Home Diversos Crítica | Perry Rhodan – Livro 29: A Frota dos Saltadores, de Kurt Mahr

Crítica | Perry Rhodan – Livro 29: A Frota dos Saltadores, de Kurt Mahr

por Luiz Santiago
216 views (a partir de agosto de 2020)

Grande Ciclo: Via Láctea — Ciclo 1: A Terceira Potência — Episódio: 29/49
Principais personagens: Perry Rhodan, Julian Tifflor, Humpry Hifield, Klaus Eberhardt, Mildred Orson, Felicita Kergonen, RB-013 e os saltadores Orlgans e Ornafer.
Espaço: Sistema Solar (proximidade de Plutão) e um planeta gelado de Beta-Albíreo.
Tempo: 1982

Depois dos excelentes eventos de Cilada Cósmica, estava claro que um novo arco dramático se formava no ciclo A Terceira Potência, agora tratando diretamente com os saltadores, homens pertencentes a um ramo da raça arcônida. Exímios mercadores galácticos, esses indivíduos estão há 8 mil anos “cortando pela raiz” qualquer possível concorrente comercial que encontram pela Galáxia, e é justamente nesse cenário que a Terra surge como uma grande pedra no sapato para eles, pois o comércio da Terceira Potência com o Setor Vega segue de vento em popa. Nesse livro, Kurt Mahr dá sequência à disputa entre Perry Rhodan e os saltadores Orlgans e Ornafer, que comandam a nave Orla XI e que estão muito interessados em arrancar dos terranos as informações sobre Peregrino, o planeta da vida eterna.

Embora seja menos empolgante que a prosa de K. H. Scheer, o texto de Mahr consegue manter a ação ativa e consegue trazer bons blocos de tensão ao leitor, com as naves Terra e Solar System (com 200 metros de diâmetro) e a Stardust III (com 800 metros de diâmetro) perseguindo a frota dos saltadores e procurando livrar a pele do pobre Tifflor, que não sabe exatamente por que tudo isso está acontecendo ao seu redor. O livro procura explicar algumas coisas anteriormente cobertas de mistério, e apesar de não avançar com a história, cria uma situação que impede o esgotamento dessa parte da saga, deixando-nos mais curiosos pelos detalhes sobre os saltadores, pelo que Rhodan deve fazer diante desse novo inimigo ou como Tiff e seus amigos conseguirão sobreviver no planeta gelado.

O interessante é que estamos diante de uma espécie que sabe muita coisa sobre a Terra e a Terceira Potência (obrigado, Supercrânio!), mas que permanece um mistério para Rhodan e os terranos. Se a gente pensar que esses comerciantes pousaram em Vênus e também espalharam seus agentes pela Terra sem ser capturados, criamos uma boa dose de respeito por sua capacidade de organização e pela forma como pensam estrategicamente, algo que Kurt Mahr segue destacando. Aqui, a ação se passa majoritariamente próxima à estrela Beta-Albíreo, que fica na Constelação de Cisne (ou Cygnus).

A Frota dos Saltadores não é um livro que avança com a narrativa de Perry Rhodan e seus agentes. Ele apenas dá uma continuidade de poucas horas em relação ao que ocorreu em Cilada Cósmica e nos prepara para um encontro maior e provavelmente para coisas que de fato possam movimentar o arco. Isso não quer dizer, porém, que é um livro estático. Tirando algumas chatices técnicas, a gente aproveita bastante a maneira como o autor divide os pontos de vista dentro de cada capítulo e nos mostra as ideias, as estratégicas de defesa e ataque e os perrengues que Rhodan, os saltadores e Tiff passam em suas respectivas naves. Serve para nos fazer respirar um pouco, mas sem estacionar.

O status do cadete-protagonista agora é bastante delicado. Porém, depois de tudo o que ele passou até aqui, sabemos que estamos diante de alguém que conseguirá se safar com muita inteligência das mais diversas situações. É muito bom ver o surgimento de um novo personagem com caraterísticas tão interessantes e um grande potencial para a série. Ajuda a manter a nossa ligação com diferentes tipos de personalidade, ao longo dos livros, e mantém o elenco da Terceira Potência cada vez melhor.

Há 8 mil anos os saltadores detêm o monopólio do comércio galáctico, já que reprimem qualquer concorrência implacavelmente. Esta posição egoísta desenvolvida pelos saltadores no curso desse tempo representa uma das chances de Perry Rhodan. Apesar de haverem descoberto a Terra, eles não incluirão no “negócio” outras estirpes de marcadores, e se lançarão sozinhos ao ataque. Perry Rhodan conta, ainda, com outro elemento: os cadetes espaciais que sob a liderança de Julian Tifflor, realizam um pouso de emergência no planeta gelado. PERIGO NO PLANETA GELADO é o título do próximo volume da série Perry Rhodan. 

Perry Rhodan – Livro 29: A Frota dos Saltadores (Die Flotte der Springer) — Alemanha, 23 de março de 1962
Autor: Kurt Mahr
Arte da capa original: Johnny Bruck
Tradução: Richard Paul Neto
Editora no Brasil: Ediouro (1976)
167 páginas

Você Também pode curtir

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais