Crítica | The Big Bang Theory – 12X12: The Propagation Proposition

Contém spoilers.

O relacionamento de Raj (Kunal Nayyar) já está dando tantas voltas, aqui retornando ao seu início, que penso, ainda na metade da última temporada de The Big Bang Theory, que os roteiristas da série parecem não terem tido coragem de criar algo realmente novo com o personagem. Antes, a premissa de manter o casamento arranjado era consideravelmente original, mas o que os personagens agora vão fazer, cancelando o evento, porém saindo juntos como se estivessem se conhecendo do zero, dá a sensação de uma novidade forjada, quando o nascimento de um amor poderia muito bem já estar sendo acompanhado do casamento propriamente dito, apenas para tudo terminar, muito provavelmente, com um outro casamento. O contexto será, portanto, ordinário.

Os casamentos, por serem tão recorrentes, poderiam ser escanteados como um acontecimento futuro, mas trazidos à tona pelo seu presente, o que, por exemplo, é competente para a construção de um psicológico sobre Raj, questionando a sua vida por ver todos os seus amigos casados. Ademais, o mais interessante que acontece no episódio The Propagation Proposition mora no núcleo de Leonard (Johnny Galecki) e Penny (Kaley Cuoco), em vista do convite de um ex-namorado da garota para que o seu atual marido seja doador de esperma para ele. Uma pena que, nesse caso, o roteiro simplesmente avance qualquer discussão mais elaborada sobre a temática, partindo apenas do princípio de massagem de ego do protagonista sobre Sheldon (Jim Parsons).

The Big Bang Theory também sacrifica, no entrecorte de dinâmicas mais profundas – uma montagem potencialmente “revigorante” nos estranha a introdução do capítulo -, o seu teor cômico, a sua graça como essência, porque o episódio é consideravelmente encarado com uma seriedade cansativa – contrapor Raj com Anu (Rati Gupta) não dá margem a muitas piadas, porque a mulher está, obviamente, muito fechada nesse episódio, por causa do que aconteceu em The Paintball Scattering. O auge cômico, por exemplo, depende da referência a Simplesmente Amor, que é até explicada gratuitamente, como em quase tudo que a série ousou referenciar. Tomara que esse episódio não proponha a propagação de uma chateação como essa, para o restante da temporada.

The Big Bang Theory – 12X12: The Propagation Proposition – EUA, 10 de janeiro de 2018
Criação: Chuck Lorre e Bill Prady
Direção: Mark Cendrowski
Roteiro: Maria Ferrari, Dave Goetsch, Eric Kaplan
Elenco: Johnny Galecki, Jim Parsons, Kaley Cuoco, Simon Helberg, Kunal Nayyar, Mayim Bialik, Melissa Rauch, Kati Gupta
Duração: 20 min.

GABRIEL CARVALHO . . . Sem saber se essa é a vida real ou é uma fantasia, desafiei as leis da gravidade, movido por uma pequena loucura chamada amor. Os anos de carinho e lealdade nada foram além de fingimento. Já paguei as minhas contas e entre guerras de mundos e invasões de Marte, decidi que quero tudo. Agora está um lindo dia e eu tive um sonho. Um sonho de uma doce ilusão. Nunca soube o que era bom ou o que era ruim, mas eu conhecia a vida já antes de sair da enfermaria. É estranho, mas é verdade. Eu me libertei das mentiras e tenho de aproveitar qualquer coisa que esse mundo possa me dar. Apesar de ter estado sobre pressão em momentos de grande desgraça, o resto da minha vida tem sido um show. E o show deve continuar.