Home TVEpisódio Crítica | Supergirl – 6X06: Prom Again!

Crítica | Supergirl – 6X06: Prom Again!

por Davi Lima
850 views (a partir de agosto de 2020)

prom

  • Há SPOILERS deste episódio e da série. Leia aqui as críticas dos outros episódios.

 

Maybe that ‘s the lesson of high school – Brainiac-5 (falando para Nia em Prom Again!)

Apesar da série estar bem estável nesta temporada, e esse episódio parecer um fiapo de roupa que apareceu na blusa engomada, fica difícil de ignorar a chamada subestimação com o público, tanto na abordagem do sci-fi quanto na abordagem jornalística, dois temas da série. Como no episódio anterior, Prom Night!, o subtexto foi bem trabalhado a jovialidade em favor das formulações de conflitos em um contexto de colegial, fica amplamente contraditório as resoluções com os aliens azuis e com a Cat Grant de maneira irresponsável em meio a viagem no tempo. Porque invés de apostar um tom cômico nas famosas erráticas que desmontam as linhas do tempo, os clássicos problemas de jornadas no tempo, infelizmente o centro do subtexto, dessa vez, é a comédia romântica, e felizmente também, pois é a tentativa de coerência no casal Nia Nal e Brainiac-5 em desenvolvimento.

Depois da quinta temporada conturbada para o casal Brainiac-5 e Nia Nal, eles ganharam os fãs da série na complementação dramática que cada personagem insere no outro. Muito do que funcionou na justificativa não explicada do porquê o casal era a melhor opção de viajar no tempo em Prom Night! se baseava no anseio plausível de desenvolvimento deles, fora a mitologia de cada personagem ter alguma relação com o futuro temporal – sonhos e presságios em relação ao poderes da Sonhadora e o fator primordial que Brainiac-5 ser do futuro da Legião dos Super-heróis. Mas esse episódio Prom Again! se apresenta covarde e inconsequente de maneira excessiva no uso da comédia romântica como entrelace entre dois grandes conflitos, dos aliens e de Cat Grant, em relação a viagem no tempo. O desenvolvimento dos personagens acabam por se resumir a momentos dramáticos coerentes nessa “duologia Prom”, parte um e parte dois, mas distantes do foco conflituoso desenvolvido no sci-fi e no jornalismo.

A ideia de partir para algo com-rom, algo que combina muito com a CW e o contexto escolar em questão nesses episódios, em princípio é algo acertado, averiguando o romance juvenil como sobreposição de resolução do sci-fi (Mr. Blue Sky, música do Electric Light Orchestra que Cat Grant referencia os aliens) e do jornalismo (Paparazzi da Lady Gaga, que no final de 2009 fez baita sucesso), pensando em Kara com Kenny Li e Nia Nal com Brainiac-5, romances em conflito em busca de amadurecimento em meio as atrapalhadas da viagem no tempo. Porém, o que se apresenta com o com-rom de maneira enfática é facilidade conveniente de resolver conflitos presente tipicamente no subgênero, não a comédia de fragilidade entre o casal, ou o romance gostosinho. 

Em comparação às lindas cenas de drama, como a das jovens Alex e Kara olhando para os meteoros em Midvale, ou os diálogos e danças românticas existentes no episódio, que apesar de serem lindas não parecem levar a lugar algum de fato; todo o embolo projetado em Prom Night! se esvazia com a pressa que não se torna urgência, com o imediatismo do episódio não levar nada da viagem do tempo, postergando o foco da missão de conseguir o sangue de Kara Danvers, que de certa forma desmonta esses momentos dramáticos isolados.

A diretora de Prom Again!, a própria atriz da personagem Alex Danvers, Chyler Leigh, sem dúvida ajuda esses momentos isolados de drama no extrair dos atores algo convincente, e fazer tomadas bem boas que evidenciam uma certa unidade estilística das cenas gravadas, mas o roteiro do episódio não ajudou a primeira direção da querida Chyler. Mais uma vez os showrunners dão um roteiro aparentemente pobre no quesito história ou narrativa, ou muito complicado para qualquer pessoa que inicia no trabalho direção. A mesma coisa aconteceu com Melissa Benoist, a atriz que interpreta Supergirl, no episódio Deus Lex Machina na quinta temporada, em que, além de um roteiro textualmente muito expositivo nas falas de Lex Luthor, era também um tiro se auto justificando por ter sido atirado como deus ex machina, difícil de convencer, exceto pela atuação de Jon Cryer que Melissa dirige bem. 

Até agora estava imbatível de diretoras, em que os últimos episódios dirigidos por mulheres nessa temporada estavam em alto nível. Mesmo que a atriz Chyler saiba o que está fazendo na direção, fica difícil gravar um roteiro tão inconsequente e ao mesmo tempo tão moral em quesitos emocionais. 

E se a frase do Brainiac-5 para Nia é linda, sobre vislumbrar os momentos alegres após a dor emocional, que resolve o stress de Brainiac-5 e Nia vira uma heroína sem Supergirl, infelizmente não forma-se uma antítese harmônica focado nesse desenvolvimento dos personagens, e sim algo irritante durante a trama de Prom Again!, com a jovem Supergirl sendo imatura e a viagem no tempo, afinal, se tornando uma artimanha cômica em uma conveniência sem limites dentro da mitologia sci-fi da série, com os consertos temporais parecerem anticlimáticos. E o exemplo direto disso é a trama Kenny Li. Revogada sua morte pela Crise nas Infinitas Terras para formar toda uma narrativa tão romântica e dramática com Kara para uma resposta tão decidida do personagem em meio ao conflito de sua namorada ir para National City. Não soa nem juvenil nem maduro por parte dele, apenas pela conveniência que tinha que ser, uma busca por um término de namoro convincente que o episódio infelizmente prefere provocar mais drama em Nia e Brainiac-5 do que no espectador, embora, felizmente, isso também seja coerente com o foco nos dois personagens que o episódio acaba lembrando.

Assim, o sci-fi e o jornalismo ficam como apetrechos que precisavam estar lá para criar um conflito grande demais para uma resolução conveniente demais. Como se fosse um reset central, quando o central é o drama de Nia e Brainiac-5 que também são resumidos, mesmo com ótimos momentos românticos, momentos em meio a muita besteira; o episódio anterior, com um nível de maturidade em progresso, é como se não tivesse servido para nada. Por isso a máxima, por episódios como esse existirem, é: não é tão fácil trabalhar com viagem no tempo.

Supergirl – 6X06: Prom Again! – EUA, 04 de maio de 2021
Direção: Chyler Leigh
Roteiro: Rob Wright, Jessica Kardos
Elenco: Jesse Rath, Nicole Maines, Izabela Vidovic, Olivia Nikkanen, Peter Adrian Sudarso, Eliza Helm, Chris William Martin, Matt Baram, Kate Burton, Winnie Hung, Nik Vasilyev, Anita Wittenberg, Nicholas Wong
Duração: 43 minutos

Você Também pode curtir

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais