Crítica | The Big Bang Theory – 12X15: The Donation Oscillation

Contém spoilers.

The Big Bang Theory parece estar com vergonha de tudo que sugeriu episódios passados. O casamento de Raj acabou, tornando-se um namoro. E agora Leonard (Johnny Galecki) se arrepende de ter aceitado doar espermatozoides para um ex-namorado de Penny (Kaley Cuoco). Como o personagem se convence disso? Porque sua esposa insiste em aprontar no quarto com ele, mesmo com a sugestão de intercurso não acontecer em três dias. Ou seja, Penny começa a comportar-se de uma maneira contraditória às vontades do marido. Toda essa questão, porém, já se resolvera no passado, mostrando redundância narrativa e até mesmo vergonha das premissas.

Leonard ter desistido da doação, paralelamente, sugere uma preguiça imensa dos roteiristas em se encaminharem a mares pouco explorados. Mesmo com o genérico, por que não contornar bem as coisas? “Eu não conseguiria ter um filho nesse mundo que não fosse o meu filho”, aponta o personagem na conclusão do seu arco. Quando essas questões tão particulares são exploradas no decorrer de The Donation Oscillation? Pois as desventuras se resumem à participação do pai de Penny (Keith Carradine) no episódio, que pouco acrescentam a essas dinâmicas, muito mais relacionadas à questão de sua filha não querer ter filhos, mas que é jogada em meio aos diálogos.

Já Raj (Kunal Nayyar) e Howard (Simon Helberg) se envolvem verdadeiramente, em uma primeira instância, em consequências mais concretas ao casamento arranjado que nunca aconteceu. Mas ao invés das discussões centrarem-se em Raj e sua namorada – e ex-noiva -, o enredo crê ser melhor explorar o relacionamento entre Howard e Bernadette (Melissa Rauch). Contudo, o que acontece é justamente o contrário, por que todas as inseguranças apresentadas não são coerentes com um casamento de anos, parecendo rixa de criança. Quando Howard relembra o seu passado e diz que ele e seus amigos eram miseráveis e sozinhos, a série reitera essa sua vergonha própria.

The Big Bang Theory – 12X15: The Donation Oscillation – EUA, 7 de fevereiro de 2019
Criação: Chuck Lorre e Bill Prady
Direção: Mark Cendrowski
Roteiro: Bill Prady, Jeremy Howe, Adam Faberman
Elenco: Johnny Galecki, Jim Parsons, Kaley Cuoco, Simon Helberg, Kunal Nayyar, Mayim Bialik, Melissa Rauch, Rati Gupta
Duração: 20 min.

GABRIEL CARVALHO . . . Sem saber se essa é a vida real ou é uma fantasia, desafiei as leis da gravidade, movido por uma pequena loucura chamada amor. Os anos de carinho e lealdade nada foram além de fingimento. Já paguei as minhas contas e entre guerras de mundos e invasões de Marte, decidi que quero tudo. Agora está um lindo dia e eu tive um sonho. Um sonho de uma doce ilusão. Nunca soube o que era bom ou o que era ruim, mas eu conhecia a vida já antes de sair da enfermaria. É estranho, mas é verdade. Eu me libertei das mentiras e tenho de aproveitar qualquer coisa que esse mundo possa me dar. Apesar de ter estado sobre pressão em momentos de grande desgraça, o resto da minha vida tem sido um show. E o show deve continuar.