Home TVEpisódio Crítica | Supergirl – 1X20: Better Angels

Crítica | Supergirl – 1X20: Better Angels

por Ritter Fan
140 views (a partir de agosto de 2020)

estrelas 1

Obs: Há spoilers. Leiam nossas críticas dos episódios da 1ª temporada de Supergirl, aqui.

Não consigo aceitar que os showrunners de Supergirl conceberam um arco macro, cobrindo toda a temporada e envolvendo os kryptonianos de Fort Rozz e o secretíssimo plano Myriad somente para resolvê-lo com uma mais do que piegas mensagem de esperança transmitida a todos os habitantes de National City pela heroína e seus amigos em menos de 10 minutos no começo do episódio de encerramento. Chega a ser uma brincadeira de mau gosto com os espectadores, que foram tratados como criancinhas inocentes em uma narrativa que não tem qualquer credibilidade, suspense ou mesmo um mínimo traço de dramaticidade.

Foram 20 episódios – vejam bem: 20! – de vilões da semana com figurinos que nem cosplayers de primeira viagem fariam, romances de revirar os olhos, efeitos especiais de fundo de quintal e infinitas menções ao Superman para que a resolução final tenha sido essa bobagem que não daria estofo nem para histórias da Era de Ouro de Superman e Supergirl. Seria bem mais honesto se a série tivesse abraçado o formato “vilão da semana” de vez, sem que houvesse um plano maquiavélico maior por trás para prender o espectador. Seria também mais honesto descambar para o romance Barrados no Baile de uma vez, sem criar uma tentativa patética de uma história unificada com vilões misteriosos como Astra e Non. A conclusão a que chego é que ou os showrunners começaram a temporada sem fazer ideia como iriam acabá-la ou eles são só apenas péssimos showrunners mesmo…

Afinal, mesmo que pudéssemos perdoar o desfecho do “arco Myriad” em 10 minutos, não dá para aceitar o que vem depois, com Non, influenciado por Indigo (sou só eu ou aquele figurino dela é constrangedor de ruim?), resolvendo simplesmente matar todos os humanos do mundo, ferindo de morte a lógica do plano original de Astra, que ele, poucos minutos antes, desejava homenagear indo até o fim com a hipnose geral. Isso mostra o quão Non é um vilão inoperante e completamente deslocado da narrativa, um literal zero à esquerda que nunca mostrou a que veio, novamente cortesia de showrunners que só esporadicamente acertaram de verdade, como foi o caso em For the Girl Who Has Everything, Falling e Manhunter.

E, com a trama mais urgente e literalmente mais mortal colocada em funcionamento imediatamente após o encerramento do arco maior, o episódio estranhamente pisa nos freios e faz Kara voltar normalmente ao seu trabalho diário como assistente de Cat Grant, como se nada tivesse acontecido. Aliás, como se nada tivesse acontecido não, pois o roteiro faz a ótima Melissa Benoist passar por momentos absolutamente constrangedores ao retratar Kara, depois que Maxwell Lord lhe diz o óbvio, ou seja, que ela tem poucas chances de sobreviver, despedindo-se de cada um de seus amigos em sucessão, em um dos mais patéticos artifícios para se estender um episódio que já testemunhei em todos esses anos de indústria vital. Revirar os olhos foi pouco. A vontade que deu – quase incontrolável – foi de clicar no fast foward para minimizar a tortura, a vergonha alheia.

Mas o roteiro esburacado vai muito além de momentos como esse. Robert Rovner e Jessica Queller nos pedem para que aceitemos que Superman é carta fora do baralho (custava inventar uma desculpar melhor qualquer?); que o Caçador de Marte fica ferido e deixa de ficar ferido de uma sequência para outra, de acordo com a conveniência da história; que Indigo, um ser que pode se transformar em bits e bytes morre ao ser rasgada ao meio; que o General Lane está satisfeito ao deixar J’onn J’onzz apenas algemado em uma sala comum; que agora a mitologia do Superman/Supergirl não permite que os kryptonianos voem no vácuo por faltar oxigênio e empuxo; que Alex, de repente, não é mais fora da lei e que Supergirl consegue derrotar Non em uma competição de “quem pisca primeiro”… Bem, acho que vocês entenderam, não é mesmo? O roteiro é uma colcha de retalhos mal remendada que não se sustenta nem depois do mais pueril e simplista escrutínio. É como se o objetivo, aqui, fosse mostrar à CBS, de uma vez por todas, que a série não merece ser renovada.

Se o leitor estiver achando que minha avaliação é muito severa, deixe-me então analisar duas breves linhas de diálogo:

Maxwell Lord (explicando o plano B de Non): É como usar uma Uzi em um mosquito.
Alex: E nós somos o mosquito.

Não, Alex, nós somos a Uzi… Repararam na infantilidade da coisa? Não só a comparação que Maxwell Lord faz depois de uma longa e detalhada explicação é absolutamente desnecessária e redundante, como o didatismo do “nós somos o mosquito” de Alex é a prova cabal que os showrunners acham seus espectadores ignorantes o suficiente – ou com uma idade não superior a sete anos – para ter que explicar a eles que, nessa bela e original metáfora, os humanos se equiparam ao mosquito e não à famosa submetralhadora israelense. Haja paciência, não é mesmo?

Mas chega de demolir o episódio. Afinal, tem coisa que preste nele, não? Humm, talvez… Procurando bem lá no fundo, pode ser.

Há sim, na verdade. Os efeitos especiais, aqui, foram bem superiores a tudo o que veio antes. Desde a luta entre Supergirl e Alex (se, claro, aceitarmos o providencial exoesqueleto que a faz ficar tão forte quanto a irmã e que tem kryptonita que – pasmem – liga e desliga!) passando pela luta final envolvendo a heroína, o Caçador de Marte, Indigo e Non, até Supergirl levantando Fort Rozz, tudo pareceu funcionar bem para uma série de TV, demonstrando, talvez, que a produtora tenha feito economia antes nesse quesito apenas para poder gastar um pouco mais no encerramento.

Falando em encerramento, o que foi aquele cliffhanger? Completamente desnecessário em primeiro lugar, mas, principalmente, tão externo à trama que pareceu algo imaginado no último segundo por roteiristas que se esqueceram que os showrunners haviam encomendado um final aberto. Justamente por parecer aleatório que ele não cria suspense e não levanta sobrancelhas de curiosidade. Ele apenas está lá gratuitamente, sem conexão aparente ao que veio antes para dar impressão de outra trama maior ainda. Só falta pular o Krypto lá de dentro…

Better Angels, infelizmente, encerrou a primeira temporada de Supergirl, uma série que prometia muito, de forma amadora e completamente desinteressante, anticlimática mesmo. Mesmo com todo o charme e capacidade de atuar de Benoist, não há quem aguente tanta bobagem em um lugar só.

Supergirl 1X20: Better Angels (EUA, 18 de abril de 2016)
Showrunner: Andrew Kreisberg, Greg Berlanti, Ali Adler
Direção: Larry Teng
Roteiro: Robert Rovner, Jessica Queller (baseado em história de Andrew Kreisberg e Ali Adler)
Elenco: Melissa Benoist, Mehcad Brooks, Chyler Leigh, Jeremy Jordan, David Harewood, Calista Flockhart, Peter Facinelli, Laura Benanti, Jena Dewan Tatum, Chris Vance, Peter Mackenzie, Malina Weissman, Eric Steinberg, Aaron Lustig, René Ashton, Henry Czerny, Blake Jenner, Tawny Cypress
Duração: 42 min.

Você Também pode curtir

84 comentários

Henrique 7 de agosto de 2016 - 00:18

Perfeita análise; desisto das séries da warner

Responder
planocritico 8 de agosto de 2016 - 12:53

Obrigado, @disqus_p55C2QOUVn:disqus ! E está difícil mesmo aturar essas séries. Mas tem duas baseadas em propriedades DC Comics (bem, tecnicamente Vertigo) que eu tenho gostado muito e uma delas é CW até! A primeira é iZombie (CW) e a outra é Lucifer. Claro, tem Preacher também, mas é um nível muito superior ainda. Temos as críticas das três no site se já não as acompanhar.

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 8 de agosto de 2016 - 12:53

Obrigado, @disqus_p55C2QOUVn:disqus ! E está difícil mesmo aturar essas séries. Mas tem duas baseadas em propriedades DC Comics (bem, tecnicamente Vertigo) que eu tenho gostado muito e uma delas é CW até! A primeira é iZombie (CW) e a outra é Lucifer. Claro, tem Preacher também, mas é um nível muito superior ainda. Temos as críticas das três no site se já não as acompanhar.

Abs,
Ritter.

Responder
Henrique 8 de agosto de 2016 - 19:56

Sim, acompanho Lucifer e Preacher, vou ver como será Powerless, mas me refiro a respeito das séries de heróis da warner, irão tentar mudar algo com Flashpoint, em todas as séries, ao que parece, mas deu pra mim.

Responder
Henrique 8 de agosto de 2016 - 19:56

Sim, acompanho Lucifer e Preacher, vou ver como será Powerless, mas me refiro a respeito das séries de heróis da warner, irão tentar mudar algo com Flashpoint, em todas as séries, ao que parece, mas deu pra mim.

Responder
planocritico 8 de agosto de 2016 - 19:59

Supergirl, The Flash, Arrow e LoT são realmente tenebrosas. E olha que eu achava que Supergirl teria salvação… Se Flashpoint mudar tudo MESMO, vou me surpreender muito. Mas, sinceramente, DUVIDO…

Sobre Powerless, vamos ver… Não levo muita fé não…

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 8 de agosto de 2016 - 19:59

Supergirl, The Flash, Arrow e LoT são realmente tenebrosas. E olha que eu achava que Supergirl teria salvação… Se Flashpoint mudar tudo MESMO, vou me surpreender muito. Mas, sinceramente, DUVIDO…

Sobre Powerless, vamos ver… Não levo muita fé não…

Abs,
Ritter.

Responder
Henrique 23 de agosto de 2016 - 23:01

Pois é, uma grande interrogação sobre essa série, pois ela é de humor, algo fora da linha de pensamento até então da Warner.

Henrique 23 de agosto de 2016 - 23:01

Pois é, uma grande interrogação sobre essa série, pois ela é de humor, algo fora da linha de pensamento até então da Warner.

planocritico 24 de agosto de 2016 - 01:29

Exato. E, como você já deve ter lido, está com problemas de desentendimentos na produção…

Abs,
Ritter.

Henrique 27 de agosto de 2016 - 23:26

Sim, li a respeito disso, e saiu um trailer bem legal até, mas a Warner é mestre em dar uma grande expectativa (hype) em trailers, mas frustrar na hora da exibição. E obrigado por responder, jamais imaginei você me respondendo com tamanha frequência e atenção, agradecido.

Henrique 27 de agosto de 2016 - 23:26

Sim, li a respeito disso, e saiu um trailer bem legal até, mas a Warner é mestre em dar uma grande expectativa (hype) em trailers, mas frustrar na hora da exibição. E obrigado por responder, jamais imaginei você me respondendo com tamanha frequência e atenção, agradecido.

planocritico 28 de agosto de 2016 - 19:42

@disqus_p55C2QOUVn:disqus , comente sempre que quiser, pois simplesmente adoramos essa interação com nossos leitores! Se depender de mim, tudo será sempre respondido!

Abs,
Ritter.

Henrique 29 de agosto de 2016 - 18:33

Pode deixar rsrs, agradecido.

Henrique 29 de agosto de 2016 - 18:33

Pode deixar rsrs, agradecido.

planocritico 28 de agosto de 2016 - 19:42

@disqus_p55C2QOUVn:disqus , comente sempre que quiser, pois simplesmente adoramos essa interação com nossos leitores! Se depender de mim, tudo será sempre respondido!

Abs,
Ritter.

planocritico 24 de agosto de 2016 - 01:29

Exato. E, como você já deve ter lido, está com problemas de desentendimentos na produção…

Abs,
Ritter.

Henrique 7 de agosto de 2016 - 00:18

Perfeita análise; desisto das séries da warner

Responder
Bruno Lima 20 de julho de 2016 - 00:51

Pelo que se vê só Gotham salva a DC, o resto infelizmente NÃO vale apena.

Responder
planocritico 20 de julho de 2016 - 12:25

@disqus_sqeJveZdmG:disqus , e você quer saber o pior? Gotham é a única série da DC que não consegui assistir ainda… Ó vida, ó azar…

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 20 de julho de 2016 - 12:25

@disqus_sqeJveZdmG:disqus , e você quer saber o pior? Gotham é a única série da DC que não consegui assistir ainda… Ó vida, ó azar…

Abs,
Ritter.

Responder
Bruno Lima 20 de julho de 2016 - 00:51

Pelo que se vê só Gotham salva a DC, o resto infelizmente NÃO vale apena.

Responder
brunoalves65 29 de abril de 2016 - 16:34

Como adoeci e não fui trabalhar, aproveitei para colocar algumas series em dia. Comecei a assistir esse episódio e dormi. Dei outra chance e acabei de ver todo (mas usando o fast foward). Meu mal-estar voltou. Devia ter ficado apenas no excelente episódio de MAoS, assim não estaria com essa sensação que perdi um tempo irrecuperável da minha vida….
Vai ser renovada? Claro, se Arrow conseguiu, Supergirl consegue.
Mas perdi completamente a vontade de ver, assim como desisti de Arrow e da já clássica (negativamente falando) DC’s LoT.
Ainda bem que temos Gotham salvando a DC na telinha…

Responder
planocritico 29 de abril de 2016 - 20:08

@brunoalves65:disqus, sinto muito pelo seu suplício com a Supergirl… Realmente foi um season finale de chorar… Totalmente inexplicável, pois eu até estava achando a série boa…

Espero que já esteja recuperado!

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 29 de abril de 2016 - 20:08

@brunoalves65:disqus, sinto muito pelo seu suplício com a Supergirl… Realmente foi um season finale de chorar… Totalmente inexplicável, pois eu até estava achando a série boa…

Espero que já esteja recuperado!

Abs,
Ritter.

Responder
brunoalves65 29 de abril de 2016 - 16:34

Como adoeci e não fui trabalhar, aproveitei para colocar algumas series em dia. Comecei a assistir esse episódio e dormi. Dei outra chance e acabei de ver todo (mas usando o fast foward). Meu mal-estar voltou. Devia ter ficado apenas no excelente episódio de MAoS, assim não estaria com essa sensação que perdi um tempo irrecuperável da minha vida….
Vai ser renovada? Claro, se Arrow conseguiu, Supergirl consegue.
Mas perdi completamente a vontade de ver, assim como desisti de Arrow e da já clássica (negativamente falando) DC’s LoT.
Ainda bem que temos Gotham salvando a DC na telinha…

Responder
Darth Catra 24 de abril de 2016 - 17:37

Demorei, mas assisti. E meu Deus, que episódio ruim. Será que os roteiristas não conseguem focar na ação nem no maldito final de temporada?
P.S: Acho que quem está dentro da nave é a mesma pessoa que o Negan matou.

Responder
planocritico 24 de abril de 2016 - 20:34

@FilipeRoque10:disqus, e o mais incrível é que esse foi um season finale… Não dá para acreditar que eles não conseguiram imaginar algo melhor…

Sobre quem está na nave, morri de rir! Adorei. Tomara que seja mesmo! HAHAHAHAHAHAHAHAHAH

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 24 de abril de 2016 - 20:34

@FilipeRoque10:disqus, e o mais incrível é que esse foi um season finale… Não dá para acreditar que eles não conseguiram imaginar algo melhor…

Sobre quem está na nave, morri de rir! Adorei. Tomara que seja mesmo! HAHAHAHAHAHAHAHAHAH

Abs,
Ritter.

Responder
Darth Catra 24 de abril de 2016 - 17:37

Demorei, mas assisti. E meu Deus, que episódio ruim. Será que os roteiristas não conseguem focar na ação nem no maldito final de temporada?
P.S: Acho que quem está dentro da nave é a mesma pessoa que o Negan matou.

Responder
Oliver Allen 22 de abril de 2016 - 09:04

Bom, como não comentei o episódio anterior, e ele faz parte desse “arco”, farei um combo e comentarei os dois.
Para começar, ao contrário de você eu gostei do episódio 19. Não considerei um filler – foi um episódio necessário para trabalhar os personagens. E daria um bom 4.
Agora esse 20 realmente foi apressado, e decepcionante. A começa pela falta de foco. Foi anti-climático, as lutas foram ruins, e a Indigo e o Non foram vilões no pior estilo Power Rangers.
Mas houve coisas boas. Os flashbacks foram emocionantes. A Melissa é uma excelente atriz que humaniza a Kara. A atriz que interpreta a mãe dela também teve uma boa participação nos dois últimos episódios. A Cat sem comentários – é uma das melhores personagens.
Entretanto outros ainda não me afeiçoaram. O Caçador de Marte precisa melhorar. E o romance da Kara com o Jimmy deve acabar para ontem (alguém aí aguenta aquele casal?)

O gancho para a segunda temporada foi gratuito, mas é interessante.
Resta-nos esperar que a série melhore.
Com acertos e tropeços, o saldo foi positivo (daria um 3 para a temporada). E, sinceramente, na minha concepção, a série está melhor que The Flash, Arrow, e Legends of Tomorrow.

Responder
planocritico 22 de abril de 2016 - 13:18

@disqus_cJHnAJKib2:disqus, você foi mais benevolente que eu. Não entendi como os showrunners fizeram uma dupla de episódios tão fraca para encerrar uma temporada. Sem dourar a pílula, acho que foi o encerramento de temporada mais fraco que vi na vida.

Mesmo assim, concordo que Supergirl é um pouco melhor que The Flash e bem melhor que Arrow e LoT.

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 22 de abril de 2016 - 13:18

@disqus_cJHnAJKib2:disqus, você foi mais benevolente que eu. Não entendi como os showrunners fizeram uma dupla de episódios tão fraca para encerrar uma temporada. Sem dourar a pílula, acho que foi o encerramento de temporada mais fraco que vi na vida.

Mesmo assim, concordo que Supergirl é um pouco melhor que The Flash e bem melhor que Arrow e LoT.

Abs,
Ritter.

Responder
Oliver Allen 22 de abril de 2016 - 09:04

Bom, como não comentei o episódio anterior, e ele faz parte desse “arco”, farei um combo e comentarei os dois.
Para começar, ao contrário de você eu gostei do episódio 19. Não considerei um filler – foi um episódio necessário para trabalhar os personagens. E daria um bom 4.
Agora esse 20 realmente foi apressado, e decepcionante. A começa pela falta de foco. Foi anti-climático, as lutas foram ruins, e a Indigo e o Non foram vilões no pior estilo Power Rangers.
Mas houve coisas boas. Os flashbacks foram emocionantes. A Melissa é uma excelente atriz que humaniza a Kara. A atriz que interpreta a mãe dela também teve uma boa participação nos dois últimos episódios. A Cat sem comentários – é uma das melhores personagens.
Entretanto outros ainda não me afeiçoaram. O Caçador de Marte precisa melhorar. E o romance da Kara com o Jimmy deve acabar para ontem (alguém aí aguenta aquele casal?)

O gancho para a segunda temporada foi gratuito, mas é interessante.
Resta-nos esperar que a série melhore.
Com acertos e tropeços, o saldo foi positivo (daria um 3 para a temporada). E, sinceramente, na minha concepção, a série está melhor que The Flash, Arrow, e Legends of Tomorrow.

Responder
Bruno 21 de abril de 2016 - 10:49

Adorei o episódio, que venha o Krypto!

Responder
Bruno 21 de abril de 2016 - 10:49

Adorei o episódio, que venha o Krypto!

Responder
Thiago Azevedo Augusto 21 de abril de 2016 - 10:19

Me diverti mais lendo sua critica do que vendo esse ep kkkkk
Cara tipo What??? Que season finale foi essa aff mas em fim to curioso pra saber agora quem ta na nave kkkk o vida

Responder
Thiago Azevedo Augusto 21 de abril de 2016 - 10:19

Me diverti mais lendo sua critica do que vendo esse ep kkkkk
Cara tipo What??? Que season finale foi essa aff mas em fim to curioso pra saber agora quem ta na nave kkkk o vida

Responder
planocritico 21 de abril de 2016 - 15:45

Fiquei chocado com a incompetência dos showrunners nesses dois episódios finais… Não me lembro de ter visto um season finale tão ruim…

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 21 de abril de 2016 - 15:45

Fiquei chocado com a incompetência dos showrunners nesses dois episódios finais… Não me lembro de ter visto um season finale tão ruim…

Abs,
Ritter.

Responder
Batman 20 de abril de 2016 - 23:00

Fiquei decepcionado com esse final, sério, só eu percebi que a Alex estava se contorcendo de dor pelo sinal que explode cabeças e quando foi falar com a Kara ela conversou normalmente como se não estivesse afetada??

Ah fala sério que palhaçada!!! Eu esperava mais, muito mais, uma das coisas que mais me irritou foi o fato de tudo ser resolvido com uma “mensagem de esperança”, algo que soou bobo demais e preguiçoso. E não, não é só você que acha aquele figurino da Índigo constrangedor de ruim, e põe ruim nisso, como ela foi derrotada daquele jeito???? Apenas sendo “rasgada” ao meio depois de tudo o que vimos que ela pode fazer???? Resolução preguiçosa de novo! Esse Non é uma decepção de vilão, não vi graça nele….

Responder
planocritico 21 de abril de 2016 - 00:06

@airtonrodriguet:disqus, houve tantas incongruências nesse final que não dá nem para enumerar direito… Pisaram na bola feio aqui.

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 21 de abril de 2016 - 00:06

@airtonrodriguet:disqus, houve tantas incongruências nesse final que não dá nem para enumerar direito… Pisaram na bola feio aqui.

Abs,
Ritter.

Responder
Batman 20 de abril de 2016 - 23:00

Fiquei decepcionado com esse final, sério, só eu percebi que a Alex estava se contorcendo de dor pelo sinal que explode cabeças e quando foi falar com a Kara ela conversou normalmente como se não estivesse afetada??

Ah fala sério que palhaçada!!! Eu esperava mais, muito mais, uma das coisas que mais me irritou foi o fato de tudo ser resolvido com uma “mensagem de esperança”, algo que soou bobo demais e preguiçoso. E não, não é só você que acha aquele figurino da Índigo constrangedor de ruim, e põe ruim nisso, como ela foi derrotada daquele jeito???? Apenas sendo “rasgada” ao meio depois de tudo o que vimos que ela pode fazer???? Resolução preguiçosa de novo! Esse Non é uma decepção de vilão, não vi graça nele….

Responder
The Shoot Queen 20 de abril de 2016 - 20:03

Assisti em Inglês e sem legenda, tava muito ansiosa pra ver o final, rs. Meu inglês é péssimo mas mesmo assim deu pra entender o básico. Realmente encerrar o arco de Miryad só com a força da esperança foi forçadíssimo. E olhe que eu gosto da série por causa da Melissa. Mas não posso defender o indefensável :(. Concordo com todas as falhas que você apontou. E o beijo no Jimmy foi a cereja do bolo. Nessa cena eu soltei um “aaaffff…!”O que foi aquilo? Nem a competente Melissa conseguiu convencer naquele beijo de tão forçado que foi. Acho que nem mesmo ela concorda com esse romance, fala sério! Não tem química nenhuma, senhor! Nem um romance decente conseguiram desenvolver na série, é triste. Acertaram nas sequencias de ação pelo menos, a meu ver melhorou cem por cento. Mas o mais importante, a historia, continuou sendo falha até o fim da temporada. Queria muito que a série fosse renovada mas se continuar do mesmo jeito que foi a primeira vai ser difícil. Já cheguei a comentar que a Melissa carregava a série nas costas mas nem mesmo ela pode salvar a série se continuar assim. Se for renovada, o que eu já tenho dúvidas..Ah, e eu acho que quem está dentro do pod Kryptoniano é o pai da kara, o Zor-El. Só um pitaco, rs

Responder
The Shoot Queen 20 de abril de 2016 - 20:03

Assisti em Inglês e sem legenda, tava muito ansiosa pra ver o final, rs. Meu inglês é péssimo mas mesmo assim deu pra entender o básico. Realmente encerrar o arco de Miryad só com a força da esperança foi forçadíssimo. E olhe que eu gosto da série por causa da Melissa. Mas não posso defender o indefensável :(. Concordo com todas as falhas que você apontou. E o beijo no Jimmy foi a cereja do bolo. Nessa cena eu soltei um “aaaffff…!”O que foi aquilo? Nem a competente Melissa conseguiu convencer naquele beijo de tão forçado que foi. Acho que nem mesmo ela concorda com esse romance, fala sério! Não tem química nenhuma, senhor! Nem um romance decente conseguiram desenvolver na série, é triste. Acertaram nas sequencias de ação pelo menos, a meu ver melhorou cem por cento. Mas o mais importante, a historia, continuou sendo falha até o fim da temporada. Queria muito que a série fosse renovada mas se continuar do mesmo jeito que foi a primeira vai ser difícil. Já cheguei a comentar que a Melissa carregava a série nas costas mas nem mesmo ela pode salvar a série se continuar assim. Se for renovada, o que eu já tenho dúvidas..Ah, e eu acho que quem está dentro do pod Kryptoniano é o pai da kara, o Zor-El. Só um pitaco, rs

Responder
planocritico 21 de abril de 2016 - 00:07

@theshootqueen:disqus, acho que você entendeu o suficiente. Realmente foi um final para lá de preguiçoso que tem justamente esse efeito de minar todo o trabalho anterior de Benoist que, apesar de tudo, continua sendo a melhor coisa da série.

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 21 de abril de 2016 - 00:07

@theshootqueen:disqus, acho que você entendeu o suficiente. Realmente foi um final para lá de preguiçoso que tem justamente esse efeito de minar todo o trabalho anterior de Benoist que, apesar de tudo, continua sendo a melhor coisa da série.

Abs,
Ritter.

Responder
Darth Catra 20 de abril de 2016 - 14:41

Baixei o episódio agora pouco. Depois dessa crítica fiquei até com medo de ver.
Mas pelo menos ainda tem Gotham e Lucifer para melhorar o dia.

Responder
planocritico 21 de abril de 2016 - 00:07

@FilipeRoque10:disqus, Lucifer com certeza! Não posso falar nada de Gotham ainda…

Mas realmente tenha medo de ver… E, depois de assistir, volte aqui para dizer se achou alguma coisa boa…

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 21 de abril de 2016 - 00:07

@FilipeRoque10:disqus, Lucifer com certeza! Não posso falar nada de Gotham ainda…

Mas realmente tenha medo de ver… E, depois de assistir, volte aqui para dizer se achou alguma coisa boa…

Abs,
Ritter.

Responder
Darth Catra 20 de abril de 2016 - 14:41

Baixei o episódio agora pouco. Depois dessa crítica fiquei até com medo de ver.
Mas pelo menos ainda tem Gotham e Lucifer para melhorar o dia.

Responder
Luiz Santiago 20 de abril de 2016 - 13:31

QUÊEEEEEEEEEEEEEE???? RITTER FAN VENDO SÉRIE RUIM????
Oh, senhor, quanta felicidade tens me dado nesses dias!!! Minha vingança, enfim, chegou!!!

Responder
Luiz Santiago 20 de abril de 2016 - 13:31

QUÊEEEEEEEEEEEEEE???? RITTER FAN VENDO SÉRIE RUIM????
Oh, senhor, quanta felicidade tens me dado nesses dias!!! Minha vingança, enfim, chegou!!!

Responder
Maycon Oliveira 20 de abril de 2016 - 14:46

Só posso dizer que nada é tão ruim que não possa piorar, pensei ter visto o pior episódio de uma série na minha vida mas esse superou! Como pode dar 1 estrela pra isso, era para colocar um buraco negro na avaliação!

Responder
Maycon Oliveira 20 de abril de 2016 - 14:46

Só posso dizer que nada é tão ruim que não possa piorar, pensei ter visto o pior episódio de uma série na minha vida mas esse superou! Como pode dar 1 estrela pra isso, era para colocar um buraco negro na avaliação!

Responder
planocritico 21 de abril de 2016 - 00:08

@disqus_aTSX9yteAy:disqus, fiquei com pena da Benoist…

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 21 de abril de 2016 - 00:08

@disqus_aTSX9yteAy:disqus, fiquei com pena da Benoist…

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 20 de abril de 2016 - 20:30

Ano que vem eu deixo você fazer a 2ª temporada de Supergirl, se for renovada, e eu pego a 5ª de Bates Motel…

Você:

(a) concorda;
(b) concorda muito;
(c) discorda, mas concorda;
(d) não discorda;
(e) todas as opções acima

– Ritter.

Responder
planocritico 20 de abril de 2016 - 20:30

Ano que vem eu deixo você fazer a 2ª temporada de Supergirl, se for renovada, e eu pego a 5ª de Bates Motel…

Você:

(a) concorda;
(b) concorda muito;
(c) discorda, mas concorda;
(d) não discorda;
(e) todas as opções acima

– Ritter.

Responder
Thiago Azevedo Augusto 21 de abril de 2016 - 10:23

Como assim “se for renovado?” Ja nao tinha sido renovada???

Responder
planocritico 21 de abril de 2016 - 15:43

Ainda não foi renovada oficialmente, mas tudo indica que será. A questão é que os ratings caíram muito desde a estréia.

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 21 de abril de 2016 - 15:43

Ainda não foi renovada oficialmente, mas tudo indica que será. A questão é que os ratings caíram muito desde a estréia.

Abs,
Ritter.

Responder
Thiago Azevedo Augusto 21 de abril de 2016 - 10:23

Como assim “se for renovado?” Ja nao tinha sido renovada???

Responder
jcesarfe 20 de abril de 2016 - 13:02

Para salvar essa série só se o Verddeiro Brainiac aparecesse e matasse a Supergirl, deixando elamorta mesmo, aí vamos chamar os produtores de Lanterna Verde (do filme quase tão bom quanto a série) e fazíamos aventuras no espaço com Lanterna Verde e O Caçador de Marte (provavelmente para vingar a morte de Super Girl).
PS: Para quem não entendeu é uma piada, espero que ninguém da Warner tenha lido isso.

Responder
planocritico 21 de abril de 2016 - 00:09

Alguém da Warner lerá isso e fará a série que você sugeriu, mas sem matar a Supergirl, ou seja, acrescentarão MAIS UMA série DC na lista de “maravilhosas” séries DC que têm por aí…

O horror, o horror…

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 21 de abril de 2016 - 00:09

Alguém da Warner lerá isso e fará a série que você sugeriu, mas sem matar a Supergirl, ou seja, acrescentarão MAIS UMA série DC na lista de “maravilhosas” séries DC que têm por aí…

O horror, o horror…

Abs,
Ritter.

Responder
jcesarfe 20 de abril de 2016 - 13:02

Para salvar essa série só se o Verddeiro Brainiac aparecesse e matasse a Supergirl, deixando elamorta mesmo, aí vamos chamar os produtores de Lanterna Verde (do filme quase tão bom quanto a série) e fazíamos aventuras no espaço com Lanterna Verde e O Caçador de Marte (provavelmente para vingar a morte de Super Girl).
PS: Para quem não entendeu é uma piada, espero que ninguém da Warner tenha lido isso.

Responder
Antônio Soares 20 de abril de 2016 - 11:18

Provavelmente não assistirei os últimos episódios e ficarei com “Manhunter” na minha cabeça como o último episódio da temporada. ^^

Responder
Antônio Soares 20 de abril de 2016 - 11:18

Provavelmente não assistirei os últimos episódios e ficarei com “Manhunter” na minha cabeça como o último episódio da temporada. ^^

Responder
planocritico 20 de abril de 2016 - 12:33

Faz bem, viu…

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 20 de abril de 2016 - 12:33

Faz bem, viu…

Abs,
Ritter.

Responder
Luciano 20 de abril de 2016 - 10:40

Não achei de todo o ruim, quando penso nessa série da Supergirl, sabe o que me vem a cabeça, o Superman do Richard Donner, Supergirl diáloga com o público, da mesma forma que o Superman do Donner, se é excelente em todos seus detalhes, longe disso, mas acho que a serie tem os seus privilégios, mesmo que piegas, entrega algumas figuras interessantes, especialmente Jon Jonzz e Maxwell Lord, e a química entre a Kara e a Alex funciona e também a carismática Cat Grant.
Sobre os vilões desse último arco, Non nunca foi um cara de personalidade, primeiro ele pegou as ideias de Astra, e depois foi manipulado de maneira muito pueril pela Indigo, aliás um problema que a série ainda tem, é em entregar vilões realmente decentes, Maxwell Lord é a única exceção.
Enfim pra mim foi uma temporada que teve os seus altos e baixos, porém ela conseguiu ter muito mais profundidade, do que as suas colegas da CW.

Responder
planocritico 20 de abril de 2016 - 12:36

@disqus_bgDKkGgNNd:disqus, entendo seu ponto, mas as comparações com o Superman de Donner param nas mensagens leves e que capturam o espírito do Superman original. O resto não dá nem para começar a comparar, pois esses dois últimos episódios de Supergirl conseguiram trair até mesmo a lógica interna da série. Acho que foi uma das piores duplas de episódios de encerramento de temporada que vi na vida.

Abs,
Ritter.

Responder
Matheus Bezerra de Lima 20 de abril de 2016 - 19:02

Por falar em Superman de Donner, gostaria que você, Ritter, fizesse uma crítica do filme, que pessoalmente considero um dos melhores, mágicos e honestos filmes de super-heróis da história. Sobre a série Supergirl, talvez tenha faltado decisão dos showrunners sobre o que queriam fazer. Mas houve outros episódios bons além dos que você citou, como Human for a Day. E gostaria de ver aqui resenhas de duas grandes séries: Friends, Chaves e Chapolin. Abraços.

Responder
planocritico 21 de abril de 2016 - 00:10

@Matheus@matheusbezerradelima:disqus, eu já fiz a crítica do Superman de Donner (e de todos os demais filmes do herói). Basta procurar aqui no site. E temos Friends também.

Já Chaves e Chapolin, gostamos, mas dificilmente faremos crítica. Mas nunca se sabe!

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 21 de abril de 2016 - 00:10

@Matheus@matheusbezerradelima:disqus, eu já fiz a crítica do Superman de Donner (e de todos os demais filmes do herói). Basta procurar aqui no site. E temos Friends também.

Já Chaves e Chapolin, gostamos, mas dificilmente faremos crítica. Mas nunca se sabe!

Abs,
Ritter.

Responder
Matheus Bezerra de Lima 20 de abril de 2016 - 19:02

Por falar em Superman de Donner, gostaria que você, Ritter, fizesse uma crítica do filme, que pessoalmente considero um dos melhores, mágicos e honestos filmes de super-heróis da história. Sobre a série Supergirl, talvez tenha faltado decisão dos showrunners sobre o que queriam fazer. Mas houve outros episódios bons além dos que você citou, como Human for a Day. E gostaria de ver aqui resenhas de duas grandes séries: Friends, Chaves e Chapolin. Abraços.

Responder
Matheus Bezerra de Lima 20 de abril de 2016 - 19:09

E, independente de ser clichê, Maxwell Lord é o único vilão que presta nessa série. Apesar de não ser original, ele consegue passar a quem assiste um sentimento de raiva dele e de sua cara de pau e sarcasmo. Acho que isso se deve também a grande atuação do ator.

Responder
Matheus Bezerra de Lima 20 de abril de 2016 - 19:09

E, independente de ser clichê, Maxwell Lord é o único vilão que presta nessa série. Apesar de não ser original, ele consegue passar a quem assiste um sentimento de raiva dele e de sua cara de pau e sarcasmo. Acho que isso se deve também a grande atuação do ator.

Responder
planocritico 21 de abril de 2016 - 00:09

Até que ele não é péssimo mesmo. Dá para aturar.

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 21 de abril de 2016 - 00:09

Até que ele não é péssimo mesmo. Dá para aturar.

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 20 de abril de 2016 - 12:36

@disqus_bgDKkGgNNd:disqus, entendo seu ponto, mas as comparações com o Superman de Donner param nas mensagens leves e que capturam o espírito do Superman original. O resto não dá nem para começar a comparar, pois esses dois últimos episódios de Supergirl conseguiram trair até mesmo a lógica interna da série. Acho que foi uma das piores duplas de episódios de encerramento de temporada que vi na vida.

Abs,
Ritter.

Responder
Luciano 20 de abril de 2016 - 10:40

Não achei de todo o ruim, quando penso nessa série da Supergirl, sabe o que me vem a cabeça, o Superman do Richard Donner, Supergirl diáloga com o público, da mesma forma que o Superman do Donner, se é excelente em todos seus detalhes, longe disso, mas acho que a serie tem os seus privilégios, mesmo que piegas, entrega algumas figuras interessantes, especialmente Jon Jonzz e Maxwell Lord, e a química entre a Kara e a Alex funciona e também a carismática Cat Grant.
Sobre os vilões desse último arco, Non nunca foi um cara de personalidade, primeiro ele pegou as ideias de Astra, e depois foi manipulado de maneira muito pueril pela Indigo, aliás um problema que a série ainda tem, é em entregar vilões realmente decentes, Maxwell Lord é a única exceção.
Enfim pra mim foi uma temporada que teve os seus altos e baixos, porém ela conseguiu ter muito mais profundidade, do que as suas colegas da CW.

Responder

Escreva um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais