Home TVEpisódio Crítica | Star Wars: The Bad Batch – 1X02: Saída às Pressas

Crítica | Star Wars: The Bad Batch – 1X02: Saída às Pressas

por Ritter Fan
1158 views (a partir de agosto de 2020)

  • spoilers. Leiam, aqui, as críticas dos demais episódios da série.

Dave Filoni perdeu a oportunidade de criar uma boa estirada de episódios para estabelecer a premissa e os personagens principais de The Bad Batch, mesmo tendo começado com Depois do Fim que é, essencialmente, um longa metragem. No lugar de continuar com a tensão da fuga dos três clones mutantes, do clone ciborgue e de Omega, a versão feminina e ainda bem jovem deles, talvez até pegando emprestada a magnífica maneira como Ronald D. Moore continuou sua minissérie reboot de Battlestar Galactica com o episódio 33, o inventivo showrunner jogou muito seguro demais com Saída às Pressas e entregou um capítulo que deixou a narrativa esfriar.

Não que seja o fim do mundo, claro, mas talvez tenha sido cedo demais lidar com a relação pai e filho que todos nós sabíamos que mais cedo ou mais tarde aconteceria entre Hunter e Omega. E a maior razão para isso é muito simples: pouco sabemos dos dois. Mesmo que o líder dos Mal Feitos já seja conhecido de quem assistiu The Clone Wars, temos que convir que mesmo lá ele foi muito pouco desenvolvido e que, em The Bad Batch, precisávamos de mais para estabelecer essa conexão paternal, até porque Omega acabou de ser introduzida, sem dizer ainda a que veio. Portanto, para realmente fazer o episódio funcionar, ele precisava ter sido mais lá para a frente na temporada.

Da forma como ficou, o resultado foi burocrático na melhor das hipóteses, pois os clones chegando em Saleucami para entender de Cut Lawquane (clone desertor introduzido lá atrás, na 2ª temporada de TCW) como ele conseguiu manter-se escondido esse tempo todo, somente para eles se depararem com uma bela família estabelecida, mas com um problema que providencialmente eles poderiam ajudar resultou em um episódio para lá de artificial, repleto de conveniências cansativas e mais do que esperadas. Claro que foi legal ver Omega deslumbrar-se com sua primeira vez fora de Kamino – mas notem como até isso foi feito a toque de caixa – e, mais ainda, notar as minúcias da transformação da República em Império, algo trabalhado por intermédio da conversão monetária e do controle do trânsito de pessoas e a criação de identidades numéricas únicas, mas esses dois elementos narrativos foram sacrificados por uma história macro banal que tem como pedra fundamental a já citada relação de pai e filha que não contava com uma construção minimamente decente para acontecer nesse ponto.

Além disso – e eu sei que provavelmente serei repetitivo nesse quesito, mas não tem muito jeito – o foco maior em rostos “comuns” como o de Cut, Omega, Suu (Cara Pifko) e as crianças Twi’lek tornam mais berrantes os problemas dos designs de TCW que são repetidos aqui. Há ângulos demais nas feições que tornam os personagens desagradáveis ao olhar, com o CGI em si sendo um tanto quanto picotado, com movimentação muito artificial. Funciona bem para os personagens com armadura ou com rostos muito diferentes do “usual” como são os casos dos clones protagonistas, mas em todo o resto é como ver um game algumas versões anteriores à atual.

E notem que, mesmo com minha “ameaça” de me tornar repetitivo falando do estilo e do CGI de The Bad Batch, a grande verdade é que eu dificilmente daria voz a essa reclamação – que, confesso, tenho desde quando vi o longa inaugural de TCW no cinema – se estivéssemos falando de um episódio com bom roteiro, boa construção de personagens e boas sequências de ação. Imagens muito provavelmente sempre ficarão em segundo plano em situações como essa, mas, em Saída às Pressas, não tem muito jeito e elas se tornam automaticamente salientes e, portanto, incômodas.

The Bad Batch precisa arriscar mais e mais rápido, pois, exatamente por ser uma série em tese “desgarrada” da linha narrativa principal, o que abre muito espaço para Filoni brincar, ao mesmo tempo exige atenção para ela se firmar sem que o espectador menos viciado em Star Wars perca o interesse. Não tenho muitas dúvidas que o showrunner conseguirá novamente, mas episódios como Saída às Pressas tão cedo em uma temporada inaugural nunca é uma boa notícia.

Star Wars: The Bad Batch – 1X02: Saída às Pressas (Star Wars: The Bad Batch – 1X02: Cut and Run – EUA, 07 de maio de 2021)
Criação: Dave Filoni
Direção: Steward Lee
Roteiro: Gursimran Sandhu
Elenco: Dee Bradley Baker, Michelle Ang, Cara Pifko, Kath Soucie, Nika Futterman
Duração: 31 min.

Você Também pode curtir

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais