Home FilmesCríticas Crítica | Shazam! (2019) – Sem Spoilers

Crítica | Shazam! (2019) – Sem Spoilers

por Luiz Santiago
188 views (a partir de agosto de 2020)

Eis que surge um clarão no céu da Warner/DC. Um raio mágico, capaz de transformar um adolescente de 14 anos em um super-herói que, nos quadrinhos, um certo vilão apelidava de ‘Grande Queijo Vermelho’. Primeiro chamado de Capitão Marvel, o herói em questão teve uma longa e turbulenta história editorial, surgindo em 1940, na Whiz Comics #2 e se tornando um fenômeno de vendas. Depois de um processo da DC Comics contra a Fawcett Publications, proprietária original do personagem de Bill Parker e C.C. Beck, o Vermelhão foi comprado pela casa do Azulão e do Morcego. Entre altos e baixos, conseguiu chegar a 2012 e ganhou uma nova versão pelas mãos de Geoff Johns. Foi essencialmente com base nesta fase que os roteiristas de Shazam! (2019) se basearam para escrever o filme. Um clarão no céu da Warner/DC.

Assinado por David F. Sandberg (o mesmo de Quando as Luzes se Apagam e Annabelle 2: A Criação do Mal) Shazam! é definitivamente o “diferentão para ser amado” desse Universo cinematográfico, com a Warner/DC experimentando uma fórmula atípica para a sua grade de filmes majoritariamente sombrios. Em Aquaman, lançado menos de quatro meses antes, um primeiro teste de mudanças foi realizado, com um bom resultado visual e narrativo, mesmo que não livre de problemas. Em Shazam!, o teste assumiu o caráter de reinvenção, agora não mais buscando o humor através da bizarrice pura e simples e dentro de um enredo desgovernado, tal qual Esquadrão Suicida. Em primeiro lugar, o texto de Henry Gayden e Darren Lemke não tem vergonha absolutamente nenhuma de ser aquilo que a adaptação de um quadrinho sobre um adolescente que vira super-herói poderia ser. E convenhamos que abraçar os próprios personagens e confiar no projeto pelo que ele é — como claramente a Warner/DC está fazendo com este filme (notem a total liberdade diante do embargo para a publicação de críticas, por exemplo) — já é um largo passo para fazer a coisa começar bem.

E “começar bem” é algo ironicamente adotado pela produção nesse filme, em termos de tonalidade da história, dos personagens e da fotografia. Para os desafetos do título desde o trailer, o estúdio entrega brevemente a DC-padrão, apenas de brincadeira, marcando território na apresentação de um personagem como se aquilo fosse inteiramente a base do filme. Para quem conhece o Universo da antiga Terra-S, há até um pequeno susto na concepção de uma mitologia em todo o bloco inicial (eu desgostei da proposta, no início, mas depois abracei a ideia), até que a direção nos faz entender a jogada e finca o pé entre o que poderia ter sido e o que será Shazam!. Sandberg disse em entrevistas que Quero Ser Grande (1988) e Stranger Things (2016) são duas grandes inspirações gerais para o filme e esta é a mais pura verdade. Vejam bem, quando usei a palavra “reinvenção” para definir o caráter deste longa, eu estava falando justamente em relação ao que a gente conhece das coisas que a DC trouxe para o cinema e o que esta presente obra nos traz. Shazam! é um filme que não se apega à necessidade patológica de mostrar os grandes Deuses-DC em ação soturna. Os produtores não interfeririam na toada familiar, cômica (especialmente em piadas visuais, mas com boas sacadas literais também) e emotiva que formam a trama. E o que isso nos traz?

Essencialmente nos traz alegria. O filme se constrói sob uma gangorra de dramas familiares e comportamento adolescente que, a despeito de nos incomodar em alguns pontos (uma certa cena de exibição arrogante e algumas conveniências diante do uso de poder do protagonista que até me fizeram pensar: “por que diabos deixaram isso aqui em um enredo tão delicioso?”) jamais permite que a obra caia de sua alta posição calorosa e complicada para laços familiares. Esse núcleo é de imensa importância para o arco do vilão, o Dr. Thaddeus Silvana, vivido em bom tom por Mark Strong. É em torno dele que a maravilhosa bobagem heroica do filme irá se desenvolver, inclusive com a discussão dos valores básicos que formam um herói e da força que uma família unida pode ter. O clichês bonitinhos de moralidade familiar passam por diferentes nuances aqui, até porque a negativa posição de Billy em relação à instituição é conhecida desde o primeiro trailer. E para guiá-lo nessa nova forma de olhar o mundo e as pessoas em volta, a gente tem o incrível Freddy Freeman, maravilhosamente interpretado por Jack Dylan Grazer.

Eu não vou cair na besteira de dizer que Grazer, em algumas (muitas?) vezes chega a apagar o Billy Batson de Asher Angel, que também faz um trabalho muito interessante na criação de um adolescente negativamente marcado pela vida, carrancudo e ressentido que aos poucos aprende o quão bom é ser amado e ter a quem amar. Mas Grazer, em algumas (muitas?) vezes chega a apagar o Billy Batson de Asher Angel. Como o roteiro captura com muita precisão as personalidades e a direção de atores faz a gente curtir a excelente química do principal trio masculino, Billy acaba passando por uma jornada de intensas transformações, enquanto Freddy — definitivamente o meu personagem favorito da obra — é o guia moral e técnico dele, estando inteiramente engajado em fazer com que o novo herói da área descubra seus poderes e, principalmente, entenda os valores envolvidos na frase “eu sou um super-herói”. Aí entra em cena Zachary Levi, como Shazam, mais outra grande escalação da obra.

Levi abraça efusivamente o seu personagem e os primeiros 10 minutos dele transformado pela primeira vez são um verdadeiro presente o espectador. No miolo da fita, que é onde eu encontro alguns obstáculos no desenvolvimento da história (especialmente para vilão e efeitos), a atuação de Levi perde um pouco da genuína exposição de um adolescente no corpo de um adulto, mas a passagem por esses espinhos é bem rápida e está cercada de coisas que nos chamam a atenção pelo caráter amedrontador e pelos já citados motivos que fazem este filme ser tão caloroso e tão gostoso de se ver. Se um ponto não tão bom aparece aqui, a mesma sequência nos traz seis outros ótimos acontecimentos para prestar atenção, de modo que os problemas acabam sendo diminuídos por tudo o que a obra tem de positivo para nos oferecer. Aliás, se o leitor conhece a versão de Shazam nos Novos 52, pode esperar para ser mimado até o último instante da projeção.

No meio de tanta seriedade, quase-realismo e jornadas épicas no atual Universo dos super-heróis nos cinemas, Shazam! adota uma marca que não se ressente de ser bobona, de ser para a família ou para qualquer um que tenha um coração batendo no peito e se permite duas horas de diversão com o mal e o bem enfrentando-se num trânsito de olhar adolescente para adulto. Trata-se de uma obra diferente para a DC, uma aposta diante da qual estão muito confiantes, e com razão. Da trilha aos figurinos, da abordagem vilanesca (com boas surpresas) ao enfrentamento com um garoto que não queria ser herói (também com boas surpresas, especialmente no final), a obra nos faz respirar leveza e apresenta uma comédia adolescente que respeita os quadrinhos, que não inventa caminhos para tentar tornar tudo mais importante do que é, satisfazendo-se com o bom material que tem em mãos e que certamente vale muito a sessão. Como crítico, minha avaliação final para a fita acabou sendo três e meio (quase dei quatro!), mas a criança feliz que mora em mim simplesmente vê brilhar uma constelação inteira para esse filme. Um verdadeiro clarão no céu da Warner/DC… SHAZAM! ⚡

ATENÇÃO!: Existem duas pequenas cenas pós-créditos!

Shazam! (EUA, 2019)
Direção: David F. Sandberg
Roteiro: Henry Gayden, Darren Lemke
Elenco: Zachary Levi, Djimon Hounsou, Michelle Borth, Mark Strong, Jack Dylan Grazer, Adam Brody, Meagan Good, Asher Angel, Marta Milans, Ross Butler, Lovina Yavari, Grace Fulton, John Glover, Stephannie Hawkins, Cooper Andrews, Natalia Safran, D.J. Cotrona, Evan Marsh, Ava Preston, Faithe Herman
Duração: 132 min.

Você Também pode curtir

76 comentários

Nicolas Dias 29 de junho de 2019 - 01:02

Ora, ora, parece que o jogo virou, e o crítico prepotente agora também recebe da Warner/DC para elogiar os seus filmes. Certeza que em breve um grupo hacker irá expor suas atividades de venda de críticas através do seu rastro de bitcoins, recebi essa informação em uma corrente de Whatsapp, aguarde, sua hora irá chegar.

Polêmicas a parte, assisti esse filme com poucas expectativas e descompromissado, mais por conta do Zachary Levi (saudades Chuck), e que grande surpresa. O filme é muito fora da curva da identidade que Warner/DC vem adotando, ele não força a barra para ser um arrasa quarteirões e dizer para Marvel, “olha eu também sei fazer filme de herói bem sucedido”. Justamente por isso ele consegue ser um filme bem sucedido, é um filme que adota e reconhece sua identidade descompromissada, que capta o melhor de seu material fonte, e entrega uma aventura divertida e prazerosa, que consegue dialogar com a criança interior de cada adulto. Muito bom o filme, gostei bastante, ótima crítica também Luiz, sendo pago ou não, você escreve muito bem, abraços.

Responder
Acepipe Santi🐂GADO, O PARCIAL 29 de junho de 2019 - 04:13

Quero dizer que não me lembro de bitcoin nenhum, não me lembro de mensagem nenhuma, tudo o que eu fiz foi para manter a imagem da crítica de cinema no BrBr. Não vejo nenhum problema em trocar mensagens com a Warner/DC enquanto falo bem dos filmes deles e coloco os filmes da Marvel na geladeira. Ação normal de qualquer crítico, pô. Agora dá licença que o Surubeiro Soft vai me galardoar com um notebook de ouro, a maior honraria do Ramphastos Toco, a terra da Síndrome de Estocolmo, e a partir de agora as minhas críticas (PARCIAIS, COF COF) serão escritas nessa maravilha dourada da tecnologia. Sou um crítico honesto, tá vendo?

Mano que bom que tudo gostou! Esse filme é uma delicinha, realmente sai fora da curva do que a gente espera da produtora e que se abraça como é. Os filmes da DC em momentos recentes (exceção a MM e Aqua) parecem ter vergonha do que são. De seus personagens. De colocá-los fazendo o que fazem há anos nos quadrinhos e que dá certo, que fazem esses personagens serem legais. E olha aqui Shazam fugindo disso e abraçando aquilo que realmente é. Isso faz toda a diferença aqui mesmo.

Abração, meu querido!

Luiz, o vendido ilibado

Responder
Lucas Casagrande 26 de abril de 2019 - 10:11

Filme bem legal

Diria q é o melhor filme de super heroi q ja vi a utilizar tom leve e de humor, piadas na hora certa e sem exagero, vilão decente e historia bem inspiradora

Um dos melhores filmes se não o melhor filme solo de heroi dessa decada

Responder
Luiz Santi🦎Zilla 26 de abril de 2019 - 16:17

É um charme de filme. Eu fiquei muito feliz com ele, adorei essa representação cômica e a forma como essa complexação relação de herói-criança foi colocada. É de fato um dos melhores…

Responder
Gazy Andraus 26 de abril de 2019 - 02:22

Filme muito fraco. Cansa do meio ao fim. Uma das cenas pós-crédito é honrosa.

Responder
Luiz Santi🦎Zilla 26 de abril de 2019 - 05:17

tendi

Responder
Jason Mota 3 de abril de 2019 - 12:19

Agora é a vez da DC!

Responder
Luiz Santi⚡GADO 3 de abril de 2019 - 13:44

ALELUIA!!!

Responder
Roger Jr 28 de março de 2019 - 16:21

Eu só não consigo ver este Shazam junto com o resto dos heróis da DCU. Acho que colocaram os tons dos filmes em opostos muito distantes.

Responder
Luiz Santi⚡GADO 28 de março de 2019 - 16:42

Já que pensa assim, vem a curiosidade: que implicações, na sua opinião, isso tem para o Universo da DC nos cinemas?

Responder
Leonardo Lima 1 de abril de 2019 - 14:41

Na minha opinião, os irmãos Russo já provaram que é possível sim juntar heróis com características diferentes no mesmo filme. Basta uma boa direção.

Responder
Glaydson Melo 1 de abril de 2019 - 19:08

Já podemos ter a Liga cômica nos cinemas 😀

Responder
Luiz Santi⚡GADO 1 de abril de 2019 - 19:08

Né.

Responder
Henry Cavill 007 28 de março de 2019 - 10:24

Adorei o texto, mau posso esperar pra assistir o filme semana que vem. O descompasso entre o Billy adolescente e adulto que você aponta, eu já estava desconfiando pelos trailers, mas que bom que não atrapalhou demais. É sempre bom ver que após vários tropeços, a Warner está acertando nas novas produções da DC. Deixar a New Line supervisionar a produção dos filmes está rendendo bons frutos, agora vamos torcer pra Coringa e Aves de Rapina não quebrarem a boa maré de filmes.
Mais um filme da DC aclamado, esse momento é dos DCnautas. https://uploads.disquscdn.com/images/173e98c7f22147e482020216792908d5a31f77e86b0ad75c0196ccb89a5d8ccd.gif

Responder
Luiz Santi⚡GADO 28 de março de 2019 - 10:37

DCnautas enfim, tendo um pouco de felicidade, não é? A gente merecia isso!!! HAAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH

Responder
Henry Cavill 007 28 de março de 2019 - 10:53

Amém, espero que agora saiam filmes de outros personagens como Tropa dos Lanternas Verdes, Mulher Gavião, Sociedade da Justiça da América e outros.

Responder
Luiz Santi⚡GADO 28 de março de 2019 - 12:22

AGORA a gente pode começar a sonhar, né! Porque antes, eu tinha até medo em pensar qual seria o próximo filmes deles. ÇOKORRRRR

Responder
Henry Cavill 007 28 de março de 2019 - 13:22
Luiz Santi⚡GADO 28 de março de 2019 - 15:35

#QUERO #AMO

planocritico 28 de março de 2019 - 16:42

Esses passarinhos têm potencial de ficarem ridículos no cinema…

HAHAAHAHHAHAAHAHAHAHAHAH

Abs,
Ritter.

William O. Costa 28 de março de 2019 - 04:18

Baita crítica boa! Embora tenha sido meia estrela do que eu esperava pelas primeiras impressões que havia lido, o texto em si me deu ainda mais vontade de ver. Não é perfeito, mas parece não deixar de ser incrível.

Responder
Luiz Santi⚡GADO 28 de março de 2019 - 06:57

Obrigado, meu caro, @WilliamAbsoluto:disqus! É como eu disse, quase dei 4, mas o filme tem alguns problemas que meu lado crítico não pode deixar passar e considerar. Mas como fã do personagem e como espectador, foi uma sessão que me deixou feliz pra caramba. Gostei demais!

Responder
Isac Marcos 28 de março de 2019 - 01:59

Bacana ver que a DC está conseguindo avançar nas telonas após alguns tropeços, todos nós fãs dos quadrinhos/heróis ganhamos com isso.
Tô bem ansioso pra ver, Phoda é tentar comprar ingresso e descobrir que de 59 salas que vão exibir o filme na estreia e nas 2 semanas depois, apenas 4 são 2D, o resto todo em 3D (isso no RJ, capital). Não curti essa distribuição, pois odeio cinema 3D, com filmes legendados (prefiro áudio original), fica pior ainda. Que Salomão, Hércules, Atlas, Zeus, Aquiles e Mercúrio ajudem! ⚡⚡⚡

Responder
Luiz Santi⚡GADO 28 de março de 2019 - 07:00

Força e fé nesses seus 12 Trabalhos de Hércules para encontrar horário e sala bons para ver o filme. Também não gosto de 3D, com exceção às obras que são originalmente concebidas para esta tecnologia e filmadas com ela (que são beeeem poucos). DETESTO COM TODAS AS FORÇAS DA MINHA ALMA os filmes convertidos para 3D (maioria esmagadora).

Responder
Junito Hartley 28 de março de 2019 - 00:11

Vale pena ver no cinema? Ta ligado que tem Endgame, entao nao posso gastar grana a toa, ou devo esperar pra ver na sala de casa?

Responder
Luiz Santi⚡GADO 28 de março de 2019 - 07:00

Se você estive pensando em um condicional: Shazam OU Endgame, então eu sugiro que escolha o segundo e deixe Shazam para ver em casa. Porque dentre os dois, embora não tenha visto Endgame, a possibilidade de a Marvel cagar nesse filme é bem pequena e tem aí a emoção do fim de uma Era inteira de heróis nos cinemas. Então se for para escolher o filme de origem ou um filme que finaliza uma fase de um Universo já bem estabelecido, escolha o segundo sem medo.

Responder
Lucas Mendes 27 de março de 2019 - 19:41

Nossa, se eu já estava ansioso pra ver o filme, consegui ficar mais ainda! O Jack Dylan Grazer já era um prodígio desde a versão de 2017 de “It: A Coisa”, então é bom ver que o talento nem precisa dizer porque transparece. E desde muito tempo que o Zachary Levi tava com uma chance pra se mostrar um protagonista incrível – nada mais justo que ser com o Shazam. No mais, uma ótima crítica e semana que vem estarei lá para assistir!

Responder
Luiz Santi⚡GADO 28 de março de 2019 - 07:24

Muito obrigado, queridão! Esse filme tá cheio de boas surpresas, cheio de boas interpretações. Depois me diz o que achou!

Responder
Nero 27 de março de 2019 - 19:13

Ranqueando o DCEU, esse filme ficaria em que posição para você?

Responder
Luiz Santi⚡GADO 27 de março de 2019 - 19:45

Terceiro lugar, considerando:

1º Mulher-Maravilha
2º Homem de Aço
3º Shazam

Responder
planocritico 27 de março de 2019 - 21:01

Mas como aquela MARAVILHA do Esquadrão Suicida não está em primeiro lugar????????????????

MELHOR FILME DO MUNDO!!!

Abs,
Ritter, o Maior Fã do Amarra.

Responder
Luiz Santi⚡GADO 27 de março de 2019 - 22:05

Segura que ele tá com a corda toda hoje!!! Liberaram chá de cogumelos na caverna onde ele mora!!!!

Responder
William O. Costa 28 de março de 2019 - 04:18

Caramba! Se eu fosse fazer um “top 3” do DCEU (sem contar o Shazam, já que ainda não vi, mas espero que fique em 1º ou 2º pra mim) seria mais como:

1º Aquaman
2º Liga da Justiça
3º Mulher-Maravilha

Mas eu vejo muito sentido nesse ranking também.

Responder
Diogo Marques 3 de abril de 2019 - 01:27

Já que e pra fazer lista, vou atualizar a minha também:

1° Batman vs Superman
2° Mulher Maravilha
3° O Homem de Aço
4° Shazam!
5° Aquaman
6° Liga da Justiça
7° Esquadrao Suicida

Responder
Luiz Santi⚡GADO 3 de abril de 2019 - 09:19

Caramba, você gostou muito de BvS, hein!!!

Responder
Arthur Morgan (the Joker) 27 de março de 2019 - 14:39

Uma pergunta , estavam elogiando a trilha sonora , é realmente boa?

Responder
Luiz Santi⚡GADO 27 de março de 2019 - 14:57

É uma boa trilha sim, tanto a incidental quanto as escolhas externas!

Responder
Arthur Morgan (the Joker) 27 de março de 2019 - 14:39

O cgi de um filme de 90 milhões ficou melhor que muito filme de grande orçamento (ne liga da justiça e capitã marvel).

Responder
Luiz Santi⚡GADO 27 de março de 2019 - 14:57

Vou pegar minha pipoca aqui hahhahahahahahahahahahahah

Responder
Luiz Santi⚡GADO 28 de março de 2019 - 06:57

Tô igualzinho!!! 😀

Responder
Luiz Santi⚡GADO 27 de março de 2019 - 14:57

Vou pegar minha pipoca aqui hahhahahahahahahahahahahah

Responder
𝕵𝖆𝖈𝕶 ⚡𝖎𝖑𝖘𝖆𝖓 27 de março de 2019 - 15:10

(né Pantera Negra).

Responder
Kurth 27 de março de 2019 - 14:38

Estava esperando esta crítica aqui, vim mais rápido que pude rsss. Agradeça a Stella, graças a ela conheci o planocritico.

Responder
Luiz Santi⚡GADO 27 de março de 2019 - 14:57

@disqus_9KZLz8G0wg:disqus é uma das nossas parças incríveis já há algum tempo! Maravilhosa!
O bom de a gente ver filme na cabine e não ter embargo é isso: a crítica sai rápido. A Warner chegou ao cúmulo que botar embargo, no passado até 3h antes do lançamento do filme nos cinemas… Absurdo mesmo… A prova que realmente estão confiando em Shazam é isso! Nem embargo botaram!

Responder
Kurth 27 de março de 2019 - 15:25

Dia 6 vou ver 🙂

Responder
Stella 27 de março de 2019 - 13:51

Crítica excelente. DCnauta imparcial, amo demais. Eu não estava animada para assistir, e fui mudando de ideia, agora vou assistir na estréia dia 4 kkkk

Responder
Luiz Santi⚡GADO 27 de março de 2019 - 14:08

Muito obrigado, @disqus_9KZLz8G0wg:disqus! E fico torcendo para que você se divirta bastante no cinema! 😀

Responder
Anônimo 27 de março de 2019 - 13:50
Responder
Luiz Santi⚡GADO 27 de março de 2019 - 14:06

@disqus_um6Fb2VhOQ:disqus

Diversão garantidíssima! Depois volte pra dizer se gostou do filme, quais personagens te agradou mais e o que não gostou também! Abraço!

Responder
Anônimo 27 de março de 2019 - 14:06
Responder
𝕵𝖆𝖈𝕶 ⚡𝖎𝖑𝖘𝖆𝖓 27 de março de 2019 - 12:41

O Freddy de Jack Dylan Grazer já era meu personagem favorito desde o primeiro trailer, e essa crítica apenas endossa minha primeira impressão. Pena que ele não usa a clássica capa vermelha. Contando os segundos pra conferir a estréia do Capitão “Shazam” Marvel nas telonas!

Responder
Luiz Santi⚡GADO 27 de março de 2019 - 12:55

Esse moleque está demais no filme! Espero que se divirta na sessão tanto quanto eu!

Responder
Luiz Santi⚡GADO 27 de março de 2019 - 11:38 Responder
ABC 27 de março de 2019 - 10:09

Mas já? Nem tem a critica do elefante e já saiu a critica dum filme da semana seguinte…

Ô Ritter, vamos pôr ordem nesse cronograma aí. O Santigado tá querendo se afastar do resto da boiada.

Saudações.

Responder
Luiz Santi⚡GADO 27 de março de 2019 - 10:32

Já!!! Ou Shazam tem prioridade aqui ou eu não sou Santigado!

Responder
ABC 27 de março de 2019 - 14:24

Pensa que eu não sei que é a AT&T quem está pagando ração melhor, sela e polimento nos cascos e nos chifres… Por isso o boicote ao pobre do elefantinho orelhudo.

A “caninofobia” do Gabriel já se desenvolveu para as outras personalidades e se transformou em “elephasfobia” tbm.

Saudações.

Responder
Luiz Santi⚡GADO 27 de março de 2019 - 14:58

HAUHAUAHUAHAUHAUAHAUHAHAUHAUHAUAHUAH

É que a gente é propineiro!!! A Disney tá atrasando muito o nosso pagamento aí não dá pra dar prioridade!!!

Vamos só esperar a nota que o Sr. Gabriel vai dar pro orelhudo…

Responder
planocritico 27 de março de 2019 - 15:25

Mas tem um detalhe importante: o Capitão Marv… digo, Shazam é da Disney oras! Tudo é parte da publicidade do personagem que vale mesmo e que teve seu filme já lançado há pouco. É que nem o Batman: claramente um personagem da Marvel.

HAHAHAHAHAAHHAHAHAAHHAHAAHHAAH

Abs,
Ritter.

Luiz Santi⚡GADO 27 de março de 2019 - 15:41

HERESIA!!!

William O. Costa 28 de março de 2019 - 04:30
Luiz Santi⚡GADO 28 de março de 2019 - 07:00

HAAHHAHAHAHHAHHAHA esse é o próprio Ritter!

Luiz Santi⚡GADO 27 de março de 2019 - 14:58

HAUHAUAHUAHAUHAUAHAUHAHAUHAUHAUAHUAH

É que a gente é propineiro!!! A Disney tá atrasando muito o nosso pagamento aí não dá pra dar prioridade!!!

Vamos só esperar a nota que o Sr. Gabriel vai dar pro orelhudo…

Responder
planocritico 27 de março de 2019 - 11:03

A baderna que o SantiGADO faz lá no curral dele ele está tentando fazer no site… Terei que confiscar o sino que ele usa em volta do pescoço em represália…

Abs,
Ritter.

Responder
Luiz Santi⚡GADO 27 de março de 2019 - 11:38

MUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU

Responder
Huckleberry Hound 27 de março de 2019 - 09:17

Sinceramente,eu sinto falta de Zack Snyder adorava o estilo sombrio!

Responder
Luiz Santi⚡GADO 27 de março de 2019 - 09:26

Eu odiaria ver um Shazam sombrio, pra falar a verdade. Mas gosto do Snyder.

Responder
planocritico 27 de março de 2019 - 17:23

Shazam sombrio = Adão Negro.

E olhe lá!

Abs,
Ritter.

Responder
John Locke 27 de março de 2019 - 09:17

Fala, Luiz!!
Cara, estou querendo ver em IMAX, tu acha que vale a pena?

Responder
Luiz Santi⚡GADO 27 de março de 2019 - 09:27

Eae @disqus_UrTI0nUrF3:disqus! Cara, sinceramente, não vale, a não ser que você queira muuuuuuuuuuuuuuuuito, não é o filme esteticamente virtuoso que mereça o ingresso bem mais caro do IMAX. Ele vale o ingresso, mas esse já é demais hahahhahhahahahahaha

Responder
John Locke 27 de março de 2019 - 10:09

Valeu, Cara!!
Verei em um cinema convencional mesmo hehe

Responder
Luiz Santi⚡GADO 27 de março de 2019 - 10:32

Depois vem dizer o que tu achou!

Responder
John Locke 27 de março de 2019 - 12:42

You’re Godamn Right!

Gabriel Carvalho 27 de março de 2019 - 02:03

Foi na pré-estreia, chefão! Surpreso de ver esse texto surgir agora! Tomei um susto. Respondida a pergunta que te mandei privadamente então.

Responder
Luiz Santi⚡GADO 27 de março de 2019 - 03:01

Toma um suquinho de limão pra acordar do susto!

Respondi lá, ninfeto!

Responder

Escreva um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais