Crítica | The Big Bang Theory – 12X11: The Paintball Scattering

Contém spoilers.

A última temporada de The Big Bang Theory já se encaminha para a sua metade conclusiva e, em seu décimo-primeiro episódio, retorna do costumeiro hiato com vontade de resolver tudo. Um dos lances mais interessantes apresentados, que mostra uma agilidade por parte do roteiro, é pular a confecção da nova tese de Sheldon (Jim Parsons) e Amy (Mayim Bialik), compreendida como uma possibilidade no capítulo passado, e jogar-se diretamente para o seu sucesso esperado, o que evita, em consequência, uma redundância temática que costuma ser uma regra para sitcoms.

A intenção agora é colocar o personagem masculino para perder considerável relevância quando ao lado da personagem feminina, uma curiosa inversão de papéis que nunca é transformada em panfletagem mais “ordinária” sobre colocar-se no lugar do outro. Grandes mulheres, no passado, foram postas em sub-plano, mesmo trabalhando ao lado – e não para – grandes homens. The Big Bang Theory, nesse caso, soube construir dinâmicas convincentes oriundas de princípios interessantíssimos em termos discursivos, recusando uma espontaneidade ordinária de premissa.

Já o jogo de paintball, enredo central, possui sua pretensão cômica desperdiçada. Seria verdadeiramente interessante ver as equipes se confrontando, com alguma estratégia, mesmo que minimizada por causa da duração do episódio, porém, os roteiristas decidem transformar tudo em uma grande discussão de relacionamentos. A graça permanece, mas vários arcos se atropelam no propósito de condensar diversas temáticas, incluindo a confrontação de Denise a Stuart, que é chamado para morar junto com a sua namorada. As várias interrupções são burocráticas.

O jogo, portanto, é um mero pretexto para o desenvolvimento de humor, não a comédia por si só. A narrativa mais sofrida, em decorrência dessa decisão de The Paintball Scattering de abraçar – quase – todos os núcleos de uma vez só, é o conjunto de Raj com a sua noiva, Anu. O relacionamento parece estar diante de uma reviravolta um pouco facilitada demais, porque os responsáveis pela série estavam sentindo que o casal estaria se estagnando. Quebrar com a proposta de amor improvável é previsível demais, embora Raj realmente não precisava se casar.

The Big Bang Theory – 12X11: The Paintball Scattering – EUA, 3 de janeiro de 2018
Criação: Chuck Lorre e Bill Prady
Direção: Mark Cendrowski
Roteiro: Maria Ferrari, Tara Hernandez, Adam Faberman
Elenco: Johnny Galecki, Jim Parsons, Kaley Cuoco, Simon Helberg, Kunal Nayyar, Mayim Bialik, Melissa Rauch
Duração: 20 min.

GABRIEL CARVALHO . . . Sem saber se essa é a vida real ou é uma fantasia, desafiei as leis da gravidade, movido por uma pequena loucura chamada amor. Os anos de carinho e lealdade nada foram além de fingimento. Já paguei as minhas contas e entre guerras de mundos e invasões de Marte, decidi que quero tudo. Agora está um lindo dia e eu tive um sonho. Um sonho de uma doce ilusão. Nunca soube o que era bom ou o que era ruim, mas eu conhecia a vida já antes de sair da enfermaria. É estranho, mas é verdade. Eu me libertei das mentiras e tenho de aproveitar qualquer coisa que esse mundo possa me dar. Apesar de ter estado sobre pressão em momentos de grande desgraça, o resto da minha vida tem sido um show. E o show deve continuar.