Home TVEpisódio Crítica | Mythic Quest – 3X04: The Two Joes

Crítica | Mythic Quest – 3X04: The Two Joes

Jo conhece Joe.

por Ritter Fan
258 views

  • Há spoilers. Leiam, aqui, as demais críticas.

Joe Manganiello tem uma participação especial em Mythic Quest como um ator interessado em viver um personagem na adaptação cinematográfica do jogo, marcando uma reunião com David que, em razão do trânsito, acaba não conseguindo participar. O resultado é que Jo, que odeia Hollywood e todos os seus valores, precisa tomar as rédeas, com David em seu ouvido tentando colocar palavras em sua boca, o que, claro, gera todo o tipo de situação inteligentes que a série costuma abordar.

O almoço de Joe com Jo, claro, é o ponto focal de The Two Joes, como o título não me deixa mentir, e abre um ótimo espaço para Jessie Ennis brilhar daquele seu jeito psicopata de ser. Cada vez que David fala para sua assistente para rir, pois Manganiello acabou de contar uma piada, leva a uma constrangedoramente histérica risada que ficaria perfeito em uma versão particularmente doentia de Arlequina. Cada vez que David diz o que Jo deve dizer, o que sai de sua boca é uma versão contorcida que subverte maravilhosamente bem a intenção de seu chefe, mesmo que o resultado final – com Jo realmente tomando as rédeas da coisa, ainda que off screen – seja favorável ao que ele queria e mesmo que, no meio do caminho, ele tenha inadvertidamente aprovado a ideia de “caça ao tesouro” que o agora faxineiro Brad, tentando salvar sua ideia de NFT que deu com os burros n’água, extrai de uma Rachel completamente perdida no escrito da MQ.

A construção da dinâmica entre esses vários personagens a partir do encontro de Jo com Joe é um triunfo do roteiro de John Howell Harris que escreve diálogos espertos que mantém o ritmo do começo ao fim, com Manganiello aparentemente se divertindo muito ao viver a versão ficcional dele mesmo. Talvez tivesse sido mais interessante se Carol, no lugar de sair da equação logo no começo quando Brad e Rachel a deixam sufocada, permanecesse na história e fizesse parte da trama para levar o programador chefe – que hilariamente não sabe de quem receber ordens e basicamente odeia tudo o que ouve – a alterar a forma como os NFTs são obtidos. Mesmo assim, a estrutura montada funciona fluidamente, sem nenhum tipo de soluço.

De maneira tematicamente semelhante, Poppy, que tem uma linha narrativa solitária, como vem acontecendo desde o começo da temporada, com ela mergulhada na programação de seu novo videogame, tenta fazer com que Dana teste sua criação para achar eventuais bugs, algo que ela se recusa a fazer com o apoio telefônico de Ian em seu ouvido. Isso acaba fazendo com que a grande responsável pelo sucesso de Mythic Quest (o jogo) procure os novos testadores da empresa, “comprando-os” por algumas horas e recebendo uma resposta que queria – que não há bugs e a arquitetura é perfeita – e outra que não queria de jeito algum: que seu jogo é chato. Isso já era de se esperar e, provavelmente, será um ponto de virada na temporada, não sei se fazendo com que Poppy mergulhe mais ainda em sua obsessão ou se ela finalmente abrirá espaço para uma programação mais participativa em seu mausoléu branco sem linhas retas.

Diria que, em termos narrativos, o único ponto fora da curva é o núcleo composto por Ian e Dana e a descoberta de que eles compartilham muito mais ideias e conceitos de vida do que eles próprios imaginavam, seja a confiança de Dana na direção, o que de quebra serve para esculhambar o Tesla dirigido por Ian, seja na forma como ela encara pequenos detalhes como alguma ideia dela basicamente derrubar as Leis da Física. Para todos os efeitos, Dana revela-se um projeto de Ian e Ian reconhece isso prontamente, com alguns momentos bons entre os dois que, porém, não se comunicam com o restante do episódio e sequer indicam o caminho que isso pode dar ou como o conceito pode ser aproveitado daqui para a frente.

The Two Joes faz ótimo uso de Jessie Ennis, expandindo o espaço que sua personagem já havia ganhado em Crushing It e da ideia de adaptar o jogo como filme. Ele também acerta ao inserir Brad, Carol e Rachel de maneira transversa nessa mesma narrativa, só pecando mesmo por não conseguir trazer Ian e Dana para o mesmo conceito, já que Poppy, apesar de ter sua própria história, mantem-se conceitualmente dentro da proposta geral. Mais um acerto em uma série cômica sobre ambiente de trabalho que tem bastante dificuldade em errar.

Mythic Quest – 3X04: The Two Joes (EUA, 23 de novembro de 2022)
Criação: Rob McElhenney, Charlie Day, Megan Ganz
Direção: Nina Pedrad
Roteiro: John Howell Harris
Elenco: Rob McElhenney, Charlotte Nicdao, David Hornsby, Danny Pudi, Jessie Ennis, Imani Hakim, Ashly Burch, Naomi Ekperigin, Caitlin McGee, Joe Manganiello
Duração: 22 min.

Você Também pode curtir

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais