimigo Peter Cromwell, a quem fomos apresentados em Backstory!, fantástico episódio-flashback sobre como C.W. Longbotton começou sua carreira de escritor. Como se não bastasse a série ser da mais alta qualidade, os showrunners ainda encontram maneiras de promover encontros titânicos como esse aqui do singelamente intitulado Peter.

O episódio é, basicamente, o desfecho nos dias presentes da dramática história pregressa do detestável C.W., mas com a coragem de quase que completamente extirpar o humor do roteiro, deixando, apenas, toda a amargura de 40 anos de inveja e inimizade que o personagem mais velho da equipe de Mythic Quest nutre por Peter, que ele reputa responsável por ter roubado a mulher que amava. Toda a pouca comicidade que existe é do tipo que é cuidadosamente construída para mais uma vez delinear muito claramente a personalidade de C.W., com o uso da coitada da Rachel, que concorda em levá-lo até a mansão de Cromwell para que os dois possam ter uma conversa final, como o alvo de todas as piadas inquietantes, duras, beirando o mau-gosto, algo que, repito, é proposital e parte da qualidade do roteiro de Humphrey Ker.

O que o roteirista quer, na verdade, é nos deixar revoltados o tempo todo. Seja pela forma com C.W. trata Rachel – primeiro apresentando-a como sua motorista, depois como sua neta lésbica – e Magda (Alice Amter), a enfermeira de Peter que ele primeiro acha que é sua segunda esposa, seja por praticamente tudo que C.W. diz e faz na mansão, o que varia de palavras duríssimas cheias de inveja e veneno para seu ex-amigo, passando por uma vergonhosa bebedeira, culminando até com escatologia. Não consigo sequer captar uma intenção de se fazer humor negro no episódio, já que a pegada é personalíssima, uma literal briga de dois rivais que deixaram as mágoas de décadas recrudescerem até tornarem-se verdadeiras pústulas cancerosas (doença que Peter literalmente tem) que são horríveis de se ver.

Todo mundo que assiste Mythic Quest sabe que C.W. é o avatar, o representante de uma pessoa nojenta, mas esse nojo todo era usado a favor de um humor politicamente incorreto que servia justamente para salientar o quão deslocado o personagem e o humor são quando usados sem filtros. Aqui, o drama puro é o foco é Abrams e Hurt simplesmente arrasam em suas respectivas performances, com Abrams pela primeira vez entregando um C.W. completo, humano, despido do subtexto cômico e, por isso mesmo, difícil de ter uma nesga sequer de empatia por ele. Hurt, por outro lado, não compõe seu Peter como uma versão ainda boazinha do Peter de Backstory!, pois isso seria fácil e conveniente demais. Não só o Peter velho é racista, como é tão ou mais rancoroso que C.W., mesmo considerando sua doença terminal. Mas ambos, lá no fundo, anseiam a amizade um do outro, algo que permanece presente constantemente na interação dos atores.

Chega a ser interessante como, pelo menos para mim, a esperada reconciliação ao final teve um gosto agridoce, pois talvez eu tivesse preferido que o roteiro de Ker não oferecesse saída alguma para os dois, especialmente não para C.W., mas tenho consciência de que isso seria pesado talvez demais para a série, pelo que o momento em que C.W. estende a mão para o ex-amigo e os dois relaxam no reconhecimento mútuo de suas fraquezas tem seu inegável valor para encerrar esse capítulo na vida deles. Não que isso absolva C.W. do que ele é, pois ele com certeza não mudará, claro.

Apesar de a dobradinha Backstory!-Peter ser inegavelmente uma sidequest na temporada, ela é sem dúvida o ponto alto do segundo ano da série (ok, temos ainda dois episódios pela frente, mas vocês entenderam), deixando claro que, mesmo não deixando de lado suas raízes cômicas, os showrunners estão dispostos a experimentar e, nesse processo, a comover e enraivecer o espectador em medidas iguais. Não é toda série, especialmente sitcoms, que se prestam a isso e é sensacional ver que Mythic Quest não pretende descansar sobre seus louros.

Mythic Quest – 2X07: Peter (EUA, 11 de junho de 2021)
Criação: Rob McElhenney, Charlie Day, Megan Ganz
Direção: Todd Biermann
Roteiro: Humphrey Ker
Elenco: F. Murray Abraham, William Hurt, Ashly Burch, Alice Amter, Shelley Hennig
Duração: 37 min.

Você Também pode curtir

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais