Crítica | Privacidade Hackeada

Se você não está pagando por um produto, é sinal que o produto é você.

Andrew Lewis

Os melhores documentários são aqueles que parecem ficção; algo tão fora da nossa realidade, porém tão corriqueiro que, enfim, o enxergamos como um documentário. Exemplos de bons filmes neste estilo não faltam: Democracia em Vertigem, Icarus, A Vida de Uma Célula, entre outros. O ponto, porém, é que Privacidade Hackeada acerta tanto neste quesito que só descobrimos que é um documentário após cerca de vinte minutos de longa.

Dirigido por Jehane Noujaim e Karim Amer, Privacidade Hackeada explora o escândalo envolvendo a empresa Cambridge Analytica, que utilizava dados fornecidos por meio do Facebook para manipular a decisão política de eleitores indecisos. O documentário ainda abrange o contexto global, como a situação do Brexit e a manipulação de eleitores em países como África do Sul, Etiópia, Malásia, México, Ucrânia e Quênia. O Brasil também não fica de fora da lista, na qual há citações de propagandas disseminadas por meio do Whatsapp e que teriam ajudado a eleger o presidente Jair Bolsonaro.

Os efeitos especiais utilizados nas primeiras cenas do filme é de deixar qualquer um boquiaberto. Por meio de imagens e sons que nos lembram filmes de ficção científica, o documentário abre uma questão interessante a ser debatida: até quando consideraremos a tecnologia como o futuro, e não como o presente? Neste questionamento, o documentário atinge sua crítica principal: o pessimismo em relação ao futuro, como vistos em filmes de época, é algo que já vivemos atualmente; não é mais uma ficção. Para reforçar isso, o longa é iniciado por uma pessoa comum do Reino Unido: um professor de universidade aflito com a própria privacidade invadida, ao passo que se preocupa com o futuro das suas duas pequenas filhas. Ele chega a ler as políticas das empresas para suas filhas, e indaga se elas aceitarão ter seus dados invadidos (pois é isso que a política do aplicativo diz).

Outro ponto interessante é como os diretores conseguiram acompanhar em tempo real a ex-diretora da Cambridge AnalyticaBrittany Kaiser, que denunciou a empresa para as autoridades. Por meio dela, o documentário constrói uma história completa para o que é oferecido: desenvolvimento eficiente. Desta forma, acompanhamos passo a passo da queda da empresa, assim como seu curiosidades da Cambridge AnalyticaAlém disso, e em uma visão externa e científica, a jornalista do The GuardianCarole Cadwalladr, debate sobre os efeitos que esses controles têm no mundo. Em todas as regiões que foram comprovadas a presença da manipulação por meio dos dados, constatou-se forte influência a favor dos presidentes que estão atualmente no poder. Em certo ponto, tal controle chegou a perturbar a permanência do Reino Unido no Brexit.

As únicas ressalvas que tenho, e que justifica a nota fornecida, é que alguns personagens tem muito a acrescentar, mas pouco aparecem. Esse é o caso do ex-funcionário da Cambridge AnalyticaChristopher Wylie, que se mostrou disposto a gravar entrevistas, porém não é explorado pelos diretores. Ele seria peça-chave para dar suporte ao que Britanny alega, pois Wylie foi um dos mentores do programa que a empresa utilizava na manipulação de dados. Junto a isso, Alexander Nix, diretor da Cambridge Analytica, também pouco aparece. Sua ausência, porém, é justificada pois ele não se mostra favorável a conceder entrevistas, chegando a aparecer apenas no tribunal — onde as filmagens eram permitidas –, ou falando baboseiras para autodefesa. Não cabe ao espectador os desafios que a produção enfrentou para a execução do filme, todavia.

Privacidade Hackeada merece ser visto porque é um documentário tão futuro quanto o presente. Além disso, o longa abrange com eficiência os dois aspectos principais de um filme do gênero: contextualização do momento histórico e aprofundamento do assunto principal. Ao menos, parece que o Poder Legislativo brasileiro já se atentou a esse problema. A Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPDP), que regula as atividades empresariais no controle de dados, entrará em vigor em Agosto de 2020. Enquanto isso não acontecer, a pergunta não é “se” seremos manipulados pela internet, mas “o quanto” seremos.

Privacidade Hackeada (The Great Hack) – EUA, 2019
Direção: Jehane Noujaim, Karim Amer
Roteiro: Karim Amer, Erin Barnett, Pedro Kos
Elenco: Britanny Kaiser, David Carroll, Paul-Oliver Dehaye, Carole Cadwalladr, Ravi Naik
Duração: 113 min.

FERNANDO ANNUNZIATA . . . Por meio de um sonho, fui convocado pessoalmente pela Marilyn Monroe a participar do mundo das críticas cinematográficas. Sem saber o que esse mundo me reservava, cavalguei com a Lady Godiva em busca do Lendário Livro de Verdades. Atravessamos Gotham, Hogwarts e Twin Peaks atrás do nosso objetivo. Com a revelação dentro de um baú feito de mármore a dois metros dos nossos olhos, nos deparamos com o melhor final possível: o Livro era um espelho. Agora sou o dono de todas as verdades e faço parte de um culto de bruxos chamado Plano Crítico. A única resposta que não tenho é se prefiro minha antiga vida, quando eu era um mortal estudante de Comunicação Social de 18 anos, ou a vida atual, na qual eu descobri a verdade sobre Bohemian Rhapsody.