Crítica | O Mundo Sombrio de Sabrina – 1X11: Um Conto de Inverno

plano critico o mundo de sabrina Chapter Eleven A Midwinter's Tale

A Midwinter´s Tale (título original do episódio) poderia ser facilmente apenas um especial de Natal sem muita relevância para a narrativa macro da série, mas ele faz mais do que isso, estabelecendo o status quo dos personagens e deixa o terreno preparado para a segunda temporada, sem contar que serviu para revelar algumas informações importantes sobre o passado de Sabrina e sua família. Por conta disso, faz sentido considerar este o décimo primeiro episódio da primeira temporada – que acabou sendo bem recebida pelos assinantes da Netflix e já tem segunda temporada confirmada.

Para comemorar o Solstício, a família Spellman começa seus preparativos com comidas, presentes, uma árvore e a típica fogueira Yule, para afastar todo o mal. É claro que não dura muito e logo temos uma entidade tomando conta da casa e aterrorizando todos. No meio disso, Sabrina lida com sua relação cada vez mais complicada com Harvey e começa a planejar uma forma de se comunicar com sua mãe, que está no limbo. Uma dessas duas linhas narrativas é visivelmente mais interessante que a outra e aí está aquele mesmo problema da série: o núcleo humano. Enquanto os Spellman lidam com assombrações e ameaças diversas, Rosalind e Susie se metem em uma trama que parece ter saído de um episódio descartado ou antigo o suficiente para ser considerado charmoso de Doctor Who; só que aqui não há charme ou graça alguma, é só uma ideia que poderia ter sido esquecida na gaveta de tão descartável (eu tive que rever uma cena do episódio outra vez para lembrar o que acontece com as duas).

Não há muito o que dizer sobre esse episódio além de mencionar algumas coisas legais, como Zelda brincando de esconder com o bebê (não sei você, mas fiquei com a cena de A Bruxa na cabeça o tempo inteiro achando que o mesmo fosse acontecer), os comentários de Ambrosio ou a cena da invocação do espírito da mãe de Sabrina através do seu vestido, que foi a mais criativa no ponto de vista visual, com bons movimentos de câmera e uma iluminação competente. E quando menciono isso é uma pena ver como uma série com uma proposta tão aberta para situações absurdas não se arrisque um pouco na direção, mas talvez eu esteja pedindo demais para uma produção que ainda não soube como resolver o desequilíbrio entre as cenas do mundo bruxo e o humano.

A Midwinter´s Tale acrescenta ao mundo de Sabrina mas também consegue entediar com seu foco desnecessário em subtramas que ninguém pediu ou quer ver, ou o romance principal que ainda não convence, e a mesma estrutura com um fraco desenvolvimento que veio se repetindo em mais de um episódio na segunda metade da primeira temporada. Mas para ser justo não é um especial completamente passável, ainda temos revelações importantes e a presença de Zelda e Hilda, o que nunca decepciona. Talvez o maior problema deste episódio seja o fato de termos uma trama tão divertida com a casa sendo assombrada e depois ter que aturar cada minuto de uma história desnecessária envolvendo bonecos e um papai Noel demoníaco. Sério, ninguém queria ver isso.

O Mundo Sombrio de Sabrina 1×11  — EUA, 14 de dezembro de 2018
Criador: Roberto Aguire-Sacasa
Direção: Jeff Woolnough
Roteiristas: Roberto Aguirre-Sacasa, Donna Thorland
Elenco: Kiernan Shipka, Ross Lynch, Lucy Davis, Chance Perdomo, Michelle Gomez, Miranda Otto, Richard Coyle
Duração: 60 min.

ROBERTO HONORATO . . . Criado pela TV, minha família era o programa dos Muppets e minha segunda casa era a locadora (era fácil de chegar, só precisava atravessar a rua). Não me incomodava rebobinar todas as fitas, e nem podia, já que assistia o mesmo filme várias vezes. E quando não é cinema, o cheiro de quadrinhos me chama de longe e preciso gastar dinheiro que não tenho. E nunca esqueça: #sixseasonsandamovie