Home QuadrinhosMinissérie Crítica | Odisseia Cósmica

Crítica | Odisseia Cósmica

por Erik Blaz
10 views (a partir de agosto de 2020)

Cinco-estrelas

Sou Metron e cavalgo os ventos astrais em busca de conhecimento. Este é o propósito de minha vida, e estou prestes a realizar minha maior descoberta…  Se algo der errado, que eu seja a única vítima.

Metron, de Nova Gênese

 

No final da década de 80, no ápice das grandes histórias em quadrinho, tais como Tormento e Triunfo (Marvel Comics), O Retorno do Cavaleiro das Trevas (DC Comics) vemos dois grandes nomes se juntando para desenvolver uma das maiores obras desta época, a Odisseia Cósmica.

Jim Starlin, o roteirista por trás de histórias com teor cósmico e inventor de Thanos (personagem da Marvel comics), juntamente com o celebre Mike Mignola, dão vida a mais épica aventura do universo DC.

Em resumo, um dos Novos Deuses, Metron, cavalga no infinito espaço rumo ao que ele prevê ser sua maior conquista, decifrar a equação Antivida! Seu conceito é de que, se algo der errado, somente ele deverá sofrer pelas suas consequências… Mas não desta vez.

Na aventura escrita pelo mestre Starlin, ele consegue colocar a força Antivida não como um conceito filosófico ou intelectual nem mesmo como um recurso a ser explorado ou empregado. Mas sim um ser sapiente, cônscio de sua própria existência.
Metron libera esta entidade que outrora, estava presa em sua dimensão. Agora, os heróis da Terra e de Nova Gênese se juntam na liderança do Pai Celestial e do temível vilão Darkseide para deter a ameaça que fora liberada em todo o universo.

A história poderia ser simples se não tivesse por trás, um enorme trabalho (de narração e na “construção” dos personagens em seus âmbitos) em cada missão que os heróis realizam, todos são testados e vão até os limites de suas capacidades físicas e psicológicas… Não é a toa que é neste conto que retratam como a arrogância do Lanterna Verde John Stewart causa a morte de um sistema solar inteiro.

dcmoment13b

Não é necessário dizer novamente o quanto a arte de Mignola é magnífica ainda mais ao expressar as ações dos personagens, as criaturas de Apokolips e a entidade Antivida, muito menos então o cenário especial, deflagrado na maior parte da obra.

Mas quem são os heróis postos em cena? A Liga da Justiça?

Na verdade a composição de personagens não é tão comum, representando a Terra, o grupo é formado por Batman, Superman, Ajax, o Caçador de Marte, Estelar dos Novos Titãs, O Lanterna Verde John Stewart e o misterioso Sr. Jason Blood. Já no panteão de Nova Gênese, Magtron, Orion e o Forrageador são os que representam a morada dos Novos Deuses.

01 (1)

Há participações especiais de Adam Strange, Etrigan, o Demônio e o poderoso mago, Sr. Destino… Isto torna a história mais interessante, mostrando-a como uma aventura espacial, cósmica e tendo a possibilidade de um final com toques místicos, sem perder o sentido e o conceito da aventura, tudo entrando incrivelmente em equilibro e harmonia.

Com uma narração surpreendente e uma história de arrepiar todos os fios do corpo, esta realmente é uma obra que precisa ser lida por todo fã da nona arte, especialmente pelos “dcnautas”  de plantão.

01 02 03 04

ODISSEIA CÓSMICA EUA, Dezembro de 1988 até Março de 1989 (minissérie em 4 edições)
Roteiro: Jim Sarlin
Arte: Mike Mignola
Editora: DC Comics
Editora no Brasil: Abril Jovem
Páginas: 192 páginas

Você Também pode curtir

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais