Home FilmesCríticasCatálogos Crítica | Primitivo

Crítica | Primitivo

por Leonardo Campos
346 views (a partir de agosto de 2020)

O subgênero eco-horror é bastante frutífero, pois a partir da sua existência há uma série de ramificações: filmes com tubarões, crocodilos, serpentes, morcegos, aranhas, leões, etc. Os crocodilos assustam plateias desde o cinema clássico, em especial, a divertida aventura do réptil jogado pela descarga e que ganha um tamanho descomunal nos esgotos de Nova York, trama exibida exaustivamente na televisão aberta.

Material considerado potência para assustar plateias ao redor do planeta, os ataques de crocodilos são bastante comuns na vida real e às vezes produzem sensação de medo maior que os filmes que se baseiam nestas histórias. Em março de 2017, um jogador de futebol de Moçambique morrer depois de ser atacado por um crocodilo enquanto treinava próximo a um rio. Estevão Alberto Gino teve o corpo dilacerado ao tomar banho depois de uma partida, haja vista a falta de água encanada na região em que treinava. Em abril de 2015, um homem embriagado morreu afogado após ser arrastado por um crocodilo na lagoa Bojórquez, região hoteleira de Cancun. Muito assustador, não é mesmo?

Primitivo, dirigido por Michael Katleman, também se baseia numa história real, mas obviamente, por questões industriais, amplia os horizontes narrativos e torna o animal algo próximo de uma das sequências da franquia Jurassic Park. Confesso que acho uma tremenda chatice, as análises que flertam com o subgênero eco-horror e apontam as suas discrepâncias com a realidade. O mundo parece ter perdido a noção de ironia, ou então, desconhece a metáfora. O que o filme propõe é uma aventura que nos tire dessa normalidade. Quem se submete a assistir aos filmes do estilo sabe o que os espera.

O problema na verdade está na maneira como a história é guiada. Em Morte Súbita temos praticamente o mesmo enredo, com algumas diferenças. Não há a caçada pelo animal, mas a relação de personagens que estão distante de casa, mas submetidos aos horrores de um monstro sanguinário está na estrutura do subgênero. A questão aqui é como a história se desenvolve, porque não adiante os melhores efeitos especiais, se por caso, os personagens são planos, desinteressantes, a trama é pífia e os conflitos estéreis, nos fazendo torcer mais pelo crocodilo que pelos humanos.

Com roteiro de John D. Brancato e Michael Ferris, Primitivo é um filme que segue uma equipe de jornalistas que precisa registrar a captura de um crocodilo que já matou cerca de 300 pessoas. A região passa por um terrível problema político que aumenta as chances dos personagens morrerem, pois além de tentar se salvar do animal, vão precisar driblar a guerra civil que domina o local. O roteiro, ao mesclar tantos temas sem conseguir concatena-los organicamente acaba por realizar o que uma crítica escreveu na época de seu lançamento: a trama como um crossover de Tubarão, Diamante de Sangue e Hotel Ruanda.

Na equipe temos Tim Manfrey (Dominic Purcell), um jornalista que precisará pagar os seus pecados depois de cometer uma falha jornalística que quase coloca a sua carreira a perder; a produtora Aviva Maters (Brooke Longton), personagem típica que precisará ser “salva” pelos homens; o cinegrafista Steven Johnson (Orlando Jones) e outros personagens que são encaminhados para cobrir a história do crocodilo que está dizimando vidas às margens de um rio na região que já sofre pelos problemas de ordem política e social.

Ao longo de seus 94 minutos, a aventura filmada entre os Estados Unidos e uma região do Barundi, pequeno país que abriga a nascente do rio Nilo, inspira-se na história de Gustave, um enorme crocodilo-do-nilo macho. Venerado na antiguidade como divindade egípcia, os crocodilos dessa espécie são conhecidos por carregar as suas vítimas para dentro da água e esperar até que a carne fique macia para se alimentar. Gustave ficou conhecido por este nome depois de ter sido fotografado por um jornalista da National Geographic, ganhado um documentário e ter sua existência registrada até 2008, ano que desapareceu, deixando de ser uma “celebridade”.

Se o filme não é tão assustador e causa incômodo pelos exageros, prefira ver a reportagem sobre o casal de hóspedes em apuros em uma piscina do hotel em que estavam passando as férias, na região de Zimbabwe. Enquanto curtiam um banho relaxante, perceberam a presença de um crocodilo que os atacou imediatamente. Ela foi atacada enquanto nadava na direção contrária da piscina, diferente do marido que conseguiu escapar da piscina por outro lado. Com cortes nas costas, ombro e cotovelo, a sobrevivente é o equivalente de um destes personagens cinematográficos que passam pela terrível e inesquecível experiência, marcada para o resto da vida. Moral da história: a vida às vezes pode ser mais cruel e aterrorizante que a ficção, mesmo que o problema seja um crocodilo cem vezes menor que o monstro fílmico.

Primitivo (Primeval) — EUA, 2007.
Direção: Michael Katleman
Roteiro: John Brancato, Michael Ferris
Elenco: Brooke Langton, Dominic Purcell, Gideon Emery, Kent Shocknek, Orlando Jones, Chris April, Gabriel Malema, Vivian Moodley
Duração: 94 min

Você Também pode curtir

31 comentários

Perla Faro 8 de novembro de 2017 - 00:03

Um caso que me interessou bastante foi o de uma australiana de 46 anos. A australiana, acompanhada pela sua amiga, entrou na água pela noite até que foi puxada para baixo por um crocodilo de água salgada . A sua amiga diz sentir que algo passou por suas pernas e que tentou puxar a amiga mas já era tarde. As buscas por ela não pararam, mas havia placas de avisos sobre crocodilos e que a mulher foi imprudente ao entrar na água.

Responder
Rafael Sena 27 de outubro de 2017 - 23:52

O tratador costumava entrar no local com um facão para posar para os cliques dos visitantes e seu trabalho e importância para o turismo já haviam sido reconhecidos até pelo ex-presidente do país, Félix Houphouët-Boigny.

Dicko foi atacado quando se preparava para sair da pedra onde costumava jogar comida para os répteis. Ele tentava se livrar da mordida de um dos animais quando o maior e mais velho crocodilo do lago o atacou pelas costas. Dicko foi levado para dentro do lago e não foi possível encontrar o corpo. A morte de Dicko, também conhecido como “O Velho” foi divulgada por toda a imprensa da Costa do Marfim e lamentada por grande parte da população.

Responder
Henrique Cardoso 27 de outubro de 2017 - 23:39

Lembrou-me do caso registrado em Ruanda. Sete mortes por ataques de crocodilos do rio Nyabarongo foram registradas pelas autoridades em agosto deste ano, 2017, e deixaram os moradores apavorados com o lugar (obviamente, dando espaço para algumas superstições, visto que o rio é a principal fonte de abastecimento da região). Creio que daria algo ‘assistível’, caso viesse a se tornar um filme. Um após o outro sendo atacados, cada um com os próprios motivos de estarem naquele rio, mesclado com as suspeitas das autoridades, as superstições do povo e os embates com os defensores ambientais… Enfim, deixo isso para as mãos dos diretores. Poderia escrever sobre, mas vejo o gênero de eco-terror como batido e inadaptável para livros.

Responder
Eduardo Dorea Marques 27 de outubro de 2017 - 23:12

O corpo de um jornalista do Financial Times (FT) foi descoberto sem vida um dia depois do presumido ataque de crocodilo que o terá vitimado, avançam as autoridades do Sri Lanka.
Paul McClean, que se encontrava a passar férias com um grupo de amigos neste país asiático, estava a ter aulas de surf na aldeia costeira de Panamá, a 360 quilómetros da capital Colombo, quando se terá afastado do grupo para ir à casa de banho. O jovem de 24 anos terá dado com uma lagoa conhecida entre os locais por ter bastantes crocodilos e, segundo testemunhas oculares, foi atacado quando se aproximou da água para “lavar as mãos”.

Responder
Guilherme Almeida 27 de outubro de 2017 - 23:11

Almeida ver o melhor protagonista foi Jojo pois além de tudo que está acontecendo ele não desiste do seu sonho que é ir para a América (USA).

Responder
Caroline Reis 27 de outubro de 2017 - 23:11

O personagem que mais me interessou foi Jojo que mostrou ser corajoso e determinado todo o filme.

Responder
Caio Andrade 27 de outubro de 2017 - 23:01

Um caso de ataque de crocodilo que poderia ser transformado em filme é o da turista alemã Isabel Von Jordan, que em 2002 nadou no parque Kakadu National Park, e durante a atividade foi morta por crocodilo que a arrastou por diversos metros.

Responder
Helen Bianca 27 de outubro de 2017 - 22:51

Um homem de 31 anos de origem de Tlaxcala foi nadar na lagoa Bojóquex, em Cancún, perto de uma área hoteleira e acabou sendo arrastado por um crocodilo, ele estava embriagado e a área tinha avisos do perigo que os crocodilos podem trazer, os ferimentos que o crocodilo causou não foram tão graves a ponto de provocar a morte do homem, a causa da morte foi o afogamento que o crocodilo provocou.

Aluna: Vanessa Santana Lima
2° ano

Responder
Pólen Ácacio 27 de outubro de 2017 - 22:17

O cinegrafista Steven é o melhor personagem ao meu ver, pois devido a sua personalidade sarcastica e divertida, tira um pouco da tensão do filme, adicionando um toque de humor importante para o filme nao se tornar tão tenso

Responder
Amanda Vitoria 27 de outubro de 2017 - 22:15

o personagem jojo foi o que mais me cativou, pois demonstrou coragem e determinação com seus atos ao longo do filme.

Responder
Juliana Cunha 27 de outubro de 2017 - 22:02

Um homem de 31 anos original de Tlaxcala, estado do centro do México, morreu afogado depois de ser arrastado por um crocodilo na lagoa Bojórquez, perto da área hoteleira de Cancún, onde entrou para nadar em estado de embriaguez, segundo informou a polícia local.
Serviço Médico Legista determinou que a causa de morte foi afogamento, enquanto os exames realizados na vítima confirmaram que foi arrastado por um crocodilo de grande tamanho já que apresenta as mordidas características destes animais, embora nenhuma dessas lesões tenha sido mortal.

Responder
Juan Carlos 27 de outubro de 2017 - 21:52

O persongem por quem mais me interessei foi Gustave, que é o que ” gera ” toda a tensão e o terror presentes no filme, e apenas pelo fato de estar seguindo seus instintos naturais.

Responder
Helena Caliane 27 de outubro de 2017 - 21:46

Jojo porque desde o início demonstrou dedicação, força, companheirismo.

Responder
Rafaela Gomes 27 de outubro de 2017 - 21:45

Acredito que a Batalha de Ramree seria um excelente plano de fundo para uma trama. A batalha ocorreu em fevereiro de 1945 (durante a 2ª Guerra Mundial) entre as tropas britânicas e japonesas na Baía de Bengala, Costa de Burma no Pacífico sul. Utilizando o território pantanoso como uma forma de ganhar vantagem em relação aos britânicos, uma tropa de cerca de 1000 japoneses foi abatida por crocodilos de água salgada de cerca de 6 metros. Stanley Wright deixou o momento registrado em seu livro “Wildlife Sketches Near and Far”, de 1962. Os sobreviventes do ataque sofreram sérios danos psicológicos.

Responder
Amanda Vitoria 27 de outubro de 2017 - 21:43

O personagem que mais me cativou foi jojo, por demonstrar coragem e determinação com seus atos ao longo do filme.

Responder
Ruan Santos 27 de outubro de 2017 - 21:42

O tema que é abordado na obra abre espaço para várias criações baseadas em fatos reais. Um bom exemplo seria o ataque realizado por um crocodilo na localidade da Cerâmica, no rio Lifune, onde mãe e filha foram arrastadas para o rio e mortas. Este fato trágico ocorreu quando a mãe, acompanhada de sua filha de apenas 9 meses, foram ao rio em busca de água para beber, uma ótima oportunidade para o tal crocodilo.

Responder
Francyni Lima 27 de outubro de 2017 - 21:31

Um caso que chamou atenção de todos foi o caso do menino de 2 anos (Lane Graves) que foi puxando para dentro do lago por um crocodilo de 2 metros de comprimento e 1,2 de largura, debaixo dos olhos de sua família. Seu pai tentou de todo modo impedir que o animal o puxasse para dentro mas não houve sucesso. Apesar de buscas intensas realizadas por diversas equipes de resgate o corpo da criança só foi localizado no dia seguinte, intacto. O fato ocorreu em um hotel que pertence à Disney World e não havia nas margens daquele lago nenhum alerta sobre a presença de crocodilos na água, as placas apenas informavam que era proibido tomar banho no lago.

Responder
Antonio Marcos 27 de outubro de 2017 - 21:27

Em maio do ano passado, uma mulher foi atacada por um crocodilo de água salgada em Sydney, na Austrália. Ela estava nadando bem tarde com uma amiga na praia, com a água até a cintura, quando percebeu que algo havia agarrado a sua perna, e então foi atacada. Mesmo com os esforços de policiais, o corpo da mulher nunca mais foi encontrado.

Responder
Evelyn Santos 27 de outubro de 2017 - 21:27

A polícia australiana recuperou os restos mortais de um homem que foi atacado por um crocodilo-de-água-salgada quando estava a pescar no rio com a família, no Parque Nacional de Kakadu.

Responder
Amanda Lima 27 de outubro de 2017 - 21:15

O personagem que mais me interessou foi o crocodilo, além do filme girar em torno dele, é um personagem que em todos os momentos nos traz a tensão e o “medo” do filme, deixando seu enredo mais interessante.

Responder
Isis albergaria 27 de outubro de 2017 - 20:57

Um filme de terror poderia ser pensado com a notícia vinda do portal do G1:
A australiana Anne Cameron
De 79 anos que sofria de demência tem suspeita de ter sido atacada por um crocodilo quando foi dar um passeio.
Segundo o mesmo portal, pedaços supostamente da australiana foram encontrados no local.

Responder
Alanis Nonato Dias 27 de outubro de 2017 - 20:48

Um surpreendente caso abalou um pequeno vilarejo na região de Berau, na indonésia, quando o corpo de um homem morto por um crocodilo no rio Lempake, reapareceu após um ritual de magia negra. O homem de 41 anos estava nadando com seus amigos quando foi atacado e arrastado por um enorme crocodilo. Nem a sua família ou a policia foi capaz de localiza- lo. Então seus parentes e amigos decidiram procurar um feiticeiro que prática rituais mágico. O feiticeiro realizou um feitiço para que o homem voltasse vivo para casa. Menos de 24 horas depois, o corpo do indonésio foi “devolvido” pelo animal que teria usado a boca para carrega-lo ate as proximidades do local do desaparecimento.

Responder
Bruno Blater 27 de outubro de 2017 - 20:45

O personagem que mais me interessou foi o cinegrafista Steven Johnson por ser aquele que mais se envolve na trama

Responder
Gabriel Lobo 27 de outubro de 2017 - 20:45

Um caso que tem potencial cinematográfico foi o de Ofir Drori, um renomado ativista que estava desfrutando de um viagem tranquila de canoa ao longo do rio Omo, sua profundidade é pequena e fica localizado na Etiópia. Durante seu passeio Ofir foi surpreendido por um grande predador com três metros de comprimento, que mordeu sua perna na região da panturrilha mas conseguiu chegar na margem utilizando a sua outra perna, escapando do crocodilo e perdendo um pedaço de sua perna.

Responder
Laiane Santana 27 de outubro de 2017 - 20:02

O personagem que mais me chamou atenção foi o Jojo, por ele ser corajoso, e tentar sair da guerra civil o mais rápido possível, apesar de sofre muito ao longo do filme

Responder
Daniel Cabral 27 de outubro de 2017 - 19:54

O melhor para mim foi o ator principal, o jornalista Tin, pois ele teve coragem em aceitar para ir caçar esse jacaré e além de aceitar sempre ajudou a todos do grupo a manter o foco, não ficar nervoso diante do conflito da região e ter foco no jacaré e não tinha medo em volta e ajuda alguém que estava em perigo.

Responder
Eider Queiroz 27 de outubro de 2017 - 19:43

na obra temos alguns personagens interessantes,mas,para mim o mais interessante foi jojo,que fez de tudo possível para conquistar o seu grande sonho que era ir para a américa,o que inclui várias quase mortes,e que pra mim trouxe um ar cômico para o filme.

Responder
Adélya Joana 27 de outubro de 2017 - 18:27

No meu ponto de vista o personagem mais interessante é o Jojo.

Responder
Tiago Santana 27 de outubro de 2017 - 16:43

Mulher desaparece após ataque de crocodilo em praia da Austrália.
Vítima de 46 anos nadava à noite em área perigosa com uma amiga.

Este caso de ataque de crocodilo tem um incrível potencial para virar
um grande sucesso cinematográfico, pois conta com uma historia peculiar
comparado com os outros casos.

https://oglobo.globo.com/sociedade/sustentabilidade/mulher-desaparece-apos-ataque-de-crocodilo-em-praia-da-australia-19395424

Responder
Mateus Belmonte 27 de outubro de 2017 - 16:36

Mulher desaparece após ataque de crocodilo na australia: esse relato pode servir de inspiração para um filme baseado em fatos reais, pois a mulher de 46 anos nadava com uma amiga a noite na praia quando foi surpreendida pelo animal,possivelmente de 7 metros. Assim o filme poderia ser de terror como: anaconda,tubarão,phyton,roar,entre outros.

Responder
Vinicius Silva 27 de outubro de 2017 - 14:24

O personagem mais interessante ao meu ponto de vista, foi Gustave, pois, ele sempre nos trás momentos de tensão durante o filme, e é um dos principais personagens, porque o filme foi baseado nele.

Responder

Escreva um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais