Crítica | Special – 1ª Temporada

Special-Netflix-Series-Ryan-OConnell-2019 Plano Crítico Netflix Serie

Special, série da Netflix que estreou em 12 de abril de 2019, tem como base as memórias I’m Special: And Other Lies We Tell Ourselves, lançadas em 2015, por Ryan O’Connell. O autor também está no comando da série, sendo o criador, um dos produtores, roteirista e personagem principal. A trama da série nos faz acompanhar, ao longo de oito pequenos episódios, a história de Ryan, “um homem gay com paralisia cerebral leve que decide reescrever sua identidade e finalmente ir atrás da vida que ele quer”.

Um ponto que nos chama a atenção desde muito cedo é o humor adotado pelo showrunner, falando de sua paralisia cerebral através de um personagem que tem, como qualquer outra pessoa, falhas e acertos, bons e maus momentos na vida. Como os episódios são bem curtos, entre 12 e 17 minutos, temos a impressão de uma abordagem em formato de crônica, pensada com cuidado para o mundo digital, o que dá certo imediatismo às histórias e faz com que a construção dos personagens se dê através do cotidiano deles, não como um arco pouco a pouco desenvolvido numa “grande temática de temporada“.

Os textos olham para Ryan em todos os aspectos de sua vida, inclusive na forma como o personagem tenta fazer com que sua paralisia cerebral não seja o tema exclusivo das conversas ao seu redor, e que possa então ter independência e fazer as coisas que pessoas sem essa condição fazem. Logo no início descobrimos que ele é gay e uma interessantíssima camada narrativa é adicionada à série, uma linha que explorará com bastante sucesso os preconceitos das mais diversas ordens dentro da comunidade LGBT (especialmente o culto ao corpo e todas as outras questões que vem com esse olhar); a libido e as sexualidades (masculina e feminina) em diferentes idades e a busca de cada um para ser feliz. Um dos desafios do protagonista é se inserir no mundo real, sem a proteção ou constante vigilância da mãe, e é por seu olhar que revemos os inúmeros problemas que nos cercam diariamente.

Laços familiares, amorosos e fraternos são também uma temática dos roteiros, temas beneficiados pelo “formato Youtube” do programa. A direção de Anna Dokoza não se altera muito ao longo dos capítulos, mas temos bom uso de música, trabalho da fotografia, dos figurinos e direção de arte para marcar as comemorações, a passagem do tempo e até mesmo os avanços e retrocessos emocionais dos indivíduos, levando aí em consideração o fato de que a série começa com uma aberta comédia sobre inserção e aceitação e vai se tornando cada vez mais intensa, discutindo feridas profundas entre mãe e filho e trabalhando problemas emocionais ligados à co-dependência, baixa autoestima, auto-boicote, e alguns outros comportamentos de pessoas que não estão bem consigo mas se forçam para parecer disponíveis e ajudar os outros… ou para exibir uma máscara de vitórias e felicidade que nem de longe corresponde à realidade.

Há uma beleza e ternura doloridas em Special. Os episódios são escritos com tamanha naturalidade, que vemos a possibilidade (ou mesmo um espelho) com diversas situações que vivemos ou ouvimos falar, das coisas mais simples, como a tentativa de um filho construir sua própria vida; às mais complexas, como a quebra de um laço entre mãe e filho, numa discussão onde verdades muito duras e cruéis são ditas. O último episódio da série é de partir o coração e chocar um pouco, especialmente porque o público não espera esse tipo de abordagem no show, algo que também podemos dizer das pisadas na bola que Ryan dá ao longo do seu processo de inserção no mundo… os constantes tropeços de um ser humano a tentar, sempre e sempre, ser uma pessoa melhor. À parte alguns núcleos coadjuvantes que parecem bem soltos em relação ao projeto como um todo, Special é uma rápida e incrível série do tipo slice of life sob o ponto de vista de alguém com uma notável dificuldade física de se encaixar facilmente no mundo. Imperdível.

Special – 1ª Temporada (EUA, 12 de abril de 2019)
Criador: Ryan O’Connell
Direção: Anna Dokoza
Roteiro: Ryan O’Connell
Elenco: Ryan O’Connell, Patrick Fabian, Marla Mindelle, Christopher Lee Herod, Gina Hughes, Dwaylan Applewhite, Sean Koetting, Cameron Wofford, Ryan O’Connell, Jessica Hecht, Punam Patel, Augustus Prew, Brandon Potter, Carson White, Randy E. Aguebor, Brian Jordan Alvarez, Devin Bonnée, Samantha Lee, Avery Merrifield, Kat Rogers, Jason Michael Snow
Duração: 12 a 17 minutos

LUIZ SANTIAGO (Membro da OFCS) . . . . Depois de recusar o ingresso em Hogwarts, fui abduzido pelo Universo Ultimate. Lá, tive ajuda do pessoal do Greendale Community College para desenvolver técnicas avançadas de um monte de coisas. No mesmo período, conheci o Dr. Manhattan e vi, no futuro, Ozymandias ser difamado com a publicação do diário de Rorschach. Hoje costumo andar disfarçado de professor, mas na verdade sou um agente de Torchwood, esperando a TARDIS chegar na minha sala de operações a qualquer momento.