Home QuadrinhosArco Crítica | Superman e Flash: Perseguição e Corrida Até o Fim dos Tempos (DC Comics Presents #1 e 2)

Crítica | Superman e Flash: Perseguição e Corrida Até o Fim dos Tempos (DC Comics Presents #1 e 2)

por Luiz Santiago
103 views (a partir de agosto de 2020)

A série DC Comics Presents surgiu como uma forma de colocar o Superman interagindo com outros heróis e até mesmo vilões da DC Comics com os quais não interagiria normalmente, salvo uma das muitas sagas críticas pelas quais a Liga e a SJA passaram desde Crise na Terra-1, em 1963. Considerando esse aspecto de ineditismo, a série conseguia colocar em cena um bom número de situações totalmente (ou quase totalmente) novas para o Filho de Krypton, que nas duas edições de estreia da série trouxeram o Flash, de certa forma, “apostando corrida” com o Superman. Mas a situação aqui não é exatamente a competição pela competição, de forma amigável. Trata-se de uma questão de vida e morte, tanto para o Super quando para o planeta Terra.

Escrita por Martin Pasko, a primeira revista da série se intitula Perseguição Até o Fim dos Tempos e começa na cidade de Rosemont com uma nave, um tripulante e alguns raios estranhos que chamam a atenção dos dois heróis aqui listados, cada um tentando resolver o problema da maneira mais rápida e eficiente possível. No início, parece que o Superman não está muito feliz com a intervenção do Flash e pode-se dizer que há até uma certa provocação do Homem de Aço para com o colega. Não no sentido de rudeza ou criação de uma verdadeira animosidade entre eles, mas um estranhamento do tipo “eu sei o que estou fazendo! Mas já que você está aqui, então ajuda direito!“. Bom… isso pareceu meio rude, não é? Mas vocês entenderam. É o Superman. Ele não tem como ser rude. Mas ele estranha a presença do Flash na região. Em pouco tempo, porém, ambos serão abduzidos e é aí que o núcleo de toda a trama se mostra.

A história, porém, é repleta de bizarrices. Aqui encontraremos uma cela (aparentemente sem nenhuma propriedade especial) capaz de conter Zoom; Superman COSTURANDO um fenda no tempo (é isso mesmo!), com uma agulha feita de um metal do futuro (exatamente!) e fios de telefone do futuro como linha de costura (pois é!); maluquices impossíveis e risíveis sobre viagens no tempo e diálogos ou solilóquios capazes de fazer corar romancistas amadores em seus piores momentos de inspiração. Mas sabem o que é mais interessante no meio de tudo isso? A história funciona! E funciona bem, a despeito de todos esses momentos, que, por estarem envoltos em um contexto fluído e cheio de situações elogiáveis, acabam não sendo bobagens negativas, mas charmosas, uma capacidade que muitas HQs de heróis até o final dos anos 70 tinham sobre o leitor, de mudar a percepção a partir de boas sacadas, mesmo tendo lombadas no caminho.

plano critico superman flash zoom futuro corrida plano critico

Quando um problema não basta…

A arte aqui é de ninguém menos que José Luis García-López, o artista com a versão possivelmente mais divulgada do Superman. Com uma arte essencialmente forjada para enaltecer os personagens, López faz esse encontro de heróis, raças alienígenas, início da vida na Terra e cameo de Zoom, Superboy e Legião dos Super-Heróis valer a pena. Seus cenários não permanecem o tempo inteiro em grande destaque, mas quando isso acontece, recebem a mesma atenção e graça nos traços que o artista dá aos seus personagens. Gosto particularmente de sua concepção para a viagem no tempo e o rompimento da Cortina Cósmica, um conceito teoricamente ruim, mas que pela arte e pelo contexto da história, acaba ficando bom.

Cheio de boas surpresas e mostrando uma parceria muito interessante entre Superman e Flash, num roteiro sobre viagem no tempo, esse início da série DC Comics Presents mostrou que podia ser tão interessante quando a Brave and the Bold a partir da edição 74, que trazia de maneira fixa o Batman + algum outro herói ou equipe (embora isso já tenha acontecido, aleatoriamente, antes). E a DC mais uma vez se via em bons lençóis, apostando em um medalhão da casa. Nada de novo, porém, algo muito bem feito, o que já é o bastante, ao menos em termos de entretenimento para o leitor.

Superman e Flash: Corrida e Perseguição Até o Fim dos Tempos (DC Comics Presents: Superman and the Flash: Race to the End of Time! / Chase to the End of Time!) — EUA, 1978
No Brasil:
 Superman: Lendas do Homem de Aço – José Luis García-López n°2 (Panini, 2016)
Roteiro: Martin Pasko
Arte: José Luis García-López
Arte-final: Dan Adkins
Cores: Jerry Serpe
Letras: Ben Oda / Clem Robins
Capas: José Luis García-López, Dan Adkins
Editoria: Julius Schwartz
50 páginas

Você Também pode curtir

8 comentários

Big Boss 64 23 de abril de 2018 - 16:08

Existe algum motivo especial pros desenhos do Garcia-Lopez serem padrão de divulgação no merchandising da DC? Ou foi sorteio num dia qualquer? Kkk

Responder
Luiz Santiago 23 de abril de 2018 - 21:19

Pelo que entendi até hoje, foi porque ele era rápido e porque tinha um grande domínio, com traços agradáveis em diversas poses, do Super.

Responder
Cadê o Yoshi? 23 de abril de 2018 - 21:56

Ainda prefiro a versão do sorteio 😂

Responder
Big Boss 64 23 de abril de 2018 - 21:56

Ainda prefiro a versão do sorteio 😂

Responder
Luiz Santiago 23 de abril de 2018 - 22:03

Compreensível!

Responder
Luiz Santiago 23 de abril de 2018 - 22:03

Compreensível!

Responder
Luiz Santiago 23 de abril de 2018 - 21:19

Pelo que entendi até hoje, foi porque ele era rápido e porque tinha um grande domínio, com traços agradáveis em diversas poses, do Super.

Responder
Cadê o Yoshi? 23 de abril de 2018 - 16:08

Existe algum motivo especial pros desenhos do Garcia-Lopez serem padrão de divulgação no merchandising da DC? Ou foi sorteio num dia qualquer? Kkk

Responder

Escreva um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais