Crítica | Star Wars Resistance – 1X21: No Escape: Part Two

A primeira temporada de Star Wars Resistance chegou ao fim com a segunda parte do episódio intitulado como No Escape. Antes de comentar sobre a narrativa, gostaria de dizer que a segunda parte contém toda a ação do especial de 40 minutos. Esses dois últimos episódios foram feitos para serem veiculados juntos, não sei qual foi a intenção Disney em separá-los.

A narrativa se segue com Kaz vendo a destruição de seu planeta, que também é o planeta da República. Mas não há muito tempo para lamentar, o menino e Tora continuam com a sua missão de salvar Yaker e Capitão Doza. A reação de Kaz ao ver toda a sua família destruída é um pouco singela, por pouco tempo ele realmente sente a dor de ter perdido tudo o que conhecia. Entende-se que a trama deve seguir em frente, e o tempo de apenas 20 minutos é muito pouco para “gastar” com as lamúrias de um personagem. Espero que na segunda temporada tenhamos a oportunidade de ver Kaz sentir mais suas perdas.

Neeku está na sala de controle junto dos “mecânicos tartarugas” e desenvolve um plano que, no princípio parece um pouco bobo, mas que no final nos entrega algumas cenas interessantes. Ele decide isolar os troopers da Primeira Ordem em determinados locais da estação e, quando Kaz der o sinal, ejetá-los por meio da inundação parcial dos corredores da Colossus. É claro que a literalidade de Neeku dá um dinamismo à cena, esse artifício foi utilizados durante toda a temporada e ainda continua sendo engraçado.

É interessante notar que durante as duas partes de No Escape vimos diversos troopers morrerem. Isso era algo inédito para Resistance até então, acredito que a ressalva em matar inimigos acontecia pois, até o momento, a Resistência não estava em guerra com a Ordem, a partir de No Escape, e principalmente da segunda temporada, as coisas irão mudar. A guerra finalmente chegou a Star Wars Resistance.

Existe uma personagem que não sabe sobre essa guerra ou sobre a destruição do planeta República, essa personagem é Tam. Preciso dizer que fiquei muito feliz e surpreso quando a menina escolheu ficar com a Primeira Ordem ao invés de seus amigos. É claro que nós sabemos que o caminho mais moralmente correto é que Tam se junte com a Resistência, mas fazer com que ela se vire contra aqueles que ela mais considerava, e entrar para o Regime autoritário, com toda a certeza foi uma das jogadas mais intrigantes de toda essa primeira temporada. Algo bem ao estilo de narrativa de Dave Filoni.

Espero que na segunda temporada, Tam seja uma ponte entre a audiência e a Primeira Ordem. Em nenhum momento na animação vimos como é a vida de um integrante do Regime. Tam pode ser uma forma que os roteiristas de Resistance encontraram de seu público ter algum tipo de afeto para com a Ordem de Snoke.

Quando a Colossus decola, vemos um grande Star Destroyer surgir no horizonte, com ele diversas Tie Fighters começam a atacar a estação. Para defendê-la Yaker, Kaz, Tora e todos os outros pilotos de corrida saem e começam a voar. Durante toda a temporada o time de animação soube entregar muito bem todas as cenas envolvendo naves e, principalmente, velocidade, aqui isso não é diferente.

É claro que, como já era esperado, temos um momento de retorno heróico dos piratas, personagens que eram tidos como violões durante quase toda a temporada. Synara aparece sendo a líder dessa empreitada e no final vemos que a nave pirata embarca e foge junto com a Colossus.

A batalha final ainda tem um grande momento para o nosso protagonista, que faz uma linda manobra para salvar a vida de Yaker. A exclamação do mesmo dizendo que, “essa criança sabe voar” é um dos momentos mais legais de No Escape. Durante toda a parte final dessa primeira temporada vemos Kaz amadurecendo muito, e acredito que essa validação de uma pessoa que sempre o reprovou é uma ótima forma de encerrar esse arco.

A Colossus  finalmente atinge a velocidade da luz e, segundo Neeku, ela pode estar indo para qualquer lugar. Esse final é tão aberto que nos deixa em uma situação que absolutamente tudo pode acontecer. Mas uma coisa é certa, assim como a primeira temporada de Rebels nos levou para longe de Lothal, a segunda temporada de Resistance irá nos levar para longe do planeta onde a plataforma estava.

Desde o começo do primeiro episódio venho falando que Dave Filoni e sua equipe de produtores, animadores, diretores e roteiristas sabem construir uma narrativa seriada. Com o encerramento da primeira temporada de Star Wars Resistance consigo ver o porque de todos aqueles momentos que presenciamos uma narrativa muito infantil. Assim como em Rebels e Clone Wars, a nova série animada de Star Wars nos entrega uma narrativa que explora um lado pouco mostrado durante os longas da Saga.

Que venha a segunda temporada, e que Dave Filoni continue a ser um produtor que pouco se importa com as críticas negativas, pois ele sabe exatamente aquilo que está fazendo.

Star Wars Resistance – 1X21: No Escape: Part Two (EUA, 17 de Março de 2019)
Criado por: Carrie Beck, Dave Filoni, Kiri Hart
Direção: Saul Ruiz
Roteiro: Brandon Auman
Elenco: Christopher Sean, Scott Lawrence, Josh Brener, Suzie McGrath, Bobby Moynihan, Jim Rash, Donald Faison, Myrna Velasco, Lex Lang, Stephen Stanton, Mary Elizabeth McGlynn, Diedrich Bader, Rachel Butera, Oscar Isaac.
Duração: 22 minutos.

PEDRO CUNHA . . . Com corpo e alma de Hobbit, sou um eterno Padawan e aprendiz. Amigo dos ursos, dos elfos e das águias. Nativo de Krypton e apreciador da sétima, nona e de TODAS as artes. Quando tentado sempre rebato; "sou um Jedi, como meu pai antes de mim".